Arquivo

Posts Tagged ‘Família Blasiana’

«A história do menino Joaquim»

img288

Também ela começa por «era uma vez», mas ao ler o pequeno livro que nos relata essa história, depressa damos conta de que essa «vez»  é irrepetível, sobretudo se se pretende contar uma história real.

E real foi a história de Joaquim Alves Brás, a quem se dedica este espaço na «VOZ DE LAMEGO», para dar a conhecer a meninice, juventude e idade adulta daquele que foi o fundador da chamada «Obra de Santa Zita».

Quem ele foi é já do conhecimento de muitos dos nossos leitores; quem ele é na história que não acabou no dia da sua morte, faz parte do que a Família Blasiana quer mostrar nos cinquenta anos da morte de Mons. Alves Brás. O seu sonho de ser Padre esbarrava para muitos na doença que limitava a sua locomoção; mas a história fala dos fortes e dos que confiam em Deus.

Foi padre e experimentou a vida paroquial, a de Director Espiritual no Seminário da Guarda, mas experimentou também a dor e tortura física e moral de muitas jovens que, deixando a sua aldeia, procuraram na cidade um trabalho, que tantas vezes as lançou na miséria e, depois, no vício. Ouviu muitas lamentações: «ajude-me, sr. Padre Brás; ai, se eu pudesse voltar atrás, não estaria a sofrer como estou.  Afastei-me do bem e, agora, estou perdida».

Também ele sofria e descobriu outro sonho; dele nasceu a Obra, que com o lema «mãos no trabalho e coração em Deus», procurou «prevenir, agir e formar» tanta pessoa, que assim ajudou e salvou no mundo do seu tempo, tempo que hoje se estende, embora de modo diferente, em Portugal e no Estrangeiro.

Vi-o entrar no salão de estudos do Seminário de Lamego, coxeando mas aprumado no seu ser, e forte na sua palavra; aquela com que ajudou e salvou tantas jovens do vício da «cedade» (ele trocava o i por um e) e hoje, pensa-se na sua canonização, o prémio de Deus e o reconhecimento da Igreja para quem soube viver e fazer o bem neste mundo dos homens e na Igreja de Jesus Cristo.

P.e Armando Ribeiro, in Voz de Lamego, ano 86/33, n.º 4369, 28 de junho de 2016

Família Blasiana em Peregrinação Internacional em Fátima

20150815_143216

Foi a 19 de Junho de 2016, que a Família Blasiana viveu um dia de ação de graças, no Santuário de Fátima, encerrando o cinquentenário da morte do seu Fundador Venerável Pe. Alves Brás…

Nesta Peregrinação Internacional, cada localidade demonstrou com a diversidade de vivências e mensagens de toda a parte; porque o Pe. Brás está vivo, através das suas Obras nascidas do seu coração compassivo e empreendedor…

Também de Roma o Santo Padre Francisco enviou uma importante mensagem…

E ainda o testemunho do Monsenhor Feytor Pinto, sobre o Pe. Brás, com quem conviveu e muito o ajudou e por ele sente uma grande estima e admiração, dizendo que é um santo…

O Pe. Brás viveu sob o olhar e presença de Deus, cumprindo a sua vontade. Atento à Inspiração Divina segundo os sinais dos Tempos…

A sua vida chegou aos 67 anos sob o signo da Cruz, mas a preocupação do Venerável Pe. Brás, dar glória a Deus, salvar as pessoas, a santificação das Famílias.

Agora, junto de Deus intercede por todos; recordamos a ele com fé e confiança …

Maria Fernanda Costa, in Voz de Lamego, ano 86/33, n.º 4369, 28 de junho de 2016