Archive

Archive for Setembro, 2016

Jornadas Nacionais de Comunicação Social | 2016

p1230043

Pensar a comunicação na Igreja Católica em Portugal

A Igreja Católica em Portugal quis pensar na comunicação que está a realizar no contexto português. Para isso reuniu os Secretários Diocesanos em Fátima, para «pensar a comunicação», ouvindo-os sobre o que pensam sobre o tema e a vida dos Secretariados, Gabinetes de Comunicação e órgãos de Comunicação Social nas Dioceses, tema que ocupou a tarde do primeiro dia de trabalhos.

Presentes quase todas as Dioceses que viram os seus trabalhos presididos pelos Bispos D. Pio Alves, Presidente da Comissão Episcopal do sector, D. Amândio Tomás e D. João Lavrador; acompanhou todos os trabalhos o P.e Américo Aguiar, Director do Secretariado Nacional das Comunicações Sociais. D. Pio Alves saudou os presentes e pediu que falássemos uns com os outros sobre a realidade de cada Diocese e o que de melhor podemos construir. Alvitrou que «não tropeçássemos nas dificuldades», mas víssemos o que somos, o que temos e o que podemos. Também o P.e Américo Aguiar saudou os presentes, agradeceu o esforço feito até este momento e convidou-os a «potenciar as coisas boas», nos locais do trabalho, que vai das paróquias até ao nível diocesano. E os trabalhos da tarde de 22 de Setembro ocuparam o tempo destinado a este tema, que permitiu dizer e ouvir o que se pensa e faz nas diversas Dioceses. Ler mais…

ASSEMBLEIA DO CLERO – 5 de outubro de 2016

2015-11-14-10-09-56

Vai realizar-se, no próximo dia 5 de outubro, no Seminário Maior, a Assembleia Geral do Clero da Diocese de Lamego, proposta pelos diversos Conselhos e integrada no Plano Pastoral, do Ano que estamos a iniciar.

A presença e a participação de cada sacerdote serão os melhores contributos para o bom resultado desta Assembleia, que abordará um tema que a todos diz respeito:

«Análise do nosso Ministério Pastoral na Diocese».

Programa:

09h30 – Acolhimento;

09h45 – Hora intermédia;

10h00 – Intervenção do Senhor Bispo;

10h30 – Intervalo;

11h00 – Trabalho de grupos;

12h00 – Plenário;

12h45 – Apresentação de software de gestão paroquial;

13h00 – Almoço.

Nota: As inscrições são importantes para a organização dos trabalhos e para a preparação do almoço. Por isso se pede a todos os colegas que participem a sua presença através dos telefones: 254 612151 (Seminário); 254 612147 (Cúria Diocesana).

Lamego, 21 de Setembro de 2016

(Mons. Joaquim Dias Rebelo, Vigário Geral)

Abertura do Ano Pastoral – 1 de outubro de 2016

logo_2016-2017

Local: Seminário de Lamego

Destinatários: Agentes Pastorais

PROGRAMA

09.30 – Acolhimento

09.45 – Oração

10.00 – Apresentação da Carta Pastoral (D. António Couto)

11.00 – Intervalo

11.30 – Apresentação do programa pastoral 2016/2017

13.00 – Almoço

– Solicita-se a envolvência de todos nesta atividade, providenciando a que as paróquias, arciprestados, movimentos e serviços pastorais estejam devidamente representados.

– Para uma melhor organização da jornada e tendo em conta as “previsões” para o almoço, agradece-se, quanto possível, informação antecipada de participação até ao dia 28 de Setembro.

(Seminário Maior de Lamego –  254612151)

 

O Coordenador Diocesano da Pastoral

Pe. José Manuel Melo, in Voz de Lamego, ano 86/44, n.º 4380, 27 de setembro de 2016

Visita Pastoral à paróquia de São João Batista – Sernancelhe

img_7064

D. António Couto realizou a sua visita pastoral à paróquia de São João Batista, Sernancelhe, durante quatro dias (22 a 25 de setembro). Sernancelhe acolheu com enorme alegria e satisfação o nosso Pastor, D. António Couto. Todos ficaram muito felizes pela sua presença e pelo magnânimo e singelo testemunho que nos deixou durante esta visita pastoral.

No primeiro dia da visita pastoral, D. António Couto visitou a Santa Casa da Misericórdia. Neste encontro destacou a misericórdia, o amor e o sacramento Santa Unção. Sem dúvida, quefoi um momento marcante para a Santa Casa da Misericórdia pela proximidade entre o nosso bispo e todos os utentes do lar, do jardim de infância e da Unidade de Cuidados Continuados.

