Arquivo

Posts Tagged ‘Santuário de Nossa Senhora dos Remédios’

Terminaram as Festas da Cidade | Lamego 2016

dsc_0167

A cidade verde engalanou-se das mais diversas cores para festejar a sua Padroeira, Nossa Senhora dos Remédios. Entre os dias 25 de agosto e 09 de Setembro, um programa diversificado proporcionou momentos de encontro, de fé, de alegria e diversão. Afinal, a festa faz parte da vida e festejar é próprio do ser humano.

Com maior ou menor criatividade, mais ou menos ruas iluminadas, maior ou menor orçamento, mais ou menos trânsito, a meio ou no final da semana, com mais ou menos gente, as festas decorrem nos espaços habituais e contemplam momentos religiosos, culturais, recreativos e desportivos. O som dos grupos musicais e das bandas, o troar dos foguetes, os sons dos vendedores ambulantes, os grupos folclóricos e as concertinas, as conversas animadas e o riso contagiante, etc, animaram todos quantos aqui residem ou por aqui passaram vindos das mais diversas partes do país.

O comércio urbano beneficia destes dias e dos milhares de pessoas que sempre compram algo para levar ou se sentam para beber e comer alguma coisa. Em algumas partes da cidade, a exemplo do que acontece noutras cidades, há bares onde se exagera no consumo de álcool e onde nem sempre se questiona a idade dos consumidores. Alguns incidentes ocorridos nos últimos tempos ilustram o grau de violência a que se pode chegar quando o consumo de bebidas alcoólicas se descontrola.

A comunicação social marcou presença e a divulgação da cidade, da região, das gentes e das tradições chegou mais longe. E com os modernos meios de comunicação também ajudam a chegar mais longe em tempo record.

Estão de parabéns todos quantos se esforçaram por preparar as festas da cidade em 2016, sabendo que o ideal está sempre mais adiante. Certamente que os preparativos para as festas do próximo ano vão começar em breve. Mas isso será o trabalho de alguns que, daqui a um ano, trará oportunidade de festa a todos.

JD, in Voz de Lamego, ano 86/42, n.º 4378, 13 de setembro de 2016

A Novena de Nossa Senhora dos Remédios – 2016

imgp9892

Apesar da hora, começa sempre às seis da manhã, a Novena não perde pessoas de ano para ano. Pelo contrário, ano após ano, o número de peregrinos cresce.

Como diziam os antigos, a Novena é todo um «trabalho da graça». Só à luz da fé se explica que tanta gente corte ao descanso para se juntar em atitude de louvor e de súplica.

O Santuário fica sempre cheio, sendo necessário ocupar a Sala dos Retratos e o Adro. E se em cada dia, o espaço fica cheio, no dia seguinte aparece ainda mais preenchido.

O que mais impressiona é a comunhão de fé e sentimentos: toda a gente reza, toda a gente canta. Se a Procissão tem, indiscutivelmente, um grande impacto visual, a Novena consegue ter sempre um enorme efeito vivencial. As palavras e os cânticos parecem fazer estremecer as próprias paredes e o próprio tecto.

Este ano, foi estreado um hino, belamente musicado pelo senhor Padre Marcos José Morais Alvim de Magalhães. Entrou rapidamente nos lábios e no coração do povo.

Também foi oferecida uma nova casula, com a particularidade de ter a imagem de Nossa Senhora dos Remédios esculpida na frente e nas costas.

É bom ter presente que a Festa de Nossa Senhora dos Remédios começou, possivelmente no século XVII, com a Novena. E esta mantém-se nos mesmos moldes em que se iniciou. É também um acto de homenagem aos nossos maiores, que nos legaram tão precioso acto de homenagem à Mãe dos Remédios.

À volta da «Mãe da Misericórdia», procurámos, uma vez mais, crescer na fé, louvando a nossa Padroeira. Da Novena não nos afastaremos; para o ano, regressaremos!

S. A. S., in Voz de Lamego, ano 86/42, n.º 4378, 13 de setembro de 2016

Povo que chora, canta e reza a santidade de Deus | Ternura de Maria

dsc_0285

O culminar da festa em honra de Nossa Senhora dos Remédios, Padroeira da cidade de Lamego, aconteceu, como sempre, no dia 08 de Setembro, a data escolhida pela Igreja para celebrar a festa da Natividade de Maria. Nesse dia, milhares de pessoas fizeram a festa em Lamego, quer na Eucaristia celebrada no Santuário, quer na Procissão que percorreu algumas das ruas da cidade verde.

