Arquivo

Archive for the ‘D. António Couto’ Category

Falecimento do Pai dos Padres Francisco e José Augusto Marques

O Senhor, nosso Deus, Pai de Bondade Infinita, chamou à Sua presença, na eternidade, o Sr. António Almeida Marques, Pai dos nossos irmãos no sacerdócio Padre Francisco, pároco de Cinfães, e Padre José Augusto Marques, Pároco de Resende e Felgueiras.

O Senhor Bispo, D. António Couto, em comunhão com o presbitério de Lamego e com a Diocese, une-se nas condolências e na oração aos reverendos Padres José Augusto e Francisco Marques e aos demais familiares e amigos. O sr. Bispo, ao pesar, pelo falecimento, agrafa a oração confiante, agradecendo a Deus o dom da vida do Sr. António Marques, certo que o bem que nele Deus operou continuará a prosperar nos seus descendentes.

A missa Exequial celebrar-se-á a 11 de janeiro de 2018, pelas 15h00, na Igreja Matriz de Pinheiro, concelho e zona pastoral de Castro Daire.

Que o Senhor Deus, Pai de misericórdia, lhe conceda o descanso eterno na companhia dos santos e dos anjos, e a nós conceda o discernimento e a fortaleza para configuramos a nossa vida com a do Seu Filho Jesus Cristo, na docilidade e acolhimento do Espírito Santo.

Uma vida dedicada ao Senhor: Pe. Timóteo Pereira | 1923 – 2018

O Padre Timóteo Pereira, membro do nosso presbitério, faleceu no passado sábado, dia 06 de janeiro, em virtude de uma queda, com 94 anos de idade (faria 95 em meados deste ano), no Porto, onde residia desde 1975 e onde colaborava pastoralmente.

Era filho de Timóteo Pereira e de Maria de Oliveira Rocha e nasceu em Cambres, Lamego, no dia 08 de julho de 1923. Frequentou os Seminários da nossa diocese e foi ordenado diácono a 29 de junho de 1946, na capela do Seminário, e presbítero a 14 de julho de 1946, na Sé de Lamego, por D. Ernesto Sena de Oliveira. Dentre os seus condiscípulos, recorde-se, por exemplo, Mons. Simão Botelho, antigo Director do nosso jornal.

Após a ordenação sacerdotal foi nomeado como pároco para Ferreirim, no arciprestado de Lamego e, em 1952, assumiu pastoralmente as paróquias de Ucanha, Gouviães e Salzedas. Em 1975 obteve licença para se ausentar da diocese e foi residir na cidade do Porto, onde colaborou, na Capela de Nossa Senhora da Saúde.

Louvamos o Senhor pelo dom da vida e da vocação, rezamos pelo descanso eterno deste nosso irmão e agradecemos tudo quanto o senhor Padre Timóteo viveu e testemunhou no exercício do seu ministério sacerdotal.

Funeral no dia 10 de janeiro, na Igreja do Bonfim, cidade e diocese do Porto.

JD, in Voz de Lamego, ano 88/06, n.º 4443, 9 de janeiro de 2018

Dia da Diaconocracia

“Exulta de alegria Igreja de Lamego” (D. António Couto). No passado dia 26 de novembro foi um dia cheio para a nossa Diocese de Lamego, pois convergiu nesse domingo três celebrações: a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo, o dia da Catedral e a Ordenação Diaconal. Nesse domingo a Igreja celebrou a diaconocracia, o poder do serviço, foi esta realeza inédita que Jesus instituiu o reino do Rei-Trespassado, o rei segundo o dizer de D. António Couto que “reina a partir de dentro”. Sendo o momento propício para a nossa Diocese de Lamego, ser enriquecida com ministério diaconal conferido a Vítor Manuel Teixeira Carreira, filho de Dionísia Cardoso Teixeira Carreira e de Manuel Matias Carreira, membro da comunidade paroquial de Nossa Senhora da Piedade de Queimadela (Armamar). D. António Couto exortou o Vítor para ter sempre presente esta forma de reinar de Jesus através da mansidão e do serviço. Também celebrou-se a dedicação da Catedral que ocorreu a 20 de novembro (1776), mas que habitualmente é “diferido” para o domingo do Cristo-Rei.

Ao Diácono Vítor desejamos as melhores felicidades e pedimos a intercessão de S. Sebastião e St. Agostinho, nossos padroeiros diocesanos, diante de Jesus Rei-Trespassado pelos bons frutos do seu ministério diaconal. Por fim, neste domingo cheio a nossa Diocese exultou de alegria.

