Arquivo

Posts Tagged ‘Movimentos Eclesiais’

Encontro de Movimentos e Serviços Eclesiais – 1 de dezembro de 2016

20161201_101956

O feriado da Restauração propiciou mais um encontro dos Movimentos e Serviços Eclesiais, no Seminário Maior de Lamego. Pessoas comprometidas nos diversos serviços da Pastoral diocesana, reuniram-se com o objectivo de rever e repensar a importância de cada movimento na dinâmica paroquial e diocesana e fomentar uma mais estreita colaboração e comunhão entre todos, respeitando e promovendo a especificidade e os carismas de cada um.

Após breve oração, o Pe. Diamantino Alvaíde alertou  para os perigos e tentações recorrentes dos agentes da pastoral: o comodismo e a presunção narcisista de pensar que a Igreja gira toda em torno de si e do grupo que cada um representa.

O Pastor diocesano, que presidiu aos trabalhos, alicerçado na “Missão Trinitária” convocou e desafiou os participantes  para a Missão Evangelizadora da Igreja. “Evangelizar é a identidade mais profunda da Igreja e é necessário que o cristão se encontre com essa verdadeira identidade.” Questionou: “Como posso ser Evangelizador?”, “ Como me identifico com esta identidade?” Evangelizar mais do que ir à Missa, é Anunciar o Evangelho a toda a gente, em todo o tempo e em todos os lugares. O Cristão não pode ser um mero espectador, um monitor legalista ou um animador de estados de alma. Tem de ser Testemunha. Tem de sair de si, da sua zona de conforto para levar Cristo ao coração de cada Homem, levar a Vida em abundância aos irmãos. Porém ninguém pode Evangelizar sozinho. É a comunidade que tem de Evangelizar, tem de juntar as energias uns dos outros, a exemplo  das primeiras comunidades cristãs. Ler mais…

Movimento da Mensagem de Fátima | Conselho Diocesano

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Movimento da Mensagem de Fátima, realizou no passado sábado, dia 5 de novembro, no Seminário Maior de Lamego, o seu Conselho Diocesano.

Fizeram-se representar muitos secretariados paroquiais, através dos seus responsáveis e alguns Assistentes.

Neste encontro de família, que é já o Movimento na nossa Diocese, partilhou-se a alegria de estar em oração com a Mãe, num trabalho de reflexão sobre o Ano Pastoral que findou e de preparar o Ano Pastoral que começa, 2016/2017. Será um ano muito significativo para o Movimento por se tratar do ano comemorativo do Centenário das Aparições, em Fátima. Por isso, o Programa para este ano será um pouco diferente do habitual. Será importante ir às “fontes” de onde brota a essência do Movimento, à origem, beber o que ela tem de melhor e mais belo.

A Mensagem de Fátima continua a ser atual e de uma enorme importância neste mundo conturbado, onde os interesses económicos imperam acima de tudo. O trabalho do Movimento nas paróquias é de primordial importância. Devemos esforçar-nos por trabalhar em conjunto, em comunhão e na caridade com os outros movimentos paroquiais existentes, pois servimos todos os mesmo Deus e trabalhamos para o mesmo Reino.

Aproveitemos pois, todas as oportunidades para celebrar e honrar Nossa Senhora. Que as celebrações do Centenário das Aparições sirvam para desenvolver e aprofundar a nossa espiritualidade e nos aproximar mais do nosso Deus e Senhor!

O Secretariado Diocesano

in Voz de Lamego, ano 86/50, n.º 4386, 8 de novembro de 2016

Ação Católica Rural | Conselho Nacional ‒ 8 e 9 de outubro de 2016

acr

ALEGRA-TE NA VERDADE: SAI, ESCUTA, DECIDE E ABRAÇA!

COMUNICADO

Reunidos em Conselho Nacional, os representantes de 13 Dioceses em que a ACR está implantada (Aveiro, Braga, Coimbra, Funchal, Guarda, Lamego, Leiria-Fátima, Lisboa, Portalegre-Castelo Branco, Porto, Santarém, Viana do Castelo e Viseu), à luz das linhas de força da VIII Assembleia Nacional de Delegados, reafirmadas pelo Conselho Nacional, projetaram e definiram as prioridades para o triénio e o plano de ação para 2016/2017.

Esteve presente a equipa nacional da ACR e o respetivo Assistente. Contaram ainda com a presença do Sr. D. Manuel Pelino Domingues, Bispo de Santarém–que desafiou a ACR a ir ao encontro das periferias, a estar com o próximo fazendo-nos a nós os “próximos”.

Além das atividades realizadas em cada diocese, e que foram partilhadas neste Conselho Nacional, foram ainda avaliadas como muito positivas as atividades realizadas pela Equipa Nacional, reafirmando-se a importância de um maior empenho na participação dos militantes nestas atividades. Foi reafirmada a determinação do Movimento na sua renovação e revitalização, o prosseguimentoda sua Missão Eclesial e Social, deixando a dinâmica da obrigação e cultivando a dinâmica do fascínio, promovendo um espaço de relações gratuitas, livres da dinâmica da competitividade e do utilitarismo.

Para o programa de 2016/2017 propõe-se:

– estar em sintonia com a comemoração do Centenário das Aparições de Fátima;

– estudar e divulgar a Exortação ApostólicaAmoris Laetitia, promovendo a reflexão sobre o valor da Vida e o lugar da Família num mundo em transformação;

– retomar a Escola de Dirigentes, percurso fundamental para a formação, liderança e militância no Movimento;

– definir um percurso de formação e itinerância paraa ACR.

A Revista Mundo Rural foi reassumida como um órgão integrante e fundamental, sendo necessária uma reflexão cuidada sobre o papel e a missão dos meios de comunicação da Igreja, de forma a discernir o rumo para a nossa Revista, neste contexto de mudança. Será lançada uma campanha nacional para a angariação de novos assinantes.

A forma de trabalho cooperante das Dioceses de Proximidadeé um instrumento essencial para o fortalecimento das equipas e dos grupos, reafirmando-se também como estratégia de trabalho fundamental a constituição de GARA’s (grupos de análise, reflexão e ação).

A ACR reafirma a sua vontade de fazer crescer o Movimento em cada uma das Dioceses e afirma o seu propósito de ALEGRAR-SE NA VERDADE!

A Direção Nacional, in Voz de Lamego, ano 86/47, n.º 4383, 18 de outubro de 2016

 

Equipas de Nossa Senhora retoma atividades

ens-encontro-de-equipas-2016-011

Aproveitando o feriado de 5 de Outubro, e por conseguinte, maior disponibilidade por parte dos casais, o Movimento das Equipas de Nossa Senhora iniciou as actividades com um “Encontro de Equipas” no Centro Paroquial de Almacave, com início às 16H00 e terminando com a Eucaristia às 19H00 na Igreja de Almacave.

A Equipa Responsável pelo Sector de Lamego, sensibilizou todos os presentes para um maior compromisso nas actividades do Movimento e das responsabilidades (serviço) que rotativamente os casais vão assumindo. Foi apresentado o cronograma de actividades para este ano pastoral de 2016 / 2017, referente ao Movimento, mas sensibilizando também para a necessidade de participar nas propostas do Plano Pastoral Diocesano.

Esgotada a agenda de trabalhos, houve ainda tempo para um café, uns biscoitos e um pouco de convívio entre os presentes.

A Eucaristia das 19H00 foi bem participada e animada com cânticos adequados, contando para isso com a disponibilidade do João Pinto da Silva e alguns elementos do grupo coral que dirige, proporcionando momentos mais solenes e de reflexão.

O Senhor Padre Abrunhosa, Conselheiro Espiritual da Equipa de Sector, na homilia, incentivou todos os casais para os desafios pastorais da Família na Nova Evangelização, referindo-se assim ao tema proposto pelo Movimento para este ano.

A Equipa de Sector, in Voz de Lamego, ano 86/46, n.º 4382, 11 de outubro de 2016

MMF – Peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora da Lapa

lapa-mmf

MOVIMENTO DA MENSAGEM DE FÁTIMA

O Movimento da Mensagem de Fátima vai realizar a sua Peregrinação Diocesana ao Santuário de Nossa Senhora da Lapa, no dia 8 de outubro do ano em curso.

