Arquivo

Posts Tagged ‘Pe. Basílio’

Paróquia da Mêda – “Fazer-se ao próximo”

O Papa Francisco, na sua mensagem do passado dia 11 de fevereiro – Dia Mundial do Doente, dirigiu “um pensamento especial aos doentes que, em todas as partes do mundo, para além da falta de saúde, sofrem muitas vezes com a solidão e a marginalização”.

Foi neste contexto, que a convite do Sr. Pe. Basílio Firmino, o Pe. José António – Capelão dos Hospitais da Universidade de Coimbra e Assistente Espiritual de doentes e famílias que por ali passam, (há já 17 anos), nos conferenciou situações e formas como lidar com o doente e nos tornarmos mais próximos dele. Esta conferência, enquadrada nas chamadas “Escolas da Fé” da nossa paróquia de Meda, teve lugar no Salão Polivalente do Patronato, no passado dia 11 de fevereiro, e teve como principal objetivo salientar o papel do visitador na vida do doente. O pároco desta comunidade, Sr. Pe. Basílio, no início do ano pastoral, e tendo presente o lema do plano da nossa diocese “vai e faz tu do mesmo modo”, informou a comunidade que ao longo deste ano pastoral iria ter em consideração a vivência da caridade em três camadas: as crianças e adolescentes da catequese e suas famílias com a celebração do Dia Mundial da Família e preparação das festas da catequese no mês de Maio; os jovens com a Missão País e a Páscoa jovem em que cerca de 80 jovens virão testemunhar a sua vivência cristã junto dos nossos jovens; e finalmente os doentes com a criação do grupo dos visitadores dos doentes e esta conferência debruçada sobre o tema do cuidado a ter com os doentes. Ler mais…

TESTEMUNHO DE FÉ DO ENG. FERNANDO SANTOS

imgp9953

O arciprestado de Meda, Penedono, São João da Pesqueira e Vila Nova de Foz Côa teve a oportunidade, na passada 6ª feira, dia 21 de outubro, de vivenciar um excelente momento de reflexão e partilha através do belo testemunho de fé dado pelo Eng. Fernando Santos. Esta actividade arcipretal decorreu no Salão Polivalente do Patronato de Meda, o qual esteve totalmente repleto de cristãos oriundos das mais diversas paróquias do nosso arciprestado e de outras comunidades cristãs da nossa diocese de Lamego, que se quiseram reunir, para juntos reflectirmos e tomarmos consciência, desta necessidade de sermos missionários, onde quer que nos encontremos e independentemente da missão que desempenhemos. Para lá do selecionador nacional de futebol, tivemos a honra de ter connosco D. António Couto, Bispo da nossa diocese de Lamego, os sacerdotes do nosso arciprestado e de outros arciprestados da diocese, como sinal de comunhão eclesial, salientando ainda a presença de alguns seminaristas do Seminário Maior de Lamego e sobretudo de muitos jovens e adolescentes. Ler mais…

Paróquia da Meda: Jesus em ação de misericórdia

Conferência Ano da Misericórdia 005

Na tarde do passado dia 19 de junho decorreu no salão polivalente do Patronato da paróquia da Meda, um momento de formação e reflexão, com uma conferência subordinada ao tema “Jesus em ação de misericórdia”, brilhantemente proferida pelo nosso bispo, D. António Couto. Esta atividade arciprestal teve como objetivo primordial ajudar-nos a conhecer melhor a misericórdia do Pai, revelada nos gestos e palavras de Jesus, para posteriormente, por imitação, podermos experimentar e viver melhor esta mesma Misericórdia, não só neste tempo de jubileu mas todos os dias da nossa vida.

Indo de encontro à temática do Evangelho do dia, do XII domingo do tempo comum, que nos convidava a tomar a cruz, a olhá-la e aceitá-la com amor, começamos este encontro por interpretar o cântico: “Ninguém te ama como Eu”.

Ao dar início à sua sábia exposição, D. António Couto referindo-se à raiz hebraica da palavra misericórdia- rahªmîm-, afirmou que Deus tem um ventre de misericórdia e assim como uma mãe não deixa de olhar e de estar ligada ao seu filho, assim Deus não Se esquece de cada um de nós, seus filhos (Is. 49,15-16). Reforçou esta certeza afirmando que como uma criança não pode viver sem mãe, também nós não podemos viver sem Deus: “estamos tão ligados a Deus que nenhum de nós se pode afastar d’Ele, nem Deus se pode afastar de nós”.

Ao longo da sua reflexão/meditação, D. António teve como ponto de partida esta convicção que nunca podemos esconder, de que Jesus é o rosto visível da misericórdia do Pai, aludindo a 3 passagens dos evangelhos para confirmar esta certeza:  Mc 6,30-37- Jesus e as multidões; Lc 7,11-16 – a viúva de Naim; e Lc. 15,1-32 – a parábola da misericórdia.

