Encontro de Jovens: Vigília de Oração em Tabuaço

dscn7770

Vivemos no passado dia 11 a XXV Jornada Mundial do Doente. Nesse espírito, uma semana depois, na paróquia de Tabuaço mas a nível diocesano, aconteceu, como resposta à proposta do Departamento Diocesano da Pastoral dos Jovens de Lamego (DDPJ) uma vigília de oração pelos doentes. Esse momento de oração foi preparada pelas gentes de Tabuaço, especialmente pelo Grupo de Jovens (GJT). Nessa vigília, motivados pela ação global de recordação e oração em favor daqueles onde o próprio Cristo se diz Presente, fomos convidados à meditação nessa dura realidade: a doença. Porém, como Filhos do Deus Vivo, não ficámos nesse plano, fomos até ao “Médico dos corpos e das almas” e encontrámo-nos com Ele, na certeza de que Ele está onde dois ou três estiverem reunidos em Seu Nome.

O momento de oração foi presidido pelo sr. diácono Luís Rafael Azevedo, presidente do DDPJ e contou com a presença de jovens de outras paróquias que se quiseram associar à dinâmica. A iniciativa teve início pelas 21h00 e terminou cerca de uma hora depois.

Toda a temática da vigília (“O Médico que é Hóspede”) apontou para a integralidade do doente, em que este, estando doente não é doente, mas sim uma pessoa com uma história de vida e uma dignidade inalienável que, naquela fase da vida, tem uma doença. Neste aspeto todos aqueles que acompanham os doentes são essenciais para manter a dignidade destes imaculada. No final, foi entregue uma oração a todos os que estiveram presentes com o intuito de a rezarem nos momentos de maior provação e sofrimento, estando doentes ou acompanhando-os em verdadeira comunhão.

Nesta dinâmica de amparo e união, houve depois da vigília tempo para um “chazinho” no Centro Paroquial para todos aqueles que quiseram conviver um pouco mais. Está de parabéns o GJT pela organização e todos os presentes pela fiel participação. A doença é uma realidade que mais direta ou indiretamente nos toca. Que todos os doentes encontrem a Paz no Deus da Vida.

Diogo Martinho

Seminarista / Grupo de Jovens de Tabuaço

in Voz de Lamego, ano 87/15, n.º 4400, 21 de fevereiro de 2017

Ultreia Arciprestal

Arciprestado de Moimenta da Beira, Sernancelhe, Tabuaço

0d3e771757f74b4ba80782c58b11cbb6

JESUS AMA-NOS

Foi debaixo desta enorme certeza que se realizou esta ultreia. Mais de sete dezenas de cursilhistas das várias paróquias deste arciprestado aceitaram o convite do Senhor para viverem momentos de oração e partilha. Começamos a ultreia invocando o Espirito Santo pois sabemos que sem a Sua força não caminharemos e jamais alcançaremos.

No capítulo 15 do evangelho de São João lido pelo senhor padre Aniceto, o Senhor mostra-nos o tanto que nos quer e o quanto nos ama.

Uma cursilhista, proclamou um pequeno rolho que tinha como titulo. «Como descobrir o amor de Deus na doença». Testemunhando como o senhor ajudou a descobrir o quanto a ama, e também como levar esse amor aos irmãos. Momentos fortes.

Seguiram-se os testemunhos de outros cursistas.

O Senhor diz-nos: onde dois ou três se reunirem em meu nome, Eu estarei no meio deles.

Mas o Senhor foi mais longe. Ele presenteou-nos com a Sua presença viva, Corpo, alma e Divindade, presente no Santíssimo Sacramento da Eucaristia.
Era hora de regressarmos a casa, não sem antes nos deliciarmos com um belo lanche que os nossos irmãos de Moimenta da beira prepararam.
Momentos maravilhosos e profundos, diante do Senhor, em que cada um partilhou com o Senhor, o que lhe ia no coração. A ultreia ia caminhando, não para o fim, é que a ultreia nunca acaba. É preciso levar o amor de JESUS para os nossos ambientes.

Agradecer ao Senhor a presença do senhor padre Diamantino, pároco desta paróquia e do senhor padre Aniceto, que quiseram partilhar estes momentos connosco.

OBRIGADO SENHOR POR TUDO O QUE NOS CONCEDES.

DECOLORES.

                                       Paulo Jorge, in Voz de Lamego, ano 87/15, n.º 4400, 21 de fevereiro de 2017

Encontro Interregional em Vila da Ponte

dsc07566

Com Maria: INTERligando margens!

