Arquivo

Posts Tagged ‘Paróquia de Tabuaço’

Paróquia de Tabuaço – Encerramento da Catequese 2018

Com a chegada das férias escolares, chegam habitualmente também as férias na catequese, ainda na nossa Paróquia se tivesse prolongado alguns sábados. No itinerário de 10 anos de catequese, fomos celebrando, em cada ano de catequese, uma festa que sublinhou o que ao longo do ano se foi refletindo e aprofundando.

No dia 30 de junho, sábado, vivemos o Encerramento da Catequese, com muitos meninos já de férias! Tínhamos previsto este dia para o Santuário de Santa Maria do Sabroso, na paróquia vizinha de Barcos, mas a instabilidade do clima fez-nos ficar por casa. Num primeiro momento, no Centro Paroquial, jogos tradicionais e lanche partilhado. Num segundo momento, na Igreja Matriz, a celebração da Santa Missa, com alguns gestos e intervenções específicas da catequese.

Como catequistas quisemos deixar uma mensagem à comunidade e sobretudo aos pais dos nossos meninos, e que foi linda no momento de ação de graças:

“Chega ao fim mais um ano de catequese.

No início, partimos como uma caravana à procura do grande tesouro que estava para lá do deserto. Partimos à descoberta do nosso maior amigo, Jesus, e à descoberta de nós mesmos…

Aonde chegamos?!

Este é o momento de agradecer ao Senhor, pelo dom da vida, pela Sua presença, pela transformação que produziu em nós e naqueles com quem partilhamos a vida, pelas descobertas feitas, pelo crescimento feito na Fé e no Amor, tudo o que vivemos juntos nos nossos grupos e com toda a nossa comunidade cristã.

É Jesus quem dá sentido à nossa vida, às coisas boas e menos boas que fazemos. A Ele queremos agradecer por todos e por cada um de nós.

As férias estão a decorrer, mas Jesus não tem férias… como todos sabemos!

Gostaríamos de deixar dois desafios, sobretudo aos pais.

Primeiro: Levai os vossos filhos à grande festa de Jesus, a Eucaristia, ou entrem com eles numa Igreja e rezem em conjunto a oração que Ele nos ensinou, Pai-nosso. Façam isto algumas vezes. Eles vão gostar de ver Jesus.

Segundo: Um desafio e um pedido: necessitamos de catequistas para o próximo ano, contamos com a vossa melhor colaboração. Todos não somos de mais. Ouçamos a voz de Jesus: a Messe é grande mas operários são poucos. Precisamos uns dos outros. Precisamos de todos. Precisámos de vós.

Que o Deus de Jesus Cristo, Pai, Filho e Espírito Santo, a todos nos guie e nos desperte para o serviço em Igreja e em sociedade e a todos nos abençoe com a Sua paz e ternura”.

No final da Eucaristia, o nosso Pároco agradeceu o nosso trabalho dedicado ao longo de todo o ano pastoral de 2017-2018.

Grupo de Catequistas de Tabuaço, in Voz de Lamego, ano 88/31, n.º 4468, 3 de julho de 2018

Tabuaço: Formação coral-litúrgica com o Padre Marcos Alvim

No passado dia 4 de novembro, na paróquia de Tabuaço realizou-se um encontro de formação coral-litúrgica com o Pe. Marcos Alvim, responsável pelo Departamento Diocesano de Música Sacra. O encontro destinava-se sobretudo aos membros do grupo coral, mas aberto a toda a comunidade. O Pe. Marcos explicou a importância destes encontros de formação, o lugar do grupo coral na assembleia, a preocupação de celebrar a fé e de ajudar a celebrar e a testemunhar a fé. O grupo coral nasce da assembleia e é parte da assembleia. Na celebração o coro deve ajudar a assembleia, de que faz parte, a cantar melhor, a sentir-se mais segura, com alegria, com preparação adequada, sem atropelos, transparecendo a melodia e a letra, que pertence à Sagrada Escritura ou nela é inspirada.