Pe. Ângelo Santos, DDPV, in Voz de Lamego, ano 87/52, n.º 4438, 28 de novembro de 2017

Mensagem de D. António Couto para a Semana dos Seminários 2017

 

  1. Acabados de sair da celebração do centenário das aparições de Nossa Senhora em Fátima, mas sem perder de vista a figura tutelar de Maria, eis-nos já outra vez à entrada da Semana dos Seminários que, neste ano da graça de 2017, se celebra de 12 a 19 de novembro, e surge subordinada ao tema «Fazei o que Ele vos disser».
  1. Trata-se de um dizer de Mãe atenta, da Mãe de Jesus que, no decurso das bodas de Caná e numa situação de falta de vinho, que afetaria negativamente o andamento da festa, indica aos serventes (diákonoi), isto é, aos discípulos de ontem e de hoje, a quem devem estar atentos, para quem devem olhar, a quem devem escutar, que ordens devem cumprir. É claro que ela fala para os discípulos, mas aponta para Jesus, em quem devem pôr toda a atenção, porque é Ele que tem a solução para aquele problema e para todos os problemas.
  1. Estava lá a «Mãe de Jesus», a quem Jesus trata por «Mulher», para a vincular à Mulher da esperança, esposa de Deus e mãe dos filhos de Deus, que atravessa em contraluz a Escritura inteira. E estavam lá também «seis talhas», grandes e vazias, que representam o velho judaísmo e os seus rituais de purificação, tudo vazio, à espera do tempo novo da realização da esperança. Mãe e Mulher da esperança, talhas vazias, mas que, por ordem de Jesus, os serventes, os discípulos, encherão de esperança até ao cimo, até transbordar. É delas que, dando cumprimento às ordens novas de Jesus, jorrará o vinho novo e bom, até agora guardado para nós. Tempo novo e pleno do Amor de Deus, que manda agora servir o banquete de carnes suculentas e vinhos deliciosos, já anunciado em Isaías 25,6. É claro que o «chefe-se-mesa», que representa o velho e vazio judaísmo não podia compreender «de onde» vinha este vinho novo. Nem o noivo antigo. A quem se dirige. Só o sabem o Noivo novo, que é Jesus, e os seus discípulos ou serventes.
  1. Aí está então o banquete Novo, Bom e Último do Reino de Deus, com o Vinho Bom e Último, até agora guardado na esperança, e que é agora cuidadosamente servido. É sabido que a tradição judaica descrevia com muito vinho o tempo da vinda do Messias, referindo que, nesse tempo, cada videira teria mil ramos, cada ramo mil cachos, cada cacho mil bagos, cada bago daria 460 litros de vinho! Que saber e sabor é o nosso? Sabemos e saboreamos a Alegria do Banquete nupcial? Servimos para servir este Amor, esta Alegria? Não esqueçamos que é este o «terceiro Dia!» (João 2,1), que agrafa esta Alegria à Alegria nova da Ressurreição ao «terceiro Dia», «sinal» para a Glória e para a Fé (João 2,11). E os serventes são os discípulos, cuja missão é servir esta Alegria.
  1. É para preparar estes serventes ou discípulos que servem os nossos Seminários. E esta semana, de 12 a 19 de novembro, serve para voltarmos os nossos corações para os nossos Seminários, e para pedirmos ao nosso bom Deus, Senhor do banquete e do vinho novo da Alegria, e a Jesus, o Noivo novo, que faz jorrar o vinho novo e bom, e a Maria, Mãe de Jesus e nossa Mãe, que olhem para os nossos seminaristas com particular desvelo, e os «arrastem com carinho» (cf. Jeremias 31,3; João 6,44) pela vida fora.
  1. Os nossos seminaristas frequentam, de momento, o Seminário de Lamego e o Seminário Interdiocesano de S. José, sediado em Braga, para possibilitar aos nossos Seminaristas poder frequentar a Faculdade de Teologia da Universidade Católica.
  1. Lembro ainda que estão a decorrer obras no nosso Seminário de Lamego, para podermos também transformar alguns dos seus espaços numa casa aberta e acolhedora, capaz de oferecer aos fiéis leigos da nossa Diocese mais e melhores tempos de formação, convívio e oração.
  1. Enquanto erguemos o nosso coração em oração até este Pai bom misericordioso, levando até ao coração de Deus os nossos seminaristas, peçamos-lhe também, com insistência, por intercessão de Maria, nossa Mãe sempre atenta, que «arraste» outros jovens para os nossos Seminários, para que amanhã não nos faltem os sacerdotes de que necessitamos para servir da melhor maneira o vinho nova da Alegria ao Povo de Deus da nossa Diocese de Lamego e da Igreja inteira.
  1. Peço, então, uma vez mais que, sendo generosos na oração, o sejamos também na dádiva de nós próprios, concretizada no ofertório de Domingo, dia 19, que será destinado, na sua inteireza, para as necessidades dos nossos Seminários que, neste tempo, servem, não apenas os seminaristas, mas também os fiéis leigos. Isto é, servem o Povo de Deus.

 

Que Deus nos abençoe e guarde em cada dia, e faça frutificar o labor dos nossos Seminários.

Lamego, 1 de novembro de 2017, Solenidade de Todos os Santos

+ António, vosso bispo e irmão

Visita Pastoral de D. António Couto em Nogueira e Piães

Visita Pastoral de D. António Couto às Paróquias de São Cristóvão de Nogueira e São Tiago de Piães

De 1 a 5 de novembro as paróquias de São Cristóvão de Nogueira e São Tiago de Piães (Cinfães) receberam a Visita Pastoral do seu Pastor Diocesano, D. António Couto.

Em dia de Todos os Santos estas comunidades acolheram com grande alegria D. António Couto que com elas louvou a Deus pela e na Comunhão dos Santos. A todos convidou à santidade e este povo na sua simplicidade, diversidade, beleza e cor confirmou com a sua presença e fé a determinação de prosseguir o caminho da Santidade. Aqui, as crianças e adultos encheram o caminho até às Igrejas Paroquiais de variadíssimas flores com diferentes tonalidades.  Havia beleza no chão ornamentado, mas também, e melhor ainda, havia amor e alegria no coração das pessoas que recebiam o seu Bispo. No fim da tarde, os crismandos reuniram-se para escutar a palavras sensíveis, encorajadoras e esclarecedoras daquele que os desafiou a serem “Cristos” porque vão ser Crismados.

O dia 2 foi destinado à comunidade de São Tiago de Piães. No início da tarde, visitamos a Junta de freguesia. De seguida, houve celebrações na Igreja Paroquial, capela de Vilar de Arca e capela de Sanfins. Nestes três centros de culto foi possível viver serenamente o sacramento da Santa Unção.

O dia 3 foi passado com a comunidade de São Cristóvão de Nogueira. Iniciamos com a celebração no Lar de São Sebastião e administração da Santa Unção. Após o almoço visitou a Junta de freguesia. Durante a tarde percorremos os diversos centros de culto, tais como, capela da Ponte, capela de Vilar do Peso e Igreja Paroquial.

Nestes dois dias todos puderam receber essa “carícia de Deus” e sentir como Deus quer estar onde nós moramos. Alguns dos lugares das paróquias recebiam pela primeira vez a visita do Bispo da Diocese de Lamego. A proximidade e alegria, o carinho por tão ilustre presença era percetível em todos os rostos, desde os mais pequeninos aos mais idosos. No fim do dia, houve a oportunidade de encontro com os agentes da pastoral paroquial da comunidade de São Cristóvão de Nogueira.

O dia 4 foi o momento em que o Sacramento da Confirmação foi administrado na Igreja paroquial de São Tiago de Piães. Pelas 15h00 os 38 crismandos receberam a unção do Crisma, sinal de maturidade na fé, consciência da graça e fortaleza para o compromisso. No fim, reuniram-se os responsáveis dos diversos sectores e ministérios desta comunidade com o seu Bispo. Nestes encontros todos foram convidados a serem mais participativos, a gerarem dinâmicas de testemunho de Cristo vivo, de amor diário aos irmãos e a sermos uma verdadeira família.

No dia 5 a comunidade de São Cristóvão de Nogueira mais os 18 crismandos viveram com entusiasmo o sacramento da Confirmação.

Ao Senhor D. António as duas comunidades estão gratas pela oportunidade, presença, proximidade, testemunho, dom e afeto que receberam e sentiram.

As paróquias de São Cristóvão de Nogueira e São Tiago de Piães

in Voz de Lamego, ano 87/49, n.º 4435, 7 de novembro de 2017

Visita Pastoral de D. António Couto à paróquia de Nespereira – Cinfães

Esteve entre nós, desde o passado dia 5 de Outubro até ao dia 8 do mesmo mês, o Bispo de Lamego, Sua Excelência Reverendíssima, o Senhor Bispo D. António José da Rocha Couto, venerando Bispo da Diocese de Lamego.

Esta visita, está inserida no calendário das visitas pastorais às paróquias da Zona Pastoral de Cinfães.

No dia 5, pelas 16:30, foi recebido na Capela de S. Brás, onde celebrou missa e administrou o Sacramento da Santa Unção a várias dezenas de idosos vindos de toda a paróquia e do lar de idosos. Agradecemos a disponibilidade da direção do Lar pelo transporte que realizaram com muita eficiência. Todos sentiram um contentamento ímpar pela oportunidade de receberem, por parte de D. António, a Santa Unção.

De seguida dirigimo-nos para o Centro Paroquial. Sua Excelência Reverendíssima teve um encontro com os Crismandos e seus padrinhos para lhes explicar o sentido do Sacramento que iriam receber no domingo seguinte. Convidou-os a viverem segundo o Evangelho, a acolherem os dons de Deus, tornando-se membros vivos da comunidade cristã. Ler mais…

Agenda Episcopal | D. António Couto, Bispo de Lamego