Archive

Posts Tagged ‘Paróquia da Sé’

Profissão da Fé na Paróquia da Sé

O domingo em que celebramos em particular a Santíssima Trindade, o nosso Deus único em três Pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo, foi escolhido para que as 35 crianças do 6º ano, quase adolescentes, professassem a sua Fé neste mesmo Deus, que tem guiado e iluminado o seu caminho catequético até aqui.

Vestidos de branco, símbolo da pureza do seu coração juvenil, segurando nas mãos a vela do Baptismo que foi acesa pelos Pais que em tempos os apresentaram a Deus e á Igreja, renovaram as promessas feitas por Pais e Padrinhos, comprometendo-se a seguir os caminhos de Deus e a trabalhar para manter sempre acesa a Luz de Jesus, a Luz da Fé, que, como lembrou o Sr. Pe. José Ferreira, tem que ser continuamente cuidada e renovada, como o azeite da candeia, para que não esmoreça nem se apague.

Terminam este ano o ciclo da Catequese da Infância; esperamos por todos eles no próximo ano, agora integrando a Catequese da Adolescência, pois Deus quer ser uma presença constante nas suas vidas e depende deles e dos seus Pais deixarem que isso aconteça.

Aos Pais fica a mensagem: não deixem que os vossos filhos enfrentem sem Deus um período tão turbulento, incerto e por vezes assustador até para os jovens, como é a adolescência; dai-lhe não só o vosso conforto, atenção e amor, mas permiti que também encontrem tudo isso na presença amorosa de Jesus. Apoiai-os e incentivai-os.

Aos jovens: não pensem que a Igreja não tem mais nada para vos dar, ou que já não devem nada mais á Igreja; somos todos nós que formamos a Igreja, cada um de vós tem o seu lugar único e insubstituível que ninguém pode ocupar; a comunidade, os jovens, os vossos colegas, contam convosco para continuarmos a nossa missão de dar testemunho de Jesus.

E para tudo o que precisarem, a vossa comunidade está sempre aqui.

CONFIEM EM NÓS. CONFIEM EM JESUS.

in Voz de Lamego, ano 87/31, n.º 4416, 13 de junho 2017

Pedras vivas Festa dos Adolescentes

No Domingo, dia 28 de Maio, iniciamos a Missa das 10 na Sé catedral de Lamego dizendo: Estamos aqui para fazer festa! E fizemos a festa da Aliança de Amor entre Deus e o homem em Jesus Cristo, porque sabemos que Ele é o caminho da Bem-Aventurança, Ele é a vida e Ele nos envia como testemunhas. Pedimos perdão pelos erros, pelas vezes que não O reconhecemos no outro, por termos desanimado e por termos rejeitado a esperança.

Ouvimos que Jesus disse: “Não vos cabe saber os tempos e os momentos que o Pai determinou com sua própria autoridade. Mas recebereis o poder do Espírito Santo que descerá sobre vós, para serdes minhas testemunhas…”; ouvimos que Jesus subiu ao Céu perante testemunhas e que virá do mesmo modo; ouvimos que Deus manifestou a Sua força em Cristo e que está bem acima de toda a autoridade, poder, potência, soberania, ou qualquer título… e não somente neste mundo, mas ainda no futuro; ouvimos que Ele é a Cabeça da Igreja que é o seu corpo, a plenitude daquele que possui a plenitude universal. Ler mais…

PRIMEIRA COMUNHÃO NA PARÓQUIA DA SÉ

As crianças do 3.º ano celebraram este domingo a sua Primeira Comunhão; ocasião especialmente festiva porque, para além da já habitual celebração do Dia da Mãe e do Mês de Maria, que na nossa paróquia fazemos sempre coincidir com este marcante momento da vida cristã, estas crianças receberam Jesus pela primeira vez a apenas uma semana do Centenário da primeira aparição da Senhora de Fátima, da chegada do Papa Francisco na sua primeira visita a Portugal, e da Canonização dos Pastorinhos, crianças como eles, que são o grande exemplo de amor a Jesus e a Sua Mãe.

O clima era, claro, de festa.

Famílias alargadas partilharam da alegria e emoção das crianças e seus pais; as crianças da catequese vibraram com os seus colegas, umas revivendo o seu “dia especial”, outras antecipando-o; irmãos , primos e amigos mais novos encheram a Sé de palreios e gorjeios, cumprindo o pedido de Jesus – “Deixai vir a Mim as criancinhas”; toda a comunidade se sentiu unida e feliz, apesar de muitos terem assistido em pé e um bocadinho mais desconfortavelmente, tão numerosa era a assembleia.

Depois, na catequese do 4º ano, tivemos oportunidade de meditar sobre o que significou para cada um de nós o facto de recebermos Jesus, e o que mudou na nossa vida:

Somos mais amigos uns dos outros ?

Somos mais cumpridores da vontade de Deus?

Vamos á Missa com mais vontade? Estamos mais atentos?

Respeitamos mais pais e professores?

Trabalhamos com mais afinco?

Confiamos em Deus?

Esta é uma oportunidade de rever o que temos que melhorar na nossa vida.

O Espirito Santo  tocou o nosso coração e o de todos os presentes, não O ignoremos.

IM, in Voz de Lamego, ano 87/26, n.º 4411, 9 de maio de 2017

Curso Bíblico “Nossa Senhora na Bíblia”

Pelo 10.º ano consecutivo decorreu em Lamego mais um Curso Bíblico, de organização conjunta das Paróquias de Almacave e Sé, contando como orientador pelo 4.º ano o Bispo de Lamego D. António Couto, que mais uma vez partilhou os seus dons de orador e de sabedoria que a todos cativa.

Nos três dias do Curso, de 4 a 6 de Abril, as mais de 150 pessoas presentes no Centro Paroquial de Almacave, de diversas paróquias do Arciprestado de Lamego, puderam ouvir falar de Maria e do seu papel de Mulher e Mãe, descrito na Bíblia, desde a Anunciação do Anjo até à Ressurreição de Jesus.

Estando a decorrer o Centenário das Aparições de Nossa Senhora em Fátima, a escolha do tema foi pertinente pela sua contemporaneidade e pela necessidade de percebermos a docilidade e afabilidade da “Virgem desposada”  que disse o Seu SIM a Deus e se tornou a “Arca do Senhor” carregando no Seu ventre o Salvador Jesus Cristo.

Foram percorridas diversas Orações, desde a Avé-Maria, ao Magnificat a primeira oração de Maria, passando pela primeira oração a Maria, no ano 300, mostrados os textos dos Evangelistas que escreveram sobre Ela e no-La deram a conhecer através da Palavra de Deus, num caminhar constante de descoberta da beleza da Vida de Maria, enquanto presente fisicamente na Terra.

Foi-nos ainda apresentada Nossa Senhora como a “compositora” que guardava no Seu coração tudo o que se passava, como um “vaso que recebe”, numa alusão ao nosso modo de vida que deverá “ser um vaso como Maria com docilidade e disponibilidade para tornar a Palavra de Deus fecunda na nossa vida”. Assim com e como Ela se poderão abrir caminhos novos na nossa vida, para nós e para os outros.

A figura de Maria, apresentada na Bíblia, ora como MULHER, ora como MÃE, a serva do Senhor, é assim “a compositora que compõe tudo com extrema carinho e tece a Sua melodia da Alegria” e que “canta Deus como nós o fazemos no Terço”, foi assim ao longo dos três dias que tivemos a graça de A descobrir na sua beleza, docilidade, oferta e doçura pela palavras proferidas por D. António do Couto

Sendo Maria a Medianeira de todas as graças, é Ela que vai “(re)lembrando” a Deus e ao Seu Filho as nossas necessidades e anseios, no Seu olhar de doçura maternal, ouvindo os nossos gritos e súplicas e depondo-as junto do Pai e do Filho para obtenção  das graças divinas.

Isolina Guerra, in Voz de Lamego, ano 87/22, n.º 4407, 11 de abril de 2017

Paróquia da Sé: Festa da Igreja

pedras-se

Cerca de 40 crianças do 5º ano da catequese da paróquia da Sé reuniram-se em volta do altar na Missa das 10 horas para partilharem com a comunidade cristã a alegria que sentiam por pertencerem a esta comunidade e, com todos nós, serem IGREJA.

Igreja viva, em crescimento, dinâmica e cheia de energia, como comprovaram estes meninos e meninas, felizes por estarem tão perto de Jesus, e a ser objeto das atenções dos seus familiares e amigos perante os quais reafirmaram o seu compromisso em continuar a ser construtores da igreja de todos nós; o nosso futuro como comunidade cristã.

Como sinal desse compromisso, cada criança depositou numa bandeja a sua fotografia, aos pés duma lindíssima imagem da nossa Sé ( primorosamente desenhada pelo Grupo de Jovens, sempre pronto a colaborar – parabéns jovens ! ).