O tempo ameno que se fez sentir contribuiu para a serenidade e elevada participação com que este dia decorreu. Pela manhã, muitos foram os que subiram ao monte de St. Estevão e encheram por completo o Santuário dedicada à Mãe, participando na celebração eucarística a que D. António presidiu, rodeado de alguns sacerdotes, e o coro, orientado pelo Padre Marcos Alvim entoou cânticos já conhecidos, favorecendo a participação alargada dos fiéis. Presentes também o Comissário da Irmandade de Nossa Senhora dos Remédios, Dr. Manuel Teixeira, e o Presidente da Câmara de Lamego, Eng. Francisco Lopes, que se responsabilizaram pela leitura dos dois primeiros textos bíblicos proclamados na liturgia da Palavra.

No início da celebração e após a comunhão, o Reitor daquele Santuário, Cón. João António Pinheiro Teixeira, dirigiu palavras de louvor à Mãe e de saudação a todos os peregrinos. Ler mais…

Família Franciscana Portuguesa Tau da Misericórdia

DSC00844

Em pleno Ano Jubilar da Misericórdia, proclamado pelo Papa Francisco e a celebração dos 800 anos do Perdão de Assis, a Família Franciscana Portuguesa pensou num TAU da Misericórdia com a finalidade de percorrer as Fraternidades Franciscanas em Portugal.

Este símbolo foi entregue solenemente pelo Cardeal Patriarca de Lisboa, no dia 25 de abril de 2016  no 3.º Capítulo das Esteiras, ocorrido em Alenquer

No dia 21 de julho as Irmãs franciscanas foram buscar o TAU, aos irmãos franciscanos.

E permaneceu no Santuário  Nossa Senhora dos Remédios até sábado.

Foi com muita alegria que as Irmãs e seus colaboradores acolheram o TAU, nele está escrito

TU ÉS MISERICÓRDIA!

 

Ir. Olinda, in Voz de Lamego, ano 86/38, n.º 4374, 2 de agosto de 2016

Tempo, espaço e vivências de Nossa Senhora dos Remédios

remédios2

O rosto de Lamego

A igreja do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios foi escolhida, mais uma vez, para a cerimónia de apresentação de um livro, da autoria do Reitor daquele espaço diocesana, Pe. João António Pinheiro Teixeira. Aconteceu na tarde do passado domingo e contou com muitas presenças, entre as quais as de D. António Couto e de D. Jacinto Botelho.

Rosto que provoca

“O rosto de Lamego. Tempo, espaço e vivências de Nossa Senhora dos remédios”, nas suas mais de 500 páginas, é, segundo o Comissário da Irmandade de Nossa Senhora dos Remédios, Dr. Manuel Teixeira, o resultado de um grande esforço de investigação por parte do autor e o fruto de uma enorme dedicação daquele sacerdote, oferecendo a todos uma “história do santuário actualizada”. Ler mais…

Arciprestado de Lamego: Peregrinação a Nossa Senhora dos Remédios

Remédios3

No dia 29 de Maio, último domingo do mês de Maria, as paróquias do Arciprestado de Lamego realizaram, mais uma vez, a sua peregrinação ao Santuário dos Remédios. Pelas 16h, uma multidão de fiéis concentra-se no adro da Sé Catedral, onde se destacam os estandartes identificativos de cada paróquia, caminhando em seguida em direcção ao Santuário. Um cordão humano, representando o terço do rosário, composto por elementos de várias paróquias, com cores alusivas a cada mistério, era visível no meio da peregrinação. Uma inovação bem conseguida.

