Arquivo

Posts Tagged ‘Pe. João Carlos Morgado’

FRAGMENTOS MEDIEVAIS: Vestígios do canto hispânico

Estas palavras foram título para se dar a conhecer nas páginas do nosso jornal uma preciosidade cultural, o exemplar único de um códice existente no Arquivo Diocesano de Lamego, documento que ali chegou como capa de um livro de registo de casamentos, algures na Diocese.

O comunicado/avisopara uma presença no acto de uma apresentação e explicação do que o documento representa não era bastante «chamativo» para essa presença, sobretudo uma presença numerosa na sessão que o explicou e deu a conhecer numa das salas de exposição do Museu Diocesano.

E no dia 20 de Abril não era realmente numeroso o grupo que ali marcou presença, para ouvir a Dra. Raquel Rojo Carrilo, venezuelana, que integra um grupo de estudiosos, da Universidade de Bristol, na Inglaterra, que se dedica ao estudo de verdadeiras preciosidades histórico-culturais que se vão encontrando. E uma foi encontrada, por acaso ou sorte, no Arquivo Diocesano de Lamego. Ler mais…

Paróquia de Alhais tem novo Pároco

img_20170108_123202

A Igreja de Nossa Senhora da Corredoura, em Alhais, acolheu hoje, dia 08 de janeiro de 2017, com a simplicidade que lhe é característica o novo Pároco.

Em dia de Reis e com um sol radioso neste Inverno gelado, o Rev. Sr. Padre José Justino Lopes surge na porta principal da nossa igreja e em procissão com o livro dos evangelhos nas mãos dirige-se ao altar mor, onde um dos membros do Conselho Económico de Alhais (Eng.º José Manuel Correia Alves) e em nome de todos os paroquianos profere umas palavras de boas vindas ao novo pároco, agradecendo a forma célere com que a Diocese de Lamego solucionou o problema de falta de pároco na nossa comunidade e a disponibilidade do mesmo  em aceitar a nossa paróquia, realçando ainda que Alhais é uma Paróquia com muita atividade a nível da infância e da adolescência, tanto a nível do grupo coral como a nível catequético, esperando que o novo pároco mantenha esta atividade e mostrando a disponibilidade dos paroquianos para colaborar com ele. Duas meninas da nossa comunidade ofereceram um ramo de flores ao novo pároco e outro ao Rev.º Sr. Pró-Vigário Padre João Carlos, representante de Sua Ex.ª Rev.ª Sr. D. António Couto, Bispo de Lamego.

img_20170108_124155

Deu-se inicio à Eucaristia presidida pelo Sr. Pró-Vigário, que na homilia começou por ler o Despacho de Nomeação, do novo pároco, pelo Sr. Bispo de Lamego, contando seguidamente uma pequena conversa a que tinha assistido entre o Sr. Padre Justino e o Sr. Bispo, na última visita pastoral em meados de outubro a Vila Nova de Paiva, na qual o Sr. Padre tendo em consideração a sua idade, já próxima dos 75 anos, fez saber ao Sr. Bispo a sua vontade em pedir a sua resignação, tendo obtido por parte do Sr. Bispo a resposta de que pensaria nele mais como uma saída do que que como um padre de saída. Com base nesta pequena conversa o Sr. Pró-Vigário fez uma analogia entre o percurso do Sr. Padre Justino e o nosso Papa Francisco, tendo em conta que tanto um como outro quando pensaram em resignar foram-lhe atribuídas novas funções.

Na parte final o novo pároco tomou a palavra para apresentar as razões pelas quais pensou em não aceitar o desafio que lhe era proposto, concluindo que essas razões eram as mesmas pelas quais devia aceitar. Reconheceu que já não era um jovem capaz de correr uma maratona, no entanto, manifestou a sua disponibilidade para fazer o seu melhor, agradecendo e solicitando a colaboração de todos os paroquianos, desde a criança mais pequenina até ao mais idoso, para levar a bom porto esta longa caminhada, que se augura ser árdua mas muito profícua.

Seja muito bem vindo à nossa paróquia Sr. Padre Justino.

Ondina Pires, in Voz de Lamego, ano 87/09, n.º 4394, 10 de janeiro de 2017

Falecimento de Emigrantes de Foz Côa | Nota da Vigararia Geral

france-portugal-accident-transport-philippe-desmazes-afp

(foto de Globo.com)

Mais uma vez, um trágico acidente de viação, envolvendo emigrantes, veio ensombrar as festas que trazem os nossos compatriotas às suas terras de origem. Depois de no ano passado, pelas festas da Páscoa, o luto ter atingido várias famílias da nossa diocese, este ano, na madrugada do último domingo, outro acidente, ocorrido na localidade de Charolles, na Estrada Nacional 79, chamada RCEA (Estrada Centro Europa e Atlântico), atingiu emigrantes do concelho de Foz Côa, da Diocese de Lamego, que regressavam à Suíça, depois das festas natalícias.

