Um reparo: ajudas

O incêndio que vitimou mais de sessenta pessoas e destruiu casas e outros bens de muitas famílias, em Pedrógão Grande, foi há um mês.

Desde a primeira hora se movimentaram indivíduos, grupos e instituições para socorrer os sobreviventes com bens de primeira necessidade. Como habitualmente acontece nestas situações, a partilha foi grande e a generosidade da população devolveu esperança e dignidade às vítimas.

Os apelos sucederam-se e as iniciativas juntaram quantias avultadas que, quando devidamente aplicadas, poderão minimizar as perdas sofridas. Os responsáveis políticos, desde cedo, prometeram ajudas e comprometeram-se a ser céleres na atribuição de verbas e no solucionar das dificuldades. Quantas vezes a diminuição dos procedimentos burocráticos já seria uma grande ajuda! Ler mais…

Voluntariado missionário: 1403 portugueses partem em 2017

18 pessoas deixam o seu emprego e 10 pedem licença sem vencimento para partir em missão

 

A Fundação Fé e Cooperação (FEC), organismo da Igreja Católica em Portugal, anunciou hoje que 1403 pessoas vão dedicar-se a ações de voluntariado missionário em 2017.

“389 jovens e adultos realizam projetos de voluntariado missionário em países em vias de desenvolvimento e 1014 desenvolve atividades de voluntariado/missão em Portugal”, refere um comunicado da instituição, enviado hoje à Agência ECCLESIA.

Este é um número global mais alto do que em 2016, verificando-se um aumento no número de voluntários que parte para missões fora da Europa, segundo dados estatísticos da Rede de Voluntariado Missionário coordenada pela FEC – Fundação Fé e Cooperação.

O elenco inclui voluntários que abdicam dos seus empregos e salários para partir em missão

“Com idades compreendidas entre os 18 e os 50 anos, 18 pessoas deixam o seu emprego e 10 pedem uma licença sem vencimento para partir este ano para países em desenvolvimento”, assinala a nota de imprensa.

A este número somam-se 10 desempregados que vão dedicar-se a experiências de voluntariado missionário. Ler mais…

Categorias:Testemunho, Vida, Vocações Etiquetas:, ,

Falecimento da Irmã do Pe. Albano de Almeida Pereira

O Senhor, Deus de Misericórdia, chamou à Sua morada a D. Maria Olinda de Almeida, irmã do reverendo Pe. Albano de Almeida Pereira, Pároco do Vacalar, na Zona Pastoral de Armamar.

O Sr. Bispo, D. António Couto, em comunhão e em nome do Presbitério de Lamego, une-se na oração e na amizade com o Pe. Albano, invocando o conforto da caridade divina e a certeza da ressurreição para a glória de Deus Pai. Condolências extensíveis a todos os familiares e amigos.

Será celebrada Missa de corpo presente, 22 de julho, pelas 15h30, na Igreja da Graça, na Paróquia de Almacave. O cortejo fúnebre seguirá para a Paróquia da Panchorra, onde irá a sepultar.

Confiemo-la à misericórdia divina.

Categorias:Oração Etiquetas:, ,

Retiro GJS – Maleitas e Curas

O passado fim-de-semana de 8 e 9 de Julho foi para o Grupo de Jovens da Sé (GJS) um retiro marcado pela reflexão, pelo debate, e pela boa disposição, contando já com a presença dos novos membros, “mortinhos” por começar a nova etapa da sua vivência enquanto jovens cristãos. A caminhada física precedeu a caminhada espiritual, partindo o grupo logo pela manhã de Sábado da escadaria d’os Remédios. Nem a torreira matinal, nem o queixume dos músculos impediu a chegada à Quinta da Capela, um local que mais uma vez se mostrou maravilhoso ao “evento” (um agradecimento à família Neto!).

Após o reabastecimento do almoço começaram os trabalhos. Numa sociedade onde os conhecimentos médicos e aquilo que sabemos sobre as doenças que afectam o ser humano, as maleitas, interligadas com textos bíblicos, serviram de ponto de partida à reflexão. Deixando apenas um cheirinho do muito reflectido, quantas vezes espirras bisbilhotice e tosses maldizer? Qual a última vez que padeceste de “martice”? (Referência ao episódio de Marta e Maria, em que Marta se esqueceu que, conquanto importante, para tudo há tempo e lugar.) Nós somos, repetimo-lo em cada Eucaristia, o corpo de Deus. Se um membro desse corpo se encontra doente, todo o corpo se ressente, e desvia os esforços para a cura. Ler mais…

