Arquivo

Posts Tagged ‘Pe. Vasco Pedrinho’

ORDENAÇÕES PRESBITERAIS

_MG_7336

A Igreja Diocesana de Lamego está em festa e dá graças ao Senhor pela alegria de ver chegar ao ministério sacerdotal dois dos seus membros que um dia escutaram a voz do Bom Pastor que os chamou e agora envia para a Sua messe, como sacerdotes.

No passado dia 5 de Julho, Domingo, na nossa Sé Catedral, D. António Couto ordenou presbíteros, o Diácono Fabrício António Pinheiro Correia, natural da Paróquia do Santíssimo Salvador de Penajóia, Lamego. Fez o seu estágio pastoral, durante o último ano, no Seminário Menor de Nossa Senhora de Lourdes, Resende; e o Diácono Valentim Manuel Moreira Fonseca, natural da Paróquia de Nossa Senhora das Candeias de Ferreiros de Avões, Lamego. No último ano realizou o seu estágio pastoral nas paróquias de Nossa Senhora do Pranto de Vila Nova de Foz Côa, Santo Amaro e São Pedro de Mós do Douro, da Zona Pastoral de Vila Nova de Foz Côa.

Pelo dom do Espírito Santo recebido na sagrada ordenação, os presbíteros tornam-se indispensáveis cooperadores e conselheiros do Bispo, no ministério e múnus de ensinar, santificar e apascentar o Povo de Deus, a partir do mesmo e único sacerdócio e ministério de Cristo (Cf. PO 7).

Às comunidades de origem destes neosacerdotes, particularmente às suas famílias, párocos e catequistas, bem como às comunidades onde estiveram a trabalhar em tempo de estágio pastoral, fica aqui uma palavra de verdadeira amizade e gratidão, como também se pede que continuem a rezar para que mais e santas vocações sacerdotais e vocações de especial consagração, surjam  na nossa Diocese de Lamego.

Ao Padre Fabrício e ao Padre Valentim manisfestamos o desejo sincero de os ver felizes no exercício humilde, generoso e diligente da sua missão sacerdotal e rogamos a Deus e a Nossa Senhora que os acompanhem na nova etapa da suas vidas que agora se inicia.

Pe. Vasco Pedrinho, in Voz de Lamego, n.º 4320, ano 85/34, de 7 de julho de 2015

Movimento da Mensagem de Fátima | RETIRO DIOCESANO

7U0A0094

O  MMF da Diocese de Lamego, vai realizar o seu Retiro Diocesano no dia 11 de julho, no Seminário Maior de Lamego.

Todos os mensageiros estão convidados, no entanto o convite é extensivo a todos aqueles que queiram fazer uma pausa no seu dia a dia e viver momentos de silêncio, oração, reflexão e reconciliação com Deus, consigo próprio e com os irmãos. O tema escolhido é “Santificados em Cristo, confiamos na Sua misericórdia” e será orientador o Senhor Padre Vasco Pedrinho, Assistente do Movimento.

O retiro acontece num tempo em que os dias são mais longos e para que não fiquem mais de um dia fora de vossas casas, vamos fazer um programa para um só dia, esperando que todos possam estar presentes. Aos mensageiros pedimos que façam um esforço por convidar um familiar, um amigo ou vizinho. Não se esqueçam de convidar os jovens, alguns deles já estão de férias e será um dia diferente nas suas vidas.

PROGRAMA DO RETIRO:

08:30 – Chegada e acolhimento

09:00 – Oração da manhã

09:30 – Reflexão

10:30 – Intervalo

11:00 – Reflexão partilhada (em grupos)

12:30 – Almoço

14:00 – Terço

15:00 – Reflexão

16:00 – Merenda

16:30 – Confissões

17:30 – EUCARISTIA

18:00 – Adoração ao Santíssimo

18:30 – Regresso a casa

O Secretariado Diocesano, in Voz de Lamego, n.º 4320, ano 85/34, de 7 de julho de 2015

Encontro de Ministros Extraordinários da Comunhão, em Resende

11391535_1027643930596686_5644914281485517027_n

No passado sábado, dia 6 de junho, teve lugar no Seminário de Nossa Senhora de Lourdes – Resende o XI Encontro de Formação para Ministros Extraordinários da Comunhão e Leitores. O encontro contou com um número de 114 participantes de diversas paróquias da diocese.

