Arquivo

Archive for the ‘Testemunho’ Category

Acompanhamento de Peregrinos no Santuário de Fátima

Neste ano em que se celebra o centenário das aparições de Nossa Senhora em Fátima, não podia eu deixar de também me aproximar mais daquele Santuário já apelidado como “altar do mundo”. Ao longo do último ano, várias vezes me debrucei sobre o “Acontecimento Fátima”: quer na oração, quer em leituras, quer em conferências, quer na escolha da música que escutei e, por fim, no zénite que foi a peregrinação dos passados dias 12 e 13 de Maio ao lado do Santo Padre.

No intuito de aprofundar mais intimamente as palavras da “serva e mensageira da Palavra” e sentir mais proximamente a diversidade de formas como, ali, Maria é “saudada por todas as gerações” decidi aproveitar a oportunidade que o Santuário de Nossa Senhora do Rosário de Fátima oferece aos seminaristas e, durante a quinzena de 15 a 31 de Julho, vivi Fátima em Fátima. O projeto de “acolhimento dos peregrinos por seminaristas” é uma oportunidade única de chegar ao coração daquele santuário. Partilho agora consigo, caro(a) leitor(a), aquela que foi a minha experiência:

O caminho para Fátima de autocarro fazia-me antever as expressões de fé que lá havia de encontrar. O condutor do autocarro, que de forma muito educada me acolheu, é exemplo daqueles cristãos que não varrem os sinais que apontam para a Mãe de Jesus Cristo. Junto ao volante, lá estava uma dezena que, se nunca foi rezada, deve ter a força de (e)levar o pensamento para a proteção maternal de Maria de cada vez que os olhos a fitam. Ler mais…

Por terras da Polónia: Testemunho

Tive por estes dias oportunidade de com um grupo de amigos ir conhecer a Polónia; privilégio desejado por muitos pelo seu Património, História e Natureza, e em particular pelos católicos, por ser o país natal de São João Paulo II, Papa que deixou indeléveis marcas em todos nós e na Igreja Mundial.

Sendo, no entanto, uma admiradora de Ratzinger, com cuja maneira de ser me identifico mais, não fui tanto atrás do Santo, mas mesmo pelo país, que já sabia ser muito bonito e historicamente imperdível.

No entanto, todo o tempo que lá estive foi outra a vertente que me subjugou! A Espiritualidade!

A Natureza, o Património, a História… fantásticos!

São João Paulo… sempre presente!

Mas o Povo, a força espiritual, a religiosidade pura e sincera, o modo simples e inteiro como viviam a Fé…não há palavras! Ler mais…

Iraque: As Irmãs Dominicanas sonham com o regresso a casa 

Anjos-da-guarda 

Desde que foram obrigadas a abandonar o convento de Teleskuf onde viviam, no Verão de 2014, face à conquista da região pelos jihadistas do auto-proclamado “Estado Islâmico”, que as Irmãs Luma Khuder e Nazek Matty sonham com o dia de regresso a casa. Mas durante estes três longos anos não ficaram um dia sequer de braços cruzados. E criaram conventos de emergência…

Por muitos anos que vivam, dificilmente as Irmãs Luma Khuder e Nazek Matty esquecerão os dias de tumulto que ocorreram na Planície de Nínive, no Iraque, em Julho e Agosto de 2014, faz agora precisamente três anos. Nesses dias, perante o ensurdecedor silêncio do mundo, grupos jihadistas foram conquistando todos os palmos de terra da região, subjugando aldeias, vilas e cidades, obrigando milhares de cristãos a abandonarem tudo o que tinham para salvarem as próprias vidas. Num espaço de dias, às vezes até em poucas horas, muitas dessas aldeias e vilas ficaram vazias, sem ninguém para testemunhar o saque das casas, a destruição das capelas e igrejas, a profanação de todos os lugares sagrados. Fugiram quase todos para o Curdistão. Luma Khuder e Nazek Matty, irmãs dominicanas de Santa Catarina de Sena, assim como outras 70 religiosas, fizeram-se também à estrada. Não tinham alternativa. Quando partiram, quando olharam pela última vez para o convento de Nossa Senhora do Rosário, em Teleskuf, não conseguiram esconder as lágrimas. Quando chegaram a Erbil, ao Curdistão iraquiano, as Irmãs Luma e Matty eram refugiadas entre refugiados. Mas eram também verdadeiros anjos-da-guarda. Muitas vezes, Luma e Matty nada mais podiam oferecer do que o conforto dos seus abraços ou palavras de simpatia embrulhadas em sorrisos. Era quase nada mas ali, no meio daquele desespero humano, valia como um verdadeiro tesouro. Todos os dias havia alguém para consolar, havia alguém em lágrimas. Ler mais…

