Arquivo

Posts Tagged ‘Zona Pastoral de Cinfães’

Liga Portuguesa contra o Cancro: “Caminhamos com os resistentes”

caminhamos-com-os-resistentes

“Caminhamos com os resistentes” foi o lema que decidimos abraçar, atendendo às necessidades dos que mais precisam.

Por altura do Natal, o IPO do Porto, através da Liga Portuguesa contra o Cancro, lançou uma campanha de T-hirts para ajudar as crianças com cancro. Não olhamos para trás e em conversa com o nosso pároco quisemos também nós, como jovens, abraçar esta causa, muito mais porque também temos uma criança na nossa paróquia que sofre com esta terrível doença.

Atendendo ao desejo do nosso pároco não ficamos apenas por Fornelos. Fomos apelando à generosidade e caridade das pessoas de Travanca e de Moimenta que aderiram a 200% a esta campanha. Neste momento estão já vendidas algumas dezenas de T-shirts. O valor angariado será entregue no IPO do Porto, para as necessidades que este Centro Oncológico no setor Pediátrico precisar.

Hoje eles. Amanhã nós. Não estamos livres destes sofrimentos.

Rezemos por eles e, dentro das nossas possibilidades ajudemos nas campanhas que a Liga Portuguesa contra o Cancro vai criando para auxiliar os mais necessitados.

A todos muito obrigado!

Grupo de Jovens Fornelos-Cinfães

in Voz de Lamego, ano 87/14, n.º 4399, 14 de fevereiro de 2017

Paróquia de Souselo no Museu Diocesano

souselo1

No passado sábado, 16 de Julho, o Museu Diocesano de Lamego acolheu o Sr. Pe António de Almeida Morgado, juntamente com um grupo de cerca de 60 pessoas da Paróquia de Souselo para desfrutarem de uma visita guiada, com a nova estagiária do Museu Diocesano, Letícia Branco, às três exposições que o compõem.

Primeiramente, visitaram a exposição “Oração e Misericórdia” sendo que esta está dividida em 3 módulos: Paramentaria (com os principais paramentos que se usam na liturgia e que mostram as diferentes funções litúrgicas), Oração (composta por objetos litúrgicos com que se celebra na Igreja) e Misericórdia (constituída por santos que praticaram o evangelho nas suas vidas).

Em seguida tiveram a oportunidade de conhecer a exposição temporária de Ana Teixeira, pintora e fotógrafa natural de Lamego, intitulada, “Romarias aqui no coração da vida”,com temas de várias Romarias que esta foi fazendo ao longo da sua vida, tais como “Festa de Nossa Senhora dos Remédios”, “Senhor da Boa Morte”, “Nossa Senhora do Almurtão”, “Romaria a Cavalo”, entre outras.

Para finalizar a visita ao Museu Diocesano de Lamego, desfrutaram de uma visita guiada à exposição“Iconóstase”, com peças doadas por Mons. Arnaldo Cardoso. Esta exposição é composta por ícones, provenientes de vários países que integravam a antiga União Soviética, sendo que os temas dos ícones incidem sobretudo sobre a Trindade, a Virgem, os Anjos e os Santos. O motivo mais presente nesta exposição é o Pantocrator (omnipotente), representando Cristo e pretendendo combater a heresia ariana segundo a qual o Filho seria inferior ao Pai.

Após a visita ao Museu, seguiram para a Sé de Lamego para poderem ver a continuação da exposição “Oração e Misericórdia” que se encontra no coro alto, onde se encontram as 14 Obras de Misericórdia, pinturas incorporadas no cadeiral, de estilo barroco, do século XVIII.

