Arquivo

Archive for the ‘Peregrinações’ Category

Papa rejeita imagem de Nossa Senhora como «Santinha»

Francisco convida peregrinos a ver a Virgem Maria como «Mestra da vida espiritual»

O Papa Francisco afirmou hoje em Fátima que a Virgem Maria deve ser vista como uma referência para a vida espiritual dos católicos e não como uma “santinha”.

Na sua segunda intervenção em solo português, o Papa questionou os peregrinos reunidos na Cova da Iria sobre a imagem que têm de Nossa Senhora: “A ‘bendita por ter acreditado’ sempre e em todas as circunstâncias nas palavras divinas, ou então uma ‘santinha’ a quem se recorre para obter favores a baixo preço?”.

Francisco participou esta noite na Benção das Velas e na Oração do Terço no santuário, num percurso em papamóvel durante o qual saudou com alegria as centenas de milhares de peregrinos presentes.

O Papa argentino percorreu inclusivamente os últimos metros a pé, até à Capelinha das Aparições, e dirigiu depois a palavra a todos os presentes.

Francisco sublinhou a importância da recitação do terço e convidou os peregrinos a ver na Virgem Maria uma “mestra da vida espiritual”, ou seja “a primeira que seguiu Cristo pelo caminho estreito da cruz” e não “uma Senhora inatingível e, consequentemente, inimitável”.

Francisco apresentou uma reflexão sobre a figura da Virgem Maria, “que deu um rosto humano ao Filho do eterno Pai”.

“Na verdade, se queremos ser Cristãos, devemos ser marianos”, afirmou, citando uma intervenção de Paulo VI.

O Papa rejeitou “sensibilidades” na Igreja Católica que apresentam Nossa Senhora “segurando o braço justiceiro de Deus pronto a castigar”.

Após a oração do terço, introduzida por Francisco, o Papa segue para a Casa de Nossa do Carmo, onde fica hospedado em Portugal, até este sábado.

Na Cova da Iria, os fiéis prosseguem com a procissão de velas e a Missa presidida pelo cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano.

in Voz de Lamego, ano 87/27, n.º 4412, 16 de maio de 2017

CENTENÁRIO DAS APARIÇÕES | FÁTIMA E O PAPA

Ao longo destes cem anos de Fátima muitos foram os devotos que escutaram, confiaram e divulgaram os “apelos” que a Mãe comunicou aos pastorinhos para o mundo inteiro. Também os Papas.

Bento XV (1914 – 1922). Era o Papa na altura das aparições (1917). Explicitamente, nunca se referiu ao facto, apesar da informação disponível. Recorde-se que, à data dos acontecimentos, estavam cortadas as relações diplomáticas entre Portugal e a Santa Sé (I República). Por outro lado, só alguns anos depois é que o bispo de Leiria reconhecerá as aparições.

Pio XI (1922 – 1939). A primeira visita de um representante do Papa à Cova da Iria só acontece em 1926 e só em 1927 a Congregação dos Ritos permitiu que ali se celebrasse a Missa votiva do Santíssimo Rosário. Mas este Papa benzeu uma imagem da Senhora de Fátima para o Colégio Português, em Roma (06/12/1929), e permitiu que a Senhora de Fátima fosse proclamada padroeira da Acção Católica portuguesa.

Pio XII (1939 – 1958). A sagração episcopal deste futuro Papa aconteceu em Roma, no dia 13 de Maio de 1917 e, ao longo do seu pontificado, serão várias as referências a este Santuário e contínuos os seus convites à oração a Nossa Senhora de Fátima. Por alturas dos 25 anos das aparições (1942) enviou uma radiomensagem, onde se refere à consagração da Igreja e do mundo.

João XXIII (1958 – 1963). Antes de ser eleito Papa e marcar o seu pontificado com a convocação do II Concílio do Vaticano, foi peregrino de Fátima e presidiu à peregrinação de maio de 1956, enviado por Pio XII.

Paulo VI (1963 – 1978). Deve-se a este Papa a atribuição ao Santuário de Fátima da Rosa de Ouro (1964), expressando confiança nos cuidados da Mãe do Céu por toda a família humana. Mas o grande facto acontece em 1967, quando se comemoraram os 50 anos das aparições e o Papa veio a Portugal presidir à peregrinação do 13 de maio.

