Arquivo

Posts Tagged ‘Funeral’

Pe. Manuel João | Juventude dada por Deus e oferecida a Deus

DSCF7405

A notícia correu célere na manhã de 23 de Setembro: o Padre Manuel João fora encontrado sem vida na residência paroquial de Vilarouco, S. João da Pesqueira, onde residia há quatro anos, os mesmos que levava de sacerdócio e de pároco daquela terra, a que se juntava ainda a paroquialidade de Valongo dos Azeites, Pereiros e Vale de Figueira.

As autoridades chamadas ao local e a posterior autópsia confirmaram causas naturais para a sua repentina morte: o Pe. Manuel João terá sido vítima de um ataque de epilepsia que lhe provocou uma morte por asfixia. Também naquela residência, há quatro anos, havia falecido o Padre António Samuel Teixeira da Silva, com 47 anos, vítima de ataque cardíaco. Mas o Pe. Manuel João sentia-se ali bem e era muito acarinhado pelos seus paroquianos, tal como se confirmou nas horas e dias que seguiram ao triste anúncio.

O Pe. Manuel João Nogueira Amaral, nascido a 14 de Julho de 1985, em Penedono, era filho de Luís Duarte Amaral e de Virgínia de Carvalho Nogueira Amaral. Depois de ter frequentado os Seminários diocesanos, foi ordenado Diácono, na Sé de Lamego, a 08 de dezembro de 2010 e presbítero a 17 de julho de 2011, no mesmo local, por D. Jacinto Botelho.

padres novos

No dia 22 de Setembro, o Pe. Manuel João participou em mais um encontro de padres novos, os ordenados nos últimos dez anos, em Vila Nova de Paiva. Um encontro reconfortante para todos, preenchido com momentos de oração e de partilha fraterna. Nessa manhã, aproveitando o bom tempo, fomos até à pista de karting existente naquela vila e divertimo-nos durante meia hora, dando voltas a um circuito que a todos animou. Como sempre, a boa disposição e a simpatia do Pe. Manuel João estiveram presentes e era vê-lo a dominar com destreza a pequena máquina e a ultrapassar concorrentes mais lentos. Seguiu-se o almoço, para o qual convidámos o pároco da terra, Pe. Justino Lopes. A conversa fluiu com normalidade e o Pe. Manuel João, ia dando conta da sua missão pastoral por aquelas terras onde se sentia acarinhado. E depois do café, a partida. O Pe. Manuel João viera à boleia com o Pe. José Filipe e com ele regressou. No dia seguinte a triste notícia. A última refeição do Pe. Manuel João havia sido connosco.

O seu corpo, vindo da medicina legal de Vila Real, chegou a Vilarouco ao início da tarde do dia 24 e ali foi celebrada a Eucaristia em seu sufrágio. O mesmo aconteceu ao fim da tarde, pelas 19h, já na sede da Associação dos Bombeiros Voluntários de Penedono, da qual era membro activo, e onde ficou em câmara ardente até à manhã do dia seguinte, quando dali foi levado aos ombros de bombeiros e sacerdotes para a igreja matriz, onde foi celebrada a Eucaristia exequial. Presidiu D. António Couto, acompanhado por D. Jacinto Botelho, cerca de cem sacerdotes, alguns das dioceses vizinhas de Guarda, Bragança, Vila Real e Viseu, e uma multidão que encheu a igreja e o adro de Penedono.

Na homilia, o nosso bispo falou do tempo que nos é dado para vivermos de forma intensa, celebrando o amor de Deus. Um tempo mais ou menos longo, mas sempre na dependência do Seu autor que cuida de nós, os Seus “filhinhos”. E sublinhou esta separação, que não é definitiva, mas apenas por algum tempo: em Deus encontrar-nos-emos depois. Até lá, o convite para que cada um, à sua maneira, vá preenchendo os vazios de amor, de afecto e de carinho que que se estabelecem entre nós. A exemplo do Padre Manuel João que, com a sua disponibilidade, alegria e generosidade foi preenchendo vazios e estabelecendo pontes por onde passou e entre quantos conheceu, qual “juventude dada por Deus e oferecida a Deus”.

Antes da caminhada até ao cemitério, em nome dos sacerdotes, o Padre Miguel Peixoto leu um texto da autoria do Pe. Manuel João e um quadro com a sua fotografia foi oferecido à mãe, D. Virgínia.

A nossa oração.

