Arquivo

Archive for the ‘Dia da Família Diocesana’ Category

Peregrinação da Zona Pastoral da Pesqueira ao Santuário de Fátima

Na data prevista, dia 17 de junho, devido à falta de autocarros disponíveis,os fiéis da Zona Pastoral de S. João da Pesqueira não puderam viver,com os demais fiéis da nossa Diocese, o Dia da Família Diocesana em ano do Centenário das Aparições.

Neste sentido, os párocos dessas comunidades agendaram uma data posterior e, no passado dia 23 de julho, peregrinaram até ao Santuário de Fátima para assim viverem esse dia em espírito de comunidade e para o celebrar com Jesus e na presença da Mãe de Deus.

Saídos das diversas comunidades e chegados ao Altar do Mundo, pude presenciar, com imensa alegria, a ânsia que todos tinham de, em primeiro lugar, visitar a Mãe, rezar ao Senhor, cumprir as suas promessas ou agradecer todas as graças concedidas, até à hora da Eucaristia, prevista para as 12h 30 min. Ler mais…

PEREGRINAÇÃO DIOCESANA | Editorial Voz de Lamego | 13 de junho

A Diocese de Lamego tem encontro marcado para Fátima, no próximo sábado, 17 de junho, para a 3.ª Edição da Família Diocesana. Depois do Santuário dos Remédios, do Santuário da Lapa, chega agora a vez do Santuário de Fátima, em ano de Centenário das Aparições.

O Pe. Joaquim Dionísio, Diretor da Voz de Lamego, no seu editorial, convida-nos à festa, à vivência da fé, ao estreitar dos laços que nos unem como Igreja, afinando a caminhada comum.

PEREGRINAÇÃO DIOCESANA

No próximo sábado, 17 de junho, milhares de fiéis da nossa diocese estarão a caminho do Santuário de Nossa Senhora de Fátima para viver o Dia da Família Diocesana, no âmbito da celebração do Centenário das Aparições.

As previsões apontam para uma presença de alguns milhares de peregrinos, o que ilustra o carinho dos nossos diocesanos pela Mãe, bem como o sentido de pertença a esta “porção do Povo de Deus”. Embora dispersos pelas 223 paróquias, com ritmos distintos e marcados pelas diferenças de cada zona, partilhamos a mesma fé e alegramo-nos com o encontro fraterno.

A festa da Família Diocesana tem como objectivo congregar, quase no término do ano pastoral, paroquianos de todas as idades, membros de Movimentos e Grupos, responsáveis de serviços, ministros ordenados e instituições para celebrar, com Jesus Cristo e na presença da Mãe de Deus, a comunhão e experimentar a catolicidade.

Nem todos poderão participar (data, afazeres, distância, idade, saúde, transporte), mas os que forem poderão testemunhar depois a alegria vivida e o desejo de avançarmos na mesma direcção. Afinal, a diocese é um “nós” a caminho de Deus que se esforça por viver e anunciar o Evangelho, concretizando, neste chão, a Igreja de Jesus Cristo.

Assim, o Dia da Família Diocesana é uma oportunidade para suplicar e agradecer as bênçãos de Deus, invocar a intercessão de Maria, testemunhar a fé, celebrar uma pertença, louvar a generosidade de tantos baptizados comprometidos e empenhados na missão, bem como para sublinhar o dinamismo das nossas comunidades e dos seus pastores.

Mas é, também, ocasião para aprofundar a unidade e afinar a caminhada comum, tendo sempre como horizonte o serviço ao Evangelho, a edificação da Igreja e a salvação de todos.

Porque é o Senhor que nos move, nos acompanha e nos espera mais à frente.

in Voz de Lamego, ano 87/31, n.º 4416, 13 de junho 2017

Dia da Família Diocesana – Lapa – 25 de junho de 2016

Acólitos da Paróquia da Sé na Festa da Família Diocesana, na Lapa

pedras-foto

Apesar do calor intenso que apelava mais a um dia na piscina, os acólitos da Sé vestiram as suas (quentes!) albas e rumaram à Lapa para se unirem à Família Diocesana em peregrinação. Com eles, vários familiares, alguns de bem tenra idade, que não quiseram deixar de honrar a Mãe do Céu num dos seus santuários mais queridos.

Foi forte a presença de acólitos de todas as paróquias da Diocese, de todas as idades, e muito bom o convívio fraterno entre eles e a oportunidade de se conhecerem e verem como são tantos os que na nossa Diocese se dedicam ao serviço do altar.

Após a Missa Campal retornamos ao santuário para, em grupo, passarmos a Porta Santa e rezarmos por todos os acólitos do Mundo e suas famílias e, em particular, pelo Francisco e sua família, que não vieram connosco por motivo de doença grave dum tio. Que a Senhora da Lapa lhes dê força e coragem para ultrapassarem este mau momento.