Voluntariado missionário: 1403 portugueses partem em 2017

18 pessoas deixam o seu emprego e 10 pedem licença sem vencimento para partir em missão

 

A Fundação Fé e Cooperação (FEC), organismo da Igreja Católica em Portugal, anunciou hoje que 1403 pessoas vão dedicar-se a ações de voluntariado missionário em 2017.

“389 jovens e adultos realizam projetos de voluntariado missionário em países em vias de desenvolvimento e 1014 desenvolve atividades de voluntariado/missão em Portugal”, refere um comunicado da instituição, enviado hoje à Agência ECCLESIA.

Este é um número global mais alto do que em 2016, verificando-se um aumento no número de voluntários que parte para missões fora da Europa, segundo dados estatísticos da Rede de Voluntariado Missionário coordenada pela FEC – Fundação Fé e Cooperação.

O elenco inclui voluntários que abdicam dos seus empregos e salários para partir em missão

“Com idades compreendidas entre os 18 e os 50 anos, 18 pessoas deixam o seu emprego e 10 pedem uma licença sem vencimento para partir este ano para países em desenvolvimento”, assinala a nota de imprensa.

A este número somam-se 10 desempregados que vão dedicar-se a experiências de voluntariado missionário. Ler mais…

Categorias:Testemunho, Vida, Vocações Etiquetas:, ,

À conversa com… Padre João Carlos Costa Morgado

A nossa Diocese assinala, com alegria e gratidão os 25 anos de fidelidade sacerdotal de dois membros do seu presbitério. No sentido de melhor os conhecermos e de, com eles, darmos graças ao Senhor da Messe, fomos ao seu encontro e deixámos-lhes algumas questões. Aqui ficam as suas palavras, que agradecemos.

1 – Como foram vividos estes 25 anos de missão?

Estes 25 anos tem sido vividos ao serviço do Povo de Deus através das diversas funções e nos diferentes lugares, a que os meus bispos me tem enviado.

“Dar-vos-ei Pastores segundo o meu coração” (Jer 3,15) foi o lema escolhido para a minha ordenação sacerdotal, nesse ano de 1992 em que São João Paulo II publicou a exortação apostólica pós sinodal “Pastores dabo vobis”, sobre a formação dos sacerdotes nas circunstâncias atuais. Nessa altura estava longe de imaginar que seria chamado a trabalhar na formação dos futuros sacerdotes das dioceses de Lamego, Guarda, Viseu e Bragança, como professor dos seminaristas no Instituto Superior de Teologia Beiras e Douro de 2000 a 2013 como Prefeito e Vice-reitor do Seminário Maior de Lamego e Diretor Espiritual no Seminário de Nossa Senhora de Lourdes de Resende. Resulta pois que metade do tempo que levo como presbítero foi gasto nesta exigente e gratificante missão da formação dos presbíteros nas circunstâncias atuais. O que me levou a dizer aos três novos sacerdotes, meus antigos alunos, ordenados no passado dia 2, que a sua ordenação constituía para mim, a melhor prenda de Deus neste meu jubileu sacerdotal. Ler mais…

Pentecostes: Fortalecidos pelo Espírito Santo para testemunhar

Os cristãos crêem em um só Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo. A Solenidade de Pentecostes, cinquenta dias depois da Páscoa, celebra a vinda do Espírito Santo, enviado pelo Pai e pelo Filho sobre os Apóstolos, e o nascimento da Igreja. O acontecimento não pode ser compreendido senão em ligação à Páscoa e à Ascensão: Jesus morreu pela salvação do mundo (Sexta-feira Santa), ressuscitou (domingo de Páscoa) e partiu ao encontro do Pai (Ascensão). Esta festa encerra as sete semanas do tempo pascal.

