Arquivo

Posts Tagged ‘Ano de São José.’

Editorial: «Levanta-te, toma o menino e sua mãe» (Mt 2, 13)

É possível que esta edição da Voz de Lamego vos chegue às mãos já depois da solenidade da Imaculada Conceição. Ainda assim este é um acontecimento ímpar na vida da Igreja e do país! Em 1646, D. João IV coroou Nossa Senhora da Conceição como Padroeira e Rainha de Portugal. A partir dessa data, nem D. João IV nem qualquer outro rei usou a coroa. A coroa é pertença de Nossa Senhora! Portugal é terra de Santa Maria.

Por outro lado, conclui-se (ou concluiu-se) neste dia, 8 de dezembro, um ano especial dedicado a São José. Há 150 anos o Papa Pio IX declarava São José como Padroeiro da Igreja Católica e o Papa Francisco quis que durante um ano se refletisse sobre o esposo de Maria e Pai adotivo (e legal) de Jesus. Tal como cuidou de Maria e de Jesus, a certeza que São José cuida da Igreja e dos seus filhos. Relembra-nos o Papa: “Todos podem encontrar em São José – o homem que passa despercebido, o homem da presença quotidiana discreta e escondida – um intercessor, um amparo e uma guia nos momentos de dificuldade. São José lembra-nos que todos aqueles que estão, aparentemente, escondidos ou em segundo plano, têm um protagonismo sem paralelo na história da salvação. A todos eles, dirijo uma palavra de reconhecimento e gratidão”.

Estas palavras do Papa são verdadeiramente encorajadoras, fazem-nos olhar para São José e para quantos, sem levantar ondas, se dedicam ao bem do seu semelhante, com alegria e generosidade. São José é como um anjo que Deus coloca na vida de Maria para cuidar d’Ela, para A proteger da maledicência e para A apoiar nas dificuldades que irá ter. Nos primeiros anos da vida de Jesus, José foi bênção, luz, guia, proteção, foi verdadeiramente Pai, esforçado, benevolente, silencioso e orante, predispondo-se a escutar os sinais de Deus no sono, no trabalho, na oração comunitária, na reunião familiar.

Procuramos (justamente!) racionalizar a fé, para a tornar mais luminosa, mais significativa e passível de ser apresentada sem passarmos por ingénuos. Retiramos à fé a espontaneidade, a novidade e as surpresas de Deus se manifestar, agir e transformar o mundo! Maria foi preparada desde sempre para ser a Mãe do Filho de Deus. Também São José foi preparado para falar com Deus, para falar de Deus, para proteger Deus, para fazer as vezes do “Pai das Misericórdias”. Podemos imitá-l’O.

Para a JMJ 2023, o Papa Francisco escolheu como tema: «Maria levantou-se e partiu apressadamente» (Lc 1, 39). Depois da anunciação, e sabendo que a sua primeira Isabel se encontra grávida, Maria apressa-se para ir ao seu encontro. O nosso Bispo, D. António, para este ano pastoral, escolheu outra perícope do Evangelho (Mt 26, 46): «Levantai-vos! Vamos!». No Jardim das Oliveiras, Jesus, depois da oração intensa, desperta os Seus discípulos para enfrentar, com bravura, o que vem pela frente.

Uma Igreja em caminho e em comunhão conta com todos, com os que peregrinam e com os que junto de Deus intercedem por nós. São José é um poderoso intercessor. Ele levanta-se connosco, apressa-se a cumprir a vontade de Deus. Não espera o amanhecer.

A finalizar a sua carta apostólica, Patris cordes, com que convocou este ano especial dedicado a São José, o Santo Padre diz-nos o propósito da carta e do ano: “aumentar o amor por este grande Santo, para nos sentirmos impelidos a implorar a sua intercessão e para imitarmos as suas virtudes e o seu desvelo… Só nos resta implorar, de São José, a graça das graças: a nossa conversão. / Dirijamos-lhe a nossa oração: Salve, guardião do Redentor e esposo da Virgem Maria! / A vós, Deus confiou o seu Filho; em vós, Maria depositou a sua confiança; convosco, Cristo tornou-Se homem. / Ó Bem-aventurado José, mostrai-vos pai também para nós e guiai-nos no caminho da vida. / Alcançai-nos graça, misericórdia e coragem, e defendei-nos de todo o mal. Ámen”.

Pe. Manuel Gonçalves, in Voz de Lamego, ano 92/05, n.º 4636, 8 de dezembro de 2021