João Paulo I (26/08 – 29/09/1978). Os 33 dias como Papa não lhe permitiram muito, mas, antes de ter sido eleito, em 1977, esteve em Fátima e foi até Coimbra, onde se encontrou com a Ir. Lúcia.

João Paulo II (1978 – 2005). Será, certamente, o Papa que mais testemunhou a sua devoção e amor a Nossa Senhora de Fátima. Após o atentado (13/05/1981), cedo confidenciará que a protecção materna de Nossa Senhora o livrou da morte e peregrinará até Fátima por três vezes: 1982, 1991 e 2000, ano em que beatificará Francisco e Jacinta.

Bento XVI (2005 – 2013). No ano 2000, enquanto Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé e aquando da divulgação da “terceira parte do segredo de Fátima”, publica um comentário ao mesmo que valerá a pena ler. Como Papa visitou Fátima em 2010.

Francisco (2013 – …). Aguarda-se a sua vinda para presidir à peregrinação de Maio de 2017, no centenário das aparições. Até lá, esperamos ainda uma palavra sua sobre a esperada canonização de Francisco e Jacinta.

JD, in Voz de Lamego, ano 87/22, n.º 4407, 11 de abril de 2017

MMF: Peregrinação Diocesana ao Santuário de Nossa Senhora da Lapa

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Movimento da Mensagem de Fátima, viveu no passado sábado, dia 8 de outubro, a sua Peregrinação Diocesana Anual, ao Santuário de Nossa Senhora da Lapa.

Como já vai sendo habitual, ao longo de muitos anos, este é um acontecimento que junta muitos Mensageiros, amigos e família em oração à Mãe. Em Ano de Jubileu, prestes a terminar, muitos foram aqueles que aproveitaram a ocasião para celebrar e viver a Reconciliação. A Porta Santa, aberta neste Santuário, foi atravessada pelos Mensageiros de muitas paróquias da Diocese que aqui quiseram vir em busca da misericórdia divina, do conforto da fé e dos auxílios de Nossa Senhora.

Um grupo de Mensageiros das Paróquias de Barcos, Tabuaço e Vale Figueira, orientados pelo sr. Padre Manuel Gonçalves, a quem agradecemos muito a participação e colaboração, deu início à Peregrinação no Santuário, com a saudação a Nossa Senhora da Lapa, numa oração pela paz. A seguir, fez-se a caminhada para o recinto das celebrações, encabeçada pelas bandeiras do Movimento nas Paróquias estavam presentes. O Assistente Diocesano, o sr. Pe. Vasco Pedrinho, orientou a oração e meditações sobre  o tema do  último número do Boletim, intitulado:  “Eu vim para que tenham vida”. Ler mais…

Escuteiros em peregrinação no Santuário de Nossa Senhora de Fátima

cne-fatima2

Era um gosto vê-los chegar, logo pela manhã do dia oito de outubro de 2016, partindo de dez lugares diferentes, previamente escolhidos pela organização, à volta de Fátima onde começara a primeira etapa da Peregrinação Nacional do CNE. Era uma caravana imensa que encheu de alegria e fé juvenil cerca de 50.000 participantes de todo o país, da França, da Espanha, da Suíça.

O lema estava bem declarado no logótipo da bandeira da Peregrinação, empunhada com orgulho: 10.100 fm: 10-dezena; 100-Centenário das aparições; f-Frassati/Fátima e o slogan: sintoniza-te nos trilhos da Misericórdia. Ler mais…

Arciprestado de Armamar-Tarouca ao Santuário da Lapa

img_3093-2

Com tons de outono na natureza envolvente, lembrando o final do ano da misericórdia, peregrinou o arciprestado de Armamar/Tarouca, até ao Santuário de Nossa Senhora da Lapa para, em conjunto, os fieis das paróquias que o constituem, meditarem, orarem, receberem a indulgência do perdão e conviverem.

Embora muitos já o tivessem feito, individualmente, quer à Sé de Lamego, quer ao Santuário da Lapa,

em conjunto, porém, fizemo-lo no dia 2 de outubro de 2016 a partir das 14h30, de acordo com o Plano do Conselho Pastoral Arciprestal.

Depois de uma preparação em cada paróquia, foram centenas os peregrinos que caminharam até à Porta Santa do Santuário de Nossa Senhora da Lapa.

Reunidos junto ao Pelourinho da Lapa aí fizemos a primeira paragem para renovarmos a consciência de povo de Deus, povo amado de Deus, e celebrarmos na alegria a comunhão de uns com os outros, com Deus e com a Sua e nossa Mãe. Ler mais…

Irmandade Militar de Nossa Senhora da Conceição na Lapa

thumbnail_IMG_20160618_181121

No passado dia 18 de Junho, a Irmandade Militar de Nossa Senhora da Conceição foi em peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora da Lapa. Após a entrada devota e respeitosa pela Porta Santa, houve oportunidade para uma visita guiada e muito bem explicada pela Drª Ana Nunes, Directora do Museu da Lapa.

Seguiu-se um momento de oração colectiva e reflexão sobre o tema da Misericórdia que antecedeu a Santa Missa celebrada para o efeito pelo Senhor Reitor do Santuário, Rev. P.e Amorim. Assim se cumpriu um dos desígnios religiosos desta Irmandade, no presente ano.

A finalizar o dia, num dos restaurantes da Lapa, reuniu-se em confraternização o grupo dos Irmãos presentes num lanche ajantarado.

IMNSC, in Voz de Lamego, ano 86/32, n.º 4368, 21 de junho de 2016

JUBILEU DA MISERICÓRDIA | Rezar a Deus por vivos e defuntos

rezar_vivos_defuntosA última obra de misericórdia espiritual convida o cristão à oração de intercessão, rogando a Deus por vivos e defuntos.

Tal como afirma o Catecismo: “Interceder, pedir a favor de outrem, é, desde Abraão, próprio de um coração conforme com a misericórdia de Deus. No tempo da Igreja, a intercessão cristã participa na de Cristo: é a expressão da comunhão dos santos. Na intercessão, aquele que ora não olha aos seus próprios interesses, mas aos interesses dos outros (Fil 2, 4), indo até rezar pelos que lhe fazem mal” (CIC 2635).

A oração, que supõe a fé e liberta da aridez a vida do crente, faz parte da vida do cristão e pode ser apresentada como um diálogo de amor que surge do apelo de Deus e da resposta do homem. Pode apresentar-se sob formas diferentes segundo o tempo, o lugar, as ocupações e preocupações de cada um, a formação e as experiências vividas; pode ser espontânea ou preparada, pessoal ou comunitária; pode usar palavras comuns, fórmulas aprendidas ou passagens da Escritura…

Mas rezar não é fácil: o aborrecimento, a preguiça ou a repetição podem torná-la difícil. A dificuldade aumenta diante do aparente “silêncio” de Deus e da “ausência” divina. Acresce ainda que, com frequência, o diálogo com Deus é feito de silêncio, o que não é muito gratificante. Mas, como nos lembra Sta. Teresa de Ávila, é no silêncio que nos tornamos disponíveis, nos abandonamos com confiança e nos aproximamos de Deus. Repetir uma oração, meditá-la, saboreá-la, vibrar com ela, é deixar-se guiar e entrar no mistério do diálogo entre Deus e o homem.

Quantas orações não se elevam ao Senhor por tantas vozes que, a todas as horas do dia, em casa ou na rua, diante do sacrário ou de alguma imagem, numa igreja ou numa capela se confiam ao Senhor e imploram a intercessão de Maria e dos santos? À nossa volta, em todo o mundo, a todas as horas do dia, os crentes rezam (falam) a Deus para suplicar, agradecer, louvar, desabafar, interceder, escutar…

Numa homilia, em Nápoles (2007), Bento XVI disse: “A força que silenciosamente e sem clamores muda o mundo e o transforma no Reino de Deus, é a fé, e a expressão da fé é a oração”. Não somos ilhas isoladas ou indiferentes, mas peregrinos do além que caminham com e em comunhão com os irmãos, quer os que vão connosco quer os que já estão em Deus.

A oração elevada a Deus não é expressão de fatalismo nem de inércia (a oração não dispensa o crente de agir em busca da justiça e da verdade), e muito menos uma evasão da realidade, mas é a força da esperança, expressão da fé no poder de Deus, que é amor e não nos abandona.

Rezar pelos outros é uma forma de lhes mostrar o bem que lhes queremos, tê-los presentes, integrá-los no nosso presente. Ao mesmo tempo, a oração contribui para a nossa conversão.