Depois do acolhimento foram expostas duas reflexões, no sentido de ir ao encontro do lema da Diocese (“Ide e construí com mais Amor a Família de Deus”)  para este ano Pastoral, centradas sobre o tema da Família: “Falar da Família hoje” e “Família: Comunidade de Amor”, expostas por Monsenhor José Fernando Bouça Pires e pelo Pe. Vasco Pedrinho, respetivamente.

A família que realiza a sua missão é capaz de realizar uma sociedade muito mais feliz. Para tal tem de haver uma abertura a Deus no seio de cada família no sentido de melhor se construir uma comunidade de Amor. Certo é que, aquilo que dá força à família no cumprimento da sua missão é o Amor, pois sem este Amor a família não é, verdadeiramente família, como referia o Rev. Pe. Vasco, pois ninguém é feliz se não amar e se não for amado.

Depois da refeição e de um simples e singelo convívio celebramos a Eucaristia, presidida pelo nosso bispo, D. António Couto, celebrando a Eucaristia Vespertina da Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Jesus, o senhor bispo, referia que “o ministro da comunhão tem de se comprometer com O Cristo que transporta consigo. Não basta saber isto… saber é nada. Mas é importante implicarmo-nos naquilo que estamos a fazer, naquilo que estamos a viver”. O Senhor bispo continuava afirmando: “quando levais o Senhor até às pessoas doentes e até aos mais fracos da vossa comunidade, vós transportais o lume que nos queima e nos alimenta” e ainda “a vossa tarefa é extraordinária e excecional, é uma missão belíssima. Importa pois implicar a nossa vida nesta missão, implicar o corpo na totalidade desta missão que a todos nós é confiada”.

Gostaria de terminar este breve apanhado com uma bonita oração escrita pelo Monsenhor Bouça Pires, no ano de 1995, ano dedicado à família: “Pai santo, nós vos louvamos, pois à Vossa semelhança nos criastes em família. Vós nos enviastes o Vosso Filho Jesus Cristo que nos deu a conhecer o Vosso eterno amor e nos abriu as portas da vida. Ele nos enviou o Espírito Santo que continua a assistir a Vossa Igreja. Pela intercessão de Maria Vos pedimos que abençoeis as nossas famílias, as livreis de todos os perigos, as guardeis na unidade e na paz. Guardai também os esposos na fidelidade e protegei e abençoai os seus filhos. Amparai todas as famílias em dificuldade, dando-lhes pão, saúde e alegria. Defendei de todos os perigos os lares cristãos e ajudai-os nas suas tarefas de educadores. Fazei-nos sentir que somos todos chamados à santidade de vida e a sermos testemunhas do Vosso amor ao mundo. Sagrada Família de Nazaré, protegei, guardai e defendei a nossa família e todas as famílias do mundo. Ámen”.

Diác. Fabrício Pinheiro, in Voz de Lamego, n.º 4317, ano 85/30, de 9 de junho de 2015

ENCONTRO DO PRÉ-SEMINÁRIO

Pré-seminario

Realizou-se, no último fim-de-semana, 9 e 10 de Maio, o terceiro encontro anual do Pré-Seminário, no Seminário Maior de Lamego, destinado aos jovens que frequentam ou tenham concluído os 11º ou 12º anos de escolaridade e que procuram descobrir a sua possível vocação sacerdotal. O encontro é uma oportunidade para estes jovens tomarem contacto com o Seminário Maior e sua realidade no dia-a-dia, a Equipa Formadora e os seminaristas de Teologia.

Com o tema: “Seguir Jesus – Caminho de beleza, vocação e santidade”, o encontro iniciou-se no Sábado pelas 10h00 e terminou pelas 15h00 do Domingo, tendo o tempo sido preenchido por várias atividades.

Sob orientação do Pe. Vasco Pedrinho e com a colaboração dos seminaristas João Pereira, do 1º ano de Teologia, e Diogo Martinho, do 3.º ano de Teologia, os três seminaristas menores, Ilídio e Igor, do 11º ano e do Rui, do 12º ano, tiveram oportunidade de visualizar vários testemunhos vocacionais, em pequenos vídeos; realizar um pedipaper (segundo o modelo escutista) na mata do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, sobre a vocação e a santidade; falar e interagir com os seminaristas maiores, rezar e refletir.

Tendo sempre presente o chamamento que Jesus faz a cada um de nós para as diferentes vocações, o pedipaper que uniu os dois livros da sabedoria de S. Francisco de Assis, a Sagrada Escritura e a Natureza, procurou levar os “pré-seminaristas maiores” a refletir sobre o sentido da vida, a necessidade de mulheres e homens santos, os atos que contribuíram para o bem da humanidade, empreendidos por tantos santos da Igreja, e o chamamento ao serviço e amor sacerdotal.

Tendo sempre presente Mt 9, 37: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos”, fica aqui o desafio a todos os jovens: que se deixem tocar nos seus corações, por Jesus. Procurem sempre viver o melhor possível segundo o que Jesus nos ensina nos Santos Evangelhos! E se sentirem o desejo de O seguir mais de perto, porque não ser feliz numa vocação religiosa ou sacerdotal? Porque não visitar e conhecer o Seminário ou uma congregação religiosa para tentar descobrir se têm algo a ver com eles mesmos?

Aos párocos, às famílias, aos catequistas e aos professores de EMRC  é feito um pedido: coloquem às crianças estas questões: “Já pensaram seguir Jesus, sendo Padres ou religiosos(as)? Gostavam de conhecer uma congregação religiosa ou o Seminário?” Não se esqueçam nunca que as vocações religiosas nascem do seio das famílias, mas crescem com a ajuda dos catequistas e dos párocos… Deem o vosso contributo, lancem o desafio!

Ao Senhor peçamos sempre nas nossas orações que envie trabalhadores para a sua messe, que conduza por bons caminhos os seus seminaristas e dê à Sua Igreja muitas e santas vocações.

João Miguel Pereira, Seminarista do 1º ano de Teologia,

in Voz de Lamego, n.º 4313, ano 85/26, de 12 de maio de 2015

Movimento da Mensagem de Fátima | Encontro de Reparadores

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Encontro com um Grupo de Mensageiros Reparadores

No passado sábado, dia 25 de abril, da parte da manhã no Seminário Maior de Lamego, o Movimento da Mensagem de Fátima realizou mais um Encontro de Mensageiros Reparadores.

Participaram alguns Mensageiros que, tal como muitos outros, se esforçam diariamente por responder ao apelo do Anjo e de Nossa Senhora, durante as aparições aos Pastorinhos, para que se faça reparação pelos pecados com que Deus é ofendido.

A reparação é um conceito presente na Mensagem de Fátima, um sentido de responsabilidade coletiva pelo pecado e que inspira a vida destes Mensageiros reparadores num esforço permanente de conversão, devoção dos cinco primeiros sábados, oração diária do rosário, interseção pelos pecadores, de penitência, de sacrifício e do viver em graça na amizade com Deus.

A Reparação à luz da Mensagem de Fátima, foi o tema explorado pela D. Teodolina Silvestre. A formação espiritual e o são convívio entre Mensageiros são sempre e, também, um bom motivo para estes encontros.

