MMF – Moimenta, Cinfães | Recoleção de Advento

mmf-foto

No passado dia 26 de novembro, realizou-se na Paróquia de S. Martinho de Moimenta-Cinfães, uma Recoleção do Movimento da Mensagem de Fátima, no sentido de se aprofundar um pouco mais o grande tempo de Advento que estamos a viver.

O Orientador foi o Assistente desta comunidade, Pe. Pinheiro que nos ajudou a meditar em muitas coisas que por vezes deixámos passar em vão pelo facto de não lhes darmos importância.

Falando da etimologia da palavra Advento apercebemo-nos de que esta palavra é muito mais do que um tempo litúrgico, mas sim a preparação do caminho para um grande acontecimento da fé: o Nascimento de Jesus.

Não poderia faltar a figura de Maria como a Senhora do Advento. Um tema muito profundo e bem refletido pelo orientador. Preparando-nos para o Natal, devemos reconhecer que Deus, no seu amor e liberalidade, olhou com carinho para Maria, escolhendo-a e preparando-a para ser a Mãe do Seu Filho, dispensando-lhe graças especiais.

Um agradecimento a todos os que estiveram presentes, de forma particular às Paróquias de Fornelos, Espadanedo e Tarouquela que, sabendo desta atividade se quiseram associar a nós para de uma forma diferente iniciarem este caminho que nos levará até ao Nascimento de Deus-Menino.

MMF – Moimenta do Douro

in Voz de Lamego, ano 87/05, n.º 4390, 6 de dezembro de 2016

Imaculada Conceição 2016 | Homilia de D. António Couto

pedras-vivas

TODOS OS MEUS DIAS SÃO DE DEUS, E SÃO-ME DADOS

  1. Amados irmãos e irmãs, convido-vos a sentir e a consentir com emocionada alegria o facto de as Igrejas do Oriente e do Ocidente, embora tantas vezes divididas entre si, estarem hoje, dia 8 de dezembro, unidas em maravilhosa harmonia para celebrar a Mãe de Deus no singular privilégio da Conceição Imaculada da sua humanidade, nove meses antes do seu Nascimento ou Natividade, que celebraremos jubilosamente no dia 8 de Setembro.
  1. É bom e belo sabermos e sentirmos que hoje estamos em comunhão e sintonia com essas Igrejas sofridas e doridas do Oriente, nossas irmãs queridas, que sempre dedicaram à Mãe de Deus um muito particular carinho traduzido em tempo dado à Mãe de Deus. Só quem ama tem tempo, e até o inventa, se necessário. É assim que os Coptos dedicam a Maria o inteiro mês de Kiahq, que coincide mais ou menos com o nosso mês de Dezembro, e os Caldeus, os Antioquenos e os Maronitas celebram, também nesta altura do ano, e durante pelo menos quatro Domingos, o tempo da chamada Sûbbarâ ou «Anunciação», que é a Vinda de Deus ao nosso mundo, em catadupa, dia após dia, para abrir as nossas trincheiras e fazer nascer em nós um mundo novo, aberto, encantado e feliz, e fazer de nós homens novos capazes de cantar um cântico novo.
  1. Memorial desta beleza incandescente é a Basílica da Anunciação, em Nazaré. Esta grandiosa Basílica foi inaugurada em 25 de Março de 1969, e foi visitada, ainda as obras estavam em curso, em 1964, pelo Beato Papa Paulo VI. Escavações feitas antes desta grandiosa construção puseram a descoberto, e podem ver-se ainda hoje, os majestosos pilares de uma Catedral levantada em 1099, pelo príncipe cruzado Tancredo, bem como o pavimento em mosaico de uma igreja bizantina, que pode ser datada do ano 450. Mas, descendo mais fundo, até às entranhas da atual Basílica, acede-se à Gruta da Anunciação, sob cujo altar se lê a inscrição Verbum caro hic factum est [= «Aqui o Verbo se fez carne»], e a outros lugares de culto antigos, talvez já do século II. Numa grafite antiga foi encontrada a gravação XE MAPIA, abreviação de Chaîre Maria [= «Ave-Maria»], a primeira Ave-Maria da história.

Ler mais…

Jovens de Resende | Encontro de Formação

resende-jovens

Proclama e Vive a Palavra que Deus nos dá

No passado dia 3 de dezembro, decorreu durante toda a manhã, no Seminário Menor de Resende, um encontro de jovens da Zona Pastoral de Resende com o objetivo de Proclamar e Viver a Palavra que Deus nos dá.

