Arquivo

Posts Tagged ‘Palavra de Deus’

Editorial Voz de Lamego: Uma alavanca e um ponto de apoio

Vivemos um tempo especial, um tempo novo, um tempo diferente! Porque o tempo é sempre novo e sempre especial, se assim fizermos com que a nossa vida seja diferente e se renove em tudo quanto sonhamos, dizemos e fazemos.

Como cristãos, a novidade vem do Evangelho, é-nos dada por Jesus. Pelo Batismo, tornamo-nos novas criaturas, não para um momento, não para cristalizarmos no passado (ou no início da vida cristã), mas para que novos sejam os Céus e a Terra, constantemente, contando connosco, com o nosso empenho e compromisso na transformação do mundo que habitamos.

Por certo já todos ouvimos falar em “alavancar”! É uma palavra que muitos utilizam para justificar investimentos, explicar políticas e opções económicas. Em tempo de campanha eleitoral é possível que venham ao de cima as alavancagens e também os apoios.

Quais serão as alavancas que nos tornarão um país mais próspero? Os investimentos? Os impostos? As empresas? As famílias? O rigor ou a criatividade? O engenho do povo português ou os fundos da União Europeia? Quem sabe, talvez todas as alavancas serão úteis ou proveitosas, se bem geridas e a favor dos mais desfavorecidos para beneficiar a todos!

O trabalho e compromisso de cada português, a solidariedade social, económica e cultural, a honestidade serão o apoio incontornável para que as alavancas não sejam desperdiçadas ou sirvam apenas para os mesmos de sempre.

“Dai-me uma alavanca e um ponto de apoio e levantarei o mundo”. Esta é uma expressão conhecida de Arquimedes e que hoje nos serve de “alavanca” para refletirmos no nosso (ponto de) apoio e nas alavancas que temos para sermos verdadeiramente irmãos.

O apoio, o centro, a referência é Jesus Cristo! Quando Ele deixa de ser o nosso apoio, deixamos de ter chão ou substituímo-lo por outros apoios, mais materiais ou mais pessoais, colocando alguma pessoa no Seu lugar ou colocando-nos a nós como referência. Sobrevirá o egoísmo ou a idolatria. E ansiedade, o medo, a prepotência! Se o nosso apoio, o fundamento e a luz da nossa vida é o que temos, nunca estaremos satisfeitos, estaremos sempre à procura de mais, a qualquer custo, independentemente do que tenhamos que fazer, mesmo que pisando os outros. Não se trata da ambição em melhorarmos a nossa vida e daqueles por quem somos responsáveis. A ambição com conta, peso e medida é uma alavanca para a criação de riqueza, beneficiando os próprios e os outros. Se o padeiro não tivesse qualquer tipo de ambição, produzir pão com qualidade e escoá-lo para prover ao seu sustento e da família, investindo e contratando pessoas, então ele deixar-se-ia ficar na cama ou iria para a padaria apenas quando lhe desse na real gana!

Se nos pusermos ao centro… seremos a nossa luz e a luz dos outros! A última bolacha do pacote! Quem não reconhecer o nosso brilho merecer-nos-á desprezo e indiferença, pomo-lo à margem ou agiremos por forma a prejudicá-lo. Se pusermos outra pessoa no centro… tudo exigiremos e tudo esperaremos… até nos desiludirmos! Somos limitados e finitos! Um filho desilude-se com o pai perfeito no dia em que percebe que o pai também erra, também adoece, também se esquece de um momento importante. Esperar tudo dos outros é fonte de ansiedade, o que nos conduzirá à desolação.

Se Jesus for o nosso ponto de apoio, a força motriz da nossa vida, não corremos o risco de sairmos defraudados, nem na história nem na eternidade. As alavancas que nos mantêm focados em Jesus Cristo são a oração, a Palavra de Deus, escutada, meditada e vivida, os que caminham connosco, a Igreja, a vivência dos sacramentos, o compromisso social, a prática da caridade. Com Jesus, não corremos o risco da indiferença, do desprezo ou da idolatria em relação ao nosso semelhante, pois tudo faremos para cumprir HOJE o que Ele nos manda: amar, perdoar e servir!

Pe. Manuel Gonçalves, in Voz de Lamego, ano 92/11, n.º 4642, 26 de janeiro de 2022

D. António Couto aos sacerdotes mais jovens da Diocese: “Vivei da Palavra de Deus”

_U0A2104.JPG

O Sr. D. António Couto, Bispo de Lamego, reuniu-se, no passado dia 21 de Janeiro, com os Sacerdotes da Diocese de Lamego que receberam a ordenação sacerdotal nos últimos 13 anos. No total, marcaram presença 23 sacerdotes no encontro que se realizou na Casa de Retiros de S. José e que contou, também, com a presença do Mons. Joaquim Dias Rebelo, Vigário Geral da Diocese.

Depois da oração comum da Hora Intermédia, o Sr. D. António centrou a sua mensagem aos sacerdotes mais novos em três grandes pontos: a necessidade de pautar a própria vida pela Palavra de Deus; de dar prioridade à oração; de viver, generosamente, o “belo Sacramento da Reconciliação”.

Ler mais…