Arquivo

Posts Tagged ‘Jovens sem Fronteiras’

VISITA PASTORAL DE D. ANTÓNIO COUTO EM VILA DA PONTE

IMG_7561

“Era uma vez…” uma Paróquia plantada à beira Távora!

Por lá, os pais desejavam que os seus filhos recebessem o Sacramento do Batismo quando ainda eram crianças… e por isso, como tantos outros, também nós começamos a caminhada cristã ainda antes de sabermos dar os primeiros passos!

O tempo passou, em 2010 formamos um grupo de jovens missionários e já lá vão 6 anos repletos de momentos especiais vividos na nossa comunidade cristã. Em algumas dessas ocasiões até tínhamos recebido na nossa terra o nosso Bispo, D. António Couto, mas eis que haviam chegado dias diferentes, dias bem mais intensos, dias de Visita Pastoral.

Ficamos surpreendidos! Era a primeira vez que o nosso grupo fazia tal experiência e finalmente compreendíamos o que nos queriam dizer algumas pessoas quando nos avisavam que não se tratava de uma simples passagem rápida do nosso Pastor Diocesano, mas de uma visita sem pressas, atenta e amiga.

IMG_7679

Esta aventura missionária, começou no dia 2 de Junho! Como não podia deixar de ser, a aldeia vestiu-se de cor e de festa para acolher o Sr. Bispo. No largo da praça, a população e o Sr. Presidente da Junta de Freguesia deram-lhe as boas-vindas e depois de uma caminhada pela aldeia foi tempo de realizar uma oração no Cemitério.

Já ao findar desse dia, foi a vez do nosso grupo JSF Vila da Ponte receber o nosso Bispo. Depois de uma breve acolhimento musical, procedemos à apresentação do nosso grupo paroquial, do nosso movimento, dos nossos âmbitos de ação, das nossas atividades, etc. Posto isto, alguns jovens quiseram interroga-lo. Entre questões engraçadas e dúvidas mais profundas, foi possível criar um momento de intensa ligação que viria a culminar com um tempo de oração à volta da Palavra de Deus. Ler mais…

Discípulos Missionários nas periferias do Rio de Janeiro

IMG_0376

Arriscar partir…

“Ficar sem férias de verão? Porquê?”

Estas eram algumas das perguntas que a minha família e amigos iam fazendo quando lhes comunicava que durante o mês de Agosto iria partir em missão, mas desta vez não seria em Portugal…

Depois de ter participado em várias Semanas Missionárias de norte a sul no nosso país senti que estava na hora de partir mais além. Não sabia para onde ia ser enviado nem quem seriam as pessoas que me acompanhariam! Não me sentia 100% preparado, mas tinha a consciência que esse dia também nunca chegaria! Animava-me a certeza de que Aquele que me chamava certamente me capacitaria…

Passados dois meses chegou a informação: a PONTE 2015 realizar-se-á em Queimados, no Brasil! Não vou negar que a primeira pergunta que surgiu na minha cabeça foi “afinal o que é que eu vou para ali fazer?”

Mas a questão estava mal formulada!

Pouco a pouco, graças aos vários encontros de preparação, a pergunta foi-se aprimorando: “afinal quem é que vamos para ali amar?”

Mais do que uma missão pessoal era uma missão de grupo, uma missão dos 8 jovens provenientes desde as encostas do Douro até às praias do Algarve, uma missão que levaria consigo todo o movimento dos JSF, a ONGD Solsef, a nossa comunidade e cada pessoa que nos apoiasse com as suas orações, donativos, etc.

Chegou o dia…

… 1 de Agosto! Antes de entrarmos no avião, o facto de todos termos vestidas as t-shirts onde estava estampado o nosso logotipo chamou à atenção dos outros passageiros! Entretanto um casal brasileiro iniciou um pequeno diálogo connosco:

-“Oi, então vocês vão de férias para o Rio?”

E aproveitamos o momento para explicar:

-“Não, não… Somos um grupo de missionários! Vamos para Queimados fazer voluntariado (…)”

-“Mas ninguém vai para Queimados!!!”