O Pe. Marcos lembrou alguns vícios ou tentações do grupo coral: de se sentir à parte, fora da assembleia, dos seus membros quererem fazer sobressair a voz acima dos companheiros, de pertencerem ao coro para uma exibição pessoal ou quererem que a participação coral seja sobretudo um concerto e não a vivência e celebração da fé. Os membros do coro, antes de mais, são cristãos que vivem a fé. A inserção no grupo coral há de ser natural ao crescimento da fé.

Entre outros aspetos sublinhou também a necessidade de preparar bem os cânticos, respeitar os ritmos e o sentido dos cânticos, cantar harmoniosamente, nem muito lento nem muito apressado, não martelar as palavras, mas que o texto saia límpido, que os cânticos sejam escolhidos de acordo com o tema da liturgia da palavra e com os tempos litúrgicos. A postura corporal de quem canta, a respiração, a projeção da voz foram outros aspetos sublinhados. O uso dos instrumentos como apoio à voz e não para se sobreporem e a abafarem; tal como o coro é apoio à assembleia, pelo que os cânticos hão de facilitar a participação da assembleia, também os instrumentos são apoio à voz, à melodia, ao texto.

Salmos, cânticos e hinos de louvor, com a harpa e com a lira… Num dos momentos, o Pe. Marcos fez-nos percorrer a Sagrada Escritura (Antigo e Novo Testamento), mostrando como a Bíblia estava ritmada pela música, mormente nos Salmos. A propósito, o salmo 150, referiu, é uma verdadeira orquestra… Quando um solista canta deve lembrar-se que a Palavra não é sua, pelo que a deve pronunciar bem, para que os outros A compreendam e A possam acolher.

Uma das notas bem sublinhadas foi que o grupo coral é um ministério, um serviço em Igreja, está ao serviço da celebração da fé. Os membros do grupo coral têm como missão, antes de mais louvar a Deus em e com a comunidade reunida em assembleia.

No final do encontro a certeza da necessidade de outros encontros de formação, agradecendo ao Pe. Marcos a disponibilidade, a presença e os desafios que nos deixou.

Pe. Manuel Gonçalves, in Voz de Lamego, ano 87/49, n.º 4435, 7 de novembro de 2017

Encontro de Jovens: Vigília de Oração em Tabuaço

dscn7770

Vivemos no passado dia 11 a XXV Jornada Mundial do Doente. Nesse espírito, uma semana depois, na paróquia de Tabuaço mas a nível diocesano, aconteceu, como resposta à proposta do Departamento Diocesano da Pastoral dos Jovens de Lamego (DDPJ) uma vigília de oração pelos doentes. Esse momento de oração foi preparada pelas gentes de Tabuaço, especialmente pelo Grupo de Jovens (GJT). Nessa vigília, motivados pela ação global de recordação e oração em favor daqueles onde o próprio Cristo se diz Presente, fomos convidados à meditação nessa dura realidade: a doença. Porém, como Filhos do Deus Vivo, não ficámos nesse plano, fomos até ao “Médico dos corpos e das almas” e encontrámo-nos com Ele, na certeza de que Ele está onde dois ou três estiverem reunidos em Seu Nome.

O momento de oração foi presidido pelo sr. diácono Luís Rafael Azevedo, presidente do DDPJ e contou com a presença de jovens de outras paróquias que se quiseram associar à dinâmica. A iniciativa teve início pelas 21h00 e terminou cerca de uma hora depois.

Toda a temática da vigília (“O Médico que é Hóspede”) apontou para a integralidade do doente, em que este, estando doente não é doente, mas sim uma pessoa com uma história de vida e uma dignidade inalienável que, naquela fase da vida, tem uma doença. Neste aspeto todos aqueles que acompanham os doentes são essenciais para manter a dignidade destes imaculada. No final, foi entregue uma oração a todos os que estiveram presentes com o intuito de a rezarem nos momentos de maior provação e sofrimento, estando doentes ou acompanhando-os em verdadeira comunhão.

Nesta dinâmica de amparo e união, houve depois da vigília tempo para um “chazinho” no Centro Paroquial para todos aqueles que quiseram conviver um pouco mais. Está de parabéns o GJT pela organização e todos os presentes pela fiel participação. A doença é uma realidade que mais direta ou indiretamente nos toca. Que todos os doentes encontrem a Paz no Deus da Vida.

