Archive

Archive for the ‘Eventos’ Category

MOVIMENTO DA MENSAGEM DE FÁTIMA | Retiro de Doentes em Fátima

Nos dias 5, 6, 7 e 8 de Junho, realizou-se em Fátima  o  retiro de  doentes para a  Diocese de Lamego, em conjunto com a Diocese do Algarve.

Estiveram presentes, doentes de várias paróquias. Orientou o retiro o Sr. Padre Manuel Antunes, Assistente Nacional do MMF, com a colaboração do Senhor Padre  Nelson da Diocese do Algarve.  Fomos  convidados  a viver em pleno o Centenário das Aparições.  Fizemos a Via sacra aos Valinhos, visitamos os túmulos dos santos, Francisco e Jacinta Marto,  na Basílica da Senhora do Rosário. Rezámos o terço,  assistimos à procissão de velas na Capelinha das  Aparições e  à celebração da Eucaristia, na Basílica da Santíssima  Trindade. Os momentos de silêncio e as reflexões apresentadas, ajudaram-nos  a entender melhor, que o sofrimento  vivido em ato de reparação, torna-se dom, que nos santifica.         Os pastorinhos  deixaram-nos o exemplo, de que através da  oração e do sacrifício nos tornaremos mais fortes. Foram quatro dias vividos em união com Jesus e sua Mãe Maria Santíssima.  Que o coração Imaculado de Maria, seja sempre o nosso refugio e o caminho que nos conduzirá até   Deus.

in Voz de Lamego, ano 87/32, n.º 4417, 20 de junho 2017

Apresentação da obra “A Diocese de Lamego em Três Histórias”

“A Diocese de Lamego em Três Histórias” é referência na História de Lamego

Um extraordinário contributo para a História de Lamego e da sua Diocese. Foi desta forma que este sábado, 10 de junho, unanimemente foi considerada a obra “A Diocese de Lamego em Três Histórias”. Da autoria de Joaquim Correia Duarte, a apresentação decorreu no Museu de Lamego, integrada nas comemorações do Centenário, e esteve a cargo da Presidente da Academia Portuguesa da História, Professora Doutora Manuela Mendonça.

Numa lição de História que percorreu séculos da Diocese e cidade de Lamego, Manuela Mendonça referiu-se ao autor da obra como um viabilizador da História, ao “sinalizar ancestrais, mas relevantes trabalhos” que possibilitam sentir o “pulsar das gentes de Lamego” ao longo dos séculos XVI, XVIII e XIX. Um legado, assinalou, a partir de agora acessível, inscrevendo o nome de Joaquim Correia Duarte no “catálogo de ouro dos historiógrafos portugueses”.

Com pesquisa, leitura, reprodução, organização e anotações de Correia Duarte, ao longo de quase 700 páginas, são transcritos três documentos da maior importância para a História do Bispado de Lamego. O pároco da Diocese de Lamego e membro da Academia Portuguesa da História classificou a obra como um “repositório de conhecimento histórico”, ao disponibilizar informação sobre os mais diversos aspetos, como as lutas políticas e sociais, paróquias, Paço Episcopal (onde atualmente está instalado o Museu de Lamego), catedral, castelo, cisterna, rio Coura, Hospital da Misericórdia, entre outros tantos espaços já desaparecidos ou ainda existentes na cidade. Para o pároco, “não é possível conhecer a História da cidade e Diocese sem ler ou consultar” as três obras que ali são transcritas.

Os anos de 1596, 1789 e 1878 correspondem a três importantes obras sobre a Diocese, que de importantes têm tanto como de desconhecidas. Em 1596, Manoel Fernandez, membro do Cabido da Sé, escrevia a “Sumária Reapitulaçam da antiguidade da Sé de Lamego”; em 1878, João Mendes da Fonseca, cónego da Sé, registava a “Memoria Chronologica Dos Excellentíssimos Prelados que tem existido na Catedral desta Cidade de Lamego”; Joaquim de Azevedo encerra “A Diocese de Lamego em Três Histórias”, com a “História Ecclesiástica da Cidade e Bispado de Lamego”, escrita no século XVIII, mas só publicada em finais do século seguinte, depois de continuada e atualizada por um cónego da Sé de Lamego.