JD,  in Voz de Lamego, ano 85/44, n.º 4331, 29 de setembro

Falecimento do Pai do Pe. Bráulio Félix

50026

Deus de Misericórdia, Pai clementíssimo, chamou a Si, o senhor David Carvalho, Pai do Pe. Bráulio Félix de Carvalho.

O funeral será amanhã, pelas 17h30, na Igreja Paroquial de São Pedro de Tarouca.

Ao reverendo Pe. Bráulio, Pároco de Alvite, Sever e Leomil, e responsável do SDPJ de Lamego, as condolências de todo o Presbitério da Diocese de Lamego, sob o pastoreio de D. António Couto. Ao presbitério diocesano, que se une em oração e amizade, unem-se em oração as pessoas dos espaços pastorais onde serve e onde serviu o Pe. Bráulio.

Que a nossa solidariedade espiritual eleve para Deus hinos e orações em ação de graças pela vida do Sr. David, e conforte todos os familiares que ora se despedem no aceno breve até à  eternidade de Deus.

Pe. Duarte Martins Vaz na Paz eterna

pascoa

Deus Pai, rico de Misericórdia, chamou a Si o Pe. Duarte Martins Vaz. À família, às comunidades paroquiais em que serviu, as condolências do Presbitério de Lamego, encabeçado pelo nosso Bispo, D. António Couto.

O Pe. Duarte Vaz nasceu em 26 de março de 1925 e foi ordenado sacerdote a 3 de setembro de 1950. Nos últimos anos, colaborava na paróquia de Fontelo.

O funeral realizar-se-á amanhã, na Igreja Paroquial de Fontelo, na Zona Pastoral de Armamar, pelas 17h30.

Rezemos pelo Pe. Duarte Vaz para que Deus, na Sua benevolência, o acolha no eterno descanso.

11411715_975211612499732_1673980260312882609_o

Falecimento do Pai do Mons. José Guedes

399412

Deus, nosso Pai, rico em misericórdia, chamou a Si o Pai do Monsenhor José Guedes.

O Senhor Bispo, D. António Couto, celebrará Missa de sufrágio pelo Senhor Manuel Guedes, no dia 11 de junho, na Sé Catedral de Lamego, pelas 15h30.

Ao reverendo Pe. José Guedes as condolências do presbitério de Lamego, sob presidência do nosso Bispo, e certamente das comunidades que serviu e que serve, mormente a Paróquia de Santa Maria de Almacave, na cidade de Lamego. Que a nossa oração e amizade seja um hino de louvor e de ação de graças para com o nosso Bom Deus, que deu a vida terrena e agora eterna ao nosso irmão Manuel Guedes.

Pe. Fernando Vitorino Pinto Teixeira Dias | 1929-2014

padre_fernandoO Senhor Deus, Pai de Misericórdia infinita, chamou à Sua presença o reverendo Pe. Fernando Vitorino Pinto Teixeira Dias, sacerdote da Diocese de Lamego mas ao serviço da Diocese do Porto. Nasceu em 29 de setembro de 1929, em São João de Fontoura, e faleceu a 1 de setembro de 2014, a poucos dias de completar 85 anos de idade. Foi ordenado sacerdote a 25 de julho de 1954. Foi pároco da Horta, Numão e Custóias, e mais tarde de Freigil e Miomães, de onde partiria para servir na Diocese do Porto, durante 40 anos. Ultimamente estava ligado à Paróquia de Santo António das Antas.

Exéquias fúnebres a 2 de setembro, pelas 10h00, na Igreja das Antas (Diocese do Porto), sob a presidência de D. António Francisco dos Santos, Bispo do Porto, e às 15h00 na Capela de Nossa Senhora da Guia, na Paróquia de São João de Fontoura, na Zona Pastoral de Resende (Diocese de Lamego), presididas pelo nosso Bispo D. António Couto.

Unimo-nos em oração aos familiares e amigos, bem como às comunidades que serviu. Deus lhe dê o eterno descanso até ao dia que também nós seremos chamados à Sua Presença.

 

Monsenhor Simão Morais Botelho | 1923 – 2014

10557245_779278932094389_3965459287590152797_nO Senhor, Deus Misericordioso e Bom, chamou para Si, neste dia 25 de julho de 2014, Festa do Apóstolo São Tiago (Maior), Monsenhor Simão Morais Botelho, nascido a 21 de dezembro de 1923, ordenado sacerdote em 8 de setembro de 1946.