No fim-de-semana de 11 e 12 de Fevereiro, os Jovens sem Fronteiras (JSF) do Minho e do Douro reuniram-se em Vila da Ponte, sob o tema “Com Maria: INTERligando margens”, para um interregional inesquecível!!!

O encontro foi preparado ao pormenor e esteve recheado de surpresas! Quando os jovens do Minho e Douro chegaram a Vila da Ponte tinham à sua espera um acolhimento, onde não faltou alegria, boa disposição e onde pudemos ouvir pela primeira vez o hino deste InterRegional, cuja letra nos desafiava:

«Não olhes p’ra vida só vendo as paisagens!

Sai do teu sofá onde só vês miragens!

Vem construir pontes, construir passagens!

Juntos “Com Maria INTERligando margens”! »

A manhã terminou com um almoço partilhado, que permitiu um primeiro contacto entre todos, começando assim a união de margens. Ler mais…

Dia Mundial do Doente no Hospital de Lamego

dia-doente2

No passado dia 15 de fevereiro a Diocese de Lamego celebrou, pela primeira vez e com a presença do Sr. Bispo D. António Couto, o Dia Mundial do Doente. Envolvidos pelo tema que o Papa Francisco propôs para o dia 11 de fevereiro, Dia Mundial do Doente: “Admiração pelo que Deus faz: o Todo Poderoso fez em mim maravilhas” (Lc, 1,49), viveu-se a celebração deste dia no Hospital de Proximidade de Lamego. A celebração do Dia Mundial do Doente foi proposta pelo Papa João Paulo II e celebrado pela primeira vez em 1992. Este é já o 25º Dia Mundial do Doente.

O serviço da Pastoral da Saúde da Diocese de Lamego, coordenado pelo P. José Fernando e em parceria com o P. Ricardo Silva, do Serviço de Capelania do Centro Hospitalar de Trás os Montes e Alto Douro, decidiram celebrar o Dia do Doente na Unidade Hospitalar de Lamego. Os hospitais, lares de idosos, centros de dia e os serviços de internamento dos cuidados paliativos ou de cuidados continuados, são as catedrais onde habitam as pessoas fragilizadas pela doença ou idade. Por isso, faz todo o sentido que o Dia Mundial do Doente, seja celebrado na proximidade daqueles que cuidam e dos que se encontram doentes. Ler mais…

Visita Pastoral de D. António Couto à Paróquia de São Miguel do Mezio

foto-1

Pelas quinze horas do dia 14 de fevereiro de 2017, a comunidade escolar do Mezio – crianças da educação pré-escolar, meninos e meninas do primeiro ciclo do ensino básico, respetivas assistentes operacionais, educadoras e professores, aguardavam a chegada do seu pastor diocesano – D. António Couto. Acompanhado pelo pároco, o senhor bispo era aguardado pelo senhor diretor do Agrupamento de Escolas de Castro Daire e pela Junta de Freguesia da União de Freguesias do Mezio e Moura Morta. Dava-se início à Visita Pastoral à paróquia de S. Miguel do Mezio. Entretanto, da Câmara Municipal de Castro Daire, chegava, também acompanhado, o seu distinto presidente, cuja presença  muito honra proporcionava.

Abençoado tempo! Embora, no exterior invernoso chovesse, como era agradável e bom estar ali! A sala, a transbordar de pequenas e maravilhosas estrelas, abarrotava de gente miúda e graúda em contexto formativo. As crianças motivadíssimas (permitiriam ouvir uma mosca que passasse se as houvesse!) acompanhavam, em silêncio e ansiosamente curiosas, o desenrolar do vídeo prévia e meticulosamente elaborado. Identificada com as atuais armas da diocese, a esmerada coleção de curtos vídeos, didaticamente elaborada com a imprescindível colaboração dos discentes, era uma viva alusão individual  e personalizada  da perceção da pessoa  e da missão do bispo diocesano. Muito do conteúdo do trabalho pedagógico produzido foi, de facto, confirmado, em presença, pelo visado. Os pequenos aprendentes, com a sua própria e incipiente bagagem cultural eram (e sentiam-se) os verdadeiros protagonistas. Considerável, empenhado e tecnologicamente atualizado trabalho educativo / escolar de excelente qualidade daquela harmoniosa e integradora equipa docente, não docente e discente! Ler mais…

CONVENÇÃO – CONVICÇÃO | Editorial Voz de Lamego | 21 de fevereiro

como-manter-a-fe

A edição desta semana da Voz de Lamego destaca, a partir da capa, o encontro dos Jovens Sem Fronteiras, em Vila da Ponte, com outros encontros de jovens realiazados na última semana, destacando no interior a Visita Pastoral de D. António Couto à Paróquia do Mezio e a vivência do Dia Mundial do Doente, no Hospital de Lamego. Mas há muitas razões para folhear e ler a Voz de Lamego, artigos de opinião/reflexão, variados nos colaboradores e nos temas, notícias da Igreja e do mundo, da diocese e da região.