Referindo-se de um modo especial a esta última passagem, elucidou-nos e fez-nos refletir sobre a beleza e a profundidade das palavras e frases desta única parábola da misericórdia, enquadrando cada um de nós nesta mesma história. À semelhança do filho mais novo e do filho mais velho, para os quais o pai não era visto por eles como um Pai, mas como um patrão, muitas vezes nós olhamos para Deus e relacionamo-nos com Ele da mesma forma. D. António Couto salientou que “nós somos estes filhos que se perdem dentro de casa (como o filho mais velho) pois somos frequentadores da igreja, mas acabamos por não ter uma relação pessoal com Deus”. Salientou ainda que o filho mais velho é igual aos fariseus/escribas que Jesus quis ensinar e corrigir, mas também é igual a cada um de nós, que nos comportamos de igual modo.

Para finalizar esta conferência, D. António deixou-nos esta questão como uma inquietação: “Então o filho mais velho entrou ou não entrou no banquete?”

Para o nosso bispo, o autor sagrado não diz, de uma forma propositada, se o filho mais velho entrou ou não neste banquete, pois a história do texto é contada para nós e por isso somos nós próprios que temos de dar uma resposta, decidindo entrar ou não, na casa de um Pai que é Misericórdia.

No final da conferência as crianças/adolescentes da catequese da paróquia da Meda, seus pais e catequistas, encenaram o hino do Jubileu da Misericórdia e terminamos este momento com a recitação da letra deste hino jubilar em jeito de oração final.

O senhor bispo quis também encontrar-se com o grupo de crismandos da Meda, que irão receber o sacramento da confirmação em meados de julho e que estiveram presentes na conferência, lançando-lhes o desafio de se comprometerem a ser no mundo e na igreja, profetas da misericórdia e arautos da Boa-Nova de Jesus.

Este belo momento de reflexão e de encontro encerrou com um lanche aberto a toda a comunidade, com a convicção de que não podemos, nem queremos recusar este permanente convite que Deus nos faz, de entrar e participar no banquete que Ele tem preparado para cada um de nós.

Que cada um de nós, quer durante, quer depois da celebração deste Jubileu da Misericórdia, saibamos ser no nosso mundo transparência de Deus, esforçando-nos por ser “Misericordiosos como o Pai”.

Pe. Basílio Firmino, in Voz de Lamego, ano 86/34, n.º 4370, 5 de julho de 2016

Paróquia da Mêda – Campanha da Sagrada Família

meda

Depois de nestes dois últimos anos, durante a época de Natal, a paróquia de São Bento de Meda, ter lançado a campanha da construção/colocação dos presépios nas rotundas da nossa cidade, dado ter sentido o grande acolhimento e entusiasmo junto das crianças/adolescentes da catequese paroquial, das suas famílias e catequistas, e aproveitando a celebração da solenidade do Natal e da festa da Sagrada Família de Nazaré, decidimos lançar-lhes um novo desafio- a construção e colocação de imagens da Sagrada Família nas rotundas da nossa paróquia, em sintonia com o lema pastoral da nossa diocese para este ano: «Ide e construi com mais amor a família de Deus».

Mais uma vez os catequistas, catequizandos dos nove anos de catequese e seus pais, se uniram e congregaram esforços, para levar por diante esta iniciativa que, para lá de embelezar os espaços da nossa cidade, teve como finalidade primeira ser uma chamada de atenção para todos, de que a celebração do Natal e da Sagrada Família de Nazaré, não nos devem deixar indiferentes perante este mistério do nascimento do Nosso Salvador e da importância/dignidade da realidade da família no tempo de Jesus e neste nosso tempo, ajudando-nos a construir mais família na nossa casa e com todas as famílias da nossa comunidade.

Junto de cada rotunda foi colocada uma frase da autoria do Papa Francisco e de outros autores cristãos, alusivas à realidade familiar, para servir de mote e reflexão nesta época festiva que agora terminou. Penso que pelas fotos se pode verificar o imenso trabalho de dedicação e um forte sentido de espírito de grupo, que sempre assistiu a este projecto.

Para lá desta iniciativa, continuamos com a escola paroquial de pais, alargada aos 4 primeiros anos de catequese, onde os pais se reúnem uma vez por mês e cada grupo da catequese partilha uma imagem da Sagrada Família, pequenina e adaptada à idade das crianças/adolescentes, passando rotativamente por todos os seus lares, invocando através de uma simples oração, a proteção desta família sagrada.

Porque Jesus, não só nasceu, mas também viveu e cresceu no seio desta família de Nazaré, queremos com estas actividades, realçar o papel imprescindível da família na educação para a fé e para os valores dos seus filhos.

Que a Sagrada Família de Nazaré nos abençoe e proteja ao longo deste novo ano.

Pe. Basílio, in VOZ DE LAMEGO, n.º 4296, ano 85/09, de 13 de janeiro de 2015