Naquele momento confirmaram-se algumas das imagens que nos tinham apresentado daquela periferia na Baixada Fluminense. De facto, depois de a Policia Pacificadora ter ocupado as favelas no Rio de Janeiro, muitos traficantes refugiaram-se nas cidades à volta, fazendo aumentar nelas as situações de violência, tráfico de droga, assaltos, assassinatos…

Fomos para servir…

… na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição. Esta porção do Povo de Deus está confiada aos Missionários do Espirito Santo há muitos anos, sendo que os 3 párocos são portugueses. É uma terra com muitas “feridas abertas”, com casas e casas de tijolo, postes de eletricidade atulhados de fios, rios poluídos e muito trânsito… mas nós não fomos por causa disso: fomos por causa das pessoas.

Mal colocamos os pés naquele chão assumimos que estávamos ali por causa delas. Não éramos nenhuns “super-heróis” da engenharia civil… éramos corações à procura de outros corações!

A alegria…

…reinou durante todo o mês. Muitos abraços, sorrisos, gestos de carinho que nos enchiam de força para em cada dia “nos darmos” totalmente naquilo que estivéssemos a fazer.

Percorremos as ruas e fomos porta a porta à procura dos mais abandonados e doentes. Refletimos nas diversas comunidades sobre a importância da família na vida pessoal, social e cristã. Estivemos com crianças e adolescentes retirados do mundo da droga. Proporcionamos Atividades de Tempos Livres, Reforço Escolar, Rastreios de Saúde. Fomos às escolas e demos aulas para mais de 1500 alunos, procurando sensibiliza-los para temas como “Identidade, Afetividade e Sexualidade”, “Violência e Drogas”, “Cultura e Preconceito”, Educação para a Cidadania”.

Encontramos Deus…

…em cada uma dessas atividades e nos diversos momentos de oração. Nas catequeses, nos encontros com o Grupo Força Jovem, nas diversas celebrações a fé era vivida intensamente e nós eramos envolvidos naquele ambiente de festa e partilha que era tão natural e ao mesmo tempo tão edificante!

Encontramos tanta gente boa que com o seu testemunho nos permitiu fortalecer a fé, alargar horizontes e ficar de coração cheio! Como nos dizia D. Luciano Bergamin, bispo de Nova Iguaçu: “o Rio sacia os olhos, a baixada sacia a alma!”.

Voltamos…

…com a certeza de que estivemos no lugar certo! Deixamos lá uma pequena semente, deixamos lá um pouco de nós e regressamos com a vontade de fazer mais e melhor onde quer que estejamos! Todos somos “Discípulos Missionários caminhando na Alegria”, não é só para nós, também é para ti…

“Tu és capaz de mudar o mundo

Com o teu amor!

Se queres fazer a missão lá fora

Começa a fazê-la perto em teu redor!”

Luís Rafael Azevedo

JSF Vila da Ponte e Seminarista do 6.º Ano, in Voz de Lamego, ano 85/46, n.º 4333, 13 de outubro

Discípulos Missionários caminhando na Alegria! PONTE 2015

ponte-Vila da Ponte1

“Ser missionário é evangelizar! Desde já aqui, mas também ter horizontes!” D.António Couto

Somos 8 jovens vindos de várias dioceses do país: Braga (Pe. Hugo Ventura – espiritano), Porto (João Paulo Freitas – espiritano), Lamego (Luís Rafael Azevedo – Vila da Ponte), Algarve (Adriana Gonçalves e Adriana Cavaco – São Brás de Alportel), Leiria-Fátima (Jéssica Sousa – Santa Eufémia), Setúbal (Marlene Veríssimo – Barreiro), Lisboa (Elisabete Ferreira – Monte Abraão). Somos jovens com caminhadas de fé diferentes mas que se juntaram para o mesmo projeto de voluntariado missionário: Ponte 2015 numa periferia do Rio de Janeiro.

Mas para partir, não podemos simplesmente fazer as malas e voar no meio de “uma ilusão de palmas”. É necessário discernir bem qual a vontade de Deus a nosso respeito e realizar um “trabalho lento mas seguro”. Por isso encontramo-nos para mais um fim-de-semana (27-29 de Março) marcado pela oração, formação, partilha, convívio… desta vez em Vila da Ponte!

