Arquivo

Posts Tagged ‘Castro Daire’

Falecimento do Pai do Padre João Carlos

O Senhor, Deus de Bondade e de Misericórdia, chamou à Sua presença, para as moradas eternas, o Sr. José A. Morgado, pai do Padre João Carlos, Pró Vigário Geral da Diocese de Lamego e Cónego do Cabido da Sé.

D. António Couto, em seu nome e do presbitério de Lamego, manifesta as condolências ao reverendo Pe. João e aos seus familiares, neste momento de luto, unindo-se em oração, agradecendo o dom da vida, acolhido, vivido e devolvido, agora, em definitivo, ao Deus da vida, do tempo e da história. Sublinha, por outro lado, a certeza, que vem da fé, de que a vida não se esgota no termo temporal, mas se abre, pela misericórdia de Deus, à eternidade. Deus faz prevalecer a vida daqueles que n’Ele acreditaram e se deixaram conduzir pelas Suas palavras.

Na manhã de quinta-feira, 7 de abril, pelas 10h00, celebrar-se-á Missa Exequial pelo Sr. José Morgado, na Igreja Matriz de Castro Daire, seguindo-se o funeral no cemitério local.

Unidos em oração, na esperança da ressurreição, manifestamos os nossos sentimentos e comunhão ao Pe João Carlos, sua mãe e irmãos, e demais familiares. Que o Senhor dê o eterno descanso ao Sr. José e o conforto do Seu amor aos familiares e amigos.

Castro Daire |> Formação para coros…

2015-02-01 14.45.03

‘COMO É BOM ESTARMOS AQUI!’…  ‘COMO É BOM (APRENDER) A LOUVAR O SENHOR!’

Dinamizada pelo digno secretário diocesano de música sacra, o Rev. Pe. Marcos Alvim, no Salão do Centro Pastoral de Castro Daire, no 1.º dia (e domingo) de fevereiro, pelas 14h30, foi realizada uma ação de formação destinada a diretores de coro, cantores, organistas e instrumentistas do arciprestado de Castro Daire / Vila Nova de Paiva.

É em agradáveis momentos como este que tão facilmente se experiencia a expressão bíblica de que ‘para Deus, mil anos são como um dia…’. Cerca de três horas de formação passaram mais depressa do que algumas vezes 5 minutos…

A séria, leve e competente profundidade com que esta ‘escola de fé’ sensibilizou os participantes, para lá da exposição teórica e aplicação prática da artística oração da Mãe de Jesus – «Magnificat» – a 4 vozes, foi uma autêntica tomada de consciência de que a Liturgia é a oração oficial da Igreja que integramos. Tratou-se, de facto, da maravilhosa experiência da presença de Deus onde vários se reúnem em Seu Nome, para, através da Música Sacra, alimentar e partilhar a fé.

Bem patente, para lá de tantas outras ideias a concretizar, ficou a convicção unânime de que o coro musical nasce da assembleia orante e nela exerce um honroso e humilde serviço litúrgico.

Na continuidade da generosa dedicação do Departamento Diocesano de Música Sacra a que já nos fomos habituando, particularmente com a sistemática receção, por via eletrónica, de cânticos litúrgicos,  foi reafirmada a disponibilidade semanal de sugestões de cânticos litúrgicos no órgão oficial da Diocese – «Voz de Lamego».

in VOZ DE LAMEGO, n.º 4299, ano 85/12, de 3 de fevereiro de 2015