Ouviam-se cânticos marianos, difundidos pelas colunas de som distribuídas ao longo do percurso. Eram entoados, em uníssono, pelos peregrinos. O terço, rezado e meditado, a todos envolvia num clima, ora de oração ora de silêncio. Maria arrasta e atrai e a ninguém deixa indiferente. Mesmo os que não puderam seguir a pé desde a catedral até ao alto do monte de S. Estêvão, contemplavam e escutavam religiosamente as mensagens evangélicas que iam sendo transmitidas pela instalação sonora. Ler mais…

MMF – Retiro de Doentes no Santuário dos Remédios

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Movimento da Mensagem de Fátima

No último sábado, dia 21 de Maio, o Movimento da Mensagem de Fátima realizou, no Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, um retiro de doentes. Estiveram presentes cerca de 120 doentes de várias paróquias da Diocese de Lamego.

O retiro decorreu, na casa de Oração do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, sobe a orientação do senhor Padre Francisco Pereira, Capelão do Santuário de Fátima e um dos responsáveis nacionais do MMF.

O Senhor Padre Vasco Pedrinho, Assistente Espiritual do Movimento, abriu o encontro com a oração do Papa Francisco para o ano Jubilar  da Misericórdia. E, foi na sequência deste tema que o orientador iniciou a sua intervenção falando da misericórdia de Deus na Bíblia.

Toda a Mensagem de Fátima é, também, mensagem de misericórdia. Nas aparições do Anjo e de Nossa Senhora há um apelo constante à oração e ao sacrifício pela conversão dos “pobres pecadores”.

A Irmã Lúcia escreveu no seu livro Como vejo a Mensagem: “os sacrifícios que devemos oferecer a Deus, e que Ele aceita e nos pede, são aqueles que todos temos de nos impôr a nós mesmos, para, com fidelidade, cumprir os mandamentos da Sua Lei – Os Mandamentos da Lei de Deus.” Os Pastorinhos ofereceram a sua vida para dar a conhecer ao mundo os pedidos de Nossa Senhora que, na sua condição de Mãe, é Mensageira dos desígnios divinos. Não importa se vivemos muitos anos, o que importa é a maneira como vivemos. Nesta vida do dia-a-dia: as renúncias e sacrifícios pelo bem das nossas famílias ou do nosso próximo, o esforço para melhorar as nossas tarefas, as dores, os remédios e os tratamentos que nos agoniam, tudo devemos oferecer pela conversão dos pecadores.

Neste mundo decadente, tocado pelos vícios, especulação económica, pela quase completa desumanização do Homem, a nossa oração é muito importante para a comunidade, para o mundo. Quando rezamos o terço meditamos a vida de Jesus que é o rosto da misericórdia. Quem sabe, a força da nossa oração e do nosso sacrifício, consegue mudar o mundo e fazer triunfar o amor!

Saibamos responder aos apelos de Nossa Senhora, com muito amor, confiados na sua promessa: “Por fim o meu Imaculado coração triunfará”.

Queremos aqui deixar um agradecimento sincero à Irmandade de Nossa Senhora dos Remédios e às Irmãs Franciscanas Hospitaleiras pela ajuda que nos deram na concretização desta actividade.

O Secretariado Diocesano, in Voz de Lamego, ano 86/25, n.º 4364, 24 de maio de 2016

ASEL – Encontro Nacional – 30 de abril de 2016

13087242_164458637284923_6660765560746946853_oNo passado sábado, dia 30 de abril, ocorreu o encontro nacional dos associados da Associação de Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Lamego. Desta vez, tal como previsto e amplamente divulgado, os antigos seminaristas reuniram no Seminário Maior de Lamego e no Santuário de Nossa Senhora dos Remédios.

Tudo se iniciou com a receção dos aselistas, alguns que vinham pela primeira vez, outros que já não vinham há algum tempo e outros que usualmente participam.

Terminada a assembleia-geral estatutária, tendo em vista a apresentação da atividade da associação e a apresentação e aprovação de contas, e onde o presidente da direção lançou o repto a todos os participantes de que, no próximo ano, cada um dos presentes deverá trazer um novo elemento, seguiu-se um beberete, com géneros oferecidos gentilmente pelo E. Leclerc de Lamego, momento de partilha e convívio fraterno, permitindo a recordação de momentos marcantes da passagem pelos seminários diocesanos.

Depois, foi a partida para o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, onde assistimos à Santa Missa, celebrada pelo nosso bispo diocesano, D. António Couto, e concelebrada por D. Jacinto Botelho e por cinco sacerdotes, acolitados por um coro diligentemente dirigido pelo nosso presidente da direção, Luís de Matos.

