Início > Editorial, Igreja, Papa Francisco > PROIBIÇÃO: LAMENTO | Editorial Voz de Lamego | 25 de julho de 2017

PROIBIÇÃO: LAMENTO | Editorial Voz de Lamego | 25 de julho de 2017

Consta que o papa Francisco tem um letreiro na porta do seu quarto: “Proibido lamentar-se”. É a partir desta expressão que o Pe. Joaquim Dionísio, Diretor da Voz de Lamego, que nos faz refletir sobre vitimização e do lamento que não caminha…

PROIBIÇÃO: LAMENTO

Na porta que dá acesso ao gabinete papal, na Casa de Sta. Marta, foi afixado um papel com a frase “Proibido lamentar-se”, lembrando ainda que os transgressores ficam sujeitos à síndrome de vitimização e consequente diminuição do humor e da capacidade de resolver problemas.

Alguém mostrou a frase ao Papa Francisco que, com humor e sentido de oportunidade, a mandou guardar e afixar de maneira visível para quem o visita ou por ali passa. Certamente que a iniciativa não visa esconder ou simplificar os problemas, nem pretende atemorizar quantos se aproximam para partilhar algo menos agradável. Talvez provoque sorrisos e motive abordagens diferentes.

A lamentação é humana e pode resultar de algo menos conseguido, da privação, das escolhas, da observação, das falhas de alguém ou do próprio. Mas deve ser transitória. O mal não será queixar-se, mas ficar preso e teimar em não ver o bem ou possibilidade de mudança. Sem cair no optimismo vazio, talvez se possa evitar o negativismo ou o discurso derrotista dos “velhos do Restelo” que são sempre vencidos, porque nada tentam.
O convite papal visa retirar força e oportunidade aos “profissionais da queixa”, para quem ninguém escapa ou nada tem valor. O lamento contínuo só serve para aumentar a tristeza e afastar os outros. Ninguém quer ficar muito tempo junto de alguém que só teima nos defeitos, insiste nas derrotas ou desconhece a esperança. Como já em tempos aqui se escreveu, o mal não está no “fazer do luto”, mas no viver em permanente luto.

O Papa e todos os crentes terão sempre motivos para se lamentarem. Mas, por outro lado, não lhes faltarão razões para evitar a inutilidade do lamento. Não porque escondem a realidade, mas porque aceitaram, há muito, o convite de Deus para serem protagonistas na história.

in Voz de Lamego, ano 87/37, n.º 4422, 25 de julho 2017

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: