Arquivo

Posts Tagged ‘Paróquia de Lamosa’

25.º Aniversário do Centro Social e Paroquial de Lamosa

A 19 de Março de 1992 começou a longa história da nossa Instituição, com a abertura do Centro de Dia e Apoio Domiciliário, em instalações provisórias da Casa do Povo. Mais tarde, a 18 de Agosto de 1998, foi inaugurado o edifício onde ainda hoje o Centro Social Paroquial de Lamosa segue a sua missão. A prestação de respostas sociais procura promover o desenvolvimento integral da comunidade, especialmente dos idosos em situação mais desfavorecida, através de um acompanhamento personalizado e contínuo, tendo como pilar o espírito da solidariedade social.

Vinte cinco anos depois, a 19 de Março de 2017, celebramos e homenageamos as pessoas que marcaram e marcam a vida da nossa Instituição, prosseguindo o nosso trabalho, assente sobre os valores da afetividade e da solidariedade social, sempre numa perspetiva de melhoria contínua do serviço prestado aos nossos utentes. Ler mais…

D. António Couto no Centro Social Paroquial de Lamosa

lamosa2

“Não devemos permitir que alguém saia da nossa presença

sem se sentir melhor e mais feliz.”

Madre Teresa de Calcutá

 

Há dias que nos marcam por tanto marcarem quem nos importa. Foi de uma solenidade tremenda receber o Bispo Dom António Couto no nosso Centro Social Paroquial de Lamosa. Alguém que, através do seu sorriso, rasgado e sereno, invade e conquista tão rapidamente o coração das pessoas e que nas suas palavras revela uma enorme sapiência e amabilidade.

Foi uma visita carregada de sorrisos, emoção, momentos de oração e, sobretudo, de alegria espiritual. Esta alegria que tão notória se revelou no rosto de todos os presentes, desde o momento da receção até à despedida.
A receção foi preparada cuidadosamente, com a declamação de.um poema realizado propositadamente para este dia, seguido de um momento musical protagonizado pelos utentes que entoaram  uma musica característica da freguesia de Lamosa. Após esta entrada triunfal seguiu-se a missa, momento impar na vida de todos presentes. Para terminar esta visita foi realizado um almoço em jeito comemorativo e de despedida, com a oferta de alguns presentes simbólicos ao Bispo Dom António Couto. Também neste contexto foi apresentado um vídeo, onde os utentes foram as personagens principais, que assim, antecipando o feliz dia que se avizinhava, agradeceram a visita do Senhor Bispo ao nosso CSP Lamosa. A sua passagem pela nossa instituição fez jus à citação inicial, pois a sua presença tornou-nos melhores e mais felizes. Esta rececão com certeza ficará gravada na memória de toda a gente, pois a duração dos acontecimentos é irrelevante quando as palavras e os gestos que os marcam são tão unificadores.

Para terminar destacamos o poema declamado no momento de receção que, no seu término, com um viva gritado em uníssono e uma largada de pombas, é revelador e elucidativo da importância que teve esta visita no nosso tão amado Csp Lamosa.

VISITA PASTORAL BISPO DOM ANTÓNIO

Hoje no nosso Centro Paroquial

Em todos os corações há alegria.

Estes momentos de Visita Pastoral

Vão marcar a nossa alma neste dia.

Senhor Dom António nós o saudamos.

Queremos-lhe dizer muito obrigado

por ter vindo até nós e desejamos

que Deus o acompanhe em todo o lado

Na nossa pequena comunidade,

em Lamosa a nossa terra querida,

sentimos hoje  muita felicidade

que vai dar mais alento à nossa vida.

Este dia para nós tão importante,

Senhor Bispo não vamos esquecer.

A sua visita tão reconfortante,

foi dentro de nós um amanhecer.

Viva o Senhor Dom António, viva

Neste dia muito especial

Viva também a sua comitiva

E todos, todos nós em geral.

VIVA

in Voz de Lamego, ano 86/36, n.º 4372, 19 de julho de 2016

Passeio Anual do Centro Social Paroquial de Lamosa

lamosa

“O segredo da genialidade é conservar o espírito de criança até à velhice, o que significa nunca perder o entusiasmo.”

Realizou-se no dia 1 de junho, dia mundial da criança, o passeio anual do Centro Social Paroquial de Lamosa a Lamego e Salzedas, daí fazer todo o sentido usar a citação introdutória de Aldous Huxley. São estes passeios, de cariz notoriamente religioso e cultural, que fomentam o entusiasmo pela vida, uma vez que vão de encontro aos interesses e preferências dos nossos utentes.

Choveu abundantemente nas semanas que antecederam esta viagem, porém, no dia 1 de junho, o sol não se fez rogado e sorriu para nós, embelezando este dia tão marcante para todos. Com saída da instituição marcada para as 8 horas da manhã tínhamos como objetivo visitar o Arquivo – Museu Diocesano de Lamego às 10 horas da manhã. E assim foi, visitámos o museu, muito bem auxiliados pelo guia que tão bem nos eludiu sobre todo o espólio exposto e ao qual agradecemos pela prestabilidade concedida durante toda a visita. Passámos também pela Sé de Lamego e pelos seus esplendorosos claustros, onde, quase que obrigados pela arrepiante beleza do local, foi feito um registo fotográfico de grupo. Seguidamente e tal como planeado, os utentes tiveram oportunidade de assistir a uma missa, celebrada pelo Presidente da instituição, Padre Tiago Cardoso, na Igreja do Espírito Santo pelas 11horas e 30 minutos. Seguiu-se o almoço e visita ao Santuário de Nossa senhora dos Remédios, que tanto significa para os nossos utentes. Após a visita ao Santuário, onde tivemos a oportunidade de admirar a beleza paisagística, partimos em direção a Lamosa de volta à nossa instituição, passando antes por Ucanha e Salzedas, com o intuito de visitar o Mosteiro Cisterciense de Salzedas, que se mostrou tão imponente perante o olhar espantado de todos. Ao chegarmos ao Centro Social Paroquial de Lamosa era inequívoco, através da satisfação expressa pelos comentários e sorrisos, que este foi um dia carregado de solenidade, emoção e devoção.

Tendo em conta que este passeio se realizou no dia Mundial da Criança e que o trabalho realizado pelo CSPLamosa destina-se a uma população mais velha, importa finalizar este pequeno texto, reiterando que a defesa pela dignidade da pessoa humana é um imperativo, independentemente desta se enquadrar numa faixa etária mais velha ou mais nova. A vida humana tem, impreterivelmente, de se esvaziar de todos os preconceitos idadistas, pois só existe uma verdade inegável, a qual Khalil Gibran definiu perfeitamente, exortando que “a morte não está mais perto do idoso do que do recém nascido. NEM A VIDA”.

in Voz de Lamego, ano 86/31, n.º 4367, 14 de junho de 2016