Arquivo

Archive for the ‘Eventos’ Category

Paróquia da Mêda veste-se para Concerto Solidário

A Casa Municipal da Cultura de Mêda, vestiu-se no passado dia 30 de julho,para um concerto Solidário pelas vítimas de Pedrogão Grande, Figueiró dos vinhos e Castanheira de Pêra. Esta atividade organizada pela paróquia de Mêda (Grupo de catequistas), reuniu neste espaço muitos corações solidários que participaram de forma ativa, por todas as vítimas deste incêndio.

Ao longo de toda a tarde de domingo, vários artistas musicais do concelho, subiram ao palco, para este Concerto Solidário com lotação esgotada, tendo na plateia o Sr. Pe. Basílio Firmino, Sr. Presidente da Câmara e o Sr. Presidente da Junta de Freguesia de Mêda.

Parabéns a todos os grupos que participaram, mostrando assim que tudo se pode fazer com talento da “Prata da Casa”.

Os donativos foram entregues voluntariamente e um quadro foi doado para o efeito, e, leiloado por duas vezes. Os fundos criados num bar de apoio às pessoas que ali se encontravam, reverteu para o mesmo fim!

No final do concerto, foi anunciado que os donativos tinham totalizado cerca de mil e oitocentos euros, revertendo a favor da Cáritas Nacional, para reforçar o apoio às populações afetadas!…

Resta-nos agradecer a todas as pessoas que exaltaram a solidariedade do povo português, neste caso, a comunidade de Mêda, e a sua capacidade de ajudarem os seus irmãos a reerguerem-se após uma tragédia.

Hoje são eles que precisam, amanhã poderemos ser nós!…

 

Catequistas: Cristina Branco e Conceição Lourenço

in Voz de Lamego, ano 87/39, n.º 4424, 8 de agosto 2017

Semana das Migrações

Igreja Católica dedica semana a «novas gerações migrantes»

A Obra Católica Portuguesa das Migrações (OCPM) está a promover, desde domingo, a sua semana nacional com o tema ‘Acolher o futuro – Novas gerações migrantes são o amanhã da humanidade’.

“Cuidar da nossa família e cuidar da casa comum, protegendo o ambiente e sobretudo amando o nosso próximo de modo concreto e não apenas com palavras, será a melhor maneira de mostrarmos que temos em atenção os menores, os mais vulneráveis, os sem voz”, escreve D. António Vitalino, vogal da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana.

O bispo emérito de Beja realça que também Portugal está a envelhecer, “não apenas porque muitos jovens emigram” à procura de trabalho mais bem remunerado mas também porque “os casais não querem ter filhos ou se limitam apenas a um”. “Quem irá tratar dos nossos idosos? Quem irá fazer descontos para a sustentabilidade da segurança social?”, questiona.

A diretora da OCPM explica que “impulsionados” pelo desejo do Papa Francisco querem “tomar consciência das vulnerabilidades” a que estão sujeitos os migrantes de menor idade. “Interpela-nos a responder a esta realidade investindo na proteção, na integração e em soluções duradouras”, afirma Eugénia Quaresma.

A 45.ª Semana Nacional de Migrações realiza-se sob o tema ‘Acolher o futuro – Novas gerações migrantes são o amanhã da humanidade’, e decorre até dia 13 de agosto. A Obra Católica Portuguesa das Migrações dinamiza a Peregrinação dos Migrantes e Refugiados ao Santuário de Fátima, a 12 e 13 de agosto.

O presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, da Santa Sé, D. Rino Fisichella, vai presidir à peregrinação na Cova da Iria, que começa às 18h30 do dia 12 deste mês, após a conferência de imprensa de apresentação às 16h00. Já no domingo, 13 de agosto, a OCPM convida as paróquias e comunidades cristãs a celebrar a Eucaristia pelos migrantes e pelo trabalho pastoral que a Igreja Católica desenvolve neste setor, numa Jornada de Solidariedade.

in Voz de Lamego, ano 87/39, n.º 4424, 8 de agosto 2017

Peregrinação Nacional do Movimento da Mensagem a Fátima

O homem é um peregrino sobre a Terra.

A Peregrinação é uma experiência religiosa universal, é a expressão típica da religiosidade popular. Pressupõe uma caminhada de conversão em direção a Deus, desde a sua preparação à viagem e, por fim após a chegada, ao dia a dia e vida daquele que a fez – o peregrino.

