Arquivo

Posts Tagged ‘Cursilhos de Cristandade’

ULTREIA ARCIPRESTAL no Santuário da Lapa LAPA

No dia 21 de maio se 2017, pelas 15 horas decorreu a ULTREIA  ARCIPRESTAL de Sernancelhe, Moimenta da Beira, Tabuaço, no edifício do  Colégio construído pelos Jesuítas. Presidiu ao encontro o Padre  Aniceto Morgado coadjuvado pelo Paulo Jorge grande dinamizador  diocesano dos CURSOS de CRISTANDADE. Estiveram presentes cerca de 80  pessoas de várias paróquias. Houve um momento para cantar, rezar,  partilhar experiências e Adorar o Santíssimo Sacramento.

No final retemperaram-se as forças com um lanche convívio.  Agradece-se a presença e a colaboração das irmãs religiosas do  Instituto discípulas de Nossa Senhora do Cenáculo que dão apoio neste  Santuário.

Este encontro reforçou a vitalidade deste Movimento Diocesano dos  Cursos de Cristandade. E todos regressaram também com a bênção de  Nossa Senhora aqui sob o Título, de Nossa Senhora da Lapa.

(Maria Assunção Carmo Cardoso)

in Voz de Lamego, ano 87/29, n.º 4414, 30 de maio de 2017

59.º CURSILHO DE HOMENS DO MCC

No Seminário Maior de Lamego realizou-se nos dias 28 de abril a 1 de maio de 2017, o 59º Cursilhos de Cristandade de Homens, da diocese de Lamego, dando-se, assim, cumprimento ao plano de atividades previsto pelo Secretariado Diocesano para o presente ano Pastoral.

É com muita alegria que partilho convosco a vivência cristã deste grupo formado por 11 novos cursilhistas, dois deles de Murça (diocese de Vila Real), de diversas idades que, inspirados no e pelo Mestre, conseguiram encontrar a “estrada” certa neste momento das suas vidas.

Este curso foi orientado, por uma equipa de onze dirigentes leigos, sendo o reitor, Paulo Jorge Oliveira, auxiliados por três presbíteros, o nosso Diretor Espiritual do Movimento, Cón. José Melo, o Pe. Justino Lopes e o Pe. Aniceto Morgado que, em clima de fraternidade e amizade, iam dando graças ao Senhor pelas maravilhas que ele ia operando em cada um dos nossos onze valentes. Ler mais…

Ultreia Arciprestal

Arciprestado de Moimenta da Beira, Sernancelhe, Tabuaço

0d3e771757f74b4ba80782c58b11cbb6

JESUS AMA-NOS

Foi debaixo desta enorme certeza que se realizou esta ultreia. Mais de sete dezenas de cursilhistas das várias paróquias deste arciprestado aceitaram o convite do Senhor para viverem momentos de oração e partilha. Começamos a ultreia invocando o Espirito Santo pois sabemos que sem a Sua força não caminharemos e jamais alcançaremos.

No capítulo 15 do evangelho de São João lido pelo senhor padre Aniceto, o Senhor mostra-nos o tanto que nos quer e o quanto nos ama.

Uma cursilhista, proclamou um pequeno rolho que tinha como titulo. «Como descobrir o amor de Deus na doença». Testemunhando como o senhor ajudou a descobrir o quanto a ama, e também como levar esse amor aos irmãos. Momentos fortes.

Seguiram-se os testemunhos de outros cursistas.

O Senhor diz-nos: onde dois ou três se reunirem em meu nome, Eu estarei no meio deles.

Mas o Senhor foi mais longe. Ele presenteou-nos com a Sua presença viva, Corpo, alma e Divindade, presente no Santíssimo Sacramento da Eucaristia.
Era hora de regressarmos a casa, não sem antes nos deliciarmos com um belo lanche que os nossos irmãos de Moimenta da beira prepararam.
Momentos maravilhosos e profundos, diante do Senhor, em que cada um partilhou com o Senhor, o que lhe ia no coração. A ultreia ia caminhando, não para o fim, é que a ultreia nunca acaba. É preciso levar o amor de JESUS para os nossos ambientes.

Agradecer ao Senhor a presença do senhor padre Diamantino, pároco desta paróquia e do senhor padre Aniceto, que quiseram partilhar estes momentos connosco.

OBRIGADO SENHOR POR TUDO O QUE NOS CONCEDES.

DECOLORES.

                                       Paulo Jorge, in Voz de Lamego, ano 87/15, n.º 4400, 21 de fevereiro de 2017

ULTREIA DIOCESANA DO MCC / CEIA DE NATAL

mcc-lamego1

No cumprimento do Plano de Atividades do novo ano pastoral decorreu no Seminário Maior da nossa diocese, no passado dia 10 de dezembro, a Ultreia Diocesana do Movimento dos Cursilhos de Cristandade de Lamego, na qual se deu início à Escola de Dirigentes, também prevista.

