Arquivo

Archive for the ‘Jesus Cristo’ Category

Acompanhamento de Peregrinos no Santuário de Fátima

Neste ano em que se celebra o centenário das aparições de Nossa Senhora em Fátima, não podia eu deixar de também me aproximar mais daquele Santuário já apelidado como “altar do mundo”. Ao longo do último ano, várias vezes me debrucei sobre o “Acontecimento Fátima”: quer na oração, quer em leituras, quer em conferências, quer na escolha da música que escutei e, por fim, no zénite que foi a peregrinação dos passados dias 12 e 13 de Maio ao lado do Santo Padre.

No intuito de aprofundar mais intimamente as palavras da “serva e mensageira da Palavra” e sentir mais proximamente a diversidade de formas como, ali, Maria é “saudada por todas as gerações” decidi aproveitar a oportunidade que o Santuário de Nossa Senhora do Rosário de Fátima oferece aos seminaristas e, durante a quinzena de 15 a 31 de Julho, vivi Fátima em Fátima. O projeto de “acolhimento dos peregrinos por seminaristas” é uma oportunidade única de chegar ao coração daquele santuário. Partilho agora consigo, caro(a) leitor(a), aquela que foi a minha experiência:

O caminho para Fátima de autocarro fazia-me antever as expressões de fé que lá havia de encontrar. O condutor do autocarro, que de forma muito educada me acolheu, é exemplo daqueles cristãos que não varrem os sinais que apontam para a Mãe de Jesus Cristo. Junto ao volante, lá estava uma dezena que, se nunca foi rezada, deve ter a força de (e)levar o pensamento para a proteção maternal de Maria de cada vez que os olhos a fitam. Ler mais…

Iraque: As Irmãs Dominicanas sonham com o regresso a casa 

Anjos-da-guarda 

Desde que foram obrigadas a abandonar o convento de Teleskuf onde viviam, no Verão de 2014, face à conquista da região pelos jihadistas do auto-proclamado “Estado Islâmico”, que as Irmãs Luma Khuder e Nazek Matty sonham com o dia de regresso a casa. Mas durante estes três longos anos não ficaram um dia sequer de braços cruzados. E criaram conventos de emergência…

Por muitos anos que vivam, dificilmente as Irmãs Luma Khuder e Nazek Matty esquecerão os dias de tumulto que ocorreram na Planície de Nínive, no Iraque, em Julho e Agosto de 2014, faz agora precisamente três anos. Nesses dias, perante o ensurdecedor silêncio do mundo, grupos jihadistas foram conquistando todos os palmos de terra da região, subjugando aldeias, vilas e cidades, obrigando milhares de cristãos a abandonarem tudo o que tinham para salvarem as próprias vidas. Num espaço de dias, às vezes até em poucas horas, muitas dessas aldeias e vilas ficaram vazias, sem ninguém para testemunhar o saque das casas, a destruição das capelas e igrejas, a profanação de todos os lugares sagrados. Fugiram quase todos para o Curdistão. Luma Khuder e Nazek Matty, irmãs dominicanas de Santa Catarina de Sena, assim como outras 70 religiosas, fizeram-se também à estrada. Não tinham alternativa. Quando partiram, quando olharam pela última vez para o convento de Nossa Senhora do Rosário, em Teleskuf, não conseguiram esconder as lágrimas. Quando chegaram a Erbil, ao Curdistão iraquiano, as Irmãs Luma e Matty eram refugiadas entre refugiados. Mas eram também verdadeiros anjos-da-guarda. Muitas vezes, Luma e Matty nada mais podiam oferecer do que o conforto dos seus abraços ou palavras de simpatia embrulhadas em sorrisos. Era quase nada mas ali, no meio daquele desespero humano, valia como um verdadeiro tesouro. Todos os dias havia alguém para consolar, havia alguém em lágrimas. Ler mais…

Almacave Jovem  Porque não Taizé? 