Todos são bem-vindos. Venham e tragam a vossa família e amigos. Este ano, teremos ainda a possibilidade de terminar o Ano Jubilar da Misericórdia passando a Porta Santa aberta neste Santuário e, assim nos prepararmos melhor para o ano da comemoração do Centenário das Aparições de Nossa Senhora, em Fátima.

Esperamos por vós junto de Nossa Senhora da Lapa.

Programa da Peregrinação

8h00 – Acolhimento

8h30 – Confissões

9h15 – Saudação a Nossa Senhora

10h00 – Caminhada com oração

11h00 – Celebração da Eucaristia

12h30 – Almoço (farnel)

14h00 – Assembleia nos claustros do colégio

15h15 – Adoração Eucarística no Santuário

16h00 – Despedida

O Secretariado Diocesano, in Voz de Lamego, ano 86/43, n.º 4379, 20 de setembro de 2016

Movimento da Mensagem de Fátima: Dia do Deserto

DSCF1643

O Movimento da Mensagem de Fátima convida todos os Mensageiros para um Dia de Deserto.

Vai realizar-se no dia 2 de julho próximo, no Santuário do Senhor dos Enfermos em Macieira – Fornelos, Cinfães.

Tema do ano “Eu vim para que tenham vida”.

O orientador será o Reitor do Seminário Maior de Lamego, Senhor Padre Joaquim Dionísio.

Para o almoço devem levar um pequeno farnel, que será partilhado por todos.

 

9h30 – Acolhimento

Oração

10h00 – 1.ª Conferência

11h00 – Intervalo

11h15 – 2.ª Conferência

12h00 – Reconciliação

13h00 – Almoço partilhado

14h00 – Terço

14h30 – 3.ª Conferência

15h30 – Eucaristia

16h30 – Adoração ao Santíssimo Sacramento

17h00 – Final

 

Lá estaremos à vossa espera. Que Nossa senhora nos ajude e acompanhe.

 

O Secretariado Diocesano, in Voz de Lamego, ano 86/33, n.º 4369, 28 de junho de 2016

«A história do menino Joaquim»

img288

Também ela começa por «era uma vez», mas ao ler o pequeno livro que nos relata essa história, depressa damos conta de que essa «vez»  é irrepetível, sobretudo se se pretende contar uma história real.

E real foi a história de Joaquim Alves Brás, a quem se dedica este espaço na «VOZ DE LAMEGO», para dar a conhecer a meninice, juventude e idade adulta daquele que foi o fundador da chamada «Obra de Santa Zita».

Quem ele foi é já do conhecimento de muitos dos nossos leitores; quem ele é na história que não acabou no dia da sua morte, faz parte do que a Família Blasiana quer mostrar nos cinquenta anos da morte de Mons. Alves Brás. O seu sonho de ser Padre esbarrava para muitos na doença que limitava a sua locomoção; mas a história fala dos fortes e dos que confiam em Deus.

Foi padre e experimentou a vida paroquial, a de Director Espiritual no Seminário da Guarda, mas experimentou também a dor e tortura física e moral de muitas jovens que, deixando a sua aldeia, procuraram na cidade um trabalho, que tantas vezes as lançou na miséria e, depois, no vício. Ouviu muitas lamentações: «ajude-me, sr. Padre Brás; ai, se eu pudesse voltar atrás, não estaria a sofrer como estou.  Afastei-me do bem e, agora, estou perdida».

Também ele sofria e descobriu outro sonho; dele nasceu a Obra, que com o lema «mãos no trabalho e coração em Deus», procurou «prevenir, agir e formar» tanta pessoa, que assim ajudou e salvou no mundo do seu tempo, tempo que hoje se estende, embora de modo diferente, em Portugal e no Estrangeiro.

Vi-o entrar no salão de estudos do Seminário de Lamego, coxeando mas aprumado no seu ser, e forte na sua palavra; aquela com que ajudou e salvou tantas jovens do vício da «cedade» (ele trocava o i por um e) e hoje, pensa-se na sua canonização, o prémio de Deus e o reconhecimento da Igreja para quem soube viver e fazer o bem neste mundo dos homens e na Igreja de Jesus Cristo.

P.e Armando Ribeiro, in Voz de Lamego, ano 86/33, n.º 4369, 28 de junho de 2016