O Assistente diocesano, senhor Padre Vasco Pedrinho, lembrou que a Reparação vem totalmente ao encontro da mensagem do Evangelho – viver o Evangelho e transmiti-lo aos outros deve ser um desafio para todos. E, terminou citando o Papa Francisco em “Evangelii Gaudium”, no ponto 264: O encontro pessoal com o amor de Jesus que nos salva: “Se não sentimos o desejo intenso de comunicar Jesus, precisamos de nos deter em oração para Lhe pedir que nos volte a cativar”.

O Secretariado Diocesano, in Voz de Lamego, n.º 4311, ano 85/24, de 28 de abril de 2015

MOMENTOS | > Seminário Menor de Resende

SMR-24 horas de oração 003 (2)

Nos passados dias 13 para 14 de março o Seminário Menor de Resende viveu um momento de especial intimidade com o Senhor: “24 horas de oração”. Um tempo vivido com intensidade, colocando diante do Senhor todas a Vocações. Facto é que o encontro pessoal com Deus leva-nos a sair do caminho que vamos traçando para a nossa vida. O homem tem de ter consciência que a sua vida tem um rumo, um caminho no qual caminha e que lhe serve para o conduzir à felicidade. Deus chama pelo nome de cada um. Compete-nos a nós dar-Lhe uma resposta a esse chamamento. Deus apenas nos pede que confiemos n’Ele, que não tenhamos medo d’Ele porque Ele nunca nos abandona. Neste mesmo sentido estas 24 horas foram partilhadas entre toda a comunidade do Seminário Menor (Formadores, Funcionários e Seminaristas) cada um tempo um momento particular junto de Deus.

No dia 15, mais uma vez, o Seminário Menor (nas pessoas dos seminaristas e formadores) e o Seminário Maior (na pessoa do Rev. Pe Vasco Pedrinho que é, também, responsável do Departamento diocesano das Vocações), foram ao encontro das comunidades. Desta vez em terras de Lalim e Cepões, numa ação de promoção vocacional, paróquias confiadas ao pastoreio do Rev. Pe. Agostinho Ramalho. No final das celebrações e do convívio com os mais pequeninos fomos almoçar no Centro paroquial de Lalim.

Findo o almoço percorremos a estrada até terras de Penajóia, comunidade confiada ao cuidado do Rev. Pe. José Fernando, onde participamos da Adoração Eucarística, como preparação da Visita Pastoral do nosso Bispo a decorrer de 17 a 22 deste mês, animando-a com o canto das Vésperas. No final da Adoração tivemos um pequeno momento de confraternização oferecido pelo pároco.

Foram três dias bastante cheios de atividade. Mas mais do que isso foram dias especiais pelo facto de nos ajudarem a crescer no amor ao serviço dos outros.

A todos quantos nos acolheram nestes dias o nosso bem-haja. Fica a promessa da nossa oração por todos. Todos somos a Família diocesana, somos a Família de Deus.

Diác. Fabrício Pinheiro e Sérgio Carvalho, SMR,

in Voz de Lamego, n.º 4305, ano 85/18, de 17 de março de 2015

3.ª Conferência Quaresmal de D. António: Vai, a tua fé te salvou!

IMG_2621

Trilhar com ousadia o caminho de Jesus

Vai, a tua fé te salvou!

No final da sua visita pastoral às paróquias da cidade de Lamego, D. António Couto, apresentou mais um tema nas suas “Catequeses Quaresmais”. Fez uma breve retrospectiva da sua visita às duas paróquias da cidade e entrelaçou-a com alguns temas apresentados nas anteriores catequeses.

