Arquivo

Posts Tagged ‘Presbitério’

BODAS DE OURO SACERDOTAIS | Pe. Arnaldo Cardoso

Pentax Digital Camera

À conversa com… Mons. Arnaldo Pinto Cardoso

Este sacerdote, originário da nossa Diocese e ordenado na catedral, em 15 de Agosto de 1964, celebrou no dia 16 de Agosto, em Fátima, as Bodas de Ouro do seu Sacerdócio, e no dia 19 (Missa Nova) na paróquia de Penso com seus familiares e conterrâneos. A trabalhar actualmente no Patriarcado de Lisboa, depois de várias actividades em Lamego e Roma, acedeu a responder a “Voz de Lamego”, que, por sua vez, quis dar a conhecer o seu currículo e missões desempenhadas.

Descreva-nos, em primeiro lugar, o seu longo e rico curriculum vitae, desde o longínquo 15 de Agosto de 1964 até ao momento que vivemos.

Falar de mim próprio é algo de alheio à minha índole ou formação. Por outro lado, fico contente quando alguém reconhece o bem que fui capaz de fazer ou admira a função que alguma vez desempenhei. No caso presente, quase sou tentado a plagiar um colega para sublinhar “a história de Deus comigo”, proclamando as maravilhas de Deus operadas num servo, que, como Maria de Nazaré, não as pode referir senão a Deus omnipotente e misericordioso. Com esses sentimentos e para enriquecer a celebração, elaborei, com ajudas, um diaporama com o título “Etapas de uma vida sacerdotal”.

Desde a paróquia no Douro até Roma, onde, primeiro, continuei os estudos, e depois fui conselheiro eclesiástico; desde Lamego, onde leccionei Sagrada Escritura, até Freiburg (Alemanha), onde preparei a tese de doutoramento; desde Lisboa, onde leccionei na UCP e contribui para o serviço de Pastoral da CEP, até à situação actual de aposentação e de Postulador ainda em funções, foi minha preocupação levar sempre muito a sério as minhas funções. Naturalmente, tal atitude trouxe alegrias e também dissabores. Hoje, a minha convicção de servir sempre e bem o Senhor é mais firme e o desejo de sonhar é muito mais amadurecido do que quando o entusiasmo me fazia correr…

 A experiência do Douro marcou, certamente, a sua vida pessoal e sacerdotal. Pode dizer-nos alguma coisa dessa experiência?

Os três anos de acção paroquial no Douro foram marcantes sob muitos aspectos, inclusivamente contribuíram para uma maturidade maior do que a daqueles colegas que não tinham tido trabalho pastoral, antes de irem estudar para Roma, como pude constatar. Desses anos, ficaram as memórias de grandes caminhadas, de grandes calores, de algumas amizades e de muitas dificuldades na obra da evangelização numa paróquia espalhada por três povoações numa zona muito acidentada, onde o rei das culturas era o vinho. Em nome da verdade, devo confessar que sempre contei com a ajuda dos meus pais e com a amizade dos colegas e com a solidariedade dos paroquianos. Certamente, senti-me incumbido de uma nobre missão, para cuja realização não bastou a recomendação de “comprar um cavalo”! No último ano, para a preparação da visita pastoral do bispo D. Américo Henriques, foi possível levar a efeito uma missão simultânea nos três lugares da paróquia de Vale de Figueira. Despedi-me com o coração entalado pela saudade e a consciência do dever cumprido.

Ler mais…

Jornadas de Formação do Clero de Lamego

Imagem1. Nos próximos dias 27 e 28 de Fevereiro decorrerão, no Seminário Maior, as jornadas de formação para o clero, programadas no plano pastoral diocesano.

Este é um tempo oportuno para a sempre necessária actualização teológica dos sacerdotes da diocese e, ao mesmo tempo, espaço privilegiado de aprofundamento da comunhão do Presbitério. A escolha do Seminário, como espaço para o evento, resulta do facto de este ser a Casa Sacerdotal por excelência; ele foi espaço de discernimento vocacional, de formação teológica, escola de comunhão e é sempre ponto de referência preciso e sereno para todos os sacerdotes que facilita o colóquio e o diálogo com o bispo e com os colegas sacerdotes, a oração em comum, em particular a Liturgia das Horas, bem como a troca de experiências, o encorajamento reciproco, o florescer e a solidificação das relações de amizade.

Daí a insistência em virmos com tempo para escutarmos e para nos escutarmos, para as conferências e para as orações, para o trabalho e para o repouso nesta casa berço e mãe do nosso enamoramento vocacional.