A sessão contou ainda com a presença do Bispo Emérito de Lamego D. Jacinto Botelho, que ressalvou a riqueza que esta obra revela sobre o conhecimento da Diocese.

in Voz de Lamego, ano 87/31, n.º 4416, 13 de junho 2017

Saudação do Grupo Almacave Jovem aos novos crismandos

Jovens amigos,
que hoje recebestes o Dom do Espírito Santo

Também nós, grupo Almacave Jovem, ficamos felizes, neste dia em que recebestes o Sacramento da Confirmação. Um dia, recebemos também nós a Força do Espírito que nos faz testemunhas de Jesus ressuscitado. Sexta-feira, à noite, estivemos em vigília convosco, pedindo ao Espírito Santo que a todos nos ilumine com os seus dons. Hoje, mais do que nunca, somos desafiados a ser mais fortes e a não deixar que essa luz que nos habita esmoreça. Vivemos num mundo que gira a alta velocidade, indiferente ao sofrimento de quem passa. Indiferente ao grito desse Amor que chama, que impele, que procura e não encontra. Um Mundo que se vai deixando esmagar pelas trevas. Somos cada vez mais urgentes! Precisamos de despertar desse sono e ir, sem medo, dar tudo – “dar sempre seis”! Que nunca vos passe pela cabeça que o vosso gesto não faz diferença, que as vossas mãos não são necessárias, que a vossa vida não é capaz de marcar outras. “Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito. A cada um é dada a manifestação do Espírito em vista do bem comum (…) Como o corpo é um, embora tenha muitos membros, e como todos os membros do corpo, embora sejam muitos, formam um só corpo, assim também acontece com Cristo.”
Hoje, mais do que nunca, deveis sentir a força desse espírito que nos empurra, que nos corta as amarras e nos leva por caminhos que nunca pensámos percorrer; que nos levanta, mesmo quando pensamos já não ser mais capazes de caminhar. Ele vive em nós! Escutai-O no silêncio e sabei que jamais caminhareis sozinhos. E que por maiores que sejam as tempestades, nunca nada será maior que o Amor que Deus tem por cada um de nós. Que este dia fique tatuado nas vossas vidas como um compromisso de Amor que deve guiar-vos para sempre. Carregai bem alta essa luz que rasga as trevas e senti que nada será capaz de vos separar do Amor de Deus. Ler mais…

“A Diocese de Lamego em Três Histórias” – no Museu de Lamego

“A Diocese de Lamego em Três Histórias” é o título da obra que é apresentada no Museu de Lamego no próximo dia 10 de junho, pelas 16h00. Integrada nas comemorações do Centenário do Museu, a apresentação, numa edição da Diocese de Lamego, estará a cargo da Presidente da Academia Portuguesa da História, Professora Doutora Manuela Mendonça.

Com pesquisa, leitura, reprodução, organização e anotações de Joaquim Correia Duarte, padre na Diocese de Lamego e membro da Academia Portuguesa da História, ao longo de quase 700 páginas, são transcritos três documentos da maior importância para a História do Bispado de Lamego.

Os anos de 1596, 1789 e 1878 correspondem a três importantes obras sobre a Diocese, que de importantes têm tanto como de desconhecidas. A obra que agora vem a público representa por parte do autor o esforço de partilhar o conhecimento produzido ao longo dos séculos com o grande público, até agora apenas acessível a investigadores. Ler mais…

PORTUGAL EM FESTA | Editorial Voz de Lamego | 6 de junho de 2017

A edição desta semana situa-nos nas vésperas do Dia de Portugal e das Comunidades Portuguesas, pelo que o nosso Diretor, Pe. Joaquim Dionísio, optou, no seu editorial por se focar nesta comemoração, como desafio, sob o olhar do Anjo de Portugal, sublinhando que a presença providente de Deus não nos dispensa de cultivar o que herdámos…

PORTUGAL EM FESTA

No próximo sábado, dia 10 de junho, o calendário litúrgico convida a celebrar a memória do Santo Anjo da Guarda de Portugal.

