Arquivo

Posts Tagged ‘Pe. José Alfredo Patrício’

Jornadas de Formação do Clero – 1.º Dia

dscn0113

As exigências do tempo presente, os múltiplos desafios impostos à e pela humanidade e a delicada – por ser sagrada – missão que o padre é chamado a desenvolver no meio do mundo requerem, deste, um esforço redobrado e um reforço aturado no que respeita à sua formação. Com esta preocupação, a nossa diocese levou a cabo, nos passados dias 16 e 17 de janeiro, as Jornadas de Formação do Clero.

As intervenções do primeiro dia couberam ao Padre José Alfredo Patrício, Defensor do Vínculo e Promotor de Justiça no Tribunal Interdiocesano Vilarealense e no Tribunal Eclesiástico de Viseu, doutorando em Direito Canónico, em Salamanca. Ler mais…

Visita Pastoral de D. António Couto em Pendilhe – 16 de outubro

SONY DSC

Porque a Visita Pastoral é um “acontecimento de graça que, de algum modo, reflete aquela tão especial visita com a qual o Supremo Pastor, Jesus Cristo, visitou e redimiu o seu povo”, a Comunidade de Nossa Senhora de Assunção de Pendilhe preparou-se para receber, no dia dezasseis de outubro, o nosso Pastor Sr. D. António Couto, para “no meio de nós ser a transparência pura de Jesus Cristo e ajudar a encher de mais amor e alegria a família de Deus”.

Para este evento, a Paróquia a preparou-se com um tríduo de oração e reflexão nos dias cinco, seis e oito de outubro, dirigida pelo Rev. P. José Alfredo, que nos indicou caminhos para melhor conhecermos a missão do nosso Bispo e a profundidade e momento de graça que é a Visita Pastoral. Ler mais…

Província Eclesiástica de Braga: reunão dos Tribunais

img_0243

A Diocese de Viana do Castelo e o seu Bispo, Sr. D. Anacleto Oliveira foram os anfitriões do encontro que, anualmente, reúne os membros dos Tribunais Eclesiásticos da Província Eclesiástica de Braga.

Cerca de 40 pessoas, entre Vigários Judiciais e outros Juízes, Defensores do Vínculo e Notários das várias Dioceses que integram aquela Província Eclesiástica reuniram-se no Seminário Diocesano de Viana do Castelo na manhã de 16 de Junho. O Tribunal Interdiocesano Vilarealense, do qual faz parte a Diocese de Lamego, também marcou presença.

A abertura do encontro esteve a cargo do Cón. Doutor Manuel Fernando Sousa e Silva, Vigário Judicial do Tribunal Metropolitano da Arquidiocese de Braga. Na sua intervenção, deu as boas vindas a todos os presentes, e recordou algumas ideias expressas pelo Papa Francisco no último Discurso aos Prelados Auditores do Tribunal da Rota Romana, nomeadamente que a missão dos membros dos Tribunais Eclesiásticos “quer ao julgar quer ao contribuir para a formação permanente, assiste e promove o opus veritatis.” (Papa Francisco)

O encontro, que se realiza pelo sexto ano consecutivo, sempre numa Diocese diferente, prosseguiu com a análise de alguns dos elementos inovadores da reforma do processo matrimonial determinada pelo Papa Francisco. Esta análise esteve a cargo da Ir. Federica Dotti, Juíza no Tribunal Metropolitano de Braga. Seguiu-se um período de debate, de troca de ideias e experiências entre os presentes, que muito enriqueceu o encontro. A troca de ideias entre os presentes teve como preocupação central delinear linhas de orientação que permitam uma aplicação cada vez mais eficaz da reforma do processo de declaração de nulidade matrimonial determinada pelo Papa Francisco.

Coube ao Sr. D. Anacleto Oliveira encerrar os trabalhos. Nas palavras que dirigiu aos presentes, agradeceu a presença de todos e afirmou a importância de poder contar com um grupo de pessoas juridicamente bem preparadas para que cada Diocese possa implementar eficazmente a reforma dos processos matrimoniais que o Romano Pontífice determinou para os processos matrimoniais.

O Encontro terminou com o almoço oferecido pela Diocese de Viana do Castelo.

Pe. José Alfredo Patrício, in Voz de Lamego, ano 86/32, n.º 4368, 21 de junho de 2016

Paróquias de Cujó, Monteiras e Moura Morta têm novo pároco

_U0A7665

Pe. Valentim Fonseca: tomada de posse

O dia 13 de Setembro perdurará na memória de todos aqueles que participaram no início do ministério pastoral do Pe. Valentim Fonseca, como Pároco de Nossa Senhora da Conceição de Cujó, do Divino Espírito Santo de Monteiras e de Nossa Senhora da Apresentação de Moura Morta, na zona pastoral de Castro Daire.