O nosso Bispo, D. António Couto, expressa a sua proximidade na dor e na oração às famílias enlutadas, aos párocos e às comunidades paroquiais de Freixo de Numão e de Vila Nova de Foz Côa, pedindo a recompensa eterna para os falecidos e o conforto da fé para os familiares que perderam os seus entes queridos.

Pe. João Carlos Costa Morgado, Pró – Vigário Geral

Amigos do Hospital de Lamego celebra Dia Internacional Voluntariado

foto1

O dia 3 de dezembro marcou o arranque das celebrações do Dia Internacional do Voluntariado, comemorado em todo o mundo no dia 5 de dezembro. A iniciativa, que decorreu nas instalações do Hospital de Lamego, é da Liga dos Voluntários do Hospital que, para além de celebrar a efeméride, assinalou o importante papel que a associação tem tido no funcionamento do hospital.

O dia começou com uma Eucaristia, celebrada na Capela do Hospital de Lamego. Presidida pelo Pró-Vigário João Carlos Morgado, e coadjuvado pelo Cónego José Ferreira, pelo Monsenhor José Guedes e pelo Capelão Ricardo Pinto e animada pelo Grupo Coral da paróquia de Ferreirim, contou com a presença de mais de 80 pessoas, entre voluntários, sócios, familiares, tendo ainda contado com a presença do Senhor José Pinto, Vice-presidente da Câmara Municipal de Lamego e da Senhora Enfª. Olga Cardoso, Adjunta da Direção de Enfermagem do Hospital de Lamego.

Durante a Eucaristia receberam a Bata amarela de voluntariado, Agostinha Assunção e João Cabral. Já os voluntários Cândida Carvalho, Luís Teixeira, Manuel Adrega e Maria José Pereira receberam os “Vês”, denominação atribuída ao alfinete em forma de V, colocado na bata após um ano de atividade. Ler mais…

Exposição “Crianças Cáritas Austríacas” em Portugal

img_3539

Tal como tinha sido anunciado, decorreu no passado dia 6 de Dezembro, pelas 18h, nas instalações do Museu Diocesano de Lamego, e em parceria com a Cáritas Diocesana de Lamego, a inauguração de uma Exposição subordinada ao tema “Crianças Cáritas Austríacas” em Portugal, após a 2ª Guerra Mundial, entre 1947 e 1958.

Na abertura do evento pudemos deliciar-nos com a audição de belas canções entoadas pelo  Coro da Universidade Sénior  de Lamego, adequadas ao espírito que presidia à Exposição e junto dos respetivos roll up  sobre o tema em questão. De seguida passou-se ao auditório do Museu Diocesano onde se desenrolou  uma sessão solene, com especial destaque para as intervenções do Dr. Eugénio da Fonseca , presidente da Cáritas Portuguesa, Sr. Vigário Geral , Monsenhor Joaquim Dias Rebelo, Sr. Ingo Konig, em representação do Sr. Embaixador da Áustria, que por motivos de saúde não pode estar presente, e a Sra. Karla Benninger  uma das “Crianças Cáritas” acolhidas no nosso país por uma família portuguesa.

Dada a importância do tema, não só a nível cultural mas também histórico, um dos momentos mais enriquecedor e mais sensível, foi o testemunho da Sra. Karla Benninger, a qual partilhou com os presentes tudo o que sentiu ao deixar os seus pais e o seu país, aos seis anos de idade, sem ter a noção do porquê de tal atitude. Só muito mais tarde viria a ter consciência do ocorrido face às nefastas consequências da guerra que assolaram a Europa e, no seu caso concreto, a sua terra, a saber: destruição, morte, fome, desemprego, enfim, como a Sra. Karla referiu, não havia nada. No entanto referiu que houve algo que a acalmou quando chegou a Portugal, ou seja, a receção feita por uma família católica, onde nada lhe faltou, desde o alojamento à sua integração no seio familiar, educação e sobretudo muito carinho. Ainda hoje mantém essa ligação e jamais esquecerá o que fizeram por ela. Frisou várias vezes que foi graças à Cáritas, que ela e muitas outras crianças austríacas, foram salvas, pois na altura os flagelos da guerra estavam bem patentes na mente de todos.

Num momento de partilha e diálogo com os presentes, houve grande emoção, uma vez que Lamego foi uma das cidades que também acolheu algumas dessas crianças. Foi possível obter algumas fotos desse período, cedidas gentilmente pela Dra. Sofia Miranda, que se lembrava ainda muito bem dessa época bem como dos momentos de convívio com as crianças acolhidas no seu seio familiar, e pela Dra. Marina Valle, uma vez que os seus pais também tinham sido família acolhedora.

