Arquivo

Posts Tagged ‘Paróquia de Lazarim’

Ordenações Diaconais | Diogo Rodrigues | Testemunho Vocacional

diogo-rodrigues1

MISERICÓRDIA DE DEUS

Chamo-me Diogo Rodrigues, sou do lugar de Mazes, da freguesia de Lazarim deste concelho de Lamego. Venho de uma família de três irmãos, sendo eu o mais velho.

Não me lembro do “surgir” da minha vocação. Lembro-me de na escola primária ter dito que queria ser padre e toda a gente achou estranho. Nesse seguimento, manifestei o desejo aos meus pais e eles falaram com o meu pároco, Pe. Agostinho Ramalho, e ele convidou-me, juntamente com um colega da minha terra a fazermos a experiência de pré-seminário.

Feita a experiência, fiz o percurso do Seminário Menor durante seis anos e ingressei no Seminário Maior onde estive durante seis anos, em Lamego, Viseu e Braga.

Ao terminar o percurso do Seminário, a passos largos da Ordenação Diaconal, o que poderei dizer acerca da minha vocação? Que ela nos mostra verdadeiramente o amor de Deus, antes de mais voltado, para todos os seus filhos, chamados à vocação baptismal, e depois porque segundo o seu coração deseja dar pastores ao seu povo. Assim, o Senhor é verdadeiramente o autor da minha vocação e é Ele o verdadeiro protagonista. Por isso continuo a crer  na sua misericórdia para comigo e a desejar tal como os discípulos a amá -lo cada vez mais.

Ao fazer-vos passar a minha história de vida, peço-vos mais uma vez que rezeis por todos os Seminários e seminaristas, pedindo ao Senhor da Messe que envie trabalhadores para a sua Messe.

Diogo Rodrigues, in Voz de Lamego, ano 87/51, n.º 4387, 15 de novembro de 2016

Missa Nova do Padre Amadeu Lino

Padre_Mário_lino

Deus quer, o homem sonha, a fé nasce. Inspirado na célebre frase de Fernando Pessoa, Amadeu Lino não descansou enquanto não concretizou o seu sonho lindo puro da infância em ser “Padre” com o imperativo de Deus.

A Igreja Paroquial foi pequena para colher tanta gente que quis estar presente na missa nova de um filho da terra – Padre Amadeu Lino, no dia 20/12/15, às 16 horas. Foi coadjuvado com o seu pároco, três padres e ainda um acólito. Pertence à diocese de Beja. Por razões óbvias o Presidente da Edilidade – Eng Francisco Lopes enviou uma mensagem através do seu pároco. Esteve em peso toda a Junta de Freguesia e outros membros da Assembleia de Freguesia.

Nunca tinha assistido a uma missa nova e adorei na forma de estar no altar, como amor provado a Deus. O seu sorriso era o retrato vivo da alegria e de felicidade. Os olhos ficam brilhantes. Quase se perdem no infinito. A voz treme, a emoção é muita e as palavras enrolam-se de Fé.

Esta manifestação de Fé notada naquela tarde faz parte da nossa entidade como povo, e apresentou uma beleza incontornável. Vai ser rapidamente uma referência na “Diocese de Beja” pela forma inovadora de estar e pela enorme interacção com os paroquianos.

Os presentes ficaram suspensos na alocução da homilia com o encadeamento da palavras de um acto de Fé, a culminar em alegria e em bênção que traçou como guia e farol o caminho de Deus verdadeiro programa de vida: idoneidade e sagacidade; espiritualidade e humanidade; exemplaridade e felicidade; caridade e verdade; respeito e humildade.

Ao fim houve um lanche – convívio numa das salas da ex. escola primária.

Esta manifestação de Fé vale mais do que mil palavras.

Viriato Lemos,  in Voz de Lamego, ano 86/09, n.º 4344, 5 de janeiro de 2016

Ordenação de Presbítero | Pe. Amadeu Gonçalo Vaz Lino

1090

No passado dia 8 de dezembro, Solenidade da Imaculada Conceição, a Igreja ficou mais enriquecida com a ordenação de seis novos sacerdotes na Diocese de Beja. Entre eles está o Pe. Amadeu Gonçalo Vaz Lino, nascido em Lisboa, vivendo com seus pais Joaquim Lino e Laurinda Vaz, e seus irmãos na paróquia de Lazarim, da nossa diocese de Lamego. Estudou no nosso Seminário Maior até ao 6º ano e depois foi para terras mais planas, o Alentejo. Terminou os seus estudos em Lisboa  e foi ordenado sacerdote com mais seis colegas

A ordenação presbiteral deste seis presbíteros, teve lugar na Capela do Seminário de Beja, pequena para tantos  fiéis que participaram na  Eucaristia, presidida por D. António Vitalino e o Bispo seu sucessor  – D. João Marcos.

A presença de meia centena de Sacerdotes, mostrou bem a comunhão sacerdotal  e a alegria de ver  aumentar o número de Sacerdotes nessa diocese alentejana.

Como é belo pensar que a Igreja não é fechada a uma paróquia, a uma diocese, a um país. Ela é aberta a todo o Mundo, porque é Universal. Nenhum dos seis  novos presbíteros tinham raízes familiares em Beja, ou até no Alentejo; três vieram do Brasil, um da Nigéria, um de Lisboa e o Pe. Amadeu da nossa Diocese.