Mas nesta data, feriado nacional, também somos convidados a sentirmo-nos como nação e a festejar esse sentimento de pertença, recordando os milhões de portugueses da diáspora e cultivando a nossa língua, lembrando um dos maiores poetas que a serviu: Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

A relativa exiguidade de Portugal não impediu a ousadia de querer chegar mais longe e descobrir caminhos novos, tal como cantado nos Lusíadas. Uma disponibilidade que não se cingiu à epopeia marítima e que continua, assente na certeza de que os portugueses têm pouca terra para nascer e o mundo inteiro para viver (Pe. António Vieira).

E se o passado nos eleva, a actualidade também nos distingue. Não se trata de “estar na moda”, mas de assumir o valor próprio, sem menosprezo de outros povos e culturas. Não deve ser preciso experimentar a perda ou ser confrontado com a privação para que tal aconteça! Como não valorizar esta maneira serena e acolhedora de estar e de viver? Como não apreciar as maravilhas que a natureza nos oferece, o bom que aqui se produz ou a paz que nos cerca?

É verdade que nem sempre nos livramos de um certo fatalismo e pessimismo (velhos do Restelo), que os sucessos do vizinho incomodam mais do que motivam, que teimamos em arranjar desculpas pelos desaires, culpando terceiros… Mas quantos já tiveram a oportunidade de “andar por lá” sabem como é agradável e singular conseguir “viver por cá”.

A celebração do Anjo de Portugal recorda-nos a presença providente de Deus, mas não nos dispensa de cultivar o bom que herdámos nem de concretizar as potencialidades que temos para nos cumprirmos.

in Voz de Lamego, ano 87/30, n.º 4415, 6 de junho 2017

Comunidade Paroquial de Almacave: Festas da Catequese

Estando próximo o fim do ano Catequético, com as festas da Profissão de Fé e da Confirmação, a Paróquia de Almacave promove a sua habitual Festa de Fim de Ano, onde Catequizandos e família convivem e fazem tempo de vivência em Comunidade.

Assim,  no dia 27 de Maio, decorreu a festa/convívio, no Parque Isidoro Guedes, onde se concentraram as famílias, catequistas, diácono  e sacerdotes  para assim, agradecerem mais um ano de percurso de Fé, só que em diversão conjunta com os escuteiros do Grupo 140. Foram estes os promotores de alguns Jogos tradicionais, da organização do espaço, dos momentos lúdicos a que se acrescentaram os tão desejados insufláveis, carrinhos, pinturas faciais e balões.

Música, diversão e muita animação foram depois completados pelo lanche, partilha de todos os participantes, que sempre se dispõem a preparar as iguarias que retemperam as forças a todos os que por ali apareceram. Ler mais…

ULTREIA ARCIPRESTAL no Santuário da Lapa LAPA

No dia 21 de maio se 2017, pelas 15 horas decorreu a ULTREIA  ARCIPRESTAL de Sernancelhe, Moimenta da Beira, Tabuaço, no edifício do  Colégio construído pelos Jesuítas. Presidiu ao encontro o Padre  Aniceto Morgado coadjuvado pelo Paulo Jorge grande dinamizador  diocesano dos CURSOS de CRISTANDADE. Estiveram presentes cerca de 80  pessoas de várias paróquias. Houve um momento para cantar, rezar,  partilhar experiências e Adorar o Santíssimo Sacramento.

No final retemperaram-se as forças com um lanche convívio.  Agradece-se a presença e a colaboração das irmãs religiosas do  Instituto discípulas de Nossa Senhora do Cenáculo que dão apoio neste  Santuário.

Este encontro reforçou a vitalidade deste Movimento Diocesano dos  Cursos de Cristandade. E todos regressaram também com a bênção de  Nossa Senhora aqui sob o Título, de Nossa Senhora da Lapa.

(Maria Assunção Carmo Cardoso)

in Voz de Lamego, ano 87/29, n.º 4414, 30 de maio de 2017