Início > Igreja, Serviço Cáritas > Pedrógão Grande: Cáritas quer devolver as casas às pessoas

Pedrógão Grande: Cáritas quer devolver as casas às pessoas

Já foram identificadas mais de 20 habitações destruídas e várias fábricas ligadas à indústria da madeira

O presidente da Cáritas Portuguesa disse que a instituição está comprometida com a “urgência de devolver a casa às pessoas” depois da campanha de recolha de roupa, durante esta segunda-feira. “Queremos transparência e rigor, mas nada de burocracia e vamos insistir para que nada obstaculize a urgência de devolver a casa às pessoas”, afirmou Eugénio Fonseca, referindo que há já a identificação de mais de 20 casas destruídas e várias fábricas ligadas á indústria da madeira.

O presidente da Cáritas Portuguesa visitou este domingo as zonas atingidas pelos incêndios, em Pedrógão Grande, com o presidente da Cáritas Diocesana de Coimbra, onde se encontrou membros do governo e com responsáveis autárquicos. Eugénio Fonseca adiantou que a reconstrução das casas ardidas vai envolver as câmaras municipais, nomeadamente na elaboração de projetos e licenciamentos, as seguradoras dos imóveis, caso existam, e a reconstrução é assegurada pela Cáritas Portuguesa com os donativos recolhidos pela campanha ‘Cáritas com Portugal abraça vítimas dos incêndios’.

A conta ‘Cáritas com Portugal abraça vítimas dos incêndios’ tem o número 0001 200000 730 e o IBAN PT50 0035 0001 00200000 730 54, na Caixa Geral de Depósitos.

“Nós faremos tudo em articulação com o governo, nomeadamente o ministério da Administração interna e do Trabalho Solidariedade e Segurança Social e com as câmaras municipais respetivas”, referiu o presidente da Cáritas Portuguesa.

Em 2016, a campanha ‘Cáritas Ajuda as Vítimas dos Incêndios em Portugal’ recolheu 311.856,67, refere a página da internet da Cáritas Portuguesa e foram reconstruídas 2 casas no Sardoal, 4 na Anadia, que vão ser entregues em julho, e 2 em Arouca, a concluir posteriormente, disse Eugénio Fonseca.

A Cáritas Portuguesa fez também um donativo de 200 mil euros para a ajuda de emergência, a Cáritas Diocesana de Coimbra 100 mil e a Cáritas Diocesana de Viana do Castelo 5 mil.

in Voz de Lamego, ano 87/32, n.º 4417, 20 de junho 2017

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: