Arquivo

Posts Tagged ‘Pe. Miguel Peixoto’

Jovens de Resende | Encontro de Formação

resende-jovens

Proclama e Vive a Palavra que Deus nos dá

No passado dia 3 de dezembro, decorreu durante toda a manhã, no Seminário Menor de Resende, um encontro de jovens da Zona Pastoral de Resende com o objetivo de Proclamar e Viver a Palavra que Deus nos dá.

O senhor padre Miguel Peixoto, o seminarista Diogo Martinho, o senhor padre António Jorge Giroto, a catequista Eliana Loureiro e o senhor padre Manuel Gonçalves presentearam-nos durante toda a manhã com momentos de oração, de convívio e de reflexão.

Falaram-nos sobre a linguagem simbólica da Bíblia, dos livros da Sagrada Escritura e da forma como estão organizados. Foi apresentado um PowerPoint sobre a relação dos jovens com a religião e com Deus, e como as suas qualidades e defeitos interferem nisso. Refletimos sobre o significado do espírito natalício e das coisas verdadeiramente importantes nesta época. Falaram-nos do papel do discípulo missionário e refletimos também sobre o que é ser cristão, como seguir Jesus e o modo como O negámos nas atitudes do dia a dia. As apresentações foram intercaladas com pequenos vídeos sobre os diferentes assuntos. Foi um tempo em que rezamos, cantamos, refletimos e demos algumas gargalhadas.

Encerrou-se o encontro com um almoço convívio.

Foi uma manhã bem passada envolvida num espírito de oração, de paz, de alegria e de companheirismo.

Alexandra Sequeira

Resende

in Voz de Lamego, ano 87/05, n.º 4390, 6 de dezembro de 2016

IV Feira Medieval no Externato D. Afonso Henriques – Resende

Foto1 Feira Medieval Externato - Resende

No passado dia 15 de abril, o Externato D. Afonso Henriques, em Resende, voltou, pelo quarto ano consecutivo, num notável crescendo de dimensão, a entrar na máquina do tempo que nos levou até à idade média para a IV Feira Medieval da nossa escola.

Muitos foram os alunos, funcionários e professores que tiveram uma semana atarefada para que fosse possível realizar esta feira, quer contribuindo para a organização, quer preparando atividades para apresentar ao longo deste dia.

O mau tempo não foi obstáculo à realização da feira que, por isso, se realizou no interior do pavilhão desportivo do Externato, que nesse dia se transformou numa verdadeira praça da época medieval recriada através das barracas com artigos, instrumentos, produtos, jogos tradicionais da altura e dos alunos vestidos a rigor.

Tudo começou com o típico desfile no qual se junta toda a gente com os seus disfarces medievais, desfile que abre a feira ano após ano, sendo a primeira de muitas atividades que acontecem neste dia, entre danças, teatros, demonstrações e até mesmo refeições medievais, fazendo tudo remontar àquela época. Tudo isto decorre durante todo o dia, prolongando-se pela noite dentro com um sarau onde a comunidade envolvente pôde também participar.

E assim se passou mais um dia em que o Externato, pela quarta vez, recuou no tempo até à época medieval.

Pe Miguel Peixoto, in Voz de Lamego, ano 86/22, n.º 4359, 19 de abril de 2016

Zona Pastoral de Resende: Viver a Misericórdia

resende2

O Papa Francisco na Bula de Proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia afirma no ponto três que “há momentos em que somos chamados a fixar o olhar na misericórdia, para nos tornarmos nós mesmos sinal eficaz do agir do Pai”. Assim, procurando concretizar estas palavras do Santo Padre as comunidades da Zona Arciprestal de Resende reuniram-se, no passado domingo, dia três de janeiro, na Igreja Jubilar da Imaculada Conceição – Resende para a celebração “Viver a Misericórdia”.

Esta celebração enquadra-se nas iniciativas que os fiéis da Zona Arciprestal de Resende vão procurar desenvolver com o intuito de aprofundarem o sentido da misericórdia e de a descobrir enquanto “caminho de vida” e “caminho de encontro que une Deus e o homem”.

De modo a lucrar da indulgência plenária a celebração contou com diferentes momentos: peregrinação, sacramento da Reconciliação e Sacramento da Eucaristia.

Estava definido que pelas catorze horas dois grupos de fiéis saíssem em peregrinação tendo como meta a Igreja da Imaculada Conceição. Contudo, visto as condições meteorológicas não o permitirem esses dois grupos de peregrinos dirigiram-se diretamente para a Igreja Jubilar. No entanto, um outro grupo, da paróquia de São Martinho de Mouros superou a dificuldade da precipitação e ao longo de quase duas horas caminharam em verdadeira peregrinação.

Com o sacramento da Reconciliação todos podemos sentir a libertação operada por Deus na pessoa de Jesus Cristo revelando a Sua faceta mais tocante: Deus é amor. Assim, se Jesus, ao longo da Sua vida terrena, se dirigia principalmente aos pecadores, pobres, marginalizados, doentes e atribulados partilhando com eles a Sua Paz e o Seu Amor pela misericórdia, o sacramento da Reconciliação permitiu-nos a todos nós, pecadores, sentir a Sua paz e o Seu Amor.

Viver a Misericórdia contou também com a celebração da Eucaristia onde o encontro com o Senhor, no dia da Sua Epifania, permitiu que todos sentissem a Sua Misericórdia e voltassem para as suas vidas por um caminho diferente.

Contudo o perdão não deve ser vivido unidireccionalmente. Se Deus nos perdoa, também nós deveremos ser capazes de perdoar. Será mesmo um imperativo perdoar o outro, tal como nos lembra a expressão do Pai Nosso “perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos”.

O ano da Misericórdia traz a oportunidade de reaprendermos a viver a nossa fé, marcada pela fragilidade humana com necessidade de ser perdoada e de perdoar e de encontrar na Misericórdia com as suas obras corporais e espirituais o caminho da paz e do amor de Deus.

Estas iniciativas continuarão até ao final do ano Jubilar em todos os primeiros domingos com tempo de Reconciliação e Adoração ao Santíssimo Sacramento, de modo a redescobrir a beleza do perdão e do perdoar pois só assim saberemos que nos podemos dirigir sempre a Deus, mesmo caindo tantas vezes, pois Ele não desiste de nós.

Pe. Miguel Peixoto, in Voz de Lamego, ano 86/09, n.º 4344, 5 de janeiro de 2016

Virgem Peregrina de Fátima | Zona Pastoral de Resende

Imagem3

Ter a mãe por perto é sempre ocasião de alegria atendendo ao renovar do seu carinho e afeto que todos, independentemente da idade, apreciamos. Sentimo-nos sossegados e tranquilos como nos recorda o salmo 130 “antes fico sossegado e tranquilo como criança ao colo da mãe”. Foi certamente este ternurento sentimento que a comunidade da zona pastoral de Resende viveu nos passados dias 7 e 8 de agosto quando a imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima esteve presente no concelho de Resende.

A imagem peregrina chegou por volta das 18:30 à comunidade de Santa Luzia de Caldas de Aregos acompanhada pelas gentes da zona pastoral de Cinfães. Aí já esperavam algumas centenas de devotos de Nossa Senhora que numa belíssima celebração de acolhimento louvaram a Deus por intermédio de Sua Mãe, Maria Santíssima, contando com a animação da banda de música “A Velha” de São Cipriano. Personificando os três pastorinhos, três crianças saudaram a imagem de Maria juntamente com cânticos, orações e a proclamação do Santo Evangelho.

Terminado este momento, a imagem peregrina seguiu em verdadeira procissão até à comunidade de Santíssimo Salvador de Resende, onde mais uma vez um grande número de devotos aguardava a chegada da imagem de Nossa Senhora de Fátima. Após uma breve saudação à imagem peregrina, a mesma manteve-se na igreja da Imaculada Conceição até ao dia seguinte.

Pelas 21:30 as gentes de Resende, que durante os dias que antecederam este acontecimento prepararam as ruas da vila, tiveram a oportunidade de realizar, talvez, a maior procissão de velas que alguma vez percorreu as ruas da vila. O carinho e agradecimento à Mãe do Céu fez acorrer esta incontável multidão que em oração seguiu o andor de Maria assumindo em seu coração o exemplo de Nossa Senhora no modo como Ela viveu o projeto de vida proposto por Deus. As ruas estavam muito belas com as flores de papel e outros ornamentos organizados para a visita da imagem de Maria, assim como os dois quadros que procuravam recriar com as pequenas crianças o momento da visita do Anjo na Loca do Cabeço e de Nossa Senhora na Cova da Iria.

