Arquivo

Posts Tagged ‘Caminhada Quaresma-Páscoa’

CAMINHADA QUARESMA-PÁSCOA | PENTECOSTES

Cumprem-se agora as promessas feitas por Jesus Cristo aos seus discípulos. A promessa de que não os deixaria órfãos; a promessa de os acompanhar na sua missão; a promessa de ficar com eles até ao fim dos tempos; a promessa de lhes enviar o Paráclito.

Na chegada ao meio dos discípulos deixo-lhes o que eles mais precisavam, dizendo-lhes A paz esteja convosco! Depois fez descer sobre eles o Espírito Santo.

É de paz que todos nós precisamos, e que o Espírito Santo nunca deixe de atuar em nós como outrora nos discípulos. Por isso, no último dia do tempo pascal e no termo da nossa caminhada da Páscoa, vamos colocar na Cruz florida da ressurreição os frutos do Espírito Santo, que queremos cultivar no nosso coração e fazer frutificar na relação com os nossos irmãos.

Domingo de Pentecostes

Preparação: – Construir pequenas línguas de fogo, escrever nelas os frutos do Espirito Santo, para serem penduradas na cruz.
Momentos da Eucaristia: – Ato penitencial;

– Glória;

– Ofertório;

– Paz;

– Ação de graças.

 Gesto:

Em cada um destes momentos, pessoas diferentes (2 em cada um dos momentos), vão colocar na Cruz, alguns frutos do Espírito Santo (Gal 5, 22), desenhados em cartolina, em forma de línguas de fogo.

Pe. Diamantino Alvaíde, in Voz de Lamego, ano 87/29, n.º 4414, 30 de maio de 2017

CAMINHADA QUARESMA-PÁSCOA | ASCENSÃO DO SENHOR

O monte é continuamente o lugar do encontro e das revelações. Era lá que Moisés se dirigia para ter os seus mais importantes contactos com Deus e d’Ele receber as mais preciosas indicações para a condução do povo à Terra Prometida.

Jesus Cristo continuamente sobre ao monte para orar, para estar a sós com Pai, para intimamente se encontrar Consigo próprio. É no cimo do monte que também que acontecem as maiores revelações, desde o Tabor ao Calvário.

Agora volta ao monte pela última vez. Pede aos discípulos que vão lá ter. E depois de lhes deixar o maior de todos os mandatos missionários: “Ide e ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”, elevou-se ao Céu, prometendo continuar com eles, e connosco, até ao fim dos tempos.

Domingo da Ascensão

Preparação:

– Arranjar velas de copo, pequenas e baratas, para serem distribuídas;

Momentos da Eucaristia:

– Antes da missa e

– Após a homilia

Gesto:

Á entrada da igreja distribuir pelas pessoas uma vela pequena,

– Depois da homilia acender as velas e fazer a renovação das promessas batismais. No final colocar na cruz a flor com a palavra: IDE.

Pe. Diamantino Alvaíde, in Voz de Lamego, ano 87/28, n.º 4413, 23 de maio de 2017

CAMINHADA QUARESMA-PÁSCOA | 5.º DOMINGO DA PÁSCOA

À medida que se aproxima o tempo Cristo partir para junto do Pai, a Sua identidade vai-se definindo com maior precisão e clareza. Aliás, é Ele mesmo quem faz questão de deixar isso bem patente.

Se no domingo passado se apresentava como o Pastor e a Porta, neste domingo Ele identifica-se como o caminho, a verdade e a vida; como Aquele que dá a conhecer o rosto do Pai, as palavras do Pai, as obras do Pai.

Por isso, São Pedro, na segunda leitura o define como pedra angular, a mais importante, a escolhida, a preciosa. Aquela que os homens rejeitaram, mas que a peça basilar na construção do templo espiritual da vida dos cristãos.

 5.º DOMINGO DA PÁSCOA

Preparação:

– Arranjar uma pedra, mais ou menos trabalhada

Momentos da Eucaristia:

– Depois da segunda leitura e

– Antes da comunhão

Gesto:

– Logo após a 2ª leitura, antes do Aleluia, colocar diante da Cruz uma pedra, que não seja muito tosca, mas trabalhada, a significar a “pedra angular”;

Antes da distribuição da comunhão, colocar na cruz a flor com a palavra: JESUS, ou então, em vez da palavra, colocar o rosto de Cristo.

Pe. Diamantino Alvaíde, in Voz de Lamego, ano 87/26, n.º 4411, 9 de maio de 2017

CAMINHADA QUARESMA-PÁSCOA | 4.º Domingo da Páscoa

O quarto domingo da Páscoa, o denominado domingo do Bom Pastor, remete-nos cabalmente para a realidade da vida. O verdadeiro pastor é aquele que se desdobra em esforços para assegurar o melhor para as suas ovelhas. Livra-as dos perigos. CondU-las às melhores pastagens. Conhece-as pelo nome. Acompanha-as enquanto estão fora. E, no limite, o Verdadeiro e Bom Pastor dá mesmo a Sua vida pelas ovelhas, depois de lhes ter dado vida.