Na homília o Senhor D. António Vitalino, agradeceu a Deus o chamamento destes novos servidores, de origens diferentes, chamados do meio do povo, em lugares diferentes e distantes, não para serem servidos mas para servir, serem enviados em serviço para o povo de Deus.  Ser « um serviço de alta qualidade, pois não possuem prata ou ouro, mas o Espírito de Jesus, que oferece a sua vida pelo povo, para que este tenha vida e a tenha em abundância» (Cf At 3,6).

Louvo também o Senhor, pelo facto do Pe. Amadeu ser meu paroquiano e agora vê-lo e tê-lo como meu colega e trabalhador na mesma vinha do Senhor.  A localização da vinha é diferente porque não tem tantos montes e vales como na nossa diocese, mas a planície do Alentejo, faz ver que a vinha é enorme e que os filhos e filhas de Deus estão prontos a acolher o mensageiro do Amor de Deus, dispensador da Misericórdia e do Perdão.

Parabéns Pe. Amadeu e que Mossa Senhora te ajude sempre a caminhar nesse longo e belo Alentejo, amando sempre Jesus Cristo no amor aos irmãos.

Pe. Agostinho Ramalho, in Voz de Lamego, ano 85/54, n.º 4341, 15 de dezembro

D. ANTÓNIO COUTO em Visita Pastoral na PARÓQUIA DE LAZARIM

Visita-Lazarim2

 

Palavra do Pároco

Ex.mo e Rev.mo Senhor Bispo, D. António José Rocha Couto

 

É com muita alegria que a comunidade paroquial de São Miguel de Lazarim o recebe, neste dia do Senhor, o Domingo, para louvarmos este Deus que nos ama.

O Pastor vem até nós para nos visitar, para nos conhecer, ensinar e fortalecer-nos com a força do Espírito como sucessor dos Apóstolos na missão de governar a Igreja que lhe foi confiada. Bem haja pela sua presença amiga, pela sua alegria contagiante, na simplicidade que nos transmite e ensina, a exemplo de Jesus Cristo o Bom Pastor.

Em terras do Sudeste do nosso arciprestado de Lamego, escondidos entre montes e vales, subindo até aos altos de Mazes e Perafita, saboreando a belíssima paisagem que regala a vista, descobrimos sempre a presença de Deus nas coisas criadas e nas pessoas que na nossa terra vivem. Por isso, como cristãos, sentimos a necessidade de termos o Pastor que nos orienta na caminhada para chegarmos ao abraço com o Pai que nos ama e a todos chama à salvação. Queremos que esta visita pastoral nos abra o coração, para sentirmos que a vida cristã não pode ser, em ter/estar tudo feito, mas, em sabermos que tudo tem de ser feito continuamente. O cristão não pode parar para sempre, a exemplo do homem da grande colheita!… não pode dizer que já tem tudo porque muitíssimo lhe falta.

Senhor D. António pedimos a Deus por si, que Ele como Pai lhe dê tudo para poder governar a nossa Diocese, para rezar por nós para sermos cristãos à imagem, à semelhança da primeira comunidade cristã: «Eles mostravam-se assíduos ao ensinamento dos Apóstolos, à comunhão fraterna, à fração do pão e às orações» (Act 2, 42).

A sua presença em terras de Lazarim é prova evidente de que o Pastor se interessa pelas suas ovelhas. Começou por visitar os mais debilitados, pesados pelos anos vividos, mergulhados no leito porque a doença os impede de caminhar nas ruas íngremes da nossa terra. Já não podem ir à celebração da Eucaristia à Igreja ou à capela, mas o Senhor Bispo levou-lhes a Eucaristia a casa e que eles tanto agradeceram.

Olhando as crianças vemos a alegria contagiante que elas transmitem ao ver o Senhor Bispo, é algo novo que algumas nunca viram. A sua imagem ficará gravada nas suas memorias para sempre.

Os nove adolescentes/jovens que frequentaram os dez anos de catequese, querem ser hoje crismados, confirmados por vossa Excelência Reverendíssima. Querem dizer a todos nós que assumem o compromisso de serem enviados, levando aos outros Jesus vivo, que Ele está para sempre vivo, que morreu mas ressuscitou. Que estes jovens sejam testemunhas de Jesus em todo o espaço onde se encontrarem, não tenham vergonha de se afirmarem como cristãos ajudando aqueles/aquelas que mais adormecidos/as andam na vida.

Senhor Bispo, que a sua presença no meio de nós, nesta comunidade paroquial de Lazarim, seja benéfica para todos, sem excepção, nos dê força e luz para sermos cristão mais conscientes do Batismo que recebemos.

Como nos diz a liturgia deste V Domingo da Páscoa, nomeadamente S. João, ser cristão é acreditar em Jesus e amar o próximo como Ele nos amou. Diz o Apóstolo: «não amemos com palavras e com a língua, mas com obras e em verdade».

O Evangelho de hoje também nos diz como nós cristão devemos viver no meio do mundo. Através da metáfora da videira, dos ramos e dos frutos, Jesus diz que o centro da vida do cristão deve ser Ele: «Eu sou a verdadeira vide e meu Pai é o agricultor. Eu sou a videira, vós sois os ramos. Se alguém permanece em Mim e Eu nele, esse dá muito fruto» (Jo 15, 1-8). Saibamos permanecer sempre em Jesus.

Que Maria Santíssima, Mãe de Deus e nossa Mãe, neste dia da Mãe, o abençoe sempre e a todas as mães.

Bem haja senhor Bispo.

Pe. Agostinho Ramalho, in Voz de Lamego, n.º 4312, ano 85/25, de 5 de maio de 2015