Acampamento Regional do CNE da Região de Lamego

Foi num ambiente misto de saudade e alegria que cerca de 300 Escuteiros encerraram no dia 9, ao final da tarde, o Acampamento Regional do CNE da Região de Lamego. (ACAREG)

Teve início em 7 de Julho de 2017, com a montagem de campo pelas 18h, tendo pelas 22h acontecido a receção à imagem de Nª Sª de Fátima oferecida, na penúltima peregrinação deste Movimento a Fátima (2006), pela Junta Central, à Junta Regional de Lamego e que nós guardamos com todo o carinho e devoção na sede da Junta Regional durante estes onze anos. Quisemos assinalar o centenário das Aparições com a peregrinação desta imagem a todos os Agrupamentos da Região de Lamego. Esteve durante esta semana no Agrupamento de Penude e daí foi transportada no seu andor até ao nosso Acampamento situado nas instalações do Aquartelamento do CTOE em Penude.

Toda a mística subjacente às atividades foi orientada com base no tema, inserido no logótipo: “Fátima no Mundo”. Ler mais…

7.º Verão é Missão | Encontro de Jovens em Vila da Ponte

No passado dia 15 de Julho de 2017, realizou-se o 7.º “Verão é Missão”, mais uma vez organizado pelos Jovens Sem Fronteiras de Vila da Ponte.

Este ano o encontro teve como tema central a passagem bíblica em que Jesus acalma a tempestade (Mc 4, 35-41). Depois de um breve acolhimento e da oração da manhã, era hora de colocar os pés a caminho e ir subindo até ao Santuário de Nossa Senhora das Necessidades. Ao longo do percurso os jovens tiveram a possibilidade de participar em 5 workshops missionários onde, através de várias dinâmicas, foram desafiados a “acordar” e a entrar na barca de Jesus, sem medo das tempestades que podem surgir, porque quem navega com Ele nunca se perderá nas ondas. Ao longo da caminhada os jovens foram encontrando várias peças de um puzzle nas quais estavam escritos alguns tópicos para meditação pessoal servindo de preparação para celebração o Sacramento da Reconciliação. Após o almoço realizou-se o 2º “Quintatlo Missionário” com jogos bastante divertidos e de seguida, à sombra de um castanheiro, celebramos a Eucaristia. Como habitual, depois da digestão feita, o convívio continuou na praia fluvial onde a maior parte não resistiu a dar uns mergulhos. Ler mais…

CAMINHO E DETERMINAÇÃO | Editorial Voz de Lamego | 18 de julho

Na próxima semana, dia 25, a Igreja convida a celebrar a memória de São Tiago, o Apóstolo que, segundo a tradição, está sepultado em Compostela e que tantas peregrinações motivou desde o século IX. Com efeito, ao longo dos séculos, muitos foram os que para lá caminharam, tornando possíveis e famosos os “Caminhos de Santiago”, dando a este destino um lugar cimeiro, só ultrapassado por Jerusalém e Roma.

E a experiência continua. De todas as idades, crentes e não crentes, seguindo percursos diversos, a sós ou em grupo, para rezar ou descansar, pela fé ou pelo desejo de aventura, etc, os caminhos continuam a ser percorridos, Santiago de Compostela continua a ser procurado e são muitos os que não se cansam de relatar e aconselhar a experiência.

O Senhor convida a caminhar, a assumir a vida, a procurar chegar mais longe. E Ele próprio caminha connosco (Emaús). Daí que uma peregrinação, cujas motivações (legítimas) podem ser culturais ou turísticas, no sentido cristão e histórico do termo, seja um tempo de procura e nunca de fuga. Porque a peregrinação exige um pouco mais e deve promover um encontro, respostas, inquietações…

A grande peregrinação será sempre a própria vida e Deus a grande meta. E todas estas peregrinações a lugares de referência cristã só têm sentido se contribuírem para singularizar a grande e universal peregrinação que assumimos e protagonizamos entre o nascimento e a passagem definitiva para Deus.

Uma palavra de louvor a quantos se dispõem a caminhar até Compostela para crescer, mas, sobretudo, uma palavra de estímulo a quantos não desistem de caminhar na vida. Porque, diante de Deus, conta mais a determinação e a responsabilidade com que se assume a vida recebida do que os quilómetros que se registam.

Pe. Joaquim Dionísio, in Voz de Lamego, ano 87/36, n.º 4421, 18 de julho 2017