Arquivo

Archive for Janeiro, 2014

Diocese de Lamego participa no Fórum de EMRC

In Voz de Lamego, 28.01.2014

Dando continuidade a um projeto de formação e encontro dos professores da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica do nosso país, decorreu, em Fátima, o Fórum de Educação Moral e Religiosa Católica nos dias 25 e 26 de janeiro.

Este Fórum procurou promover uma reflexão e partilha relacionada com as problemáticas do tema “Metas Curriculares da Educação Moral e Religiosa Católica: Pressupostos, Estrutura, Desafios”, auxiliando os docentes a concretizarem uma formação contínua aprofundando este novo paradigma de organização do plano educativo, ao mesmo tempo que os animou para darem continuidade àquela que deve ser a grande meta de todo o cristão, que nas palavras do Papa Francisco se descreve em “levar o coração do Evangelho”.

Ler mais…

Categorias:Notícias Etiquetas:

Movimento da Mensagem de Fátima: Encontro Diocesano

In Voz de Lamego, 28.01.2014

No passado sábado, 18 de Janeiro, o Seminário Maior de Lamego, abriu as suas portas para acolher mais uma iniciativa do Movimento da Mensagem de Fátima: um encontro de formação de conhecimentos e atualizações para todos os seus colaboradores, organizado pelo Secretariado Diocesano.

Foram convidados para este encontro, todos os vogais da oração, dos doentes e das peregrinações que fazem parte dos Secretariados Paroquiais, distribuidores do Jornal “A Voz de Fátima” e os responsáveis pelos grupos de jovens e crianças.

Ler mais…

D. António Couto: dois anos na Diocese de Lamego

antonio_couto_mg_2742

A 29 de Janeiro de 2012, tomou posse, como Bispo de Lamego, o Sr. D. António José da Rocha Couto, até esse momento, Bispo Auxiliar na Arquidiocese de Braga. Com a sua nomeação a 19 de Novembro de 2011, sucedeu ao Sr. D. Jacinto Tomaz de Carvalho Botelho que, desde o ano 2000, era o Prelado de Lamego.

A sua tomada de posse nesse dia, marcada pela alegria e esperança, permanece como um momento belo e sublime, do qual, dois anos passados, continua marcado na memória e no agradecimento a Deus e à Igreja pelo Pastor que nos concedeu.

Ao assinalar o segundo aniversário da sua tomada de posse, a Igreja de Lamego continua unida, espiritual e fisicamente, ao Sr. D. António, e roga a Deus para que, no meio do povo que lhe está confiado, continuem a cumprir-se as palavras que dirigiu à Diocese aquando da notícia da sua nomeação: “Enche sempre, Senhor, o meu olhar, mãos e coração com a tua presença bela e boa. Que, em mim, sejas sempre Tu a visitar o teu povo”.
Com a consciência que as limitações físicas de que tem padecido nas últimas semanas fazem, também, parte do desígnio de Deus para a missão que lhe está confiada na Diocese de Lamego, todos elevamos preces ao Senhor por rápidas melhoras e agradecemos o seu intenso e generoso exemplo de Pastor sábio e fiel.

Categorias:D. António Couto Etiquetas:

Presbitério de Lamego realiza Retiro Anual

In Voz de Lamego, 21.01.2014

A Casa de Retiros de S. José acolheu cerca de três dezenas de sacerdotes, incluindo o diácono José Soares, para a vivência do seu habitual e anual retiro espiritual. Acompanhou e orientou o grupo o bispo auxiliar de Braga, D. António Moiteiro, oriundo da diocese da Guarda, conhecido de muitos sacerdotes presentes e, ele próprio, conhecedor da nossa realidade humana e pastoral.