A celebração comunitária findou com o momento de adoração ao Santíssimo Sacramento, tão próprio da mensagem de Nossa Senhora de Fátima aos Pastorinhos e, por eles, a todo o povo cristão. Contudo, se o momento de oração comunitária terminava, as diferentes comunidades da zona pastoral de Resende não deixaram passar a oportunidade de prestarem a sua oração junto da imagem peregrina. A comunidade de São Martinho de Mouros, o agrupamento de Escuteiros de Resende, o grupo missionário de Santa Maria de Barrô, o grupo dos Cursistas, as comunidades de São Miguel de Anreade e de Miomães, as irmãs da Casa de São José de Lamego, os grupos corais da paróquia do Santíssimo Salvador de Resende, entre outros devotos particularmente, velaram a imagem da Mãe durante toda a noite e manhã rezando, cantando e meditando, fazendo companhia à Mãe que os esperava.

A igreja da Imaculada Conceição foi, mais uma vez, pequena para o número de devotos que acorreram para celebrar os mistérios da fé cristã no sacramento da Eucaristia, a qual foi preparada, durante o dia, mediante o sacramento da Reconciliação.

De seguida, a imagem peregrina foi encaminhada para a paróquia de Santa Maria de Barrô, percorrendo diversos lugares cujos habitantes tiveram o cuidado de engalanar para a sua passagem. No largo de São Domingos, em Barrô, realizou-se a celebração de despedida de Nossa Senhora de Fátima da zona pastoral de Resende, contando com a presença da Banda de Musica “A Nova” de S. Cipriano, onde as gentes de Resende entoaram sentidamente o cântico do Adeus de Fátima.

Sem dúvida, esta oportunidade da visita da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima, possibilitou, a estes filhos de Maria, uma experiência tocante de fé e de renovação espiritual. Ninguém ficou indiferente, pois, na verdade, quem o poderia ficar quando foi a nossa própria Mãe que nos visitou?

Pe. Miguel Peixoto, in Voz de Lamego, ano 85/40, n.º 4327, 1 de setembro

Jovens do Arciprestado de Lamego em jornada de formação

jovens-almacave

No passado dia 14 de Março o Grupo de Jovens da Sé participou mais uma vez na Preparação Quaresmal do Arciprestado de Lamego, este ano a cargo do Pe. Miguel Peixoto. Rumamos à Kolping pelas 10h00 onde nos encontramos com os restantes jovens que participaram na atividade. Estiveram presentes jovens das seguintes paróquias do Arciprestado de Lamego: Almacave, Ferreirim e Sé. Depois de uma receção calorosa iniciamos com uma oração em que pedimos fervorosamente a Jesus Cristo que nos desse a sua bênção e que nos transmitisse a serenidade necessária e um espírito de partilha para que pudéssemos viver o tempo de Quaresma. Seguidamente o Pe. Miguel Peixoto leu uma passagem da Carta de São João aos Efésios (Ef 2, 1-10) e começou a Formação Quaresmal intitulada “Deus Rico em Misericórdia”. Um dos temas que se destacou foi “Grupos de Jovens” onde ficamos a conhecer o verdadeiro sentido da existência de um grupo de Jovens, do seu papel ativo na Paróquia onde está inserido e principalmente o Amor a Jesus Cristo que nos reúne e nos torna num só. A meio da formação foram-se distribuídas folhas de papel, lápis e uma das sete frases que Jesus Cristo pronunciou antes da sua morte. Cada um dos presentes leu a frase que lhe foi destinada e teve de desenhar na folha de papel que tinha à sua frente a primeira coisa que lhe veio à memória. Foi um momento de descontração e onde cada um dos jovens presentes teve a possibilidade de se manifestar.

Com este mesmo espírito de partilha e alegria decorreu o lanche partilhado que substituiu o almoço.

Da parte da tarde reunidos em grupo fizemos um pequeno trabalho centrado nas mesmas frases que nos foram destinadas da parte da manhã. Partilhamos experiências, pensamentos e amizade em Jesus Cristo.

Termino a minha pequena partilha com a oração que rezamos na formação “Jesus nossa esperança, vens fazer de nós pessoas humildes segundo o Evangelho. Gostaríamos tanto de compreender que o que há de melhor em nós se constrói através de uma confiança muito simples, tão simples que mesmo uma criança a pode compreender e viver. Abençoa-nos Jesus Cristo, tu que nos amas sempre, mesmo na nossa noite.”

Um bem-haja ao Pe. Miguel Peixoto que nos proporcionou crescer na nossa fé.

Susana Santos, in Voz de Lamego, n.º 4305, ano 85/18, de 17 de março de 2015