O cego de Jericó

O episódio oferecido na reflexão deste dia  é retirado de Mc 10, 46-52. Jesus vai a sair da cidade de Jericó e encontra um cego (Bartimeu) à beira do caminho que lhe suplica: Jesus, Filho de David, “faz-me graça”, “faz de mim um homem novo”, “recria-me, “embala-me nos teus braços maternais”… Chamai-o… Ele chama-te. E ele, atirando fora a capa, deu um salto e veio ter com Jesus… Que queres que eu te faça? Mestre que eu veja! vai, a tua fé te salvou! E ele recuperou a vista e seguiu Jesus pelo caminho. Jesus passa pelas pessoas e pára junto delas, dá-lhes atenção! Não passa à frente, com indiferença! E neste episódio Ele fica ao nível do cego, que estava à beira do caminho que seguia para Jerusalém. O gesto de acolhimento de Jesus e o convite para que o cego venha até Ele, provoca uma reação de total drespendimento e de liberdade ao ponto de deixar para trás a capa ou o “manto” que tinha para se envolver e depositar as moedas que lhe davam. Nada disso mais interessa. O que importa é aproximar-se de Jesus e fá-lo de modo radical, “tudo o que carrega” fica esquecido, não faz falta.

Jesus permite e quer que o cego diga o que quer, tal como “quer que nos digamos a nós”, “o que nos vai na alma e no coração”.

Os bons lugares

Aqui D. António estabelece um paralelismo e compara a “atitude radical”, decidida, corajosa, confiada, desprendida, do cego Bartimeu, no seguimento de Jesus, associando-lhe idêntica atitude de algumas pessoas que surgem no mesmo Evangelho de Marcos: a oferta da viúva pobre que deu tudo o que possuía, “deu a sua vida toda”, Mc 12, 41-44; e a mulher que vai ter com Jesus e derrama em sua cabeça todo o seu caro perfume que tinha, o frasco ficou partido, nada sobrou ou pode aproveitar-se, mas foi todo derramado na cabeça de Jesus Mc 14, 3-9; numa atitude bem diferente e contrastante estão outras personagens, algumas delas muito relevantes quanto à proximidade a Jesus, como é o caso dos Filhos de Zebedeu (Tiago e João), que querem um lugar bom, importante, “de quem está sentado”; a ambição dos melhores lugares, dos lugares principais. “Os outros dez começaram a indignar-se”… por inveja, porque também eles querem o mesmo, os lugares importantes! O mesmo pensava e ambicionava Pedro, esperando recompensa por terem deixado tudo para O seguir, mas com interesses, com cálculos… Bem diferente é a atitude do cego!

Neste grupo de “calculistas”, dos que não arriscam tudo para seguir Jesus, encontramos o “homem rico” que, não obstante cumprir os mandamentos, tem o seu coração preso ao dinheiro e às riquezas… (tal como os negociantes do Templo) e preferiu não seguir Jesus pelo caminho! Podemos ainda incluir neste “clube de meias medidas” a figueira que só tinha folhas, que não dá fruto, pois não era tempo de  figos. Jesus secou-a completamente para nos dizer que “a nossa fé não pode ser de épocas ou de estações”, e que a nossa vida deve ser, toda ela, tempo de fé com frutos.

Com o coração aberto

Hoje somos nós convidados a trilhar com ousadia o caminho de Jesus, sem medo. Para seguir verdadeiramente Jesus não há outra ou outras atitudes que não seja esta a do CEGO DE JERICÓ, da MULHER QUE UNGIU JESUS em Betânia e da VIÚVA POBRE. Todos os outros personagens permanecem à beira do caminho parados e fixados apenas na busca desmedida da satisfação das suas “paixões, ambições e instintos” que não deixam ser homens novos e livres; não sejamos cegos pelo ciúme e pela inveja, sacrificando todo bem que poderíamos ter e dar à ambição do dinheiro e ao poder, ao prestígio, aos “bons lugares”. Também nós podemos cair neste erro e tentação… esforcemo-nos por “atirar fora tudo o que pesa”, aquilo que não nos deixa avançar pelo caminho com Jesus, de forma “corajosa”, “destemida”, “decidida”, “descarada” e “desavergonhada”… não aconteça que, embora vendo, sejamos nós os cegos, que não vêem os outros “com o coração aberto”, livre, generoso  e disponível para ouvir o desafio e convite de Jesus que me diz mim e que te diz a ti: VAI! IDE!

