Arquivo

Posts Tagged ‘Sé de Lamego’

VIGÍLIA DA IMACULADA CONCEIÇÃO | BÊNÇÃO DAS GRÁVIDAS

No próximo dia 7 de dezembro, véspera da solenidade da Imaculada Conceição, o Departamento Diocesano da Pastoral Familiar vai promover uma Vigília de Oração, que terá lugar na Igreja Catedral de Lamego, pelas 21 horas.

Nesta celebração, de homenagem à MÃE e de anúncio e preparação da chegada do FILHO, a diocese de Lamego assinala também o início do Tempo do Advento com um especial momento de oração pela vida dos nascituros. A vida nascente precisa de ser acarinhada e nós temos a missão de estar na linha da frente, criando uma nova civilização que reconheça e ame, acolha e respeite cada Vida Humana como um dom de Deus.

Será aberta a toda a Diocese e terá as seguintes facetas:

  • É o momento de uma especial bênção para todas as grávidas: queremos acolhê-las, rezar com elas, por elas e pelos seus filhos. O início da caminhada de preparação para o Natal é um momento propício para agradecer a Deus o dom da vida que recebemos dos nossos pais e pedir a Sua bênção para as grávidas e para os bebés que vivem e crescem no seu seio.
  • Relança a nova evangelização a partir da nossa própria casa: todas as famílias são convidadas a trazer o Menino Jesus do seu presépio (é urgente recentrar o Natal no nascimento de Jesus) e o estandarte de Natal (para que no espaço público se veja, cada vez mais, o rosto do Deus Menino) para serem abençoados.
  • Será também um momento de consagração à Virgem Imaculada do Movimento das Equipas de Nossa Senhora e da Irmandade Militar de Nossa Senhora da Conceição.

Esta atividade foi já difundida às paróquias. Reitera-se aqui o convite a todos os que queiram participar na celebração, com o desafio de se empenharem vivamente na mobilização das famílias para este evento que celebra a vida nascente, no tempo em que nos preparamos para a chegada do Menino-Deus.

Pelo Departamento Diocesano da Pastoral Familiar,

in Voz de Lamego, ano 87/53, n.º 4439, 5 de dezembro de 2017

ORDENAÇÃO – DIÁCONO | Editorial Voz de Lamego | 21 de novembro

ORDENAÇÃO – DIÁCONO

No próximo domingo, 26 de novembro, encerramos o ano litúrgico em curso, com a solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo.

Na nossa diocese, a data é também marcada pelo assinalar de mais um aniversário da dedicação da igreja catedral (21 de novembro).

Mas este dia festivo será ainda enriquecido com a ordenação diaconal de um jovem que terminou há poucos meses a sua caminhada no Seminário e vive agora o seu estágio pastoral, o Vitor Manuel Teixeira Carreira. Natural de Queimadela, Armamar, deixou-nos um texto antes de partir para Avessadas, Marco de Canavezes, onde, por estes dias, está em retiro espiritual, acompanhado pelos padres Carmelitas.

Com alegria, esperamos testemunhar a sua ordenação presbiteral no primeiro domingo de julho de 2018. Até lá, caminharemos com ele e por ele rezaremos ao Senhor da Messe, para que o proteja e abençoe na vivência do seu sacerdócio e no cumprimento da sua vida.

A ordenação é sempre um momento de festa para a Igreja e o acontecimento deve ser anunciado e vivido com alegria por toda a comunidade que testemunha a entrega generosa de uma vida à causa do Evangelho e da humanidade. Porque toda a ordenação visa sempre testemunhar Jesus Cristo para a salvação de todos.

Mais do que lamentar a diminuição do número de ordinandos, importa enaltecer a prontidão de quem responde ao chamamento e a disponibilidade generosa para ser enviado a servir no mundo. Não sabemos como será o futuro nem se teremos muitas ou poucas ordenações; sabemos que não estamos sós e confiamos na providência divina para os dias que virão e para iluminar a Igreja no encontrar de soluções.

Por agora, felicitamos o Vitor pela sua decisão e juntamo-nos a todos quantos se alegram com a sua ordenação.

Pe. Joaquim Dionísio, in Voz de Lamego, ano 87/51, n.º 4437, 21 de novembro de 2017

Dia da Bíblia

O Pe. Mário José dos Santos, natural da nossa diocese, de Tabuaço, é membro da família Paulista e escreveu-nos para divulgar uma iniciativa prevista para o dia 01 de outubro, na nossa Sé, em Lamego.