Letícia Branco, in Voz de Lamego, ano 86/36, n.º 4372, 19 de julho de 2016

Paróquias Unidas em Laços de Catequese

catequese-fabrício

Paróquias de Travanca, Fornelos e Moimenta, da Zona Pastoral de Cinfães

Neste final de ano catequético, eis algumas palavras de análise, reflexão, avaliação, sentimento e até de sensibilização. Pois bem: Está à vista de toda a comunidade paroquial, mesmo até à mais céptica, que o êxito e o sucesso estiveram de mãos dadas. Catequistas, que deram o seu melhor a par de um sacerdote atento, embora nem sempre fosse fácil perceber isso, porque grande parte das vezes ao dar a ideia de distante, transmitia sim e em simultâneo a maior das confianças nos seus intervenientes. Obrigada Sr. Pe. Fabrício Pinheiro.

Não obstante, faltar-se-ia à verdade se não tivessem existido um e outro pequeno pormenor menos favorável (fases imaturas, jovens, adolescentes…) mas de solução imediata dada a colaboração do nosso pároco que de forma fácil, clara, audível e segura responde oportunamente visto que estamos na presença de alguém cuja determinação lhe é tão peculiar.

Várias foram as iniciativas, as atividades tomadas ao longo deste percurso e já oportunamente referenciadas; porém algo mais houve a acrescentar nesta paróquia de Travanca: o renascer da JAM (Juventude Alegria de Maria), consequentemente, as comemorações no mês de Maria… mais tarde, já em junho, a realização de uma Missa Campal acompanhada de almoço no mesmo espaço, em parceria com a Câmara Municipal e Cinfães e a Junta de Freguesia de Travanca, tendo o propósito, o objetivo, de sensibilizar e apelar à unidade, à comunhão de todos os Travanquenses. Ler mais…

JAM de Travanca – Cinfães: MÊS DE MARIA

travanca-jam

No passado dia 28 de Maio decorreu em Travanca o Encerramento do Mês de Maria. Os JAMistas não se pouparam a esforços no arranjo das flores para a realização de um belo tapete e do andor de Nossa Senhora Rainha da JAM. Foi um sábado de trabalho, mas de muita alegria. Quanta alegria a nossa pela presença amiga e simpática do núcleo e S. João de Ovil – Baião. Mais do que um grupo de amigos, somos um grupo de irmãos em Cristo e Sua e nossa MÃE.

O tempo não ajudou pois foi um dia de muita chuva, mas mesmo assim a nossa comunidade não teve receio e encheu a nossa Igreja Paroquial, que bela noite de oração.

Às 21H00 iniciou-se a celebração da Eucaristia, presidida pelo nosso pároco o senhor padre Fabrício Pinheiro, após a entrada triunfal e em procissão do andor de Nossa Senhora Rainha da JAM.

No momento de ofertório foi tempo para oferecermos um Globo para simbolizar o mundo inteiro e pedirmos a Jesus que molde este Mundo na verdadeira Unidade para juntos peregrinarmos até ao Pai; oferecemos ainda duas Mão como símbolo, por um lado da nossa dependência de Deus, e por outro, como forma de pedido de proteção. Por fim oferecemos a Coroa de Nossa Senhora, para que junto com o Santo Papa João Paulo II, no entreguemos a Jesus e a Maria e assim possamos eleger Nossa Senhora como nossa Rainha entregando-lhe a responsabilidade das nossas vidas, do nosso futuro e da nossa aspiração à santidade.

Finda a Santa Missa, saímos em procissão pela estrada fora, em manifestação de fé pública e vivida, novamente com o andor de Nossa Senhora.

Cada pessoa levava consigo uma vela que nos ajudava no recolhimento interior.

Recitamos o Terço do Rosário, meditando nos Mistérios Gloriosos, intercalando com cânticos alusivos a Nossa Senhora. Sentíamos que a MÃE tinha que estar contente connosco, pois demonstramos ser JAMistas de corpo e alma, sem respeitos humanos que nos perturbassem.

Finda a procissão, e a pedido do nosso pároco, casa pessoa trouxe consigo uma flor, que entregou à Mãe simbolizando as suas intenções, os seus pedidos para com ela.

De seguida, o nosso pároco procedeu à Coroação de Nossa Senhora, com a coroa oferecida no ofertório, e chamou até junto dela o Núcleo da JAM de Travanca e o núcleo convidado para juntos nos Consagrarmos à Nossa Mãe

No final foram proferidas palavras de agradecimento em primeiro lugar a Jesus e Sua Mãe. Agradecemos ao senhor Padre Fabrício, por ter proporcionado que fosse possível o nosso encontro, ao núcleo da JAM, que connosco veio rezar, às pessoas que nos ajudaram e à comunidade em  geral.

Com eventos desta natureza, a JAM não acaba. Recomenda-se.

VIVA A JAM!

Núcleo de Travanca, in Voz de Lamego, ano 86/26, n.º 4365, 31 de maio de 2016

6.º Ano do Seminário: Conhecer a realidade pastoral da Diocese

IMG_6312

Tendo em vista uma melhor preparação para o exercício do ministério presbiteral, o nosso sexto ano de teologia está a ser rico em formações práticas que nos proporcionam um maior conhecimento da nossa realidade diocesana, seus movimentos, departamentos, serviços, etc.

Ainda imbuídos na experiência dos Cursilhos de Cristandade realizados no passado mês de abril, recebemos no dia dez de maio, no nosso Seminário Maior de Lamego, o senhor José Luís Morais e a sua esposa, para nos falar do que é no concreto o Cursilho e a sua importância na vida paroquial e eclesial. Ficamos a conhecer melhor a História deste movimento, as suas características fundamentais e a sua evolução ao longo destes anos todos. Pudemos também partilhar experiências e reconhecer que o papel dos leigos é muito importante na Igreja. Cristo conta com todos nós para o anunciarmos, não só na igreja mas também nos ambientes onde estamos inseridos.

No dia treze de maio, juntamente com o nosso Reitor, Padre Joaquim Dionísio, deslocamo-nos até terras de Cinfães, mais concretamente até à Paróquia de Tendais, onde fomos recebidos pelo senhor Padre Adriano Alberto que aceitou falar-nos um pouco sobre a sua experiência como fundador e diretor de uma IPSS. Num diálogo fraterno marcado pela disponibilidade para esclarecer algumas das nossas questões, sentíamos que estávamos a ter uma aula de Doutrina Social da Igreja in loco.

Alertados para as dificuldades burocráticas e sensibilizados para as necessidades do povo de Deus, percebemos que um sacerdote pode desempenhar um papel muito importante nessa área socio-caritativa. Numa diocese do interior, como é a nossa, a existência desse tipo de instituições apresenta-se como um meio importantíssimo para dar resposta a muitos problemas escondidos, para apoiar pessoas esquecidas, para criar emprego.

Foi uma semana rica em testemunhos! Agradecemos ao senhor José Luís e à sua esposa a disponibilidade manifestada desde o primeiro instante, em vir ao seminário, e a alegria em nos poderem ajudar a conhecer este movimento, que tal como outros é tão importante para a vitalidade da Igreja e para a nossa Diocese.

Manifestamos igualmente a nossa gratidão ao Padre Adriano e ao Padre Francisco Marques, que também esteve connosco, por nos terem dado a conhecer a beleza do serviço a Deus e a responsabilidade do compromisso com todos, principalmente com aqueles que mais necessitam.

Diogo Rodrigues e Luís Rafael Azevedo,

in Voz de Lamego, ano 86/24, n.º 4363, 17 de maio de 2016

Peregrinação Jubilar da Zona Pastoral de Cinfães ao Santuário da Lapa

cinfaes-lapa1

Cinfães na Lapa – Peregrinação Jubilar

1. Em busca da Porta Santa partiram manhã cedo no dia 24 de abril.

A Zona Pastoral de Cinfães, em peso, rumara ao Santuário da Lapa. Milhares.