Num espírito de proximidade e de encontro com todas as instituiçõese pessoas doentes e muitas vezes esquecidas, o segundo dia ficou marcado pela visita às principais instituições da vila. D. António Couto foi recebido no município. De seguida, visitou a GNR, os bombeiros voluntários, a Esproser e o Agrupamenro de Escolas Pe. João Rodrigues. A sua proximidade e vontade de interagir com todos os que o rodeiam tornou-se um exemplo para nós de como devemos dar um passo em frente e dar as mãos ao outro. Nas escolas valorizou o papel dos professores enquanto educadores nesta sociedade cada vez mais exigente. Ler mais…

No primeiro aniversário da morte do Padre Manuel João

penedono1

O presbitério de Lamego, a paróquia natal de Penedono, as paróquias onde viveu o seu ministério sacerdotal e os amigos não esqueceram a passagem do primeiro aniversário da morte do Padre Manuel João Nogueira Amaral, ocorrido no dia 22 deste mês. E foram muitos os que, nessa data, marcaram presença na igreja paroquial de Penedono para a celebração eucarística.

Há um ano atrás colheu todos de surpresa a morte deste jovem sacerdote (30 anos), encontrado já sem vida na residência paroquial de Vilarouco, S. João da Pesqueira, uma das paróquias por eles acompanhadas pastoralmente e onde residia. No dia anterior, 22 de setembro, estivera presente num dos habituais encontros entre sacerdotes ordenados nos últimos dez anos, ocorrido em Vila Nova de Paiva. Como sempre, a sua animação foi constante e a sua presença sinónimo de alegria. Após o almoço regressou com outro sacerdote da mesma zona pastoral. Sem nada o fazer prever, sem qualquer sintoma de má disposição, o seu último dia foi vivido entre irmãos no sacerdócio.

A celebração eucarística, presidida pelo pároco de Penedono, Pe. Luciano Moreira, contou com a presença de duas dezenas de sacerdotes e na assembleia estavam familiares que o geraram e viram crescer, bem como conterrâneos e muitos amigos que o conheceram. No início cantámos os salmos de vésperas; após a comunhão, uma das tias do Pe. Manuel João leu um texto escrito para o momento, sublinhando a tristeza e a saudade, mas também a fé em Deus e a esperança da ressurreição.

No final da celebração foram anunciadas iniciativas semelhantes nas paróquias onde o Pe. Manuel João viveu o seu ministério que, apesar de breve, não deixará de frutificar, sob a acção do Senhor da Messe que o chamara à vida, ao sacerdócio e, há um ano, à eternidade.

JD, in Voz de Lamego, ano 86/44, n.º 4380, 27 de setembro de 2016

Diálogo inter-religioso em Assis para rezar | Deus da Paz

papa1

O Papa esteve em Assis para mais um encontro inter-religioso pela paz “num mundo em guerra”, mas já havia enviado uma carta aos bispos de todo o mundo, para que convidassem “os católicos, os cristãos, os crentes e todos os homens e mulheres de boa vontade, de qualquer religião, a rezar pela paz”.

O encontro de Assis assinalou o 30.º aniversário do primeiro evento do género, promovido pelo Papa João Paulo II que haveria de repetir o gesto em 1993 e 2002. O agora Papa emérito Bento XVI também promoveu encontros em Assis, em 2006 e 2011.

Em Assis, o Papa Francisco encontrou-se com seis vencedores do Prémio Nobel da Paz e um grupo de 25 refugiados, para além de vários líderes religiosos e do mundo do pensamento e da cultura.

Os refugiados almoçaram com o Papa e, em seguida, uma refugiada oriunda de Alepo, na Síria, e refugiada na região da Toscana, subiu ao palco para tomar a palavra.

A tarde começou com uma série de encontros pessoais entre o Papa e os diversos líderes religiosos; pelas 16h00 os participantes proferiram uma oração ecuménica pela paz, na Basílica Inferior de São Francisco. A Praça de São Francisco acolheu a cerimónia conclusiva, com testemunhos de vítimas da guerra, de responsáveis religiosos, do fundador da Comunidade de Santo Egídio, e com o discurso do Papa.

O encontro internacional e inter-religioso pela paz em Assis, que tem como tema “Sede de paz. Religiões e cultura em diálogo”, terminou com a leitura de “um Apelo de Paz”, que foi depois entregue a crianças de vários países, para o distribuírem pelos líderes políticos e diplomáticos ali presentes, após um momento de silêncio pelas vítimas das guerras. Foi ainda assinado, pelo Papa e pelos representantes das várias confissões religiosas, o “Apelo da Paz”.

in Voz de Lamego, ano 86/44, n.º 4380, 27 de setembro de 2016