Archive

Archive for the ‘Nossa Senhora’ Category

MOVIMENTO DA MENSAGEM DE FÁTIMA | Retiro de Doentes em Fátima

Nos dias 5, 6, 7 e 8 de Junho, realizou-se em Fátima  o  retiro de  doentes para a  Diocese de Lamego, em conjunto com a Diocese do Algarve.

Estiveram presentes, doentes de várias paróquias. Orientou o retiro o Sr. Padre Manuel Antunes, Assistente Nacional do MMF, com a colaboração do Senhor Padre  Nelson da Diocese do Algarve.  Fomos  convidados  a viver em pleno o Centenário das Aparições.  Fizemos a Via sacra aos Valinhos, visitamos os túmulos dos santos, Francisco e Jacinta Marto,  na Basílica da Senhora do Rosário. Rezámos o terço,  assistimos à procissão de velas na Capelinha das  Aparições e  à celebração da Eucaristia, na Basílica da Santíssima  Trindade. Os momentos de silêncio e as reflexões apresentadas, ajudaram-nos  a entender melhor, que o sofrimento  vivido em ato de reparação, torna-se dom, que nos santifica.         Os pastorinhos  deixaram-nos o exemplo, de que através da  oração e do sacrifício nos tornaremos mais fortes. Foram quatro dias vividos em união com Jesus e sua Mãe Maria Santíssima.  Que o coração Imaculado de Maria, seja sempre o nosso refugio e o caminho que nos conduzirá até   Deus.

in Voz de Lamego, ano 87/32, n.º 4417, 20 de junho 2017

Pendilhe – Festa em honra de Nossa Senhora de Fáitima

Os dias 20 e 21 de maio foram marcado, na Paróquia de Nossa Senhora da Assunção, pela celebração da  Festa em honra de Nossa Senhora de Fátima.

Como já tem sido hábito, todos os dias do mês mariano é meditado o terço em honra de Nossa Senhora de Fátima na igreja matriz e realizada a novena nos dias que antecedem as celebrações fortemente vivenciadas pela população da freguesia. É um momento em que as celebrações são realizadas com o apoio e empenho de todos, como sejam a recolha de flores para a elaboração da passadeira, a participação ativa na Eucaristia ou a preparação de figuras e encenações bíblicas a ser representadas no decorrer das procissões.

Este ano a tradição foi mais uma vez cumprida… No início da noite de sábado, a Procissão das Velas pelas ruas da freguesia permitiu a meditação e reflexão, que iam sendo iluminadas pelas velas dos fieis levando na frente a imagem da nossa Mãe do Céu.  Domingo, iniciamos o dia com a Eucaristia, na qual alguns jovens da paróquia realizaram a Profissão de Fé, permitindo que aos braços de Maria, todos professássemos a fé que com gosto procuramos vivenciar. A tarde foi trabalhosa, pois era nosso objetivo realizar a tradicional passadeira para a Procissão do Adeus que decorreu contando com a participação ativa de todos.

Que Nossa Senhora abençoe todos aqueles que, foram nomeados para a organização desta festa, os elementos que procuraram animar e participar ativamente nas celebrações e a toda a comunidade.

Grupo Cultural Católico Pendilhense

in Voz de Lamego, ano 87/31, n.º 4416, 13 de junho 2017

PEREGRINAÇÃO DIOCESANA | Editorial Voz de Lamego | 13 de junho

A Diocese de Lamego tem encontro marcado para Fátima, no próximo sábado, 17 de junho, para a 3.ª Edição da Família Diocesana. Depois do Santuário dos Remédios, do Santuário da Lapa, chega agora a vez do Santuário de Fátima, em ano de Centenário das Aparições.

O Pe. Joaquim Dionísio, Diretor da Voz de Lamego, no seu editorial, convida-nos à festa, à vivência da fé, ao estreitar dos laços que nos unem como Igreja, afinando a caminhada comum.

PEREGRINAÇÃO DIOCESANA

No próximo sábado, 17 de junho, milhares de fiéis da nossa diocese estarão a caminho do Santuário de Nossa Senhora de Fátima para viver o Dia da Família Diocesana, no âmbito da celebração do Centenário das Aparições.

As previsões apontam para uma presença de alguns milhares de peregrinos, o que ilustra o carinho dos nossos diocesanos pela Mãe, bem como o sentido de pertença a esta “porção do Povo de Deus”. Embora dispersos pelas 223 paróquias, com ritmos distintos e marcados pelas diferenças de cada zona, partilhamos a mesma fé e alegramo-nos com o encontro fraterno.

A festa da Família Diocesana tem como objectivo congregar, quase no término do ano pastoral, paroquianos de todas as idades, membros de Movimentos e Grupos, responsáveis de serviços, ministros ordenados e instituições para celebrar, com Jesus Cristo e na presença da Mãe de Deus, a comunhão e experimentar a catolicidade.

Nem todos poderão participar (data, afazeres, distância, idade, saúde, transporte), mas os que forem poderão testemunhar depois a alegria vivida e o desejo de avançarmos na mesma direcção. Afinal, a diocese é um “nós” a caminho de Deus que se esforça por viver e anunciar o Evangelho, concretizando, neste chão, a Igreja de Jesus Cristo.

Assim, o Dia da Família Diocesana é uma oportunidade para suplicar e agradecer as bênçãos de Deus, invocar a intercessão de Maria, testemunhar a fé, celebrar uma pertença, louvar a generosidade de tantos baptizados comprometidos e empenhados na missão, bem como para sublinhar o dinamismo das nossas comunidades e dos seus pastores.

Mas é, também, ocasião para aprofundar a unidade e afinar a caminhada comum, tendo sempre como horizonte o serviço ao Evangelho, a edificação da Igreja e a salvação de todos.

Porque é o Senhor que nos move, nos acompanha e nos espera mais à frente.

in Voz de Lamego, ano 87/31, n.º 4416, 13 de junho 2017

Festa em honra de Nossa Senhora de Fátima em São Joaninho

Como já vem sendo tradição, nos dias 20 e 21 de Maio a paróquia de São João Batista em São Joaninho, Castro Daire, celebrou a festa religiosa em honra à Nossa Senhora de Fátima.

Durante a tradicional procissão no sábado á noite, as ruas foram iluminadas pelas luzes das velas que todos os participantes acenderam como manifesta devoção à Virgem. No domingo encheram-se de cor, onde as nossas crianças e jovens representaram os mistérios Gozosos do terço, tema escolhido para a festa deste ano.

É uma festa já com cerca de meio século de história e devoção deste povo, onde a comunidade se junta para honrar a NOSSA MÃE.

Ana Rita Mendes, in Voz de Lamego, ano 87/29, n.º 4414, 30 de maio de 2017

Peregrinação do Arciprestado de Lamego aos Remédios: 28 de maio

Este ano, a peregrinação enquadra-se no Centenário das aparições de Fátima.

Começa na Sé Catedral às 16h e seguirá o percurso habitual até ao Santuário de Nossa Senhora dos Remédios.

O exemplo de um peregrino, como o papa Francisco, estará subjacente como estímulo e inspiração, nesta manifestação de devoção mariana dos fiéis do Arciprestado de Lamego.

Na capelinha das Aparições, no dia 12 de Maio, interpelou todos os peregrinos com uma provocação. “Que Mãe vamos visitar? A Bendita por ter acreditado ou a “Santinha” a quem se recorre para obter favores a baixo preço?

Certamente que o nosso Arciprestado vai expressar a sua fé n’Aquela que acreditou. Desde a procissão, aos cânticos, à liturgia, à recitação do Rosário e à participação na Eucaristia no recinto do Santuário, tudo será um meio ao nosso alcance, para honrarmos a nossa Mãe do Céu.

Maria não esquece os seus filhos que caminham como Ela outrora na peregrinação da fé; pelo contrário, como dizia Paulo VI no cinquentenário das aparições, em 1967: “Contemplando-os em Deus e conhecendo bem as suas necessidades… deles (seus filhos) se constitui Advogada, Auxiliadora, Amparo e Medianeira”.

Ela nos convoca. “Temos uma Mãe Admirável”. É a Senhora do SIM.

P. Joaquim de Assunção Ferreira (Arcipreste de Lamego),

in Voz de Lamego, ano 87/27, n.º 4412, 16 de maio de 2017

Papa Francisco entre nós

Os portugueses rejubilaram com a presença, as palavras e os gestos do Papa Francisco e, certamente, que o Sumo Pontífice se sentiu bem entre nós e não se arrependeu de ter vivido um dia do seu pontificado em terras lusas, à sombra de Nossa Senhora de Fátima e na companhia de milhares e milhares de peregrinos.

O povo crente acorreu, indiferente ao frio e à chuva, à falta de espaços para pernoitar ou às possíveis ameaças terroristas e encheu o Santuário, as ruas de Fátima e os acessos àquela cidade. A Mãe contemplou o amor dos filhos devotos, o mundo testemunhou o fervor das multidões e o Papa sentiu-se em casa.

Depois da breve oração e do silêncio que se seguiram à sua chegada ao Santuário, o Papa regressou para a recitação do Terço, antes da procissão de velas, e proferiu uma alocução onde convidava os crentes a bem situarem o lugar de Maria na Igreja e na vida do crente. Apontando para o único Senhor, Maria deve ser vista como Mãe solícita que leva a Jesus Cristo, como modelo de fé que mantém viva a esperança, como exemplo de discípula que assume a missão e se compromete com a humanidade. Maria é a Mãe que não cessa de convidar para a oração e de apelar à conversão, ao mesmo tempo que convoca todos para caminhos de paz e para o seguimento do Filho.

JD, in Voz de Lamego, ano 87/27, n.º 4412, 16 de maio de 2017

Citações do Papa peregrino para os peregrinos do mundo

  • Maria é “mestra da vida espiritual”, a “primeira que seguiu Cristo pelo caminho “estreito da cruz”, a “bendita por ter acreditado” e não a “senhora inimitável”, não a “santinha” a que se recorre para obter favores a baixo preço”, não “uma Maria melhor do que Cristo”.
  • . “Devemos antepor a misericórdia ao julgamento e, em todo o caso, o julgamento de Deus será sempre feito à luz da sua misericórdia.
  • Naturalmente a misericórdia de Deus não nega a justiça”.
  • “Sempre que olhamos para Maria, voltamos a acreditar na força revolucionária da ternura e do carinho. (…). A humildade e a ternura não são virtudes dos fracos mas dos fortes, que não precisam de maltratar os outros para se sentirem importantes”.
  • “A Virgem Mãe não veio aqui (a Fátima) para que a víssemos; para isso teremos a eternidade inteira, naturalmente se formos para o céu”. Veio para advertir “para o risco do Inferno da vida sem Deus”.
  • Fátima é um manto de luz que nos cobre”, que cobre qualquer lugar da terra “quando nos refugiamos sob a proteção da Virgem Mãe”.
  • “Queridos peregrinos, temos Mãe, temos Mãe! Agarrados a ela como filhos, vivamos da esperança que assenta em Jesus”.
  • Jesus “levou para junto do Pai a humanidade – a nossa humanidade!”, que assumira através de Maria “e nunca mais a largará”. Fundeemos a nossa esperança nessa humanidade (…). Uma esperança que nos sustente sempre”.
  • “Como exemplo, temos diante dos olhos São Francisco Marto e Santa Jacinta, a quem a Virgem Maria introduziu no mar imenso da Luz de Deus e ai os levou a adorá-lo”.
  • “Não podia deixar de vir aqui venerar a Virgem Mãe e confiar-lhe os seus filhos e filhas. Sob o seu manto, não se perdem. Dos seus braços virá a esperança e a paz que necessitam e que suplico para todos os meus irmãos no baptismo e em humanidade, de modo especial para os doentes e pessoas com deficiências, os presos e desempregados, os pobres e abandonados”.
  • Os cristãos devem desencadear “uma verdadeira mobilização geral contra a indiferença que nos gela o coração e agrava a miopia do olhar. Não queiramos ser uma esperança abortada”.
  • A igreja “brilha quando é missionária, acolhedora, livre, fiel, pobre de meios e rica no amor”.
  • “Amados peregrinos, diante dos nossos olhos, temos Jesus escondido mas presente na Eucaristia, como temos Jesus escondido mas presente nas chagas dos nossos irmãos e irmãs doentes e atribuladas”.
  • “Queridos doentes, vivei a vossa vida como um dom (…) Não vos considereis apenas receptores da solidariedade caritativa, mas senti-vos inseridos a pleno título na vida e na missão da Igreja” (…). Não tenhais vergonha de ser um tesouro precioso da Igreja”.
  • “Peço a todos para se unirem a mim, como peregrino da esperança e da paz: que as vossas mãos em oração continuem a apoiar as minhas”.

in Voz de Lamego, ano 87/27, n.º 4412, 16 de maio de 2017