Para nos ajudar a compreender o que é ser missionário à luz no Concílio Vaticano II e perante os ensinamentos do Papa Francisco, tivemos entre nós o Bispo de Lamego, D. António Couto. Com ele aprendemos que “missão não é uma etiqueta que se possa colocar e retirar”, pelo contrário, é uma natureza apreendida do estilo de Jesus: “Como Eu vos fiz, fazei vós também”. Somos missionários desde o momento que somos discípulos e isto deve ver-se nas relações quotidianas porque “o que vai ficar para o futuro é aquilo que semearmos na nossa vida normal”. Foi um momento bastante interessante, de conversa fluida, com perguntas/respostas e várias partilhas.

Durante a tarde de sábado, orientados pelo Anthony Nascimento (JSF Douro) e pela Salomé Peixoto (JSF Minho) colocamos os pés a caminho e subimos até ao Santuário de Nossa Senhora das Necessidades. Fomos parando, refletindo na importância de sair de nós próprios, sair do nosso “mundinho”, olhar o outro, tocar o enfermo, abraçar quem amamos, confiar em Alguém que nos guia e quer que sejamos UM grupo.

ponte-Vila da Ponte

Uma vez lá em cima, realizamos uma Lectio Divina. Antes de jantar ouvimos alguns testemunhos da Cátia Santa, Stéphanie Ferreira (JSF Godim/ Brasil 2010) e da Ana Pereira (JSF Godim/ Guiné-Bissau 2014). Ao escutarmos as suas palavras compreendemos que para irmos fazer voluntariado missionário para outro país temos de ter o coração aberto para acolher uma nova vivência da fé, tradições diferentes, uma cultura desconhecida.

Para terminar o dia em grande cantamos e rezamos juntamente com a população de Vila da Ponte e outros amigos num fantástico concerto orante proporcionado pelos “Mendigo de Deus”.

O sol nasceu! Era o Dia Mundial da Juventude! Celebramos com a comunidade paroquial e juntamente com o grupo JSF que nos acolhia dramatizamos a “Entrada Triunfal de Jesus em Jerusalém”.

Entretanto chegou a hora de regressar a casa. O tempo tinha passado a correr… mas os objetivos do fim-de-semana estavam cumpridos: fortalecer os laços dentro do grupo e preparar a mente e o coração para uma missão verdadeiramente ao “estilo” de Cristo!

Obrigado a todos aqueles que connosco querem contruir esta PONTE!

Grupo Ponte 2015, in Voz de Lamego, n.º 4308, ano 85/21, de 7 de abril de 2015

CONVÍVIO 1267 | Por terras de Alvite

visita-convivas-alvite

Foi ao começar este mês que a mesma equipa que preparou o Convívio Fraterno 1267 visitou os convivas 1267 de Alvite.

Alguns elementos do Grupo Jovens Sem Fronteiras de Alvite, atenderam, uma vez mais ao chamamento de Nosso Amigo Jesus Cristo, em participar no Convívio Fraterno que se realizou nos dias 14, 15, 16 do mês passado.

E foi passado alguns dias que a equipa resolveu descobrir como estava a correr o 4.º dia  de cada conviva, acompanhando estes, na Eucaristia presidida pelo Pároco Bráulio na Igreja Paroquial de Alvite pelas 11h00.

Foi com grande alegria, em nosso coração que recebemos estes maravilhosos instrumentos de Deus, estes instrumentos que nos ajudaram a ouvir a melodia que Deus nos envia! Ficamos maravilhados com a surpresa!

No entanto após, a Eucaristia, tivemos ainda um almoço de convívio, que se realizou no Centro de bem estar social e repouso da paróquia de Sever onde também recordamos os três dias do Convívio cantando alguns cânticos apreendidos lá.

 Assim fica um obrigado à equipa por esta surpresa em que Deus os enviou uma vez mais e também àqueles que se disponibilizaram para preparem o almoço para este dia. Bem hajam.

Jesus Cristo é Amigo, e vemo-lo no rosto de cada irmão no caminho que percorremos!