O almoço decorreu ao ar livre, excelentemente servido por Carlos Trindade, de Resende, que nos mimoseou com iguarias regionais, acompanhadas pela produção vinícola do aselista José João Pina. Durante a tarde, em convívio amigável e cúmplice, recordámos agradavelmente circunstâncias relevantes da nossa vida de seminaristas, ouvindo ainda a música e as canções da Afontuna, composta por alunos e professores do Externato D. Afonso Henriques, Resende, e da jovem Paula Ferreira, que já nos tinha brindado, na Eucaristia, com uma belíssima interpretação vocal da “Ave-Maria” de Gounod, aquando da tradicional deposição de um ramo de flores junto de Nossa Senhora, evocando a figura de Maria como a mãe de todos e representante de todas as mães. Cabe aqui uma palavra de agradecimento à Câmara Municipal de Lamego, que nos cedeu um pequeno palco e um técnico de som para assegurar que tudo funcionaria devidamente, assim como às Caves da Raposeira e aos Fumeiros Porfírio.

Foi ainda feita uma homenagem aos aselistas com 50 e 25 anos de inscrição nos seminários, através da entrega de um diploma alusivo, tendo um aselista que veio pela primeira vez a oportunidade de dar conta da sua satisfação por estar entre nós, tendo-se comprometido a continuar esta viagem e a tentar trazer os seus colegas de seminário.

No próximo ano, 2017, o encontro será em Resende, no dia 29 de abril. Todos foram informados de que, além do “blogue” que a ASEL dinamiza, criou-se uma página na rede social Facebook, para que a nossa atividade possa chegar mais longe e contribua para um sentimento de proximidade maior entre todos os que passaram pelas nossas casas de formação sacerdotal, tendo em vista também o fomento da inscrição de antigos alunos, pois torna-se imprescindível conseguir o maior envolvimento possível de antigos seminaristas para a dinamização da ASEL.

P’la Direção da ASEL

Paulo Pereira Guedes, in Voz de Lamego, ano 86/22, n.º 4361, 3 de maio de 2016

HINO DA ASEL (Letra e música do aselista J. A. Pereira Pinto. Maio de 2012)

1 – ASEL Mais que um nome,

É família unida

Por valores eternos

Que dão sentido à vida.

«Aspirai ao alto»

De S. Paulo a exortação

Cedo foi gravada

Bem fundo em nosso coração.

2 – Isso te devemos,

Maternal abrigo

E te agradecemos

Ó seminário amigo.

Aceita o tributo

Da perene gratidão

Tu que nos congregas

À grande luz do amor cristão.

Tu que nos congregas

À grande luz do amor cristão.

Apresentação do livro do Pe. João Teixeira: SEMPRE EM MUnDANÇAS

DSCN0031

Oitenta quadros com títulos claros e títulos incisivos

Sempre em Mundanças

A igreja do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios encheu-se para a apresentação do mais recente livro do padre João António Pinheiro Teixeira, intitulado “Sempre em Mundança – inquietações e esperanças de um tempo novo”, editado pela Alêtheia Editores.

Entre os presentes, D. António Couto tomou a palavra para sublinhar a pertinência das reflexões agora publicadas, o Dr. Manuel Teixeira, Comissário da Irmandade de Nossa Senhora dos Remédios, foi responsável por uma breve e emotiva apresentação do autor.

No início, foi a Dr.ª Zita Seabra, responsável por aquela Editora, que tomou a palavra para agradecer a presença de todos e para, em nome da sua empresa, agradecer ao autor o ter-lhe enviado o texto para uma possível publicação. E aproveitou para solicitar ao bispo de Lamego a publicação de um livro na sua editora.

D. António Couto, apresentando o livro, começou por dizer que se apresenta como um conjunto de “oitenta quadros com tons claros e títulos incisivos”. Depois, de forma breve e apoiada na observação da história e da sociedade actual, falou da vida humana e da sua liquidificação que vão causando uma perda de profundidade e exigem uma mudança. Para isso, será preciso, entre outras coisas, encontrar os outros de uma forma séria, muito para além do simples clique. E sobre este assunto, referiu ainda a “enorme depressão que arrasa o ocidente”, diante da qual é preciso mais que um restauro e não ter receio de uma verdadeira reconfiguração. Porque estamos diante de uma “sociedade pobre em humanidade, apesar de rica, pesada, técnica, metálica”, à imagem da estátua que Nabucodunosor via em sonhos: os pés de barro não sustentaram tamanho ouro, riqueza e coração metálico.