2. O tema das jornadas será: “Liturgia: a arte de dizer Deus” e tal como as demais iniciativas, já realizadas e a realizar, tem como referência o tema deste ano pastoral: “Ide e fazei discípulos”. O Directório para o Ministério e a Vida dos Presbíteros, da Congregação para o Clero, aconselha: “para uma adequada formação pastoral, é necessário realizar encontros que tenham como objectivo principal a reflexão pastoral da diocese” (nº98) e mais à frente, o mesmo documento, no mesmo número, acrescenta: “ a formação prática no campo da Liturgia  também tem uma importância especial. Dever-se-ia reservar particular atenção para se aprender a celebrar bem a Santa Missa – a ars celebrandi  é uma condição sine qua non da actuosa partecipatio dos fiéis”.

Ler mais…

Presbitério de Lamego realiza Retiro Anual

In Voz de Lamego, 21.01.2014

A Casa de Retiros de S. José acolheu cerca de três dezenas de sacerdotes, incluindo o diácono José Soares, para a vivência do seu habitual e anual retiro espiritual. Acompanhou e orientou o grupo o bispo auxiliar de Braga, D. António Moiteiro, oriundo da diocese da Guarda, conhecido de muitos sacerdotes presentes e, ele próprio, conhecedor da nossa realidade humana e pastoral.

O retiro teve início com o jantar de quarta-feira, dia 15 de fevereiro e concluiu-se após o almo de sábado, dia 18. No primeiro dia, e dando o mote ao encontro, o pregador convidou todos a viverem os dias seguintes em ambiente de silêncio e oração, acompanhados pela leitura integral do evangelista do ano em curso, S. Mateus. Apoiado num escrito do recentemente falecido cardeal Martini, D. António Moiteiro definiu o percurso e delineou etapas, convidando à consciencialização e meditação de todos sobre o que é ser discípulo e seguir o Mestre, mas também sobre a forma como cada um acompanha o Povo de Deus e nele vive a missão de Pastor. Porque o padre é “ícone de Deus para o povo que lhe é confiado” e ser pastor à imagem de Cristo é, citando o Papa actual, ter capacidade e disponibilidade para ir à frente e abrir caminho, ir ao lado e acompanhar, ir atrás e ajudar quem tem ritmos diferentes.

Sempre com o evangelho de Jesus Cristo segundo S. Mateus como fonte, olhámos para Pedro como quem se olha ao espelho e reflectimos sobre o muito que se espera de cada um e o esforço a ser feito para que isso se torne realidade. Também Pedro se esforçou e conseguiu, apesar de não se ter livrado de algumas falhas.

No encontro inicial e após o jantar do segundo dia, o conferencista apresentou-nos uma leitura pessoal feita à recente Exortação pós-sinodal “A alegria do Evangelho”. Um texto onde ressalta o convite a um novo ardor missionário, sobretudo o ardor do missionário, do anunciador. E neste particular, o contínuo convite à vivência e testemunho da alegria. Neste particular, D. António Moiteiro convidou a revisitar dois documentos do Papa Paulo VI que, segundo ele, continuam a influenciar o Papa Francisco: “Gaudete in Dominum” e Evangelii Nuntiandi”.

Na Eucaristia de sábado, último dia, recordámos e rezámos em particular pelos sacerdotes falecidos no último ano e também pelos pais dos sacerdotes que partiram para o pai nesse período.

Notícias do Presbitério de Lamego

In Voz de Lamego, 21.01.2014

O nosso bispo, Sr. D. António Couto, continua a sua recuperação na Casa de Saúde da Boavista, Porto, após a recente intervenção cirúrgica, prevista há já algum tempo.

O bispo emérito de Bragança-Miranda, nosso conterrâneo, D. António Rafael, continua a sua fisioterapia no hospital da Prelada, Porto, e evidencia ainda alguma dificuldade de movimentos, resultado do AVC que sofreu há meses.

O Padre Lucas Pedrinho sacerdote jubilado e a residir nos últimos anos em Lamego, reside agora no Lar da Santa Casa da misericórdia de Moimenta da Beira, que ajudou a fundar e à frente da qual esteve muitos anos como Provedor.

O Padre Rui Morais Botelho, sacerdote jubilado e a residir em casa da família, em Alvarenga, sofreu um enfarte do miocárdio e encontra-se hospitalizado no Porto.

O Padre Armindo Rocha, residente em Tarouquela, Cinfães, viu piorar-se o seu estado de saúde, ela que já era tão frágil e incapacitante.

O Padre Manuel Moura, pároco de Piães, Cinfães, ainda não recuperou totalmente de uma intervenção cirúrgica a que foi submetido recentemente, realizada na Clínica da Boavista, Porto, e continua a realizar exames médicos.

O Padre Diamantino Duarte, pároco de Ferreirim, Freixinho, Fonte Arcada e Macieira, na zona pastoral de Sernancelhe, continua a recuperar de uma intervenção cirúrgica a que foi submetido recentemente.

Para eles, e para todos os doentes, votos de rápida recuperação.