Claro que no final de um dia tão cheio e com tanto calor veio mesmo a calhar um geladinho antes do regresso, felizes e em paz com Deus e connosco.

IM, in Voz de Lamego, ano 86/33, n.º 4369, 28 de junho de 2016

Programa Ecclesia: Dia da Família Diocesana – Lapa 2016

Dia da Família Diocesana. Proximidade entre irmãos, à volta de Deus

IMG_7929

Proximidade e ternura entre irmãos e à volta de Deus

Tal como agendado no plano anual, o último sábado de Junho foi o dia escolhido para a vivência do Dia da Família Diocesana. Aconteceu no Santuário de Nossa Senhora da Lapa e congregou muitas centenas de diocesanos que, à volta do seu bispo, expressaram a sua fé e testemunharam a alegria de uma pertença.

DSCF2019

Uma iniciativa que começa

Pelo segundo ano consecutivo, a nossa diocese decidiu convidar todos os diocesanos a viverem um dia diferente, celebrando a fé e experimentando a proximidade diocesana. É verdade que, habitualmente, tal pertença festiva era assinalada na Solenidade de Cristo Rei do Universo, muito por força da presença dos diversos Movimentos e Grupos, com destaque para a Acção Católica Rural. Mas com a diminuição dos seus membros, a presença de diocesanos foi diminuindo. Com vontade de assinalar festivamente a data, foram fixadas para esse dia as possíveis Ordenações diaconais, na esperança de conseguir maior participação. Mas há anos em que, infelizmente, não há candidatos a essa Ordenação. Ler mais…

DIOCESE-FAMÍLIA

_MG_2407

Na variedade de temas, notícias e reflexões, semana a semana a Voz de Lamego aproxima-nos da região e aproxima das comunidades paroquiais, os movimentos eclesiais e a vida da Diocese de Lamego.

A chamada de capa desta semana vai para a Feira Medieval realizada na cidade de Lamego e para as Bodas de prata Sacerdotais do Pe. Agostinho Ramalho. Mas há muitos outros motivos de interesse para ler, refletir, e voltar a ler o Jornal Diocesano. Em vésperas do Dia da Família Diocesana – próximo sábado, 25 de junho, no Santuário da Lapa -, aí está a informação, com os horários e outras informações práticas e o Editorial, do Pe. Jaoquim Dionísio, que nos apresenta a Diocese como Família, reunida à volta do Bispo diocesano.

DIOCESE-FAMÍLIA

O documento conciliar sobre o múnus pastoral dos bispos (Christus Dominus) descreve a diocese como “porção do Povo de Deus que se confia a um Bispo para que a apascente com a colaboração do presbitério”. Esse povo, reunido pelo bispo “no Espírito Santo por meio do Evangelho e da Eucaristia, constitui uma Igreja particular, na qual está e opera a Igreja de Cristo, una santa, católica e apostólica” (CD 11).

Membros desta diocese de Lamego, somos um povo a caminho, com ritmos diferentes e sensibilidades diversas, marcados pelo chão que pisamos e pelos tempos que correm. Neste peregrinar, acompanha-nos a gratidão aos que nos precederam, a consciência do que somos e a confiança no Senhor providente que nos precede.

O Dia da Família Diocesana, marcado para o próximo sábado, no Santuário de Nossa Senhora da Lapa, é mais uma oportunidade para celebrar com alegria a Igreja local que formamos e experimentar a proximidade que faz de nós um Povo. Em ambiente festivo e descontraído, este acontecimento permite-nos visualizar uma diocese que é sempre mais que o meu arciprestado, a minha zona, a minha paróquia, o meu grupo ou movimento.

Pertencer à diocese é mais do que habitar no seu território, identificar as suas fronteiras, conhecer factos históricos, saber quem é o seu bispo ou rezar pelos fiéis que a formam. Tudo isso é bom, mas também se exige a cada um que sinta com esta Igreja, se ocupe e preocupe com a caminhada comum, que apareça e participe. Numa palavra, não podemos viver esta pertença de forma telescópica, à distância, com receio de misturas e da proximidade.

Aceitar o convite e rumar até à Lapa é assumir uma pertença comum e manifestar a vontade de participar na edificação de um corpo que precisa de cada um para crescer e se santificar.

in Voz de Lamego, ano 86/32, n.º 4368, 21 de junho de 2016

DIA DA FAMÍLIA DIOCESANA – 25 DE JUNHO de 2016 – LAPA

Dia da Igreja Diocesana_2016

Quando se aproxima o dia 25 de junho, último sábado deste mês, aí está o programa para este dia, na 2.ª Edição, neste formato, com algumas informações práticas para as paróquias e para os movimentos eclesiais.

