Início > Opinião > Um reparo: justiça

Um reparo: justiça

A expressão “operação marquês”, usada para identificar uma investigação em curso, tornou-se habitual nas notícias, nos comentários e nas conversas dos últimos anos. Durante meses abundaram relatos de buscas, interrogatórios, fugas de informação, desmentidos, acusações, circuitos de dinheiro, esquemas de corrupção… com imagens dos investigados, alguns deles figuras públicas conhecidas noutras circunstâncias.

Quatro anos depois, o país acordou com a notícia do volumoso (4 mil páginas) despacho final do inquérito e a acusação de vários arguidos, entre os quais um antigo primeiro-ministro. Se o caso tem “pernas para andar”, só os próximos tempos o dirão. Se os agora acusados virão um dia a ser condenados ou não, só um julgamento justo o poderá determinar. Segue-se o trabalho das respectivas defesas e, posteriormente, a decisão de um juiz sobre o avançar ou não para julgamento que, a concretizar-se e segundo os entendidos, só terá início lá para 2019.

Contra a opinião de quantos duvidavam da capacidade da justiça investigar e acusar determinadas figuras, aí está a resposta. E esta pode ser uma primeira nota a reter: a justiça começa a não ter medo de investigar determinados esquemas que privilegiam alguns e de acusar os seus protagonistas, apesar do poder que os acompanha. Tal como na sua representação, a justiça deve ser cega.

Por outro lado, e segundo as previsões, o julgamento poderá prolongar-se por mais de uma dezena de anos. E as perguntas surgem de imediato: será que alguém se vai manter atento ao desenrolar do processo? As figuras envolvidas tenderão a perder visibilidade mediática, alguns poderão morrer antes do desfecho, outras notícias aparecerão na primeira página, a memória dos actuais leitores e espectadores vai perdendo capacidades… Mas tanto tempo significa que, mesmo inocente, o arguido terá a vida em suspenso. Será isso justo?

JD, in Voz de Lamego, ano 87/46, n.º 4432, 17 de outubro 2017

Categorias:Opinião Etiquetas:,
  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: