Arquivo

Archive for the ‘Música Sacra’ Category

CORO DO SANTUÁRIO ENCERROU «(En)CANTOS DE NATAL»

O dia 17 de Dezembro, que é uma data histórica para o Santuário, continua a fazer história no Santuário.

Três grandes acontecimentos ocorreram neste dia: a primeira procissão de Nossa Senhora dos Remédios (1752), o incêndio que destruiu a Sacristia (1868) e a aprovação da planta para a construção das torres (1879).

Um quarto acontecimento, entretanto, terminou na tarde do mesmo dia, neste ano de 2017: a primeira edição dos concertos «(En)cantos de Natal».

O Coro do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, que solenizou a recitação do Terço, teve um brilhante desempenho. ~ Ele é composto por 25 elementos, dirigidos por Joel Valente e com Telma Monteiro na missão de organista.

Desta vez, houve um «reforço» de três executantes de instrumentos de cordas.

O Coro interpretou peças de alto teor litúrgico (da autoria de compositores como Marco Frisina, Carlos Silva, António Cartageno e Vítor Pereira) e outras composições de aconchegante sabor natalício:

«Natal de Elvas», «Meia-Noite dada», «Linda Noite» e «Adeste fideles».

O concerto finalizou com a execução instrumental de «Canticorum Jubilo», de Handel. A assembleia tributou um merecido aplauso ao Coro do Santuário, que, com «chave de ouro», encerrou esta iniciativa de preparação vivencial para o Natal do Senhor.

 

SAS (Serviço de Apoio ao Santuário),

in Voz de Lamego, ano 87/55, n.º 4441, 19 de dezembro de 2017

FRAGMENTOS MEDIEVAIS: Vestígios do canto hispânico

Estas palavras foram título para se dar a conhecer nas páginas do nosso jornal uma preciosidade cultural, o exemplar único de um códice existente no Arquivo Diocesano de Lamego, documento que ali chegou como capa de um livro de registo de casamentos, algures na Diocese.

O comunicado/avisopara uma presença no acto de uma apresentação e explicação do que o documento representa não era bastante «chamativo» para essa presença, sobretudo uma presença numerosa na sessão que o explicou e deu a conhecer numa das salas de exposição do Museu Diocesano.

E no dia 20 de Abril não era realmente numeroso o grupo que ali marcou presença, para ouvir a Dra. Raquel Rojo Carrilo, venezuelana, que integra um grupo de estudiosos, da Universidade de Bristol, na Inglaterra, que se dedica ao estudo de verdadeiras preciosidades histórico-culturais que se vão encontrando. E uma foi encontrada, por acaso ou sorte, no Arquivo Diocesano de Lamego. Ler mais…

Dia Mundial da Juventude > coração Cheio: Convívio, Oração e Música.

No passado dia oito do mês de abril, Lamego acolheu o Dia Mundial da Juventude dinamizado pelo Departamento Diocesano da Pastoral de Jovens da nossa Diocese de Lamego.

A tarde começou alegre com a dinâmica de acolhimento no largo da Sé. Depois da integração dos vários grupos de jovens da Diocese, de Mesão Frio e de Castelo Branco, os jovens seguiram em oração até ao Santuário de Nossa Senhora dos Remédios. Percorremos as 14 estações da Via-Sacra meditando no percurso de Jesus antes da sua morte na cruz. Em cada paragem eramos confrontados com um sinal que nos orientava no caminho a seguir, de uma forma bastante intensa todos os jovens participaram nas dinâmicas de grupo, que de uma forma muito original se tornaram em dinâmicas individuais, visto que, cada jovem era convidado a participar no coletivo sem descurar o individual. Ao longo de todo este caminho percorrido, cada jovem era desafiado a fazer uma reflexão interior, e a cada lanço de escadas o nosso coração ficava inundado de vários sentimentos e emoções. O auge da subida foi chegar ao Santuário da Mãe, aquele recinto transmitiu-nos uma paz interior imensa e reconfortou o nosso coração, pois, Maria acompanhou todos os passos do seu filho para o Calvário e acompanha todos os Jovens do Mundo na sua busca incessante pelo Amor de Deus. Maria é a rocha firme e segura que nos ampara em todos os momentos da nossa vida.

Após a vivência da Via-Sacra, os jovens foram divididos em grupos em que se misturaram com outros jovens que não conheciam para participar nos whorkshops preparados pela Equipa do DDPJ. Houve oportunidade de “sair do sofá”, aprender palavras em polaco recordando a JMJ 2016, conhecer a vida de vários rostos femininos que nos permitiram ir contruindo um puzzle que nos encaminhava até à figura de Maria: foi um momento de descontração, conhecimento e muita alegria.

No final da tarde, os jovens juntaram-se às Irmãs Dominicanas de Clausura para fazer a oração da tarde. Este foi um momento de total comunhão em que os jovens sentiram que as irmãs estavam connosco de alma e coração mesmo que separados por umas grades, nos momentos finais da oração foi distribuída a cada jovem uma vide após escutar a “parábola das sete vides” como simbologia da “união faz a força”, pois, um jovem sozinho “quebra” facilmente, mas unidos superamos todos os obstáculos.

E com a alma cheia chegou o momento de alimentarmos o corpo. O jantar foi um momento de grande descontração em que todos os jovens partilharam o seu farnel.

E chegou a última parte do dia, o tão esperado Festival Franciscano da Canção Jovem. Quatro grupos da diocese de Lamego, um grupo de Mesão Frio e um grupo de Castelo Branco dedicaram a Maria verdadeiros hinos de louvor. Foram momentos de intensa oração a Maria, onde cada grupo à sua maneira lhe dedicou uma belíssima oração. No final das atuações, enquanto o Júri deliberava a atribuição dos prémios, os espectadores foram brindados com a atuação do grupo Mc 16,15. E eis que, chegou o momento de revelar a atribuição dos prémios, a melhor interpretação foi atribuída ao grupo Almacave Jovem, a melhor música foi atribuída ao Grupo de Nossa Senhora dos Remédios, a melhor letra ao grupo de jovens de Castelo Branco, o terceiro lugar foi atribuído aos Arautos da Alegria de Tarouca, o segundo lugar ao grupo de jovens de Mesão Frio e o primeiro lugar ao Grupo de Jovens da Sé.

Maria foi a grande vencedora da noite, pois, a Ela foram entoados verdadeiros cânticos de louvou!

Fomos de mãos vazias, mas regressamos com o coração cheio, em Maria encontramos o porto seguro que nos acolhe e ilumina o nosso caminho!

Susana Santos, Grupo de Jovens da Sé,

in Voz de Lamego, ano 87/22, n.º 4407, 11 de abril de 2017

Grupo Coral de Resende no Concerto Quaresmal na Penajóia

12687885_1166998853327859_454890749376663215_n

Numa tarde de chuva e frio como foi o dia 14/2/16, realizou-se pelas 15 horas, sendo uma pérola de ourivesaria de excepcional beleza que é a Igreja de Santíssimo Salvador da Paróquia de Penajóia – Lamego, II concerto do “Grupo Coral da Igreja Paroquial de Resende”. Este grupo com 36 elementos de ambos os sexos actuou no ambiente solene da “Quaresmal”. Foi acompanhado pelo “Orgão de Tubos”, dos fins do séc. XVIII, pelo José Augusto Pereira, reconhecido pelo seu talento musical.

Antes de começar o concerto foi proferido pelo prof. Aurélio Guedes Felisberto as boas vindas aos admiradores e grupo coral.

O maestro Joaquim Alves, com a sua incrível técnica, coloca-o à vontade em qualquer tipo de reportório, mesmo que exige mais preparação. É de tal forma impressionante que pensamos estar em presença de um ser de outro planeta.

E, apesar de quase uma hora ininterrupta de concerto, não foi preciso esperar muito para que os admiradores mostrassem ao que iam. Ao ouvi-los, ficamos de imediato rendidos aos primeiros sons das suas cordas vocais, ficando aquelas vozes no silêncio que tranquilizam o corpo e alma. A igreja rejubilava, reagindo de imediato aos primeiros acordes de cada tema. A alegria estava estampada nas faces de todas as pessoas.

Ao fim houve as prédicas habituais pelo maestro e pároco da freguesia. Foi oferecido umas garrafas do vinho da “Adega Cooperativa da Penajóia”.

Esta freguesia é um guardião de tesouros da natureza e de uma igualável riqueza paisagística e da biodiversidade. A natureza espreguiça-se com os escarpados socalcos e vinhedos, no sossego “Rio Douro”.

Viritato Lemos,  in Voz de Lamego, ano 86/14, n.º 4351, 23 de fevereiro de 2016

Apresentação do CD “Tu, Senhor” do Pe. Marcos Alvim

Marcos-Cd3

Não foi um mero espetáculo musical, uma festiva apresentação de cânticos agradáveis, nem uma saudável distração noturna de fim de semana; o que presenciamos no dia 28, sábado, ás 21 horas no Centro Paroquial de Almacave, perante um auditório repleto de gente, onde novos e menos novos se acomodavam para que, com espírito fraterno, “coubesse sempre mais um”, e quando já se viam crianças  e jovens ocupando todo e qualquer cantinho de chão (felizmente alcatifado, que a noite estava fria!), o que presenciamos foi um autêntico ATO DE EVANGELIZAÇÃO, mais de 2 horas de LOUVOR e ADORAÇÃO, ouvindo e cantando, rindo (muito) e dando graças ao nosso Deus, enquanto comungávamos da alegria de estarmos juntos, cristãos e amigos, unidos pela Fé e pela felicidade que um dia todos tivemos de nos cruzarmos com alguém muito especial – alguém que transmite o Amor de Deus com alegria, pureza, paciência, boa disposição , sabedoria, disponibilidade, companheirismo… bom, nunca mais acabaria…

O mentor desta autêntica “migração” para o CPA foi o nosso amigo Pe. Marcos, que, com os jovens das paróquias da Sé e de Almacave, e a colaboração de muitos amigos (que a quem o é não lhe faltam!) lançou oficialmente o seu 4.º CD “TU SENHOR”.

Com originais da sua autoria (e colaboração em algumas letras) o Pe. Marcos pretendeu oferecer aos cristãos um guia musical para celebração eucarística, com cânticos apropriados a todos os momentos, solenes mas alegres, fáceis de aprender e de cantar, com conteúdo adequado e mensagem clara e apelativa, atrativo para todas as faixas etárias, de modo a alargar as opções disponíveis na animação das nossas celebrações.

A abertura esteve a cargo do Pe. Zé Guedes, seu conterrâneo, que lembrou os tempos de infância do “ Marquitos” e a sua precoce queda musical, e deixou umas palavras de homenagem a seus Pais, senhor João e D. Maria do Céu.

D. António Couto, sempre presente no meio do seu rebanho, amigo e bem disposto, honrou-nos com algumas palavras inspiradoras e apelou á união, especialmente dos jovens, em torno da evangelização pela musica, pois “o ser humano é fundamentalmente um ser musical”, pelo que é um método congregador da juventude, tão tentada por “outras musicas” muito pouco aconselháveis.

Também contamos com a presença de D. Jacinto, Bispo Emérito, do Vigário Geral. Dr. Joaquim Rebelo, do Pró – Vigário, Dr. João Carlos, do Reitor do Seminário de Lamego, Dr. Joaquim Dionísio, e de inúmeros sacerdotes da nossa Diocese e não só.

A “grande festa” terminou com a filmagem do vídeo-clip da música “Caminho, Verdade e Vida”, com todo o público e artistas envolvidos – aguardamos o resultado e a possível descoberta de novos talentos…

Era já tarde quando a interminável fila de “fãs” que aguardava o autógrafo do autor se diluiu, e entre abraços, risos e despedidas voltamos para casa com o coração cheio, como só o sentimos quando o Amor de Deus nos preenche o coração em comunhão com os irmãos.

Obrigada Pe. Marcos! Por nós pode ser assim todas as semanas…

Dr.ª Isilda Montenegro, in Voz de Lamego, ano 85/53, n.º 4340, 1 de dezembro