O vento e o fogo

Cinquenta dias depois da Páscoa, na altura em que uma multidão está reunida em Jerusalém para comemorar o dom da Lei concedida ao povo por intermédio de Moisés, ao Apóstolos, Maria e outros discípulos ouviram um ruído “comparável ao de forte rajada de vento” que encheu a casa. Foi o primeiro sinal. O segundo sinal não se fez esperar: “viram então aparecer umas línguas, à maneira de fogo, que se iam dividindo, e poisou uma sobre cada um deles”. E eis que testemunham um terceiro sinal: cheios do Espírito Santo, significado pelo vento e pelo fogo, “começaram a falar outras línguas”. A multidão que festejada estava estupefacta “pois cada um os ouvia falar na sua própria língua”. A situação era tão extraordinária que alguns ouvintes afirmavam que os cristãos estavam “cheios de vinho doce” (Act 2, 1-13). Ler mais…

SEMANA MISSIONÁRIA | “Com Maria IDE por todo o mundo”

Durante quatro dias (18 a 21 de maio) as comunidades de Moimenta, Fornelos e Travanca (Cinfães) diocese de Lamego, acolheram e viveram a chamada semana missionária, dinamizada pelos padres Fabrício Pinheiro, pároco das comunidades e delegado diocesano para as Obras Pontifícias Missionárias, Francisco Costa, o Dehoniano, João Batista, Consolata, Joaquim Pinho, Boa Nova; e pelas Irmãs Zélia Esteves, Reparadora do Coração Jesus, Isabel, da Boa Nova, Aurora e Arlete, Combonianas. Os missionários, pertencentes a vários Institutos Religiosos Missionários Ad Gentes (missões fora do país), estão congregados numa associação chamada ANIMAG, que significa Animadores Missionários Ad Gentes e cujos objetivos são: partilhar o entusiasmo do seu «sim» a Jesus Cristo; partilhar a sua vocação e experiencias missionárias, animar a fé dos crentes; propor a todas as «periferias» existências e geográficas a Boa Nova da Redenção.

Foram quatro dias intensos e de partilhas de fé extraordinários. Unidos ao pároco e à diocese de Lamego, a equipa propôs-se rezar e celebrar a Eucaristia com as comunidades; visitar os doentes; partilhar experiências missionárias feitas no Brasil, Sudão, Moçambique e Angola; participar da atividade diocesana da Jornada da Juventude em Nespereira; encontrar-se com os alunos da escola de Travanca e com as catequeses da infância e da juventude de todas as comunidades. Foi uma bela experiência de fé e de Igreja! “Vale a pena ser cristão” ouvia-se de vez em quando. Foram bem patentes o acolhimento e a alegria das pessoas, a sede de Deus e o desejo de ser cada vez mais membro ativo da Igreja e o desejo de colaborar com a obra de Deus nos espaços que habitamos e na união com os que partem para as fronteiras da missão.

Cabe aqui uma palavra de gratidão ao Padre Fabrício que desde a primeira hora acolheu e acarinhou a proposta missionária e nos apoiou em tudo o que foi necessário. Um obrigado de todo o coração às comunidades de Moimenta, Fornelos e Travanca pela alegria, coração aberto e ternura com que nos acolheram e pela experiência de fé que a todos enriqueceu. Obrigado também à Irmandade do Senhor dos Enfermos que na pessoa do pároco e da professora Cristina nos concederam guarida e a delicadeza atenta para que não nos faltasse nada. Bem hajam!

Que a chama do Amor de Deus continue a brilhar nas vossas comunidades e ilumine todos os recantos da vida quotidiana. Obrigado|

Pelo Animag

Pe Francisco Costa, scj e Presidente Nacional

Dos Animadores Missionários Ad Gentes

in Voz de Lamego, ano 87/28, n.º 4413, 23 de maio de 2017