Arquivo

Posts Tagged ‘Emigrantes’

Semana das Migrações

Igreja Católica dedica semana a «novas gerações migrantes»

A Obra Católica Portuguesa das Migrações (OCPM) está a promover, desde domingo, a sua semana nacional com o tema ‘Acolher o futuro – Novas gerações migrantes são o amanhã da humanidade’.

“Cuidar da nossa família e cuidar da casa comum, protegendo o ambiente e sobretudo amando o nosso próximo de modo concreto e não apenas com palavras, será a melhor maneira de mostrarmos que temos em atenção os menores, os mais vulneráveis, os sem voz”, escreve D. António Vitalino, vogal da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana.

O bispo emérito de Beja realça que também Portugal está a envelhecer, “não apenas porque muitos jovens emigram” à procura de trabalho mais bem remunerado mas também porque “os casais não querem ter filhos ou se limitam apenas a um”. “Quem irá tratar dos nossos idosos? Quem irá fazer descontos para a sustentabilidade da segurança social?”, questiona.

A diretora da OCPM explica que “impulsionados” pelo desejo do Papa Francisco querem “tomar consciência das vulnerabilidades” a que estão sujeitos os migrantes de menor idade. “Interpela-nos a responder a esta realidade investindo na proteção, na integração e em soluções duradouras”, afirma Eugénia Quaresma.

A 45.ª Semana Nacional de Migrações realiza-se sob o tema ‘Acolher o futuro – Novas gerações migrantes são o amanhã da humanidade’, e decorre até dia 13 de agosto. A Obra Católica Portuguesa das Migrações dinamiza a Peregrinação dos Migrantes e Refugiados ao Santuário de Fátima, a 12 e 13 de agosto.

O presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, da Santa Sé, D. Rino Fisichella, vai presidir à peregrinação na Cova da Iria, que começa às 18h30 do dia 12 deste mês, após a conferência de imprensa de apresentação às 16h00. Já no domingo, 13 de agosto, a OCPM convida as paróquias e comunidades cristãs a celebrar a Eucaristia pelos migrantes e pelo trabalho pastoral que a Igreja Católica desenvolve neste setor, numa Jornada de Solidariedade.

in Voz de Lamego, ano 87/39, n.º 4424, 8 de agosto 2017

Falecimento de Emigrantes de Foz Côa | Nota da Vigararia Geral

france-portugal-accident-transport-philippe-desmazes-afp

(foto de Globo.com)

Mais uma vez, um trágico acidente de viação, envolvendo emigrantes, veio ensombrar as festas que trazem os nossos compatriotas às suas terras de origem. Depois de no ano passado, pelas festas da Páscoa, o luto ter atingido várias famílias da nossa diocese, este ano, na madrugada do último domingo, outro acidente, ocorrido na localidade de Charolles, na Estrada Nacional 79, chamada RCEA (Estrada Centro Europa e Atlântico), atingiu emigrantes do concelho de Foz Côa, da Diocese de Lamego, que regressavam à Suíça, depois das festas natalícias.

O nosso Bispo, D. António Couto, expressa a sua proximidade na dor e na oração às famílias enlutadas, aos párocos e às comunidades paroquiais de Freixo de Numão e de Vila Nova de Foz Côa, pedindo a recompensa eterna para os falecidos e o conforto da fé para os familiares que perderam os seus entes queridos.

Pe. João Carlos Costa Morgado, Pró – Vigário Geral

MATERNIDADE E GRATIDÃO | Editorial Voz de Lamego | 9 de agosto

assunção4

A Jornada Mundial da Juventude, realizada em Cracóvia, na Polónia, continua a merecer destaque na edição desta semana na Voz de Lamego. Porém, além dos artigos de opinião-reflexão, variadas notícias da Igreja, na diocese e no mundo, e da região. Destaque também para as Bodas de Ouro Sacerdotais do Pe. José Augusto Alves de Sousa, Sacerdote Jesuíta (sj), natural da Paróquia de São Tiago de Magueija. Outro destaque: as festas dos Remédios.

O Jornal diocesano publica a Nota da Vigararia Geral com as NOMEAÇÕES e DISPENSAS de D. António Couto, Bispo de Lamego, para o ano pastoral de 2016-2017.

Para Editorial, o Pe. Joaquim Dionísio, Diretor da Voz de Lamego, lembrando a presença massiva de emigrantes evoca a figura de Maria, como Mãe de Jesus e nossa Mãe, com muitas comunidades da diocese e do país a acorrerem aos braços e ao colo de Nossa Senhora, quando se aproxima a solenidade da Assunção de Nossa Senhora, invocando-A com diversos títulos…

MATERNIDADE E GRATIDÃO

O ritmo de verão é também marcado pelas festas, aproveitando o calor, a presença dos migrantes e a nova vida que parece tomar conta das nossas aldeias. Celebrações, procissões, foguetes e bandas multiplicam-se por essas paróquias fora, congregando familiares e amigos, patrocinando convívios comunitários, motivando a marcação de férias e congregando o esforço de tantos para celebrar a alegria da vida.

E porque muitas destas festas são motivadas pela devoção mariana e nos aproximamos da Assunção de Nossa Senhora, sem qualquer originalidade, poderíamos perguntar: o que faz “correr” para Maria? O que leva a invocá-la sob tantos títulos? Porque não cessam os fiéis de lhe dirigir pedidos, mesmo sabendo que não faz milagres? Sem ter escrito qualquer tratado, o que leva a querer aprender com ela? Porque será tão edificante o seu testemunho e eloquente o seu silêncio?

As respostas, mais ou menos elaboradas, poderão variar, mas talvez se aproximem num ponto: todos veem em Maria uma Mãe! E qualquer mãe, independentemente das suas forças, da sua idade, do seu saber, da sua experiência, da sua presença ou ausência será sempre sinónimo de “colo”. E falar de colo é fazer referência à segurança, à proximidade afectiva, ao conforto, ao calor, à compreensão, à vida, ao acolhimento sem reservas, ao lugar que nunca nos será tirado…

Acompanha-nos o episódio de Caná. Com tanta gente presente e capaz de prover à falta de vinho, foi Maria a escolhida.

Tal como naquelas bodas, os olhares de muitos voltam-se para Maria e sossegam diante do colo acolhedor.

Nos dias quentes e festivos de agosto, como em tantos dias do ano, às vezes frios e húmidos, os corações crentes contemplam Maria e agradecem a solicitude maternal e a singular intercessão junto d’Aquele que tudo pode.

in Voz de Lamego, ano 86/39, n.º 4375, 9 de agosto de 2016

Falecimento de Emigrantes em França | Nota da Vigararia Geral

acidente21350ee6

(Foto da Rádio Renascença)

Nota da Vigararia Geral

O Senhor Bispo D. António Couto e a inteira Diocese de Lamego, associam-se à dor das famílias atingidas pela perda dos seus entes queridos, falecidos no acidente desta quinta-feira à noite, em Moulins, França, onde perderam a vida mais de uma dezena de emigrantes portugueses que regressavam a Portugal para as festas pascais. Ente as vítimas contam-se alguns emigrantes oriundos  dos Concelhos de Cinfães e de Sernancelhe, da Diocese de Lamego.

Rezamos pelos falecidos, que em Tríduo Pascal se identificam com a morte de Cristo, para que com Ele tomem parte na glória da ressurreição.

Às famílias, e às comunidades paroquiais, reafirmamos a certeza da nossa proximidade na oração.

Pe. João Carlos Costa Morgado, Pró – Vigário Geral