O Senhor, Deus Misericordioso e Bom, chamou para Si, no dia 25 de julho de 2014, Festa do Apóstolo São Tiago (Maior), Monsenhor Simão Morais Botelho. O funeral realizou-se no dia seguinte, 26 de julho, pelas 17h00, na Igreja Paroquial de Alvarenga, onde residiu nos últimos tempos. A Eucaristia exequial foi presidida por D. Jacinto Botelho, Bispo Emérito de Lamego.

Nascido a 21 de dezembro de 1923, no Rio de Janeiro, filho de Hermínio Cardoso Botelho e de Emília Rosa Morais, veio ainda jovem para Portugal, frequentando então os Seminários diocesanos. No dia de São Pedro de 1946 foi ordenado Diácono, na capela do Seminário. Algum tempo depois, no dia 08 de Setembro de 1946, na mesma capela, foi ordenado Sacerdote, pelo bispo de então, D. Ernesto Sena de Oliveira. Celebrou a “Missa nova” na terra natal de seus pais, Alvarenga, no dia 10 de Setembro de 1946.

Aqui ficam alguns dados da sua missão sacerdotal:

– de 1946 a 1954 desempenhou as funções de prefeito e professor no Seminário Menor de Resende,

– de 1954 a 1961 foi prefeito e professor no Seminário Maior de Lamego,

– em 1954 foi nomeado Administrador do jornal diocesano “Voz de Lamego,

– de 1961 a 1971 foi Vice-Reitor do Seminário Maior de Lamego,

– em 1964 foi nomeado cónego honorário do Cabido da Sé de Lamego,

– em 1973 obtém a licenciatura em Teologia Pastoral pelo Instituto Superior de Pastoral de Madrid,

– de 1974 a 1977 desempenhou a missão de vice-pároco da Sé,

– de 1974 a 1990 foi director da Voz de Lamego e responsável pela Gráfica,

– em 30 de dezembro de 1978 foi nomeado pároco adjunto de Almacave,

– a 19 de maio de 1985 foi nomeado cónego capitular da Sé,

– em 1994 foi nomeado secretário de D. Américo do Couto Oliveira,

– em 1994 foi nomeado prelado de Sua Santidade, com o título de Monsenhor,

– desempenhou a missão de Deão do Cabido Catedralício

– a partir de 15 de maio de 2000 foi nomeado Secretário Geral da Diocese, que assumiu até ao limite das suas forças.

Depois de dispensado das suas funções, em virtude da diminuição da sua saúde, Mons. Simão viveu alguns anos na Casa de S. José. Depois foi residir em Alvarenga, em casa familiar, juntamente com seu irmão, Padre Rui Botelho, falecido há cerca de meio ano.

Louvamos o Senhor por esta vocação e por tudo quanto Mons. Simão fez em prol da nossa diocese, ao mesmo tempo que também sublinhamos o carinho e o cuidado com que a sua família o acompanhou sempre.

Monsenhor era irmão do Pe, Rui Morais Botelho, falecido há pouco tempo, de 7 para 8 de abril, conforme a notícia dada também AQUI.

Funeral a 26 de julho, pelas 17h00, na Igreja Paroquial de Alvarenga, de onde era natural e onde residiu nos últimos tempos. A Eucaristia será presidida por D. Jacinto Botelho, Bispo Emérito de Lamego, em representação de D. António Couto, Bispo de Lamego.

Aos familiares e amigos, mas também às pessoas das comunidades em que serviu como sacerdote, a nossa comunhão e oração, na certeza de um dia nos encontrarmos todos, em definitivo, no Coração de Deus, a quem agradecemos a Sua vida e o Seu ministério sacerdotal.

Faleceu o Pai do Pe. Agostinho Ramalho

morte-ressurreiçãoO Senhor Deus, Pai de Misericórdia, chamou à Sua presença o Pai do reverendo Pe. Agostinho Ramalho, o senhor Vasco Matança.

O funeral realiza-se na segunda-feira, dia 14 de julho, pelas 9h30, na Igreja Paroquial de Bigorne, no concelho e Zona Pastoral de Castro Daire.

Ao Pe. Agostinho Ramalho, Pároco de Lalim, Lazarim e Cepões, no Arciprestado de Lamego e Capelão da Polícia de Segurança Pública (PSP), e a todos os seus familiares e amigos, a nossa comunhão, associando-nos a este momento de dor e separação, unindo-nos na oração e na confiança em Deus em Quem repousa agora, eternamente, o Sr. Vasco.