Este ano acontece o domingo do Bom Pastor, no mês da Mãe e no dias de todas as mães. A figura materna de Nossa Senhora e das nossas mães agudiza ainda mais o significado e valor da vida. São elas quem no-la dá na terra. E é Ela quem nos ensina a ganhá-la no céu.

 4.º DOMINGO DA PÁSCOA

Preparação:

Arranjar copos de plástico pequenos, com terra e uma semente dentro.

Momentos da Eucaristia:

– Depois da leitura do Evangelho

– Ação de graças/final.

Gesto:

– Depois do Evangelho, colocar na cruz a flor com a palavra: VIDA

– No momento pós-comunhão ou no final da Eucaristia distribuir pelas mulheres/mães, que estiverem na igreja, os copos de terra com a semente de flor la dentro, para assinalar o dia da Mãe.

Pe. Diamantino Alvaíde, in Voz de Lamego, ano 87/25, n.º 4410, 2 de maio de 2017

CAMINHADA QUARESMA-PÁSCOA | 3.º Domingo de Páscoa

IMG_5301 (1024x683)

As aparições do Ressuscitado continuam a acontecer. Desta vez é aos discípulos que iam a caminho de Emaús, e que entre si discutiam o que tinha acontecido em Jerusalém. A sua viagem e a sua conversa são intercetadas por um estranho, que aparenta desconhecer o que se passou na última festa Páscoa judaica, em Jerusalém.

É ao partir do pão que este ‘estranho’ revela a sua verdadeira identidade. E a partir de tantas revelações do Ressuscitado que os discípulos começam a perder o medo de sair para a rua e anunciar publicamente a sua alegria por Cristo estar de novo vivo, e agora vivo para sempre.

Assim, a proposta para este domingo da Páscoa é que se distribua pão partido, que nos remete para a fração do pão feita por Jesus Cristo e para a Eucaristia.

3.º DOMINGO DA PÁSCOA

Preparação:

– Comprar pão, ou pedir a alguém que coza, para depois ser partido em pequeninos pedaços e embrulhado em película aderente, ou outro material que o conserve algum tempo;

– Colar em cada pedaço de pão uma das seguintes frases:

“Reconheram-n’O ao partir do pão!”

ou

“E tu? Reconhece-l’O ao partir do pão?”

Momentos da Eucaristia:

– Fim da leitura do Evangelho

– Ofertório

Gesto:

– Depois da leitura do Evangelho, colocar na cruz a flor com a palavra: PÃO

– No momento do ofertório, distribuir pelas pessoas o pedaço de pão, embrulhado, com a mensagem colada.

Pe. Diamantino Alvaíde, in Voz de Lamego, ano 87/24, n.º 4409, 25 de abril de 2017

CAMINHADA QUARESMA-PÁSCOA | DOMINGO DA RESSURREIÇÃO

Percorrido um caminho de dor, de paixão e de morte, eis que nos chega a luz gloriosa da vida. Aquela Vida que o passar do tempo não esgota; aquela Vida que o mundo não consegue reter em si; aquela Vida que é apenas aurora e não conhece mais ocaso.

A palavra Ressurreição, que deve ser colocada na Cruz, grita alto a derrota da morte; denuncia o arrombamento do túmulo; prefigura a destruição das trevas; anuncia a vitória da cruz; aponta o caminho da luz; assegura o encontro com a Paz.

DOMINGO DE PÁSCOA

Preparação:

Revestir a cruz com flores brancas e colocá-la na posição vertical, de forma a continuar visível a todos.

Momentos da Eucaristia:

– Se houver vigília pascal, a parte branca da cruz deve ser virada para a frente, no momento do Glória.

– Se não houver vigília pascal, no domingo, deve virar-se a parte branca cruz para a frente ao inicio da Eucaristia.

Gesto:

Durante o Glória colar a palavra Ressurreição.

Pe. Diamantino Alvaíde, in Voz de Lamego, ano 87/22, n.º 4407, 11 de abril de 2017

CAMINHADA QUARESMA-PÁSCOA | Domingo de Ramos

Chegamos à denominada Semana Maior. Eis que Jesus está em Jerusalém e se prepara para iniciar o momento crucial da sua caminhada terrena, como Homem, no meio dos homens.

A palavra paixão, que vamos colocar na Cruz, remete-nos para o caminho doloroso e infame que Jesus percorre desde a Agonia ao Calvário. As pequenas cruzes, que serão distribuídas significam a cruz de cada um de nós, emendada à Cruz de Cristo. A cruz dos nossos sofrimentos, que Ele continua a carregar connosco.

DOMINGO DE RAMOS

Preparação:

Construir cruzes pequenas (7 cm +/-), de um material que se achar conveniente (vides, madeira, papelão, etc), feitas por um qualquer grupo paroquial, em número suficiente para todas as pessoas que estiverem na missa dominical.

Momentos da Eucaristia:

– Após a leitura do Evangelho

– Pós-comunhão

Gesto:

Após a leitura do Evangelho, antes da homilia, colar a palavra: PAIXÃO

– Distribuir cruzes pequenas, enquanto se canta o cântico de Pós-comunhão;

in Voz de Lamego, ano 87/21, n.º 4406, 4 de abril de 2017

CAMINHADA QUARESMA-PÁSCOA | 5.º Domingo da Quaresma

A Liturgia da Palavra vai-nos aproximando da realidade da morte. O profeta Ezequiel anuncia a vontade de Deus de abrir os túmulos e deles fazer ressurgir todos os mortos, para que o povo acredite O reconheça como Senhor.

O acontecimento relatado no Evangelho é, simultaneamente, cumprimento e profecia. Por um lado materializa a profecia da primeira leitura. E, por outro, pre-anuncia o que vai acontecer com o próprio Cristo.

Por isso, os pedidos de perdão traduzem a nossa dificuldade em abrir os túmulos que os habitam para que a vida possa ressurgir dentro e de dentro de nós.

5.º DOMINGO DA QUARESMA

Preparação: Arranjar 4 pessoas que leiam, com idades diferentes, a representar as diferentes faixas etárias
Momentos da Eucaristia:

Momento penitencial

Gesto:

No momento penitencial sobem as 4 pessoas ao ambão: uma criança, um jovem, um adulto e um idoso;

– Cada pessoa lê um pedido de perdão dos que vão anexos no esquema da caminhada;

No final da leitura das 4 pessoas pode cantar-se o Kyrie.

Pe. Diamantino Alvaíde, in Voz de Lamego, ano 87/20, n.º 4405, 28 de março de 2017

CAMINHADA QUARESMA- PÁSCOA | 4.º Domingo da Quaresma

A diferença do olhar de Deus em relação ao nosso é que nós só conseguimos ver as aparências e Ele consegue ver o coração (1 Sam 16,7). É esta faculdade de Deus que indica a Samuel quem é que deve ungir como rei de Israel.

No evangelho Jesus liberta o cego de nascença da sua prisão física. E isso permite-lhe ver quem o curou, quem o salvou. Na cruz será colocada a palavra cegueira, a simbolizar as nossas tantas incapacidades de ver Deus no mundo criado, no que Ele nos oferece cada dia e na pessoa de cada um dos nossos irmãos. Estas cegueiras não são dos olhos, mas do coração.

4.º DOMINGO DA QUARESMA

Preparação: Imprimir a oração anexa no esquema da caminhada e recorta-la em pequenos pedaços para serem distribuídas
Momentos da Eucaristia: – Depois da homilia

– Ofertório

– Pós-comunhão

 

 

Gesto:

A seguir à homilia, colar na cruz a palavra: CEGUEIRA

– Nos cestos do ofertório mandar as orações recortadas para que cada pessoa possa retirar um papel

No momento pós comunhão todos recitam em conjunto, em voz alta, a oração que receberam no ofertório

in Voz de Lamego, ano 87/19, n.º 4404, 21 de março de 2017

CAMINHADA QUARESMA-PÁSCOA – 3.º Domingo da Quaresma

A sede é um assunto que perpassa a liturgia da Palavra deste terceiro domingo do tempo da Quaresma. O Povo de Deus insurge-se contra Moisés, por não terem água para beber as pessoas e os rebanhos, pondo em questão que Deus estivesse no meio deles. No Evangelho volta a destacar-se a urgência de saciar a sede, aquela de água, mas sobretudo aquela sede da nascente que é Jesus e que jorra para vida eterna (Jo 4, 14).

A palavra sede, colocada na cruz, remete-nos para um problema ainda hoje real em algumas partes do globo terreste mais desérticas ou afetadas pela escassez de recursos económicos. A expressão Sede de Deus, distribuída nos copos, põe-nos diante de uma inquietude do nosso mundo ocidental, tão desenfreado à procura de sentido para a vida.

3.º DOMINGO DA QUARESMA

Preparação:

Arranjar copos de plástico branco e escrever ou gravar nos copos a expressão “Sede de Deus

Momentos da Eucaristia:

– Após a leitura do Evangelho

– No momento pós-comunhão

 Gesto:

A seguir à leitura do Evangelho, antes da homilia, colar na cruz a palavra: SEDE

No momento pós comunhão distribuir a cada uma das pessoas presentes na celebração 1 dos copos de plástico branco com a inscrição Sede de Deus

in Voz de Lamego, ano 87/18, n.º 4403, 14 de março de 2017