Por volta das 15 horas teve lugar o acolhimento dos cursilhistas provenientes dos diversos Centros de Ultreia espalhados pelos diferentes arciprestados e em seguida, e de acordo com a ordem de trabalhos, iniciou-se a reunião dos vários grupos formados aleatoriamente pelos elementos presentes, para uma reflexão profunda da Carta Pastoral do nosso bispo diocesano, D. António Couto, que tem por lema “Ide por todo o mundo e anunciai o Evangelho a toda a criatura” (Mc 16, 15).

Seguidamente, as reflexões efetuadas por cada grupo, referentes a alguns pontos específicos da carta citada, foram apresentadas e discutidas em plenário, com belas e sentidas ressonâncias, culminando com a eficaz exposição dos restantes pontos, pelos presidente do secretariado e diretor espiritual, respetivamente. Foram, sem dúvida, momentos enriquecedores, que ficaram muito bem referenciados no íntimo de cada um.

Os trabalhos foram concluídos com a oração final e cânticos de alegria, tendo como ponto alto a adoração do Santíssimo Sacramento exposto.

Este encontro terminou com a tradicional Ceia de Natal, na qual os 44 cursilhistas participantes tiveram oportunidade de confraternizar num maravilhoso ambiente de alegria, partilha, amizade e amor de Cristo. Depois das deliciosas sobremesas, houve a oportunidade de felicitarmos o nosso diretor espiritual, Cónego José Manuel Melo, pelo seu 62º aniversário natalício.

No final, o nosso presidente do secretariado, José Luís Morais, alertou os presentes, para as principais atividades previstas, destacando-se a realização da V Ultreia Mundial, que irá decorrer em Fátima, no dia 6 de maio e do Cursilho de Cursilhos, em Viseu, nos dia 10, 11 e 12 de fevereiro de 2017. Apelou, ainda, para a mobilização relativamente às respetivas inscrições e, sobretudo, pedidos de intendência para o bom êxito das mesmas. Solicitou, também, orações individuais pela causa de beatificação dos cursilhistas fundadores, Eduardo Bonnín Aguiló e Monsenhor Sebastien Gayá Riera.

Na despedida, tomou a palavra o senhor Pró-Vigário Geral, Padre João Carlos Morgado, que destacou a importância e a vitalidade do movimento, sobretudo na preparação dos próximos cursilhos de homens e senhoras agendados para abril/maio próximos. Fomos todos convidados a mantermo-nos unidos uns aos outros e a recorrermos constantemente à oração, com a certeza de que com a proteção e a graça de Cristo conseguiremos cumprir os nossos propósitos.

Desejamos a todos os cursilhistas um Santo e Feliz Natal e um próspero Ano Novo recheado de êxitos a todos os níveis. Que o Espírito Santo nos ilumine e São Paulo nos guie para melhor podermos servir os nossos irmãos em Cristo!

De Colores!

Eduardo Pinto, Secretariado Diocesano de Lamego

in Voz de Lamego, ano 87/06, n.º 4391, 13 de dezembro de 2016

6.º Ano do Seminário: Conhecer a realidade pastoral da Diocese

IMG_6312

Tendo em vista uma melhor preparação para o exercício do ministério presbiteral, o nosso sexto ano de teologia está a ser rico em formações práticas que nos proporcionam um maior conhecimento da nossa realidade diocesana, seus movimentos, departamentos, serviços, etc.

Ainda imbuídos na experiência dos Cursilhos de Cristandade realizados no passado mês de abril, recebemos no dia dez de maio, no nosso Seminário Maior de Lamego, o senhor José Luís Morais e a sua esposa, para nos falar do que é no concreto o Cursilho e a sua importância na vida paroquial e eclesial. Ficamos a conhecer melhor a História deste movimento, as suas características fundamentais e a sua evolução ao longo destes anos todos. Pudemos também partilhar experiências e reconhecer que o papel dos leigos é muito importante na Igreja. Cristo conta com todos nós para o anunciarmos, não só na igreja mas também nos ambientes onde estamos inseridos.

No dia treze de maio, juntamente com o nosso Reitor, Padre Joaquim Dionísio, deslocamo-nos até terras de Cinfães, mais concretamente até à Paróquia de Tendais, onde fomos recebidos pelo senhor Padre Adriano Alberto que aceitou falar-nos um pouco sobre a sua experiência como fundador e diretor de uma IPSS. Num diálogo fraterno marcado pela disponibilidade para esclarecer algumas das nossas questões, sentíamos que estávamos a ter uma aula de Doutrina Social da Igreja in loco.

Alertados para as dificuldades burocráticas e sensibilizados para as necessidades do povo de Deus, percebemos que um sacerdote pode desempenhar um papel muito importante nessa área socio-caritativa. Numa diocese do interior, como é a nossa, a existência desse tipo de instituições apresenta-se como um meio importantíssimo para dar resposta a muitos problemas escondidos, para apoiar pessoas esquecidas, para criar emprego.

Foi uma semana rica em testemunhos! Agradecemos ao senhor José Luís e à sua esposa a disponibilidade manifestada desde o primeiro instante, em vir ao seminário, e a alegria em nos poderem ajudar a conhecer este movimento, que tal como outros é tão importante para a vitalidade da Igreja e para a nossa Diocese.

Manifestamos igualmente a nossa gratidão ao Padre Adriano e ao Padre Francisco Marques, que também esteve connosco, por nos terem dado a conhecer a beleza do serviço a Deus e a responsabilidade do compromisso com todos, principalmente com aqueles que mais necessitam.

Diogo Rodrigues e Luís Rafael Azevedo,

in Voz de Lamego, ano 86/24, n.º 4363, 17 de maio de 2016

Cursilhos de Cristandade: o desafio do 4.º Dia

cursistas1

No seguimento da vivência do 40.º Cursilho de Cristandade de Senhoras e do 58.º Cursilho de Cristandade de Homens, realizou-se no passado dia 3 de maio no Centro Pastoral da Paróquia da Sé, a Ultreia. Esta Ultreia foi um momento de reencontros, vivendo-se num espírito de fraternidade conforme viveram as primitivas comunidades cristãs. Esta Ultreia também caracterizou-se por um espírito de partilha da vivência das alegrias e desafios do 4.º Dia, dos novos cursilhistas. A sensação geral foi de uma enorme alegria da descoberta da vivência na graça, que aperfeiçoa a nossa forma ser e de agir em relação a Deus e ao próximo, e claro, com nós próprios. Conforme o célebre axioma escolástico “A graça não destrói a natureza, mas a pressupõe e a aperfeiçoa”. Por último ficou a missão de sermos fermento de transformação nos diferentes ambientes que frequentamos (família, trabalho, lazer, paróquia, diocese…). Por fim, louvemos o Espírito Santo, Senhor que dá a vida, o principal agente desta profícua vivência espiritual, pois conferiu um novo sabor a vida dos novos cursilhistas. De Colores !!

Ângelo Santos, in Voz de Lamego, ano 86/23, n.º 4362, 10 de maio de 2016

Movimento dos Cursilhos de Cristandade: Jornada jubilar

CC-Mulheres

Na tarde do dia 25 de Abril o Movimento dos Cursilhos de Cristandade na nossa diocese viveu um momento significativo. Na Sé Catedral decorreu o encerramento dos dois cursilhos realizados de 22 a 25 de Abril. Foi a primeira vez que, na nossa diocese,  se realizaram dois cursilhos ao mesmo tempo: o 40º de Senhoras, nas instalações da Obra Kolping, em Lamego, com trinta novas participantes; e o 58º de Homens, no Seminário de Resende, com dezasseis novos participantes. Foi umas boa maneira de assinalar o Ano Santo da Misericórdia, congregando os antigos cursilhistas e os novos em jornada jubilar.

CC-homens

Os que viveram pela primeira vez esta experiência, provenientes de diferentes núcleos paroquiais e com diversas tonalidades nas idades e na referência cristã, sentiram-na como uma experiência que a todos deixou enriquecidos e com novas perspetivas na abordagem da vida. Manifestaram-no claramente, na Catedral, onde, pelas 16.00, depois de uma caminhada simbólica a partir da Capela do Espírito Santo, entraram atravessando a Porta Santa, e se viram surpreendidos por uma moldura humana acolhedora e feliz, formada por muitos daqueles que um dia viveram experiência semelhante.

Proporcionou-se uma tarde de ação de graças, em que os novos cursilhistas partilharam as suas vivências semeando esperança e alegria no coração de todos. O Senhor Bispo, D. António Couto presidiu à celebração da Eucaristia, às 18.30, tendo na homilia, relevado o papel dos leigos na missão da Igreja e a sua aptidão para concretizar os desafios que a Igreja sente de ir ao encontro de todos, levando a Boa Nova de Jesus.

No final era notória  a alegria de todos e a vontade de continuar por estes caminhos de evangelização. Jornadas como esta são um estímulo para as Equipas Animadoras dos Cursilhos e para os Párocos e Leigos comprometidos, que fazem do MCC um apoio para a caminhada cristã das suas comunidades.

O Secretariado Diocesano do MCC,

in Voz de Lamego, ano 86/22, n.º 4361, 3 de maio de 2016