Diogo Martinho

Seminarista / Grupo de Jovens de Tabuaço

in Voz de Lamego, ano 87/15, n.º 4400, 21 de fevereiro de 2017

Grupo de Jovens de Tabuaço foi ao cinema… ver o Silêncio

image-4

Nestes últimos tempos temos ouvido falar sobre o filme o “SILÊNCIO”

Trata-se de um filme, baseado no romance de Shusaku Endo, católico japonês, que narra a história de dois padres jesuítas portugueses, Sebastião Rodrigues e Francisco Garpe, que como missionários vão para o Japão. Têm como missão descobrir o paradeiro de um outro padre, Cristóvão Ferreira, que depois de torturado, terá renegado a sua fé.

Por tudo o que nos vinha chegando, parecia ser um filme que nos colocava várias questões, relativamente às dúvidas de fé, às de fidelidade, ao silêncio de Deus…

Sentindo o desafio de nos questionarmos, o Grupo de Jovens da nossa paróquia foi, no passado sábado, 11 de fevereiro, ver o filme. Depois de nos acomodarmos confortavelmente nas cadeiras da sala, não esquecendo as pipocas, lá começamos a vê-lo.

Com o decorrer do filme vai-se instalando o suspense entre todos. Algumas das cenas vividas despertam-nos para realidades muito presentes, como a perseguição aos cristãos!

No final ficamos todos um pouco baralhados. A necessidade de refletirmos sobre o que vimos era evidente. Esse era o objetivo! Interpelarmo-nos sobre o que sentimos e, de certa forma, identificar, nas nossas vidas, situações semelhantes, de dúvida, hesitação, interrogação do silêncio de Deus.

Brevemente, numa próxima reunião do grupo, teremos um tempo de reflexão sobre o que vimos e sentimos. Acredito que todos sairemos mais fortalecidos na fé e no amor a Deus!

Graça Ferraz, Grupo de Jovens de Tabuaço

in Voz de Lamego, ano 87/14, n.º 4399, 14 de fevereiro de 2017

Tabuaço preparou e viveu festa em honra da Padroeira

dsc_0093

Imaculada Conceição

“É fácil ser Deus. Difícil é ser homem.”

Esta foi uma das citações, entre algumas passagens bíblicas e outras tantas “estórias”, que o Rev.º Padre Joaquim Proença Dionísio, convidado do nosso Pároco Padre Manuel Gonçalves, usou para prender a atenção dos paroquianos que, deixando o conforto das suas casas, participaram na novena da Nossa Senhora da Conceição.

Como não podia deixar de ser, o nevoeiro, que é presença habitual nestes dias, não impediu que durante nove noites as pessoas se reunissem para rezar e ouvir palavras sábias saídas do coração do orador.

Ao nono dia ouvi alguém dizer: – Podíamos prolongar a novena que continuaríamos a ouvir o Sr. Padre da mesma maneira, com o mesmo entusiasmo.

E Maria esteve sempre nas nossas orações. Ela é e continuará a ser o nosso modelo de mulher e de mãe. A sua maternidade é o princípio e fundamento de todas as grandezas de Maria: cada um dos privilégios que lhe foram concedidos são consequência da sua eleição para Mãe de Deus.

Como Mulher, aceitando a missão de ser mãe, vivendo na santidade do seu exemplo, usando a suavidade das suas consolações, vendo a eficácia das suas preces, envolvendo-se no seu manto de humildade. Como Mãe, sabia que o seu Filho estava destinado a percorrer um caminho nem sempre fácil. Participou e colaborou com Ele duma maneira muito próxima porque entendeu a Sua missão.

Também cada cristão é chamado a participar nessa vivência, a dignificar-se e aproximar-se cada vez mais do modelo de Jesus. Na comunidade, na vizinhança, no trabalho e muito especialmente na família.

“Seguir, conhecer, confiar”.

Não O vemos, não O tocamos, mas sabemos que Ele está presente e nos ouve. Saber ouvir é uma virtude. Será que nos tempos que correm sabemos ouvir? Sabemos agradecer? Sabemos pedir desculpa? Sabemos perdoar?

“Perdoar liberta!”