As suas raízes encontram-se na própria Bíblia. Desde Abraão que deixa a sua terra, a casa paterna e se põe a caminho para o lugar que Deus lhe indica, a terra de Canaã. O Povo de Deus caminhou em direção à terra prometida. O fenómeno das peregrinações está presente em toda a história do cristianismo. Nos nossos dias faz-se, sobretudo, em direção aos santuários. Ler mais…

Almacave Jovem  Porque não Taizé? 

Em pleno Verão, depois dos exames e das frequências nas faculdades, são milhares os jovens portugueses que participam de um modo exuberante nos vários Concertos Alive que proliferam desde o norte ao sul do país. Para alguns, há outras “fugas” que arrastam igualmente muitos deles, durante o mês de Agosto, ao encontro de outras melodias musicais e que, por isso, optam por outros “concertos” a transbordar de alegria e cheios de vida, onde a música é também silêncio, as palavras não fazem barulho e o estar com outros tem a marca da fraternidade e da comunhão ecuménica.

Taizé é esse lugar de eleição.

Porquê esta aventura de peregrinar até Taizé?

Estar em Taizé, durante uma semana, é fazer a experiência de uma vida simples e pobre, partilhada com jovens de todo mundo sem preconceitos étnicos, ideológicos e religiosos, sem alienações e sem a tentação do isolamento que descompromete. Aqui, esquecemos o viver carregado de stresses, as futilidades, as crispações de toda a ordem, e os temores que nos tolhem, hoje mais do que nunca, a serenidade do nosso dia-a-dia. Ir a Taizé é sentir-se acolhido por uma comunidade ecuménica marcada por duas aspirações: avançar numa vida de comunhão com Deus e com os outros, através da oração, da reflexão e do silêncio, e assumir a responsabilidade de se ser hoje no mundo, no nosso país e nas nossas paróquias, fermento de paz, de confiança e de misericórdia. As pessoas que aqui se cruzam connosco, sejam de outros países ou de outras culturas, ou até de diferentes confissões religiosas, conseguem transmitir alegria, tranquilidade, esperança, paz e simplicidade: esta é a única linguagem descodificada, sem tradutores, que se fala em Taizé.

Ao contrário do que se poderia esperar, a vida em Taizé não é monótona: as orações comunitárias três vezes ao dia são momentos marcantes no ritmo diário dos jovens ; as reflexões de textos bíblicos por grupos etários são enriquecedoras e orientam para a partilha da vivência da fé, e o trabalho de voluntariado tem sempre a alegria do servir o outro.

Porque precisamos todos os anos deste “concerto alive”, também com canto e música, mais uma vez um grupo de jovens e adultos da Paróquia de Almacave parte no dia 4 de Agosto rumo à Comunidade Ecuménica de Taizé, na Borgonha-França. Regressaremos à nossa Paróquia com a alma cheia de melodias com outras pautas, para sermos semeadores da paz, da simplicidade e misericórdia, e mais comprometidos com a missão de saber falar de Deus, com linguagens novas, aos jovens das nossas paróquias.