DIA DA FAMÍLIA DIOCESANA – 25 DE JUNHO – 2016

“Com Maria, Peregrinos da Misericórdia”

no Santuário de Nossa Senhora da Lapa

PROGRAMA

9h30 – Acolhimento Concentração na rotunda  (Junto ao Miradouro e ao espaço das celebrações ao ar livre)

– Organização da Peregrinação

. Cada paróquia levanta a sua bandeira .

10h00Início da Peregrinação da Misericórdia (caminhada até ao Santuário)

– Entrada no Santuário – Porta Santa

Saudação a Maria

11h15 – Exposição do Santíssimo – Adoração (no átrio interior do Colégio)

 Confissões   (nos espaços interiores do colégio)

–Tempo de Oração com os Acólitos

12h00 – Tempo de Oração com os Movimentos Eclesiais (a cargo do MCC)

13h00 – Almoço (Partilha de farnéis)

14h00 – Convívio

15h00 – Início do cortejo processional para a celebração da eucaristia (a partir do santuário, integrando os acólitos e as bandeiras das paróquias presentes)

15h30 – Eucaristia (no espaço previsto para as celebrações ao ar livre)

             – Despedida

 

Aspetos a ter em conta:

– As paróquias para além das pessoas em geral, devem marcar presença, quanto possível, com os seus Acólitos . Devem também trazer uma bandeira ou estandarte que ajude à sua identificação.

– Esta jornada em Ano Santo da Misericórdia pretende-se que seja vivida com certo espírito de interioridade. Será dada uma atenção particular à oração e ao Sacramento da Reconciliação.

Pede-se aos sacerdotes disponibilidade para atender as pessoas que desejem reconciliar-se.

 

Pe. José Manuel Melo

Coordenador da Pastoral, in Voz de Lamego, ano 86/26, n.º 4365, 31 de maio de 2016

DIA DA FAMÍLIA DIOCESANA | 27 de junho de 2015

IMG_7288

A comunhão expressa a beleza de sermos irmãos

A nossa diocese movimentou-se para viver, festivamente, o Dia da Família Diocesana no passado sábado, 27 de Junho, em Lamego, no parque do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios. Apesar de algumas ausências, foram muitas as centenas de diocesanos que aceitaram o convite e vieram participar neste dia de festa, o primeiro de outros que, certamente, se seguirão.

IMG_7350

Convocados e enviados

Tal como previsto, os carros e autocarros foram chegando pela manhã e estacionando na parada do CTOE, junto à igreja de Santa Cruz. De perto e de longe, várias centenas de pessoas chegaram e começaram a preparar-se para subir até à carreira central do parque dos Remédios, marcado pela célebre e conhecida escadaria que liga a cidade à casa de Nossa Senhora. Jovens e menos jovens, com facilidade ou auxiliados por alguma bengala, o caminho foi percorrido alegremente, na companhia do grupo de bombos de Valdigem. Chegados ao espaço preparado para o encontro, os convivas puderam passear pelo local, entrar nas tendas ou arranjar um espaço para descansar.

Algum tempo depois, o palco ali montado para a celebração acolheu gentes de todas as idades para um jogral, uma encenação sobre o relato da Criação, uma dramatização evangélica e uma pequena peça teatral. Em comum o tema da família, abordado ainda em diferentes textos e ilustrado em músicas que se ouviram. E tudo se fez com a participação activa de alguns grupos e paróquias presentes. Em tudo, a vontade de expor a doutrina eclesial sobre a família, mas também a disponibilidade para representar cenas da vida familiar., nunca perdendo de vista o tema central do plano pastoral diocesano: “Ide e construi com mais amor a família de Deus”.

IMG_7430

Cristo caminha sempre connosco

Ao meio-dia iniciou-se a procissão de entrada para a Eucaristia. À frente caminharam representantes das paróquias presentes, transportando uma pequena fita identificadora que foi colocada no mapa diocesano presente no palco. Ao todo eram perto de 80 as paróquias presentes, num total de 223 que a diocese tem.

Presidiu á celebração D. António Couto, acompanhado por D. Jacinto Botelho, dois diáconos e cerca de trinta sacerdotes. O grupo coral da paróquia de Resende assegurou os cânticos litúrgicos.

A homilia, que se seguiu à proclamação dos textos bíblicos do XIII Domingo Comum, começou por louvar a beleza do espaço envolvente, convidando todos a contemplar a obra de Deus e a confessarem “como é belo estarmos juntos”.

A partir do primeiro texto, retirado do Livro da Sabedoria, o nosso bispo sublinhou a singularidade da obra criadora de Deus, sem defeitos e cuja beleza não é anulada pelo pecado humano, porque “em nada da criação há veneno”, parafraseando o Papa Francisco na sua mais recente encíclica, dedicada à preservação do mundo criado e oferecido ao homem. O nosso mundo, esta casa comum, é sobrecarregado de beleza e, por isso, é um mundo optimizado que deve ser preservado e melhor tratado pelos “produtores de lixo” que são, tantas vezes, os homens.