Palpável foi também a alegria geral das crianças da catequese, entusiasmadíssimas com a festa dos seus colegas, questionando todos os passos do seu compromisso, querendo esclarecer tudo o que se passava e ansiando já pelo momento em que chegaria a altura de elas próprias darem testemunho.

E é assim, uns com os outros, vendo e testemunhando, rezando juntos e estando lá para os irmãos, que cresce a nossa comunidade, unida e fraterna, como Jesus quer.

in Voz de Lamego, ano 87/12, n.º 4397, 31 de janeiro de 2017

A celebração do Natal do Senhor tem o seu ponto alto na Missa do Galo

pedras-missa-do-galo

Cumprindo a tradição, mas não só, também por convicção, os cristãos da nossa diocese, das paróquias irmãs da Sé e de Almacave, de Cepões, Cambres, Avões, Penude, Britiande, e muitas mais, reencontraram-se na Sé de Lamego para juntos celebrarem a primeira Eucaristia do Dia de Natal.

Para muitos é um reencontro anual, em particular para os filhos da terra ausentes que nesta época retornam á terra onde cresceram para passar “as festas”.

É, por todos os motivos, uma missa mágica e emocionante, vivida com um espírito muito próprio, impossível de reproduzir noutras celebrações, e que, com as memórias das muitas Missas do Galo da nossa infância, estabelece um fio condutor que reafirma a nossa identidade de cristãos, Filhos de Deus, unidos á volta do Menino, um sentido de pertença que não nos deixa desviar do que é importante na nossa vida.

Este ano tivemos connosco, não física mas espiritualmente, os nossos irmãos cristãos das terras massacradas da Síria e do Iraque, que finalmente puderam celebrar o Natal, mas em igrejas em ruínas , desabrigados do frio intenso, sem condições de conforto, mas imensamente felizes por poderem rezar e estar juntos ! Que lição para nós, cristãos acomodados !

Foi uma missa alegre, mas sempre com a inquietude de espírito que advém de sabermos que ainda há quem seja perseguido por ser cristão, e por eles rezamos sempre, não só hoje,mas ao longo de todo o ano.

O beijo com que recebemos o Menino Jesus irá transformar-se ao longo de 2017 num grande beijo a todos os nossos irmãos em Cristo, sob a forma de oração, caridade, misericórdia, uma mão estendida, um gesto de carinho…

IM, in Voz de Lamego, ano 87/08, n.º 4393, 3 de janeiro de 2017

Lamego no XI Festival Nacional Jovem da Canção Mensagem

jovens-se-fatima4

Decorreu em Fátima no passado sábado, 10 de Dezembro, o XI Festival Nacional Jovem da Canção Mensagem, organizado pelo Departamento Nacional da Pastoral Juvenil, com o tema “Bem-aventurados os misericordiosos porque alcançarão misericórdia”. Contou com a participação de várias dioceses do país, incluindo Lamego, representada pelo Grupo de Jovens da Sé.

O dia começou bem cedo, com saída de Lamego às 7h para que pudéssemos participar nas actividades preparadas pela organização para os grupos participantes: workshops e reflexões sobre a mensagem em forma de canção e, naturalmente, os devidos ensaios e testes de som para que nada falhasse no momento de actuar. Partimos com a expectativa de partilhar mais uma experiência em grupo e com outros jovens do país inteiro, sempre com Cristo no horizonte. Foi precisamente isto que encontrámos, jovens com vontade de cantar a misericórdia, dispostos a partilhar alegria, boa disposição e, sempre que necessário, material sonoro.

À noite, depois de um dia preenchido, chega a hora de mostrar às claques das dioceses as canções e, acima de tudo, a mensagem na qual os grupos colocaram o seu trabalho e empenho. Às várias canções, a plateia do Centro Pastoral Paulo VI ia respondendo com um entusiasmo muito próprio e que por si justificava o esforço dos participantes. No entanto, haviam ainda os prémios e, neste departamento, o júri reservou a Lamego o 3º Lugar, atribuindo a Vila Real o 2º Lugar e o prémio de vencedor à diocese de Lisboa. O prémio maior, ainda assim, foi a partilha de Fé que se viveu entre todos durante o dia.

Não podemos deixar de agradecer ao nosso DDPJ, por todo o apoio na preparação para o Festival, à organização por toda a disponibilidade e aos jovens que vieram connosco de Lamego para viver esta experiência e sem os quais ela não faria sentido.

Tiago Torres, GJS,

in Voz de Lamego, ano 87/06, n.º 4391, 13 de dezembro de 2016