Nessa data, logo a seguir à festa de S. Jerónimo, o grande biblista e tradutor da Palavra de Deus (Vulgata), e com a presença de D. António Couto, celebrar-se-á um pontifical para assinalar o Dia da Bíblia, sugerido pelo Papa Francisco, mais concretamente “Entronização da sagrada Escritura e celebração do primeiro Domingo da Bíblia em Portugal”.

O objectivo é “conseguir, em toda a Igreja, a instituição oficial dum Domingo Bíblico e entronizar por todo o lado a Bíblia nas Igrejas à semelhança e com o relevo possível que tem o Sacrário: as 2 mesas! A Palavra é como a Eucaristia: em ambas está a PRESENÇA! É isto o que se pretende incutir no Povo juntamente com a leitura assídua da Bíblia”.

in Voz de Lamego, ano 87/42, n.º 4427, 12 de setembro 2017

Ordenações Sacerdotais | Presbitério de Lamego com novos membros

Ordenações sacerdotais

 A nossa diocese viveu com alegria a ordenação sacerdotal dos Padres Ângelo Santos, Diogo Rodrigues e Luís Rafael. Aconteceu no passado domingo, dia 02, e a multidão encheu a Sé para louvar o Senhor e testemunhar o sim daqueles jovens.

Desde há alguns anos a esta parte que, quando há ordenações sacerdotais, a celebração decorra no primeiro domingo de julho. E assim foi. Às 16h já a Sé estava preparada para ver entrar aqueles que, neste mesmo local, na última Solenidade de Cristo Rei do Universo, haviam sido ordenados Diáconos.

Nos dias que antecederam o grande dia estiveram no Mosteiro beneditino de Singeverga, acompanhados pelo Dom Abade e pelo Prior, no seu retiro espiritual. Dias de silêncio, de oração e interioridade para, diante do Senhor, mais intensamente se prepararem para dizer sim ao apelo de Deus para servir, em Igreja, o mundo.

Nos primeiros bancos sentaram-se os familiares dos três eleitos, vivendo com alegria e acompanhando com emoção todos os gestos e palavras daqueles que viram crescer. Estiveram também presentes muitos amigos e conterrâneos, bem como fiéis das comunidades paroquiais onde, nos últimos meses, viveram o seu estágio pastoral. Recorde-se que o Ângelo esteve por terras de Penedono e Sernancelhe, acompanhado pelos Padres Carlos Carvalho e Francisco Marques, o Diogo nas paróquias de Alvite, Leomil e Sever, acompanhado pelos Padres Bráulio Carvalho e Jorge Giroto, o Luís Rafael na paróquia de Almacave e na Pastoral Juvenil, acompanhado pelos Padres José Guedes e José Abrunhosa.

A par dos muitos fiéis leigos que encheram a Sé, também o nosso bispo emérito, D. Jacinto Botelho, e cerca de sete dezenas de sacerdotes estiveram presentes. No início da cerimónia e também no final, o Pe. José Miguel Loureiro, responsável pelo Departamento da Pastoral Vocacional, dirigiu-se à assembleia para apresentar os futuros sacerdotes, manifestar a alegria de todos perante a disponibilidade dos eleitos e deixar agradecimentos às famílias e a quantos participaram na caminhada dos novos sacerdotes. O canto esteve a cargo do Coro da Catedral, sob a orientação do Padre Marcos Alvim.

Na homilia, comentando os textos bíblicos proclamados, D. António Couto sublinhou a singularidade dos pequeninos no projecto de Deus, convidando os futuros sacerdotes a assumirem com paixão a missão de acolher e acompanhar todos, bem como a manterem vivo o desejo de anunciar o Evangelho a “toda a criatura”. É o Senhor que chama e envia, que promete estar presente e fortalecer todos os dias a vontade de edificar a Igreja e de concorrer para a santificação da humanidade.

Antes da bênção, o nosso bispo convidou a assembleia a saudar os novos sacerdotes com uma salva de palmas, o que foi de imediato e de forma efusiva testemunhado. E como habitualmente, após a celebração, os novos sacerdotes dirigiram-se para o claustro da Sé, onde foram saudados pelos presentes.