Pelas 11h00, debaixo de intensa chuva, o novo Pároco foi recebido com um ramo de flores, sinal de afecto e boas vindas, em Moura Morta, na companhia do Rev. Mons. Joaquim Dias Rebelo, Vigário Geral da Diocese, do Rev. Pe. Diogo Pereira Filipe, Arcipreste de Castro Daire – Vila Nova de Paiva e do anterior Pároco. Após a proclamação do Evangelho, foi lida a Provisão com a qual o Sr. D. António Couto, Bispo da Diocese de Lamego, nomeia o novo Pároco. Na sua homilia, partindo do comentário às leituras dominicais, o Mons. Joaquim Rebelo agradeceu ao anterior Pároco o seu trabalho e pediu a todos os presentes que ajudassem o Rev. Sr. Pe. Valentim nos seus projectos pastorais naquela comunidade. No final da Santa Missa, seguiu-se um lanche partilhado com toda a população e com as muitas pessoas vindas de Ferreiros, terra natal do Sr. Pe. Valentim.

Pelas 15h00, o Sr. Pe. Valentim, juntamente com o Rev. Sr. Pe. João Carlos Morgado, Pró-Vigário Geral da Diocese de Lamego, foram recebidos na Igreja Paroquial de Monteiras. Foi uma Igreja cheia que, com alegria e simplicidade, acolheu o novo Pároco. Para além do Arcipreste e do anterior Pároco, esteve também presente o Rev. Sr. Pe. Joaquim Dionísio, Reitor do Seminário Maior. Na sua homilia, o Rev. Pe. João Carlos, entre várias ideias, recordou umas belas palavras de S. Policarpo sobre o sacerdócio. No final da Santa Missa, foi lida uma breve mensagem de agradecimento ao anterior Pároco e de boas vindas ao Sr. Pe. Valentim.

Às 17h00, teve lugar a celebração da Eucaristia na Paróquia de Cujó, onde estiveram presentes nove sacerdotes, para além do Sr. Pró-Vigário Geral e do novo Pároco. Foi especialmente recordado o pai do Sr. Pe. Bráulio, cujo funeral decorria quase à mesma hora. Ao terminar a Santa Missa, o novo Pároco agradeceu a todos a sua presença, nomeadamente àqueles que, quer da sua terra natal, quer de Vila Nova de Foz Côa, juntamente com os respectivos Párocos, quiseram marcar presença. No final, houve um lanche partilhado com todos os presentes, no salão paroquial.

Aproveito esta oportunidade para desejar ao Rev. Sr. Pe. Valentim as maiores felicidades nesta nova missão que lhe foi confiada e para agradecer a Deus e a todas as comunidades paroquiais a enorme graça que foi tê-las servido como Pároco ao longo dos últimos anos.

Pe. José Alfredo Patrício, in Voz de Lamego, ano 85/42, n.º 4329, 15 de setembro

Sacramento do Crisma na Paróquia das Monteiras

crisma1

“Recebei o Espírito Santo.” (Jo 20, 22) Estas palavras de Jesus dirigidas aos Apóstolos “ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana” (Jo 20, 19), foram escutadas com particular intensidade no passado dia 12 de Abril, na Paróquia do Divino Espírito Santo das Monteiras, com a celebração do Sacramento do Crisma, conferido pelo Sr. D. António Couto, Bispo da nossa Diocese.

À sua chegada à Igreja Paroquial, o Sr. D. António foi recebido por muitas pessoas, e saudou individualmente cada um dos 11 jovens que se preparou para receber este Sacramento da iniciação cristã. Depois de alguns momentos de oração, teve início a Santa Missa. Na sua homilia, o Sr. D. António destacou, a partir das leituras proclamadas no segundo Domingo de Páscoa, que Jesus consegue entrar, mesmo quando as portas e janelas estão fechadas e, portanto, que não há coração onde Deus não se consiga tornar presente. Dirigindo-se a todos os que o escutavam, o Sr. Bispo referiu que uma comunidade com medo, triste e fechada, não é atrativa e, muito menos, missionária. Por isso, animou que todos, e de modo especial os crismandos, fossem testemunhas da misericórdia, ou seja, da beleza, da alegria e da paz para que a comunidade cresça e se robusteça na vivência da fé.

A seguir à homilia, seguiu-se o Ritual da Confirmação, com a renovação das promessas baptismais, a oração de imposição das mãos e o rito de unção com o óleo do Crisma.

A Santa Missa, animada liturgicamente pelo coro da Paróquia, pelos novos crismados, seus pais e padrinhos, terminou com o agradecimento do Pároco, em primeiro lugar, a Deus e, também, ao Sr. Bispo pela sua presença e pelo facto de ter enriquecido a comunidade paroquial com um conjunto de jovens fortalecidos pelos dons do Espírito Santo. Aproveitou, ainda, a ocasião para agradecer o inestimável e insubstituível trabalho das catequistas na formação dos mais jovens.  Por fim, aproveitou, também, para lembrar aos crismados que a celebração do Sacramento do Crisma não é uma meta, mas sim um novo início na sua vivência e testemunho da fé cristã no ambiente onde vivem que, como posteriormente recordou o Sr. D. António, não é apenas o âmbito da paróquia, mas todo o mundo.

Já no final, os pais dos novos crismados também agradeceram ao Sr. D. António Couto as suas palavras e a bela celebração que todos tivemos ocasião de viver.

Pe. José Alfredo Patrício, in Voz de Lamego, n.º 4309, ano 85/22, de 14 de abril de 2015