Durante a sessão foi ainda salientado o papel importantíssimo que a Cáritas, enquanto organização católica, desempenha, estando sempre presente e pronta a desempenhar a sua missão de defesa do bem comum, intervindo em ordem à transformação social, fomentando a partilha de bens e a assistência, em situações  de calamidade e emergência, quer ao nível nacional, Cáritas Portuguesa (a comemorar o seu 60º aniversário) em articulação com as Cáritas Diocesanas, quer ao nível europeu, através da Cáritas Europa  e a nível internacional através da Cáritas Internationallis.

O encontro terminou com uma breve referência à época natalícia que estamos a atravessar, lembrando na Áustria a festa de S. Nicolau, bispo conhecido pela sua caridade e proteção das crianças, e  o Advento na Igreja Católica, preparando o Nascimento do Menino Jesus.

Relembramos  que a Exposição “Crianças Cáritas Austríacas” em Portugal continuará patente ao público até ao dia 31 de Janeiro de 2017.

Cáritas Diocesana de Lamego

Museu Diocesano de Lamego

in Voz de Lamego, ano 87/06, n.º 4391, 13 de dezembro de 2016

Operação “10 Milhões de Estrelas – Um Gesto pela Paz”

caritas-luz-da-paz-9

No passado dia 27 de Novembro de 2016, 1.º Domingo do Advento, na Eucaristia da Sé Catedral, às 10 h da manhã, presidida pelo  Provigário da Diocese, Reverendíssimo Sr. Padre João Carlos Morgado, procedeu-se  à cerimónia da entrega da Luz da Paz.

Com este ato simbólico procura dar-se, uma vez mais, ênfase ao projeto da Cáritas Portuguesa e  consequentemente realçar a importância da Operação “10 Milhões de Estrelas – Um Gesto pela Paz”, um compromisso com a Paz no Mundo.

Relembramos que com a venda das velas inerentes à campanha, pelo valor simbólico de 1€, pretende-se apoiar  pessoas e famílias em situação de pobreza.

Na Noite de Natal, não nos esqueçamos de acender e colocar uma vela nas nossas janelas,  que seja um gesto que reflita a importância de Partilha, Solidariedade e Paz no Mundo.

A Presidente da Cáritas Diocesana de Lamego

Isabel Duarte Mirandela da Costa

Nota: Todos os que, quiserem juntar-se à Cáritas, participando na sua missão de estar ao lado dos mais frágeis, poderão adquirir uma vela nas instalações da Cáritas Diocesana de Lamego, nas respetivas paróquias e Gráfica de Lamego ou em qualquer loja Pingo Doce, pelo valor simbólico de 1€; 65% do valor angariado destina-se a apoiar pessoas que contam  com a ajuda da Rede Cáritas e 35% para auxiliar famílias de refugiados apoiadas pela Cáritas, na Grécia.

in Voz de Lamego, ano 87/05, n.º 4390, 6 de dezembro de 2016

Encontro de Movimentos e Serviços Eclesiais – 1 de dezembro de 2016

20161201_101956

O feriado da Restauração propiciou mais um encontro dos Movimentos e Serviços Eclesiais, no Seminário Maior de Lamego. Pessoas comprometidas nos diversos serviços da Pastoral diocesana, reuniram-se com o objectivo de rever e repensar a importância de cada movimento na dinâmica paroquial e diocesana e fomentar uma mais estreita colaboração e comunhão entre todos, respeitando e promovendo a especificidade e os carismas de cada um.

Após breve oração, o Pe. Diamantino Alvaíde alertou  para os perigos e tentações recorrentes dos agentes da pastoral: o comodismo e a presunção narcisista de pensar que a Igreja gira toda em torno de si e do grupo que cada um representa.

O Pastor diocesano, que presidiu aos trabalhos, alicerçado na “Missão Trinitária” convocou e desafiou os participantes  para a Missão Evangelizadora da Igreja. “Evangelizar é a identidade mais profunda da Igreja e é necessário que o cristão se encontre com essa verdadeira identidade.” Questionou: “Como posso ser Evangelizador?”, “ Como me identifico com esta identidade?” Evangelizar mais do que ir à Missa, é Anunciar o Evangelho a toda a gente, em todo o tempo e em todos os lugares. O Cristão não pode ser um mero espectador, um monitor legalista ou um animador de estados de alma. Tem de ser Testemunha. Tem de sair de si, da sua zona de conforto para levar Cristo ao coração de cada Homem, levar a Vida em abundância aos irmãos. Porém ninguém pode Evangelizar sozinho. É a comunidade que tem de Evangelizar, tem de juntar as energias uns dos outros, a exemplo  das primeiras comunidades cristãs. Ler mais…