Pe. Vasco Pedrinho, in Voz de Lamego, n.º 4304, ano 85/17, de 10 de março de 2015

Movimento da Mensagem de Fátima | Encontro de Formação

OLYMPUS DIGITAL CAMERADecorreu na Casa de S. José, em Lamego, no passado dia 17 de Janeiro, mais um Encontro de Formação para responsáveis dos três campos da Pastoral do Movimento da Mensagem de Fátima.

Apesar do frio que se fez sentir, estiveram presentes um bom número de Mensageiros da Diocese. Alguns porém, não puderam comparecer como desejavam, devido à neve.

A Mensagem de Fátima que, no seu conteúdo fundamental, é um chamamento do próprio Evangelho, convida-nos à conversão. É através dos três campos de ação do Movimento – oração, doentes e peregrinações – que nos dispomos, com muito amor, a levá-la aos “outros”. A formação permanente dos Mensageiros é uma preocupação constante do Movimento.

A oração, o Retiro dos Doentes e Deficientes Físicos em Fátima e as peregrinações foram os temas desta formação, sob a orientação dos responsáveis do Secretariado Diocesano de Lamego.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Assistente Diocesano, Padre Vasco Pedrinho, abordou o tema da oração, visando três pontos essenciais: Porque rezamos? Como rezamos? Para que rezamos? Rezar, numa atitude de entrega total a Deus, tendo como exemplo o “Fiat” de Nossa Senhora e a oração de Jesus no Horto das Oliveiras “Faça-se a Tua vontade e não a minha”. A importância da “oração” na nossa vida, na vida das famílias, na Igreja. Só reza quem tem fé. A nossa oração deve estar em conformidade com a nossa vida, e a vida com a oração  e  com o modo como nos relacionamos com os outros. “Bendito seja Deus que não rejeitou a minha oração” – Salmo 66.

O Retiro dos Doentes em Fátima foi também abordado duma forma especial, acentuando que, quando aceitamos o sofrimento com o olhar da fé, podemos transformá-lo num dom. É Nossa Senhora, que em Fátima, pede aos Pastorinhos que ofereçam o seu sofrimento para desagravar as ofensas cometidas contra Deus e reparar o seu Imaculado Coração.

Também as Peregrinações podem ser um meio para a nossa santificação. Quem peregrina com o sentido da fé deve comprometer-se a uma mudança de vida.

O encontro terminou com o almoço. Cada um dos presentes partiu para a sua paróquia mais enriquecido e, com o propósito de ser um verdadeiro Mensageiro.

Que Nossa Senhora e os Pastorinhos nos ajudem nesta caminhada de fé e de amor.

O Secretariado, in VOZ DE LAMEGO, n.º 4298, ano 85/11, de 20 de janeiro de 2015

MOVIMENTO DA MENSAGEM DE FÁTIMA VISITA PARÓQUIAS

_MG_4371

O MMF, de acordo com o seu Plano Pastoral para o ano de 2014-2015, deu início às visitas de trabalho às paróquias.

No dia 21 de Dezembro, alguns elementos do Secretariado, juntamente com o seu assistente, Padre Vasco Pedrinho, reuniram-se em Mondim da Beira com um grupo de Mensageiros.

Em 28 de dezembro, houve um outro encontro com os Mensageiros das paróquias de Mesio, Lamelas, Cujó  e Monteiras. Apesar de uma tarde bastante fria, foi possível a presença de  um bom grupo de mensageiros, a quem agradecemos e, muito especialmente, aos seus párocos. Em ambos os encontros foi feita uma apresentação, em que se deu realce à importância que os últimos Papas e a Conferência Episcopal Portuguesa, deram à Mensagem de Fátima, a qual “contém uma verdade e um chamamento que, no seu conteúdo fundamental, são a verdade e o chamamento do próprio do Evangelho”, Papa João Paulo II a 12 de Maio de 1982.