JD, in Voz de Lamego, ano 86/26, n.º 4365, 31 de maio de 2016

DIA DA FAMÍLIA DIOCESANA – 25 DE JUNHO de 2016 – LAPA

Dia da Igreja Diocesana_2016

Quando se aproxima o dia 25 de junho, último sábado deste mês, aí está o programa para este dia, na 2.ª Edição, neste formato, com algumas informações práticas para as paróquias e para os movimentos eclesiais.

DIA DA FAMÍLIA DIOCESANA – 25 DE JUNHO – 2016

“Com Maria, Peregrinos da Misericórdia”

no Santuário de Nossa Senhora da Lapa

PROGRAMA

9h30 – Acolhimento Concentração na rotunda  (Junto ao Miradouro e ao espaço das celebrações ao ar livre)

– Organização da Peregrinação

. Cada paróquia levanta a sua bandeira .

10h00Início da Peregrinação da Misericórdia (caminhada até ao Santuário)

– Entrada no Santuário – Porta Santa

Saudação a Maria

11h15 – Exposição do Santíssimo – Adoração (no átrio interior do Colégio)

 Confissões   (nos espaços interiores do colégio)

–Tempo de Oração com os Acólitos

12h00 – Tempo de Oração com os Movimentos Eclesiais (a cargo do MCC)

13h00 – Almoço (Partilha de farnéis)

14h00 – Convívio

15h00 – Início do cortejo processional para a celebração da eucaristia (a partir do santuário, integrando os acólitos e as bandeiras das paróquias presentes)

15h30 – Eucaristia (no espaço previsto para as celebrações ao ar livre)

             – Despedida

 

Aspetos a ter em conta:

– As paróquias para além das pessoas em geral, devem marcar presença, quanto possível, com os seus Acólitos . Devem também trazer uma bandeira ou estandarte que ajude à sua identificação.

– Esta jornada em Ano Santo da Misericórdia pretende-se que seja vivida com certo espírito de interioridade. Será dada uma atenção particular à oração e ao Sacramento da Reconciliação.

Pede-se aos sacerdotes disponibilidade para atender as pessoas que desejem reconciliar-se.

 

Pe. José Manuel Melo

Coordenador da Pastoral, in Voz de Lamego, ano 86/26, n.º 4365, 31 de maio de 2016

Moimenta, Sernancelhe, Tabuaço: Peregrinação a pé à Lapa

DSCF0755

As paróquias que compõem as três Zonas Pastorais do Arciprestado, Moimenta da Beira, Sernancelhe e Tabuaço, peregrinaram a pé até ao Santuário de Nossa Senhora da Lapa, na primeira Peregrinação Arciprestal nesta nova configuração da Diocese de Lamego.

Proposta feita no Conselho Pastoral Arciprestal, aceite pelos membros-representantes das comunidades paroquiais, foi agendada para o dia 4 de junho, dentro da Novena de preparação para a Peregrinação Anual de 10 de junho do Santuário da Lapa.

Participação de cerca de meio milhar de pessoas.

DSCF0989

As paróquias de Tabuaço e de Moimenta encontraram-se para oração da manhã na Igreja de Moimenta, iniciando então a Peregrinação a pé. A ajudar o grupo “Eu, peregrino”, provendo ao ordenamento da caminhada. Colaboração especial dos Bombeiros Voluntários de Moimenta da Beira e da corporação da GNR de Moimenta da beira, assegurando a segurança dos peregrinos e pronta a atender alguma dificuldade. Ler mais…

Santuário de Nossa Senhora da Lapa prepara Peregrinação Anual

_U0A3485

Está a decorrer a novena preparatória da tradicional peregrinação de 10 de Junho. Como de costume, nesse dia, virão procissões de muitas paróquias que, às 11h00, se incorporam na grande procissão com o andor de Nª Senhora da Lapa, culminando com a missa campal presidida pelo Reverendíssimo senhor Bispo de Lamego, ou seu representante.

Este ano tem a particularidade de nesse dia ser exposta à veneração dos fiéis, no Santuário de Nossa Senhora da Lapa, uma relíquia de 1.º grau do Papa João Paulo II, gentilmente facultada pela “MILITIA SANCTAE MARIAE”, associação com sede Braga, a cuja custódia a mesma relíquia se encontra confiada.

A Reitoria, in Voz de Lamego, ano 86/26, n.º 4365, 31 de maio de 2016