Em pleno Verão, depois dos exames e das frequências nas faculdades, são milhares os jovens portugueses que participam de um modo exuberante nos vários Concertos Alive que proliferam desde o norte ao sul do país. Para alguns, há outras “fugas” que arrastam igualmente muitos deles, durante o mês de Agosto, ao encontro de outras melodias musicais e que, por isso, optam por outros “concertos” a transbordar de alegria e cheios de vida, onde a música é também silêncio, as palavras não fazem barulho e o estar com outros tem a marca da fraternidade e da comunhão ecuménica.

Taizé é esse lugar de eleição.

Porquê esta aventura de peregrinar até Taizé?

Estar em Taizé, durante uma semana, é fazer a experiência de uma vida simples e pobre, partilhada com jovens de todo mundo sem preconceitos étnicos, ideológicos e religiosos, sem alienações e sem a tentação do isolamento que descompromete. Aqui, esquecemos o viver carregado de stresses, as futilidades, as crispações de toda a ordem, e os temores que nos tolhem, hoje mais do que nunca, a serenidade do nosso dia-a-dia. Ir a Taizé é sentir-se acolhido por uma comunidade ecuménica marcada por duas aspirações: avançar numa vida de comunhão com Deus e com os outros, através da oração, da reflexão e do silêncio, e assumir a responsabilidade de se ser hoje no mundo, no nosso país e nas nossas paróquias, fermento de paz, de confiança e de misericórdia. As pessoas que aqui se cruzam connosco, sejam de outros países ou de outras culturas, ou até de diferentes confissões religiosas, conseguem transmitir alegria, tranquilidade, esperança, paz e simplicidade: esta é a única linguagem descodificada, sem tradutores, que se fala em Taizé.

Ao contrário do que se poderia esperar, a vida em Taizé não é monótona: as orações comunitárias três vezes ao dia são momentos marcantes no ritmo diário dos jovens ; as reflexões de textos bíblicos por grupos etários são enriquecedoras e orientam para a partilha da vivência da fé, e o trabalho de voluntariado tem sempre a alegria do servir o outro.

Porque precisamos todos os anos deste “concerto alive”, também com canto e música, mais uma vez um grupo de jovens e adultos da Paróquia de Almacave parte no dia 4 de Agosto rumo à Comunidade Ecuménica de Taizé, na Borgonha-França. Regressaremos à nossa Paróquia com a alma cheia de melodias com outras pautas, para sermos semeadores da paz, da simplicidade e misericórdia, e mais comprometidos com a missão de saber falar de Deus, com linguagens novas, aos jovens das nossas paróquias.

SF,  in Voz de Lamego, ano 87/38, n.º 4423, 1 de agosto 2017

Convívios fraternos: ORAR … CAMINHAR … AMAR

Foi no passado sábado, dia 22 de julho, que alguns elementos dos Convívios Fraternos da nossa Diocese se levantaram bem cedo para realizarem uma peregrinação de Semitela à Lapa, num total de 13 km. A mesma foi orientada, segundo a Leitura: LC 24, 13 – 25, que nos convidava a refletir interiormente sobre Jesus que constantemente caminha ao nosso lado, nos dá liberdade para percebermos que o amor que Ele sente por cada um de nós nos torna livres para que possamos dizer “Fica connosco, Senhor” e que a experiência que fazemos na sua pessoa arde no íntimo do nosso coração enchendo-o de uma maneira única.

Durante o percurso houve ainda tempo para a partilha de experiências e meditação do terço, em que a cada mistério era feita uma prece, pedindo ao Pai que nos atendesse e enchesse o nosso coração com esperança e coragem para servir o outro, algo que muitas das vezes nos esquecemos. Quando chegamos ao Santuário, entramos para contemplar toda esta obra de Deus e rezar mais um pouco. Seguidamente, foi tempo de “ recarregar baterias” e saciar a nossa fome de forma a ter energia para o mini-concerto orante dos MC 16,15 que se revelou em mais um instrumento para louvar a Deus.

Para culminar, tivemos a Eucaristia, em que mais uma vez foi tempo para agradecer ao Senhor o dom da Vida e a recente ordenação deste novo sacerdote, o Luís Rafael Azevedo e a oportunidade para estarmos reunidos à Sua mesa e comungar do Seu Corpo e Sangue. Foi ainda um dia para lembrar todos os convívios, especialmente os da nossa Diocese e a renovação do nosso compromisso com Deus. Posto isto, foi tempo para uma calorosa despedida marcada como sempre pelos afectos e pela certeza que nunca caminhamos sozinhos nesta vida.