O senhor padre Miguel Peixoto, o seminarista Diogo Martinho, o senhor padre António Jorge Giroto, a catequista Eliana Loureiro e o senhor padre Manuel Gonçalves presentearam-nos durante toda a manhã com momentos de oração, de convívio e de reflexão.

Falaram-nos sobre a linguagem simbólica da Bíblia, dos livros da Sagrada Escritura e da forma como estão organizados. Foi apresentado um PowerPoint sobre a relação dos jovens com a religião e com Deus, e como as suas qualidades e defeitos interferem nisso. Refletimos sobre o significado do espírito natalício e das coisas verdadeiramente importantes nesta época. Falaram-nos do papel do discípulo missionário e refletimos também sobre o que é ser cristão, como seguir Jesus e o modo como O negámos nas atitudes do dia a dia. As apresentações foram intercaladas com pequenos vídeos sobre os diferentes assuntos. Foi um tempo em que rezamos, cantamos, refletimos e demos algumas gargalhadas.

Encerrou-se o encontro com um almoço convívio.

Foi uma manhã bem passada envolvida num espírito de oração, de paz, de alegria e de companheirismo.

Alexandra Sequeira

Resende

in Voz de Lamego, ano 87/05, n.º 4390, 6 de dezembro de 2016

Operação “10 Milhões de Estrelas – Um Gesto pela Paz”

caritas-luz-da-paz-9

No passado dia 27 de Novembro de 2016, 1.º Domingo do Advento, na Eucaristia da Sé Catedral, às 10 h da manhã, presidida pelo  Provigário da Diocese, Reverendíssimo Sr. Padre João Carlos Morgado, procedeu-se  à cerimónia da entrega da Luz da Paz.

Com este ato simbólico procura dar-se, uma vez mais, ênfase ao projeto da Cáritas Portuguesa e  consequentemente realçar a importância da Operação “10 Milhões de Estrelas – Um Gesto pela Paz”, um compromisso com a Paz no Mundo.

Relembramos que com a venda das velas inerentes à campanha, pelo valor simbólico de 1€, pretende-se apoiar  pessoas e famílias em situação de pobreza.

Na Noite de Natal, não nos esqueçamos de acender e colocar uma vela nas nossas janelas,  que seja um gesto que reflita a importância de Partilha, Solidariedade e Paz no Mundo.

A Presidente da Cáritas Diocesana de Lamego

Isabel Duarte Mirandela da Costa

Nota: Todos os que, quiserem juntar-se à Cáritas, participando na sua missão de estar ao lado dos mais frágeis, poderão adquirir uma vela nas instalações da Cáritas Diocesana de Lamego, nas respetivas paróquias e Gráfica de Lamego ou em qualquer loja Pingo Doce, pelo valor simbólico de 1€; 65% do valor angariado destina-se a apoiar pessoas que contam  com a ajuda da Rede Cáritas e 35% para auxiliar famílias de refugiados apoiadas pela Cáritas, na Grécia.

in Voz de Lamego, ano 87/05, n.º 4390, 6 de dezembro de 2016

Encontro de Movimentos e Serviços Eclesiais – 1 de dezembro de 2016

20161201_101956

O feriado da Restauração propiciou mais um encontro dos Movimentos e Serviços Eclesiais, no Seminário Maior de Lamego. Pessoas comprometidas nos diversos serviços da Pastoral diocesana, reuniram-se com o objectivo de rever e repensar a importância de cada movimento na dinâmica paroquial e diocesana e fomentar uma mais estreita colaboração e comunhão entre todos, respeitando e promovendo a especificidade e os carismas de cada um.

Após breve oração, o Pe. Diamantino Alvaíde alertou  para os perigos e tentações recorrentes dos agentes da pastoral: o comodismo e a presunção narcisista de pensar que a Igreja gira toda em torno de si e do grupo que cada um representa.