Estamos sempre a tempo de desenvolver atitudes de Fé e de viver os seus mistérios. A tolerância, o respeito e a compreensão são valores que devemos cultivar. Mais ainda porque neste momento vivemos tempos de intolerância e fanatismos exacerbados que levam milhares, senão milhões de pessoas em todo o mundo, a um estado de sofrimento tal que não nos devem deixar indiferentes.

Depois de nove dias de reflexão propostos pelo Sr. Padre Joaquim Dionísio, eis que os fiéis enchem a igreja de Tabuaço para a celebração em honra da Nossa Senhora da Conceição. O corpo de Bombeiros e a Banda de Sendim deram maior brilho à procissão que percorreu algumas ruas da vila com o andor de Nossa Senhora.

Os paroquianos de Tabuaço ficam à espera duma próxima visita do Sr. Padre Joaquim Dionísio, com a alegria de quem ficou com o coração cheio.

M. Cidália P. Santos, in Voz de Lamego, ano 87/06, n.º 4391, 13 de dezembro de 2016

Paróquia de Tabuaço | Sacramento do Crisma 2016

IMG_2359

No dia 16 de julho de 2016, pelas 16h00, a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Tabuaço esteve em festa: treze jovens receberam o Espírito Santo sob o sinal da imposição das mãos e da unção do óleo do crisma por Sua Excelência Reverendíssima o senhor Bispo de Lamego, D. António Couto.

Nesta celebração estiveram presentes, para além do Sr. Bispo e do Sr. Padre Manuel, o Sr. Padre João Carlos, o Sr. Padre Ildo, o Sr. Padre Jorge Giroto e o Sr. Padre Duarte Lara, o que demonstra de forma visível a unidade da Igreja.

O grupo de crismandas contou com 9 jovens de Tabuaço, acolhendo também três jovens da Paróquia de Arcos e uma da Paróquia de Valença do Douro. A preparação imediata, com pregação na Eucaristia, contou com a prestimosa participação dos reverendos Pe. Diamantino Alvaíde e Pe. Jorge Giroto. Ler mais…

Falecimento do Pe. Filipe Gonçalves da Fonseca

(Pe. Filipe, primeiro da direita para a esquerda)

O Senhor, na Sua Infinita misericórdia e sabedoria, chamou a Si o reverendo Pe. Filipe Gonçalves da Fonseca, natural de Penude, a viver em Tabuaço, zona pastoral onde exerceu grande parte do seu ministério sacerdotal.

Nos últimos dias, as condições de saúde degradaram-se acentuadamente. Na noite de domingo para segunda-feira, foi-lhe administrada a Santa Unção e na segunda-feira deu entrada nas Urgências do Centro Hospitalar, em Vila Real, ficando em observação e a realizar diversos exames.0177

(Pe. Filipe, primeiro da direita para a esquerda)

Nasceu a 14 de outubro 1932, na paróquia de São Pedro de Penude, no lugar do Granjal. Filho de Francisco Rodrigues da Fonseca e de Emília Gonçalves. Foi ordenado a 15 de agosto de 1955. Começou por ser pároco em Vale de Figueira a Velha, seguindo-se Pretarouca e Feirão.

Viria a fixar-se em Tabuaço, tendo sido pároco de Paradela, Távora, Granjinha e Sendim. Atualmente, era Capelão no Lar Maria Barradas, na paróquia de Barcos.

Faleceu na manhã de 6 de novembro de 2015.

O VELÓRIO far-se-á na Igreja Paroquial de Tabuaço

DSC07329

(Pe. Filipe, ao lado do Senhor D. Jacinto. Segundo sacerdote a contar da direita para a esquerda)

FUNERAL e celebrações:

dia 7 de novembro | sábado

9h00 – Missa exequial na Igreja Paroquial de Tabuaço

Seguirá para a sua terra natal, São Pedro de Penude.

11h00 – Missa Exequial na Igreja Paroquial de Penude, presidida pelo Senhor Bispo, D. António Couto.

A Diocese de Lamego une-se em oração à família, aos amigos, às comunidades em que serviu, e à paróquia natal, em oração, agradecendo a Deus o dom da sua vida e no seu ministério pastoral.