A segunda leitura trazia-nos as palavras de Paulo e o relato da colecta que este fez em favor dos mais necessitados. Tal situação serviu ao presidente da celebração para sublinhar a importância da comunhão, a necessidade do serviço e a alegria da graça. Porque é a partir da comunhão, do serviço e da graça que se pode criar a fraternidade e esta só se concretiza quando a sensibilidade de cada um está atenta ao outro, vivendo uma dimensão evangelizadora, ultrapassando uma autorefencialidade que é nociva à missão e impede de ir.

 IMG_7490

Não esquecer Jesus permite levá-LO ao outro

A sensibilidade singular de Jesus Cristo ocupava o evangelho do dia, relatando o encontro com Jairo, homem aflito em busca da cura para a filha e o gesto discreto e crente da senhora que quer tocar na orla do manto de Jesus para se curar. Jesus acompanha aquele pai preocupado, tal como nos acompanha e vai connosco. Ele é a nossa salvação e esquecer isso leva a “não dar Jesus aos outros”, porque não o levamos connosco. Não podemos negar que somos adeptos do facilitismo. Às vezes desistimos ou pensamos que “não há futuro”. Mas com Jesus no meio de nós não podemos dizer isso, cair no pessimismo, desistir ou ficar apenas pelo óbvio.

Por fim, D. António fez alusão ao facto de este ser o primeiro encontro da família diocesana nestes moldes, convidando todos para uma fraternidade que urge assumir: somos “irmãos e irmãs com Jesus que desce e nos cura. É importante não desistir, baixar os braços; que cada um possa contar com os outros e que o Senhor possa contar com todos”.

IMG_7564

Prontos para ir e testemunhar

Após o almoço, partilhado à sombra refrescante destas árvores centenárias e na comodidade dos bancos e mesas, todos tiveram a oportunidade para percorrer os diferentes espaços, contactando diferentes realidades diocesanas: os Consagrados, Grupos e Movimentos, as imagens e objectos das diferentes zonas pastorais.

A cerimónia do envio foi precedida de mais uns momentos protagonizados pelos mais novos, com músicas, palavras e gestos. Depois, na palavra que a todos dirigiu, D. António Couto agradeceu o esforço do grupo organizador, louvou a presença de todos e formulou o desejo de poder ver muitos mais no próximo ano, quando nova edição do Dia da Família Diocesana acontecer. Um encontro festivo preparado a pensar em todos, vivido com alegria que merece “outros dias”.

Antes da bênção final, o nosso bispo invocou Nossa Senhora, sublinhando a sua singular prontidão para convidar cada um a essa mesma prontidão para ir ao encontro dos outros: “Ide e entregai este Senhor a todos os que encontrardes!”.

JD in Voz de Lamego, n.º 4320, ano 85/33, de 30 de junho de 2015

DIA DA FAMÍLIA DIOCESANA | Informações

cartaz DIA DA FAMILIA DIOCESANA

Aproxima-se o dia 27 de Junho, Dia da Família Diocesana. Eis algumas indicações a ter em conta:

As atividades decorrerão na Carreira Central do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, com o seguinte programa:

09.30 – Acolhimento – No recinto do Quartel (Santa Cruz) – Aí haverá espaço para estacionamento, com prioridade para os autocarros.

10.00 – Caminhada em direção à Carreira Central

10.30 – Auto da Família

12.00 – Eucaristia

13.30 – Almoço

. Visita às Tendas

. Convívio

16.00 – Celebração do Envio

 

Gesto significativo: Cada paróquia está convidada a trazer uma fita com o respetivo nome. No início da Eucaristia essa fita será colocada em local adequado, visibilizando a presença de todos.

Visita às Tendas: Haverá algumas Tendas representando a realidade da diocese. Poderão ser visitadas no tempo que mediar entre o Auto da Família e a Eucaristia ou depois do almoço.

Almoço: Ao encargo de cada um (farnel)… Há no entanto algum apoio para “comes e bebes”, com uma ou duas barracas.

É desejável que, para além dos movimentos, grupos e serviços eclesiais, cada paróquia se faça presença nesse dia, segundo as suas possibilidades.

Vamos, juntos, celebrar na alegria a Igreja que somos e a caminhada pastoral deste ano, vivido sob o lema “Ide e construi com mais amor a família de Deus”.

Juntos nos Caminhos da Missão,

Pe. José Manuel Pereira de Melo, Coordenador Diocesano da Pastoral,

in Voz de Lamego, n.º 4318, ano 85/31, de 16 de junho de 2015