O retiro teve início com o jantar de quarta-feira, dia 15 de fevereiro e concluiu-se após o almo de sábado, dia 18. No primeiro dia, e dando o mote ao encontro, o pregador convidou todos a viverem os dias seguintes em ambiente de silêncio e oração, acompanhados pela leitura integral do evangelista do ano em curso, S. Mateus. Apoiado num escrito do recentemente falecido cardeal Martini, D. António Moiteiro definiu o percurso e delineou etapas, convidando à consciencialização e meditação de todos sobre o que é ser discípulo e seguir o Mestre, mas também sobre a forma como cada um acompanha o Povo de Deus e nele vive a missão de Pastor. Porque o padre é “ícone de Deus para o povo que lhe é confiado” e ser pastor à imagem de Cristo é, citando o Papa actual, ter capacidade e disponibilidade para ir à frente e abrir caminho, ir ao lado e acompanhar, ir atrás e ajudar quem tem ritmos diferentes.

Sempre com o evangelho de Jesus Cristo segundo S. Mateus como fonte, olhámos para Pedro como quem se olha ao espelho e reflectimos sobre o muito que se espera de cada um e o esforço a ser feito para que isso se torne realidade. Também Pedro se esforçou e conseguiu, apesar de não se ter livrado de algumas falhas.

No encontro inicial e após o jantar do segundo dia, o conferencista apresentou-nos uma leitura pessoal feita à recente Exortação pós-sinodal “A alegria do Evangelho”. Um texto onde ressalta o convite a um novo ardor missionário, sobretudo o ardor do missionário, do anunciador. E neste particular, o contínuo convite à vivência e testemunho da alegria. Neste particular, D. António Moiteiro convidou a revisitar dois documentos do Papa Paulo VI que, segundo ele, continuam a influenciar o Papa Francisco: “Gaudete in Dominum” e Evangelii Nuntiandi”.

Na Eucaristia de sábado, último dia, recordámos e rezámos em particular pelos sacerdotes falecidos no último ano e também pelos pais dos sacerdotes que partiram para o pai nesse período.

O aspecto central da educação

EducarIn Voz de Lamego, 21.01.2014

Em certa ocasião, ouvi um pai de família afirmar o seguinte: «Educação e liberdade são conceitos incompatíveis na prática do dia-a-dia familiar. Pode haver uma compatibilidade teórica ― defendida, talvez, por aqueles que escrevem artigos para os jornais e nunca educaram ninguém na sua vida. Esses idealistas da educação fazem-me lembrar os que mandam bitaites para dentro das quatro linhas ― e nunca deram um pontapé numa bola de futebol!

No entanto, nós, que estamos no “terreno”, sabemos ― por experiência própria, não pela teoria ― que educar limita a liberdade dos nossos filhos. E digo-vos uma coisa que já me dizia o meu pai: “Acho muito bem que limite”. Se não fosse assim, eles só fariam aquilo que lhes apetecesse. Seria o caos familiar. O fim do lar-doce-lar. A guerra sem trincheiras lá em casa! Por isso, digo claramente aos meus filhos: “Serás verdadeiramente livre quando saíres desta casa. Quando fores independente economicamente. Até lá, rapaz, farás aquilo que eu e a tua mãe te dissermos e acabou-se a conversa”».

Ler mais…

Categorias:Formação

Património artístico e religioso: Inventariar, preservar e fruir

IMGP7774

In Voz de Lamego, 21.01.2014

Liturgicamente, o dia 20 de Janeiro é dedicado à memória do Mártir S. Sebastião, Padroeiro principal da nossa diocese. Assinalando o facto, os responsáveis pelo do Departamento diocesano dos Bens Culturais e Patrimoniais organizaram um encontro in(formativo) que decorreu nas instalações do Museu diocesano, frente à Sé: uma conferência a cargo da Dra. Fátima Eusébio, responsável pelo Departamento dos Bens Culturais na diocese de Viseu, a apresentação do Catálogo da exposição, pelo Padre J. Correia Duarte e uma visita à referida exposição. Ao final da tarde, na Sé, celebração da Eucaristia, presidida pelo nosso bispo emérito, D. Jacinto Botelho.