O Pastor diocesano, que presidiu aos trabalhos, alicerçado na “Missão Trinitária” convocou e desafiou os participantes  para a Missão Evangelizadora da Igreja. “Evangelizar é a identidade mais profunda da Igreja e é necessário que o cristão se encontre com essa verdadeira identidade.” Questionou: “Como posso ser Evangelizador?”, “ Como me identifico com esta identidade?” Evangelizar mais do que ir à Missa, é Anunciar o Evangelho a toda a gente, em todo o tempo e em todos os lugares. O Cristão não pode ser um mero espectador, um monitor legalista ou um animador de estados de alma. Tem de ser Testemunha. Tem de sair de si, da sua zona de conforto para levar Cristo ao coração de cada Homem, levar a Vida em abundância aos irmãos. Porém ninguém pode Evangelizar sozinho. É a comunidade que tem de Evangelizar, tem de juntar as energias uns dos outros, a exemplo  das primeiras comunidades cristãs. Ler mais…

Visita Pastoral de D. António Couto em Ester e Cabril

Pentax Digital Camera

Peregrinos sobre esta terra e hóspedes de Deus

Esta primeira semana de Dezembro foi, com certeza, vivida de forma diferente nas paróquias de Santa Maria de Cabril e de São Pedro de Ester. Foi uma semana cheia de bem, beleza e bondade de Deus porque lhes concedeu a graça e a bênção da Visita Pastoral do seu bispo.

A proximidade, a ternura, a entrega e a alegria encheram os corações destas gentes que precisam de Deus, dos Seus afectos, dos Seus ensinamentos e das Suas palavras.

Cada povo, cada capela, cada comunidade sentiu que Jesus Cristo, de facto, “visitou e redimiu o Seu povo” (Lc. 1, 68). Desde o cimo do monte, Faifa e Sobreda, até às margens do Paiva, Pereiró e Ribeira de Ester, passando por Ester de Cima, Ester, Paçô, Moimenta, Tulha Nova, Crasto, Vitoreira e Mosteiro, foi o contacto com a realidade, a vida das comunidades no seu habitat natural. Os mais atentos e surpreendidos interiorizavam: “Nunca vivemos momentos assim!” Ler mais…

IMACULADA CONCEIÇÃO | Editorial Voz de Lamego | 6 de dezembro

imaculada-conceicao-murillo

Atravessamos a NOVENA da Imaculada Conceição. Como não poderia deixar de ser a edição do Jornal Diocesano faz eco desta importante celebração na vida da Igreja, mas também em Portugal, que A tem por Padroeira e Rainha. O Diretor, Pe. Joaquim Dionísio, que se encontra em Tabuaço a orientar a Novena da Imaculada Conceição, centra a sua reflexão nesta verdade fé em que sobressai a confiança total em Deus e a ligação íntima de Maria a Jesus.

IMACULADA CONCEIÇÃO

Aproxima-se o dia 8 de dezembro, data da festa em honra da Imaculada Conceição da Virgem Maria, padroeira principal do nosso país. Tal celebração, vivida nos primeiros dias do novo ano litúrgico e em pleno advento, recorda-nos o singular destino desta jovem judia escolhida por Deus, bem como o que poderá acontecer connosco se decidirmos viver em obediência a Deus.

Para a fé cristã, Maria é indissociável do Menino que trouxe ao mundo, Jesus, em quem se manifestou plenamente o Deus vivo. Por isso, ela é chamada, desde o concílio de Éfeso (431), “Mãe de Deus”. E segundo a tradição católica, desde a proclamação do dogma, feita pelo Papa Pio IX (08/12/1854), Maria foi proclamada preservada do pecado original desde a sua concepção: “Declaramos que a doutrina que diz que Maria foi concebida sem pecado original é doutrina revelada por Deus e que a todos obriga a acreditá-la como dogma de fé”.

Assim se afirma, defende e ensina que, para acolher o Filho de Deus, Maria não podia ter no coração nenhum traço de hesitação ou de recusa. Qual fruto antecipado do perdão oferecido por Jesus na cruz, Maria é a imaculada, preservada de todo o pecado e da separação de Deus que marca a humanidade desde os princípios, o pecado original.

Diante de Maria, da sua disponibilidade e mediação, certamente nos sentimos admiradores e gratos, sabendo que estamos diante de uma criatura e que tudo nela é obra do Omnipotente, o mesmo Senhor da Vida que a todos quer salvar.

Quem, como Maria, na espera do nascimento do filho, poderá mostrar à Igreja e a cada um de nós, como dispor o coração para o receber? Ela é a figura da discípula atenta, da espera activa e da confiança total em Deus.

in Voz de Lamego, ano 87/05, n.º 4390, 6 de dezembro de 2016