Todos os párocos e todas as paróquias, cada uma com duas ou 3 camionetes cheias, além das viaturas particulares.

Às 10 horas, tudo à «Porta»; padres, acólitos, escuteiros, povo e estandartes ao vento falando da fé. A fé também se vê.

A «Porta  Santa» do Santuário estava aberta e à espera o Sr. D. Jacinto que a todos recebeu e deu as boas vindas.

Seguiu-se a oração pelo Papa Francisco, a comunhão com o bispo diocesano e o «sede bem vindos» à multidão apinhada junto à Porta Jubilar.

«Entrai». As portas são para entrar. «A porta da graça está sempre aberta».

Ler mais…

CAPELA DO SENHOR DOS ENFERMOS: OBRAS DE RESTAURO

Fornelos-restauro

No segundo domingo de Páscoa, dia três de abril, a paróquia de São Martinho de Fornelos, no concelho de Cinfães, vivenciou momentos de grande alegria com a reabertura da capela do Senhor dos Enfermos, no lugar de Macieira, após as obras de conservação e restauro a que foi sujeita. A capela foi pequena para acolher todos os fiéis que quiseram estar presentes, sinal de grande fé no Senhor dos Enfermos.

A cerimónia foi presidida pelo Senhor Vigário Geral, Monsenhor Joaquim Dias Rebelo, em representação do Senhor Bispo da Diocese de Lamego, Dom António Couto. O evangelho do dia falava em São Tomé, apóstolo que, perante a notícia da ressurreição de Jesus, negou-se a acreditar. “Se eu não vir o sinal dos cravos nas suas mãos, e não puser o dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma acreditarei.” Perante a presença de Jesus, vivo, diante dos seus olhos, Tomé rendeu-se e, movido pela poderosa fé que sentia no coração, disse o que até aí não tinha descoberto: “Meu Senhor e meu Deus.” Jesus responde-lhe:Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!” E foi esta mesma fé, este acreditar sem ter visto, que encheu a capela do Senhor dos Enfermos, num desejo de partilhar aquele momento com toda a comunidade e, acima de tudo, partilhá-lo com Deus, naquela que é a sua casa agora renovada.

Já quase no final da cerimónia, a presidente da Irmandade do Senhor dos Enfermos, professora Cristina Miranda, leu um discurso de agradecimento a todos aqueles que deram o seu contributo, tornando esta obra uma realidade. As entidades políticas locais, designadamente os presidentes da Câmara Municipal de Cinfães e da Junta de Freguesia de Fornelos, não deixaram de estar presentes, tendo ambas as entidades subsidiado a obra. A presidente fez também uma breve alusão a todo o processo percorrido e o que há ainda a percorrer, mencionando a preciosa colaboração dos Senhores Padres Vítor Pinto e José Augusto Cardoso enquanto anteriores párocos da freguesia, e do Senhor Padre Fabrício Pinheiro, atual pároco.

De entre todos os agradecimentos, o mais marcante foi, certamente, a menção aos antepassados que ergueram a capela e cujos nomes foram agora postos a descoberto com o restauro do teto. “Foram eles os primeiros e principais responsáveis por tudo isto que agora vemos, sendo que, se hoje esta capela é uma realidade, acolhendo anualmente milhares de fiéis, é a eles que o devemos. Estejam onde estiverem, as suas almas estarão certamente em paz, e aqui fica o nosso sincero agradecimento e um grande bem hajam por todo o legado que nos deixaram.”

Terminada a cerimónia, os participantes partilharam um lanche, fruto da colaboração de todos, ficando o desejo de que o santuário do Senhor dos Enfermos seja, e continue a ser, um local de muita fé, de oração e de encontro com Deus.

A Presidente da Irmandade:

Cristina Miranda, in Voz de Lamego, ano 86/21, n.º 4358, 12 de abril de 2016