Património: caminhos de fé

A Dra. Fátima Eusébio trabalha há alguns anos na inventariação do património religioso da diocese de Viseu, coordenando uma missão nem sempre fácil, mas necessária e que às vezes chega tarde demais. Com efeito, fruto de algum voluntarismo e de escassa formação e sensibilidade artística, cometeram-se erros graves na preservação do nosso património religioso. Mas também em construções recentes, no que se vai deixar para o futuro: o que é de todos não deve ficar subordinado ao gosto de alguns. E foi para nos falar disso que esteve entre nós, falando para um auditório repleto de gente atenta e disponível para acolher ensinamentos: párocos, seminaristas, membros dos Conselhos pastorais e económicos, técnicos de restauro, estudantes, membros de grupos e movimentos apostólicos…

Falar de património artístico religioso é fazer referência a bens móveis (pinturas, esculturas, alfaias, talha, paramentos, instrumentos musicais, mobiliário, livros, documentos, ourivesaria, joalharia) e a bens imóveis (edifícios de culto e anexos, mosteiros, conventos, paços episcopais, residências paroquiais, complexos educativos e caritativos). Mas a atenção não se pode fixar apenas do edificado ou adquirido; precisamos também olhar para o espaço envolvente. Estamos perante uma diversidade assinalável, nem sempre fácil de preservar: diversidade dos bens e dos intervenientes responsáveis, desconhecimento de quem cuida, escassez de recursos, desleixo, falta de planeamento para a preservação, população mais idosa com pouca força para preservar, menor zelo dos mais novos… Dito de forma simples, não vai ser possível preservar tudo e é urgente planificar e fixar prioridades.

Por outro lado, os nossos espaços de culto foram concebidos tendo em vista a evangelização, a utilização pastoral. E esta dimensão começa a ficar esquecida. Já são muitos aqueles que, diante de uma imagem, de um símbolo, já não conseguem entender. Assim, não basta preservar e divulgar, também é preciso clarificar a função ou o significado dos bens em causa. Esta é também uma das missões dos inventários que se vão fazendo. E isto é importante para se poder fruir dos bens. Trata-se de ajudar a descobrir caminhos de fé através da sacralidade intrínseca dos objectos e obras edificadas.

Ler mais…

Departamento da Pastoral Juvenil: próximas iniciativas

grupos_jovens

O Departamento da Pastoral Juvenil da Diocese de Lamego, através de comunicado, tornou públicas as próximas iniciativas promovidas tendo em vista a missão que a Igreja deseja levar até junto dos mais jovens da Diocese.

A primeira iniciativa é um Curso de Animadores Juvenis, “que pretende oferecer aos jovens um conjunto de práticas, métodos e estratégias capazes de dinamizar e evangelizar os grupos juvenis paroquiais.” Esta iniciativa parte da consciência que a principal estratégia é a oração, da qual deve, posteriormente, brotar a missão e, por isso, o tema deste Curso de Animadores, enquadrado dentro do plano pastoral gizado por Sr. D. António Couto, Bispo da Diocese de Lamego, será “Ide sem medo para servir!” e terá lugar quer no Seminário Menor de Resende, quer no Seminário Maior de Lamego, de 07 a 09, e de 21 a 24 de Fevereiro. As inscrições para esta iniciativa devem ser feitas junto do Departamento até ao dia 30 de Janeiro.

A segunda iniciativa terá lugar no dia 08 de Março, simultaneamente em vários locais da Diocese, e é constituído por um dia de vivência quaresmal, já que “os tempos fortes da Quaresma e Páscoa pedem-nos um compromisso de vida ainda maior, que muito depende da forma como nos preparamos para os viver.” Neste dia de espiritualidade dirigido aos mais jovens participarão os Servos de Maria do Coração de Jesus, os Missionários Combonianos, Salesianos, Passionistas, Espiritanos e os Leigos da Boa Nova.

Por fim, o Departamento da Pastoral Juvenil promove a participação dos jovens da Diocese no Fátima Jovem, que terá lugar a 03 e 04 de Maio. A inscrição para este encontro pode ser feita até 30 de Abril, junto do Departamento.