Arquivo

Posts Tagged ‘Fátima’

CENTENÁRIO DAS APARIÇÕES | Fátima e João Paulo II

Tal como referido na semana anterior, um dos Papas que mais de perto meditou a “mensagem de Fátima” foi João Paulo II (1978-2005), visitando o Santuário português por três vezes: 1982, 1991 e 2000. A sua ligação a Fátima intensificou-se após o atentado que sofreu no dia 13 de Maio de 1981, em Roma, e ao facto de ter atribuído a Nossa Senhora a graça de sobreviver. No ano seguinte veio a Fátima agradecer.

A devoção mariana do Papa S. João Paulo II era algo que sempre o acompanhara na vida. Quando foi nomeado bispo escolheu, para as suas armas episcopais, a letra M junto à cruz e a expressão “Totus Tuus”, como sinal de total entrega a Maria. E com frequência o então bispo e cardeal de Cracóvia era visto no Santuário da Virgem Negra de Czestochowa, a Rainha da Polónia.

Os esforços do Papa em cumprir todas as indicações que a Virgem deixou aos pastorinhos tiveram o seu ponto alto no acto de consagração que realizou em Roma, a 25 de Março de 1984, em união com todos os bispos do mundo. No dia seguinte, João Paulo II entrega ao Bispo de Leiria, D. Alberto Cosme do Amaral, uma pequena caixa com “um presente para Nossa Senhora”. Era a bala que tinha atravessado o corpo do Papa e que está hoje encastoada no topo da coroa que Nossa Senhora.

No ano seguinte à consagração realizada em Roma, Gorbatchev é eleito na URSS e dá-se início à “Perestroika”. Dez anos após o atentado, João Paulo II volta a Fátima para agradecer à Virgem: o muro de Berlim já não existe e os países de Leste abriam-se à democracia. Neste contexto, o Papa vem a Fátima “a fim de agradecer a Nossa Senhora a protecção dada à Igreja nestes anos, que registaram rápidas e profundas transformações sociais, permitindo abrirem-se novas esperanças para vários povos oprimidos por ideologias ateias que impediram a prática da sua fé.”

Na audiência de 15 de Maio de 1991, logo após a visita a Portugal afirma: “Considero todo este decénio como dom gratuito que, de modo especial, devo à Providência divina. Foi-me concedido particularmente como um dever, para que ainda pudesse servir a Igreja, exercendo o ministério de Pedro.” Nessa audiência geral, dirigindo-se aos polacos, afirma: “há dez anos fui introduzido na experiência de Fátima vivida pela Igreja. Isto aconteceu na tarde do dia 13 de Maio: o atentado à vida do Papa. (…) Sei que a vida, a mim concedida de novo há dez anos, foi-me dada pela misericordiosa Providência de Deus. Não esqueçamos as grandes obras de Deus”.
No ano 2000, a propósito da beatificação de Francisco e Jacinta, João Paulo II, marcado pela doença e limitações físicas, volta a Portugal para chamar a atenção do mundo inteiro para a exemplaridade dos dois Pastorinhos. E é nesse contexto que autoriza a divulgação da terceira parte do “segredo de Fátima”, de que já aqui se falou.

JD, in Voz de Lamego, ano 87/23, n.º 4408, 18 de abril de 2017

Centenário das Aparições | Viver a Mensagem (2)

imagem_de_nossa_senhora_de_fatima_na_capelinha_das_aparicoes_fatima_12102015_foto_paulo_cunha_lusa98533c9c

A exemplo do aqui abordado na semana passada, continuamos a olhar para a “mensagem de Fátima” e a elencar algumas realidades ali encontradas. Tal como então se disse, conhecer tais apelos e dar resposta a tais convites muito contribuirá para o crescimento e santificação pessoais, aproveitando os outros o testemunho que lhes é dado. Porque, às vezes, corre-se o risco de fixar a atenção em “segredos” ou manifestações exteriores e deixar passar esses “apelos do Céu”.