Foi apresentado um resumo histórico do Movimento desde 1926 até aos nossos dias. Falou-se da importância da formação dos Mensageiros e do seu trabalho nas suas paróquias, nos três campos de pastoral: Oração, Doentes, Deficientes Físicos e Peregrinações.

Refletiu-se sobre a dinâmica que o Movimento deve ter nas paróquias, através da formação de grupos de ação/reflexão paroquial.  Estes grupos devem reunir todos os Mensageiros, pelo menos uma vez por mês, estudando o Boletim e comprometendo-se a cumprir a Mensagem: Oração, Conversão e Reparação, pedida por Nossa Senhora em Fátima, aos Pastorinhos.

Por último, fez-se alusão ao significado do tema anual do Santuário de Fátima, “Santificados em Cristo”, retirado da 4.ª Aparição.

Outros encontros estão previstos para este ano.

O Secretariado, in VOZ DE LAMEGO, n.º 4296, ano 85/09, de 13 de janeiro de 2015

ENCONTRO DO PRÉ-SEMINÁRIO

foto pré-seminário 2014

No fim de semana de 22 e 23 de Novembro decorreu o primeiro encontro do Pré-Seminário deste ano lectivo, para os jovens do 11º e 12º anos de escolaridade. Este encontro teve lugar no Seminário Maior de Lamego e nele participaram, o Ilídio, natural da paróquia de Pendilhe, Vila Nova de Paiva e o Rui, da Paróquia de Vila Nova Souto d’ El Rei, Lamego, que frequentam o Seminário Menor de Resende. Estavam inscritos mais dois jovens que, por determinadas razões, não puderam estar presentes.

O encontro começou no Sábado dia 22, com um tempo de reflexão, formação, partilha e testemunhos. Uma visita à igreja mais antiga da Diocese e das mais antigas da Península Ibérica, a “Igreja de S. Pedro do Balsemão”, que está muito relacionada com os primórdios da fundação da nossa Diocese. Neste lugar lemos e meditámos alguns textos do Evangelho que descrevem e apresentam o “sepulcro vazio”, a certeza da Ressurreição de Senhor, do anúncio do Evangelho até aos confins do mundo e da propagação da fé cristã. A seguir falou-se, em grupo e individualmente, sobre o questionamento e o discernimento vocacional. À noite houve tempo para o visionamento de um pequeno filme sobre a dignidade e a importância do sacerdócio ministerial desde os tempos dos Apóstolos, tendo como lema o convite de Jesus: “Vem e segue-Me”. Ao longo deste dia também houve oportunidade para o convívio com alguns seminaristas do Seminário Maior.

No Domingo, dia 23, reflectiu-se sobre a missão de cada baptizado (chamado) e dos diferentes ministérios ou serviços no âmbito da acção e missão da Igreja no mundo; a reflexão sobre este tema prolongou-se pela tarde, em que na Sé Catedral se celebrou a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo, o Dia da Igreja Catedral, no decorrer da qual D. António Couto ordenou dois diáconos: o Fabrício e o Valentim. O próximo encontro de Pré-Seminário está marcado para o início do mês de Março. Para esse encontro apelamos, sobretudo, aos párocos que nos indiquem alguns jovens das suas paróquias, que possivelmente e livremente queiram fazer esta experiência de encontro de Pré-Seminário, conhecer o Seminário e possam vir a acolher a vocação ao sacerdócio.

 

Pe. Vasco Oliveira Pedrinho

Diretor do Departamento Diocesano da Pastoral Vocacional

in VOZ DE LAMEGO, n.º 4291, ano 84/53, de 2 de dezembro de 2014