 

JD, in Voz de Lamego, ano 87/34, n.º 4419, 4 de julho 2017

SERVIÇO E GENEROSIDADE | Editorial Voz de Lamego | 4.julho.2017

No primeiro domingo de julho, a Ordenação Sacerdotal do Luís Rafael, do Ângelo Santos e do Diogo Rodrigues. A edição desta semana da Voz de Lamego dá amplo destaque a este momento importante da vida dos novos sacerdotes e da Igreja em Lamego. O nosso Diretor, Pe. Joaquim Dionísio, faz eco da celebração, lançando os desafios para o futuro.

SERVIÇO E GENEROSIDADE

Desde o passado domingo que a nossa diocese conta com mais três sacerdotes no seu presbitério, o que é motivo de alegria e de acção de graças.

Para os neo-sacerdotes, a ordenação foi o culminar de um percurso livremente escolhido e assumido, ao longo do qual contaram com a oração, a presença, o testemunho e a ajuda de muitos.

Neste particular, uma palavra para referir o tempo vivido no Seminário, etapa de sementeira e oportunidade para crescer, amadurecer e discernir num caminho nem sempre livre de dúvidas ou ilusões. A decisão de avançar nem sempre é fácil perante a variedade de opções de vida. E diante do seu sim, louvamos a decisão, num tempo em que é cada vez mais difícil decidir-se e comprometer-se.

Dentro de algumas semanas serão nomeados para a missão que a Igreja lhes confia e para o serviço que lhes pede, no viver dos quais encontrarão crentes e não crentes, praticantes e não praticantes, acolhendo-os por igual e procurando-os, sem descanso, para lhes anunciar e mostrar Jesus Cristo.

Uma missão motivante, exigente, variada, desafiadora, nem sempre isenta de riscos e algumas vezes marcada pela ingratidão humana, mas sempre portadora da promessa de que nada é indiferente a Deus e que ninguém ficará sem a recompensa do Senhor da Messe.

Mais do que apresentar o padre pela variedade de actividades protagonizadas, talvez seja mais oportuno e justo referir-se-lhe como sendo um discípulo e seguidor apaixonado de Cristo, que pauta a própria vida pelos critérios do Evangelho e se esforça por ser uma bênção para o mundo.

É preciso uma fé forte e uma grande generosidade para ser padre. Mas o próprio também sabe que o Senhor o acompanha e que o Povo de Deus não cessa de interceder por si.

in Voz de Lamego, ano 87/34, n.º 4419, 4 de julho 2017

Ordenações sacerdotais – 2 de julho – 16h00 – Sé de Lamego

Vigília Pascal na Sé de Lamego – 15 de abril de 2017

Juntamente com a Missa do Galo, a Vigília Pascal sempre foi das celebrações que desde pequena mais gosto; claro que não compreendia todo  o seu significado, mas penso que nunca entenderemos o suficiente.

Ano a ano vamos acrescentando uma pequena migalhinha de entendimento, uma palavra mais especial ou diferente que nos tocou, algo em que reparamos de um modo novo, um olhar mais esclarecido sobre algum gesto que no ano anterior não tinha tido o mesmo significado, enfim, a cada ano vamos descobrindo um novo significado mais espiritual e uma forma nova de nos renovarmos interiormente.

Este ano marcou-me muito a LUZ.

A LUZ que irrompeu das TREVAS, a LUZ DE CRISTO que inundou a Catedral, a LUZ que partilhamos entre nós, todos os presentes e também com os que não estavam connosco, mas que lembramos – todos os nossos irmãos perseguidos que não podiam celebrar como nós a Ressurreição; e também aqueles que moram no coração de cada um de nós e de quem só nós sabemos.

Marcou-me a palavra ” LUZEIRO”.

Palavra que devo ter ouvido tantos anos a fio, mas que foi entendida como se fosse a primeira vez que a ouvia, e que ressoava na minha cabeça enquanto observava com uma imensa ternura as crianças que iam de banco em banco acendendo as velas de todos os presentes com gestos suaves, cuidadosos, meigos, com a alegria a brilhar nos seus rostinhos, como só as crianças sabem brilhar.

Consegui, finalmente, imaginar essa Luz estendendo-se por toda a Terra e sentir esse imenso LUZEIRO levando o AMOR e afastando o MAL; pela mão das crianças…

Obrigada Sabrina, Margarida, Duarte, Lucas, André e os dois David, o “grande” e o “pequeno” .

Para mim, vocês representaram todas as crianças do mundo, todas as mãozinhas puras que ainda sabem acender a LUZ DE CRISTO não só nas nossas velas, mas principalmente nos nossos corações.

 

in Voz de Lamego, ano 87/23, n.º 4408, 18 de abril de 2017