No texto anterior falou-se do “apelo à conversão”, da “penitência” e da “oração”, prometendo continuar hoje.

Amor aos outros. O nosso Deus é Pai e convida-nos a comportamentos fraternos. O amor pelos outros e, em particular, pelos pecadores é apelo sempre presente, revelando a misericórdia divina e convidando a atitudes misericordiosas de uns para com os outros. Em Fátima encontramos o apelo para colaborar na edificação do próximo, tomando consciência da dimensão social do pecado.

Os cinco primeiros sábados. A Senhora de Fátima propõe um itinerário de revisão de vida, de conversão pessoal, de purificação interior, fornecendo ritmo à caminhada. O sábado prepara para o Dia do Senhor (domingo), bem como para a vivência plena da Eucaristia. A devoção ao Sagrado Coração de Maria, a quem se consagrou o mundo, é outro dos convites feitos.

Reparação dos corações de Jesus e de Maria. O pecado não eleva o seu autor, afecta a Igreja, a criação, afasta de Deus e faz sofrer Jesus e Maria. Ao contrário, reparar o erro e comprometer-se numa via diferente alegrará todos, incluindo o Senhor que nos ama e Maria, a quem invocamos como mãe. Assim, o cumprimento da vontade de Deus liberta e realiza o homem, mas alegra o coração de quem nos ama.

Amor à Eucaristia. Diz-nos a Igreja que a Eucaristia é cume e fonte de toda a vida cristã. Daí que não seja de admirar o sonoro apelo ao amor à Eucaristia, celebrada e adorada, presente na mensagem e bem testemunhado pelos pastorinhos. Nos nossos dias, no santuário de Fátima, são bem acessíveis as celebrações eucarísticas, bem como o espaço onde a adoração é contínua. E amar a Eucaristia é amar a Igreja e todos os seus membros. Neste particular, o amor ao Santo Padre é eloquente.

Resumindo, a “mensagem de Fátima” não acrescenta nada ao Evangelho, mas, quando bem entendida e assumida, “presta-nos uma preciosa ajuda para a vivência da fé cristã, na fidelidade a Deus, ao Evangelho e à tradição fiel da Igreja”.

E, para terminar, nunca é demais recordar a intervenção de Maria no episódio bíblico das bodas de Caná (Jo 2, 1-11), quando a sua solicitude materna a leva a interceder pelos noivos e a orientar os serventes. E se as situações da vida nos levam a invocar a sua intercessão, a exemplo dos aflitos noivos, também a nós ela dirige as palavras que então proferiu aos seus serventes: “Fazei o que Ele vos disser” (Jo 2, 5).

JD, in Voz de Lamego, ano 87/16, n.º 4401, 28 de fevereiro de 2017

Jovens da Diocese de Lamego no Fátima Jovem – 7 e 8 de maio de 2016

Fátima-Jovem

Nos dias 7 e 8 deste mês de Maio, houve a habitual peregrinação nacional dos jovens a Fátima. A ansiedade era muita, (curiosidade, expetativa) uma vez que tínhamos muitos jovens que iam participar pela primeira vez. Cerca de uma centena de jovens da nossa diocese foi à casa da Mãe provar que nem a chuva, nos trava a estar onde queremos. Muitas atividades, muita alegria, muita partilha, dedicação e apoio. Dois dias intensos.

A Vigília na Basílica da Santíssima Trindade foi um dos momentos marcantes, emotivos, onde colocamos as nossas alegrias, dores, medos, sofrimentos, mas também onde deixamos de olhar para o nosso umbigo e vimos que ao nosso lado há pessoas, que precisam de nós e apenas pequenos gestos e atitudes mudam vidas. A expetativa foi ultrapassada. Que Maria nossa Mãe, Mãe da misericórdia nos ilumine para que com o seu auxílio consigamos por em prática as obras de Misericórdia.

Maria Mãe de misericórdia.

Helena Mourisco,

Grupo jovem Água Viva, Paróquia de Moimenta de Cinfães

in Voz de Lamego, ano 86/23, n.º 4362, 10 de maio de 2016