Depois foi a vez do autor tomar a palavra, fazendo eco da mensagem que o livro apresenta. Todos são convidados a olhar o mundo, apesar do mistério que o envolve, da incapacidade para o entender e das múltiplas explicações que não cessam de aparecer. Diante das mudanças observadas, que causam fascínio e temor, há um convite que é dirigido a cada um, no sentido de mudar por dentro, deixando a superficialidade. Para o conseguir, o autor aconselha o homem de hoje a tomar “vitamina E”, ou seja, “vitamina espiritual”.

No fim da apresentação foi ainda anunciado para o próximo verão, o aparecimento de um novo livro, do mesmo autor, sobre a história do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios.

JD, in Voz de Lamego, ano 86/20, n.º 4357, 5 de abril de 2016

CNE – Celebração de partilha da Luz

Entrga da luz (2)

O Santuário de Nossa Senhora dos Remédios transformou-se, por momentos, em centro escutista inter-regional. De facto, na Casa da Mãe dos Escutas, reuniram-se no dia 15/12/2015 pelas 19h, representantes dos Agrupamentos das Regiões de Lamego e Vila Real com as respetivas Juntas Regionais, Assistentes de Agrupamentos, Assistentes Regionais assim como elementos da Fraternidade Nuno Álvares sob a presidência do nosso Bispo, D. António Couto, para acolherem a Luz da Paz de Belém. Foi pela primeira vez que a nossa Região de Lamego participou nesta atividade carregada de emoção e fé.

Desde 1989, a televisão pública Austríaca em conjunto com os Escuteiros e Guias Austríacos elegem uma criança que transportará a Luz desde Belém até ao seu país. Esta criança, escolhida pela inocência e pureza que transmite, desloca-se até à gruta de Belém e recolhe a chama que será transportada até Viena, na Áustria, onde se realiza uma cerimónia de intenso simbolismo na qual a chama é partilhada com delegações de Escuteiros e Guias de vários países.

Foi a esta grandiosa cerimónia que uma delegação portuguesa do Corpo Nacional de Escutas – Escutismo Católico Português – se associou, transportando a luz até ao nosso país no dia 13 de Dezembro de 2015.

Nesse mesmo dia, o Chefe Regional de Lamego, Alexandre Magno, foi buscá-la a Lisboa, transportando-a até à nossa Região de Lamego.

E de candeia em candeia esta chama, acesa em Belém, já percorreu cerca de 6.000km, sem nunca se apagar.

Chegou, finalmente, no dia 15 de dezembro de 2015 ao Santuário da Virgem dos Remédios.

Agora é a nossa vez! É a nossa vez de aquecer os nossos corações com a Luz da Paz de Belém.

Esta luz que é ao mesmo tempo tão frágil e tão poderosa. Frágil porque é apenas uma pequena chama numa vela. Poderosa pelo que representa e transmite ao coração de cada um de nós.

Esta é uma Luz que viaja de mão em mão sem se apagar, que se reforça em cada partilha, que vive a Paz, comunga a Paz, soleniza a Paz, partilha a Paz e transmite a Paz a cada um de nós, porque vem de Jesus Cristo, o Príncipe da Paz.

Assumimos, cada um de nós, o papel de mensageiros da paz através desta chama que vem desde Belém.

Em todas as nossas comunidades onde o CNE está implantado e outras que quiseram partilhar connosco este gesto, foi acesa esta chama que na noite de Natal será colocada na janela das nossas casas para manifestarmos desta forma a união de sentimentos na construção da Paz.

Quando olhamos para o globo terrestre a guerra e o terrorismo parecem alastrar cada vez mais.

Seja o Príncipe da Paz a orientar os Homens na construção deste objetivo durante o ano de 2016.

Artur Mergulhão, Assistente Regional de Lamego,

in Voz de Lamego, ano 86/09, n.º 4344, 5 de janeiro de 2016