SF,  in Voz de Lamego, ano 87/38, n.º 4423, 1 de agosto 2017

Lançamento do livro Retábulos na Diocese de Lamego

Teve lugar no passado sábado, dia 22 de Julho, o lançamento do livro Retábulos na Diocese de Lamego, resultante de uma parceria entre a Diocese de Lamego e a Universidade do Algarve. A obra de autoria de Francisco Lameira, Pedro Vasconcelos Cardoso e José João Loureiro, aborda a história e temática do retábulo na Diocese, com especial incidência entre os séculos XVI a XX.
O evento começou com uma visita guiada à capela de Nossa Senhora do Desterro, em Lamego, orientada por um dos co-autores do livro – Pedro Vasconcelos Cardoso. Aquando da análise formal daquele espaço, foi referida a possibilidade de se tratar de uma “obra de arte total”, conferida pelo conjunto de elementos constitutivos do interior daquele espaço, destacando-se a importância da talha na sua concepção.
Da capela, local de paramentação dos bispos de Lamego, seguiu-se para a Sé onde, este co-autor abordou, de novo, a temática dos retábulos, dando especial relevo à ideia da Mitra ser o principal introdutor das novidades da retabulística na Diocese, a par de alguns mosteiros da região. Esse facto é manifestado pela datação do altar-mor, ou do altar de São Miguel no transepto, ambos a comportarem-se como importantes introdutores na região do Tardobarroco e Rococó respectivamente. Seguiu-se uma outra intervenção, esta proferida por José João Loureiro, também co-autor do livro, que abordou a pintura do retábulo-mor da Sé. Nela falou sobre a atribuição da autoria da tela e do aspecto curioso de o pintor se ter feito retratar na mesma.
Posteriormente ocorreu o lançamento do livro Retábulos na Diocese de Lamego no auditório do Museu Diocesano, apresentado pelo Cónego José Paulo Leite de Abreu. Foi enaltecida a grande qualidade gráfica da edição, acrescida pela excelência dos registos fotográficos, e igualmente foram louvadas a clareza e sistematização dos conteúdos que, desta forma, se tornam acessíveis a qualquer indivíduo. A intervenção daquele Cónego pautou-se pela boa disposição sem deixar de referir os aspectos importantes que o livro levanta, quer para o estudo da história da arte do retábulo, quer para a investigação e conhecimentos de outras expressões da história da arte em geral.
Coube de seguida aos três autores do livro a vez de exporem algumas considerações sobre o percurso da obra, as principais novidades que levanta e agradecer a total colaboração da Diocese no processo de investigação, destacando-se o papel desempenhado pelo Pró-Vigário Geral no processo.
O Senhor Padre João Carlos Morgado, enquanto Pró-Vigário Geral e coordenador de todo o evento, presidiu à sessão, e, antes do encerramento, destacou a importância desta obra como um documento, ou registo global, que fica sobre o retábulo na Diocese de Lamego, tornando-se, a par de outras edições de importantes investigadores locais, uma obra de referência para o estudo da arte sacra da região.

in Voz de Lamego, ano 87/37, n.º 4422, 25 de julho 2017

Concerto Solidário – Mêda, 30 de julho de 2017

No próximo dia 30 de Julho, pelas 16 horas, na Casa Municipal da Cultura da cidade de Mêda. vai realizar-se um Concerto Solidário a favor das vítimas de Pedrogão Grande, Figueiró dos vinhos e Castanheira de Pêra.
do nosso Concelho e terá como intenção, homenagear as vítimas desta tragédia e angariar dinheiro para ajudar as populações afetadas por este incendio que devorou vidas e bens, na região Centro.
Pretendemos ainda com esta iniciativa, dar um pouco de conforto para aqueles que ficaram!… Transmitir uma energia positiva, para que as vítimas desta tragédia ganhem coragem, e “tenham esperança”.
Hoje são eles que precisam, amanhã, poderemos ser nós!…
Seja solidário, apareça e faça a diferença!..

in Voz de Lamego, ano 87/37, n.º 4422, 25 de julho 2017

7.º Verão é Missão | Encontro de Jovens em Vila da Ponte

No passado dia 15 de Julho de 2017, realizou-se o 7.º “Verão é Missão”, mais uma vez organizado pelos Jovens Sem Fronteiras de Vila da Ponte.

Este ano o encontro teve como tema central a passagem bíblica em que Jesus acalma a tempestade (Mc 4, 35-41). Depois de um breve acolhimento e da oração da manhã, era hora de colocar os pés a caminho e ir subindo até ao Santuário de Nossa Senhora das Necessidades. Ao longo do percurso os jovens tiveram a possibilidade de participar em 5 workshops missionários onde, através de várias dinâmicas, foram desafiados a “acordar” e a entrar na barca de Jesus, sem medo das tempestades que podem surgir, porque quem navega com Ele nunca se perderá nas ondas. Ao longo da caminhada os jovens foram encontrando várias peças de um puzzle nas quais estavam escritos alguns tópicos para meditação pessoal servindo de preparação para celebração o Sacramento da Reconciliação. Após o almoço realizou-se o 2º “Quintatlo Missionário” com jogos bastante divertidos e de seguida, à sombra de um castanheiro, celebramos a Eucaristia. Como habitual, depois da digestão feita, o convívio continuou na praia fluvial onde a maior parte não resistiu a dar uns mergulhos. Ler mais…