CF 1267- Martina Veiga, Jovens sem Fronteiras de Alvite

in Voz de Lamego, n.º 4304, ano 85/17, de 10 de março de 2015

Encontro Nacional dos Jovens Sem Fronteiras (JSF)

encontro JSFAbre o Coração e Alegra-te no Senhor

Jovens Sem Fronteiras

Foi no primeiro fim de semana do mês das missões que se realizou em Tires-Cascais,  o XXVI Encontro Nacional dos Jovens Sem Fronteiras,  Jovens  missionários que vêm de todo o país para se encontrarem e estarem em comunhão com Cristo e em Cristo.

Neste Encontro Nacional, os jovens tiveram a oportunidade de dar testemunho das semanas missionárias e do mês em Ponte. Estes são jovens que tiram férias para servir a Deus, fazer Missão e ir ao encontro do outro! Enquanto que uns fazem missão durante 10 dias em aldeias e vilas portuguesas, outros escolhem ir mais além, até outro continente, como África, tendo sido a Guiné-Bissau o país escolhido para o projeto missionário deste ano.

Este encontro é também o ponto de partida para o recomeço das atividades do movimento. Este ano, teve como tema: ”Abre o coração e Alegra-te no Senhor” desafiando-nos mais uma vez a abrir o coração, abrir o coração à Palavra, para assim servir mais um ano de missão.

Convidados a abrir o nosso coração a Cristo, fomos enviados como discípulos missionários, comprometendo-nos a levar a Alegria do Evangelho para as nossas paróquias. Sempre com o lema dos Jovens sem Fronteiras presente: “Estar perto dos que estão longe sem estar longe dos que estão perto”.

A Missão continua!

Martina Veiga, JSF Alvite,

in VOZ DE LAMEGO, 14 de outubro de 2014, n.º 4284, ano 84/46

Alvite: Jovens sem Fronteiras na Paróquia

In Voz de Lamego, 21.01.2014

No passado dia 12 de Janeiro, celebrou-se o compromisso de ser Jovem Sem Fronteiras na Paróquia de Alvite, concelho de Moimenta da Beira perante a comunidade e também alguns membros já existentes dos Jovens Sem Fronteiras vindos de outras Paróquias da Região Douro.

Logo pelas 10:30h iniciou-se o acolhimento na Igreja Santo Amaro de Alvite pelos Jovens desta mesma Paróquia, onde de seguida, pelas 11:15h foi presidida a celebração da Eucaristia pelo Padre Bráulio juntamente com o Padre Pedro, o qual é responsável regional por este movimento juvenil.

A celebração foi animada pelos Jovens Sem Fronteiras da Região Douro. Os Jovens da Paróquia de Alvite participaram também em alguns pontos mais elaborados como por exemplo uma pequena encenação “ O chamamento dos 12 apóstolos, por Jesus”; e no momento do Pai Nosso este mesmo grupo teve a ideia de unir a comunidade e os jovens juntando as mãos, em cada ponto diferente da igreja, transmitindo a Fé.

Com o compromisso já realizado, agora estes novos 15 elementos pertencem a uma nova Família: Família JSF!

Os  Jovens Sem Fronteiras são conhecidos a nível Nacional e estão divididos em quatro regiões: Minho, Douro, Centro e Sul, e dentro destas mesmas regiões existem os grupos que estão inseridos em várias Paróquias.

Ser Jovem Sem Fronteiras é servir na comunidade na qual estão inseridos, ser jovem da paróquia é estar disposto ao serviço dos mais necessitados, abrir o coração e entregar um sorriso a cada membro dessa mesma comunidade.

Contudo ser Jovem Sem Fronteiras vai mais além, vai mesmo para lá de qualquer “Fronteira”! Para nós Jovens essas Fronteiras  são inexistentes, não há barreiras que nos separem de outros corações, outras terras nem de outros países!

Ser Jovem sem Fronteiras é partir em missão, amando cada irmão que nos rodeia, com o  Amor que recebemos  de Deus, pois é Ele  que nos une a  todos!

Entretanto chegou a hora do almoço, o qual foi preparado pelos novos Jovens Sem Fronteiras de Alvite, com bastante dedicação e onde nada faltou, para cerca de 55 Jovens!

Encerrou-se esta atividade com o agradecimento por ambas as partes, tanto pelos Jovens de Alvite como também pela região Douro!

Jovens Sem Fronteiras Alvite