A abrir, o Editorial do Pe. Joaquim Dionísio, Diretor da Voz de Lamego, que nos desafia a viver de convicções…

CONVENÇÃO – CONVICÇÃO

Na véspera da V Conferência Latino-Americana, Bento XVI dirigiu-se aos participantes para dizer também que “A Igreja é a nossa casa” (Aparecida, 12/05/2007), convidando cada um a sentir-se à vontade, consciente do seu lugar e pertença, identificado e próximo de todos, em segurança e com esperança. É sempre bom estarmos em casa!

No livro A Vitalidade da Bênção, de Elmar Salmann, a propósito desta pertença e presença na Igreja, diante do conteúdo da fé e da sua celebração, o autor pergunta: “Onde nos sentiríamos em casa?”

Ou seja, apesar de “estarmos em casa”, como dizia o Papa, é também necessário “sentirmo-nos em casa”, como afirma este beneditino. E compreendemos a não coincidência: quantas vezes “estamos” em algum lugar, conversa, reunião, convívio, celebração… sem nos “sentirmos” verdadeiramente presentes?

O mesmo se passa na vivência da fé e na participação eclesial (paróquia, grupo, presbitério…): podemos estar sem sentir e vice-versa. Mas será que podemos estar verdadeiramente sem que tal se sinta ou podemos sentir sem o esforço para estar?

Daí que diante da indiferença que cresce, da não vontade em aprofundar a fé, do desleixo diante da transmissão do Evangelho, do comodismo que se instala, do descomprometido consumismo de alguns sacramentos… aquele autor questione: “Haverá ainda algo de precioso para nós, capaz de nos tocar a alma, algo que nos torne totalmente presentes, que nos abra a inteligência e o coração?”

Que “lugares teológicos” privilegiar para ajudar à experiência do divino? Mais profecia? Mais mística? Como ir além da mera sensibilidade para a religião? Ou, como diz o nosso bispo, como passar da convenção à convicção?

Diariamente testemunhamos uma Igreja que, pela voz e acção dos seus pastores, sente dificuldade em apresentar o cristianismo como motivação que desbloqueie a vontade, encoraje a uma nova interpretação da vida e leve a um agir mais espontâneo.

Mas o Senhor está connosco!

in Voz de Lamego, ano 87/15, n.º 4400, 21 de fevereiro de 2017

Carta do Papa Francisco aos jovens na convocação do Sínodo

papa_carta_sinodo-2

Sínodo 2018: Carta do Papa aos jovens…

… por ocasião da apresentação do Documento preparatório para a XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos

Caríssimos jovens!

É-me grato anunciar-vos que em outubro de 2018 se celebrará o Sínodo dos Bispos sobre o tema «Os jovens, a fé e o discernimento vocacional». Eu quis que vós estivésseis no centro da atenção, porque vos trago no coração. Exatamente hoje é apresentado o Documento preparatório, que confio também a vós como «bússola» ao longo deste caminho.

Vêm-me à mente as palavras que Deus dirigiu a Abraão: «Sai da tua terra, deixa a tua família e a casa do teu pai, e vai para a terra que Eu te mostrar!» (Gn 12, 1). Hoje estas palavras são dirigidas também a vós: são palavras de um Pai que vos convida a «sair» a fim de vos lançardes em direção de um futuro desconhecido, mas portador de realizações seguras, ao encontro do qual Ele mesmo vos acompanha. Convido-vos a ouvir a voz de Deus que ressoa nos vossos corações através do sopro do Espírito Santo.

Quando Deus disse a Abraão «Sai!», o que é que lhe queria dizer? Certamente, não para fugir dos seus, nem do mundo. O seu foi um convite forte, uma provocação, a fim de que deixasse tudo e partisse para uma nova terra. Qual é para nós hoje esta nova terra, a não ser uma sociedade mais justa e fraterna, à qual vós aspirais profundamente e que desejais construir até às periferias do mundo? Ler mais…