Cláudio Manuel, C.F.1321 (Cinfães), in Voz de Lamego, ano 87/37, n.º 4422, 25 de julho 2017

Retiro GJS – Maleitas e Curas

O passado fim-de-semana de 8 e 9 de Julho foi para o Grupo de Jovens da Sé (GJS) um retiro marcado pela reflexão, pelo debate, e pela boa disposição, contando já com a presença dos novos membros, “mortinhos” por começar a nova etapa da sua vivência enquanto jovens cristãos. A caminhada física precedeu a caminhada espiritual, partindo o grupo logo pela manhã de Sábado da escadaria d’os Remédios. Nem a torreira matinal, nem o queixume dos músculos impediu a chegada à Quinta da Capela, um local que mais uma vez se mostrou maravilhoso ao “evento” (um agradecimento à família Neto!).

Após o reabastecimento do almoço começaram os trabalhos. Numa sociedade onde os conhecimentos médicos e aquilo que sabemos sobre as doenças que afectam o ser humano, as maleitas, interligadas com textos bíblicos, serviram de ponto de partida à reflexão. Deixando apenas um cheirinho do muito reflectido, quantas vezes espirras bisbilhotice e tosses maldizer? Qual a última vez que padeceste de “martice”? (Referência ao episódio de Marta e Maria, em que Marta se esqueceu que, conquanto importante, para tudo há tempo e lugar.) Nós somos, repetimo-lo em cada Eucaristia, o corpo de Deus. Se um membro desse corpo se encontra doente, todo o corpo se ressente, e desvia os esforços para a cura. Ler mais…

Acampamento Regional do CNE da Região de Lamego

Foi num ambiente misto de saudade e alegria que cerca de 300 Escuteiros encerraram no dia 9, ao final da tarde, o Acampamento Regional do CNE da Região de Lamego. (ACAREG)

Teve início em 7 de Julho de 2017, com a montagem de campo pelas 18h, tendo pelas 22h acontecido a receção à imagem de Nª Sª de Fátima oferecida, na penúltima peregrinação deste Movimento a Fátima (2006), pela Junta Central, à Junta Regional de Lamego e que nós guardamos com todo o carinho e devoção na sede da Junta Regional durante estes onze anos. Quisemos assinalar o centenário das Aparições com a peregrinação desta imagem a todos os Agrupamentos da Região de Lamego. Esteve durante esta semana no Agrupamento de Penude e daí foi transportada no seu andor até ao nosso Acampamento situado nas instalações do Aquartelamento do CTOE em Penude.

Toda a mística subjacente às atividades foi orientada com base no tema, inserido no logótipo: “Fátima no Mundo”. Ler mais…

7.º Verão é Missão | Encontro de Jovens em Vila da Ponte

No passado dia 15 de Julho de 2017, realizou-se o 7.º “Verão é Missão”, mais uma vez organizado pelos Jovens Sem Fronteiras de Vila da Ponte.

Este ano o encontro teve como tema central a passagem bíblica em que Jesus acalma a tempestade (Mc 4, 35-41). Depois de um breve acolhimento e da oração da manhã, era hora de colocar os pés a caminho e ir subindo até ao Santuário de Nossa Senhora das Necessidades. Ao longo do percurso os jovens tiveram a possibilidade de participar em 5 workshops missionários onde, através de várias dinâmicas, foram desafiados a “acordar” e a entrar na barca de Jesus, sem medo das tempestades que podem surgir, porque quem navega com Ele nunca se perderá nas ondas. Ao longo da caminhada os jovens foram encontrando várias peças de um puzzle nas quais estavam escritos alguns tópicos para meditação pessoal servindo de preparação para celebração o Sacramento da Reconciliação. Após o almoço realizou-se o 2º “Quintatlo Missionário” com jogos bastante divertidos e de seguida, à sombra de um castanheiro, celebramos a Eucaristia. Como habitual, depois da digestão feita, o convívio continuou na praia fluvial onde a maior parte não resistiu a dar uns mergulhos. Ler mais…