Arquivo

Posts Tagged ‘Pe. Carlos Lopes’

Paróquia de São Pedro de Tarouca: Festa de Santa Helena

13584652_1172952349422273_3864544774677232022_o

A novena preparatória para a festa em honra de Sta. Helena da Cruz, na paróquia de S. Pedro de Tarouca, proporciona momentos de celebração da fé, de oração individual e comunitária, de convívio e de silêncio. A paisagem que se contempla e o tempo agradável que se faz sentir por esta altura do ano contribuem para o ambiente festivo e sereno que se testemunham nos peregrinos ali chegados daquela paróquia ou de outros lugares.

Das paróquias vizinhas ali acorrem muitos devotos, bem como alguns feirantes para a festa que acontece no segundo domingo de julho. Como habitualmente, presidiu à Eucaristia o nosso bispo, D. António Couto, celebrada no recinto campal, acompanhado pelos sacerdotes daquela zona pastoral e por muitos fiéis que, apesar do sol, não arredam pé.

Orientou a novena o Padre Bráulio Félix de Carvalho, pároco de Alvite, Leomil e Sever, que é natural de Tarouca e que de todos mereceu os maiores elogios.

Num dos dias desta novena, a exemplo do já acontecido nos anos anteriores, esteve presente o nosso conhecido Padre Marcos Alvim. Com a sua viola, a boa disposição que o caracteriza e a mensagem das suas músicas cativou a vasta assembleia que ali se reuniu na noite de sexta-feira, dia 08.

Estes são dias intensos para todos quantos participam na preparação da festa, na vivência da novena e no acolhimento dos peregrinos. Mas é com o esforço de muitos que a festa agrada a todos. Uma tradição de conta já muitos anos e que o pároco actual, Padre Carlos Lopes, continua a viver intensamente.

JD, in Voz de Lamego, ano 86/35, n.º 4371, 12 de julho de 2016

À CONVERSA com o Responsável da Comissão Diocesana da Família

família_VL

À CONVERSA COM… Padre Manuel Carlos Pereira Lopes

A Assembleia extraordinária do Sínodo dos Bispos sobre a Família terminou, deixando pistas, identificando dificuldades e mostrando possibilidades, tendo em vista o Sínodo de 2015, onde se esperam decisões importantes. No rescaldo desta Assembleia procurámos o responsável Diocesano pela Comissão da Família, Pe. Carlos Lopes, pároco de S. Pedro de Tarouca.

Como viu esta Assembleia Sinodal, nomeadamente quanto à vontade e capacidades da Igreja em lidar com o tema da Família?

Relevo para a forma como a assembleia sinodal foi preparada, designadamente através do questionário disponibilizado a quem desejou aceder a ele e que provocou uma avalanche de respostas vindas de todo o mundo, o apelo que o Papa lançou a que os participantes se pronunciassem com inteira liberdade, ousadia, sem medo do que outrem pudesse pensar ou falar. Salienta-se também a inovação metodológica com o começo de cada sessão pelo testemunho dos casais que foram convidados a participar. Não foram meros observadores nem menorizaram as discussões episcopais nem o contributo dos peritos.

No sínodo ressoou a voz do Povo de Deus em ordem a que se definam as melhores formas de ajudar as igrejas particulares a percorrer o caminho do Evangelho da família ante os desafios que o mundo atual apresenta a todos. E essas melhores formas têm de ser encontradas no dinamismo da sinodalidade, ou seja, caminhando, caminhando em conjunto, avançando ou parando e mesmo recuando, conforme as necessidades.

Na aula sinodal houve discussão acesa que extravasou para a comunicação social. Mas é o próprio Papa Francisco a confessar que “ficaria muito preocupado e triste se não tivesse havido estas tentações e estes debates animados”, “se todos tivessem estado de acordo ou ficassem taciturnos numa paz falsa e quietista”. Com efeito, a unidade não discutida não se reveste da solidez necessária e precisa da variedade tal como o homem “uno” carece da variedade alimentar.

Como referiu D. Diego Padrón, presidente da Conferência Episcopal da Venezuela e participante no Sínodo sobre a Família “O Papa não quer uma Igreja que atire pedras aos pecadores, aos débeis, aos que têm dificuldades, mas uma Igreja que saiba acolher”.

Sabemos que este foi mais um passo para preparar o Sínodo do próximo ano. Do seu ponto de vista, que perspectivas ficaram?

Esta assembleia sinodal extraordinária foi projetada para fazer a propedêutica da agenda dum Sínodo dos Bispos ordinário sobre a família, convocado pelo Papa Francisco para outubro de 2015. Ler mais…