Arquivo

Archive for the ‘Conselhos Pastorais’ Category

Conselho Pastoral Diocesano – 14 de janeiro de 2017

dscn0109

A vida pastoral de uma diocese deve-se substancialmente ao ritmo e à dinâmica que as estruturas eclesiais são capazes de implementar ao longo do tempo. Com esta mesma preocupação, reuniu-se, no passado sábado, dia 14, durante toda a manhã, o Conselho Pastoral Diocesano. Os trabalhos decorreram no Seminário Maior de Lamego, sob a presidência do Senhor Bispo e a participação de aproximadamente 40 pessoas, representantes dos diversos arciprestados, comissões e departamentos de pastoral, movimentos eclesiais e curia diocesana.

Após a oração inicial, o Senhor Dom António iniciou os trabalhos, congratulando-se com a presença de todos, apelando à intervenção consciente e assertiva de cada um, por forma a alcançarmos com mais clareza o denominador comum do pulsar pastoral da diocese. Lançou ainda duas ou três questões para provocar o diálogo. O Cónego Melo, assumindo a coordenação dos trabalhos, pediu de imediato que os presentes se pronunciassem sobre as atividades diocesanas realizadas desde o início do ano pastoral até então, e qual o balanço a fazer das mesmas. Ler mais…

Encontro de Movimentos e Serviços Eclesiais – 1 de dezembro de 2016

20161201_101956

O feriado da Restauração propiciou mais um encontro dos Movimentos e Serviços Eclesiais, no Seminário Maior de Lamego. Pessoas comprometidas nos diversos serviços da Pastoral diocesana, reuniram-se com o objectivo de rever e repensar a importância de cada movimento na dinâmica paroquial e diocesana e fomentar uma mais estreita colaboração e comunhão entre todos, respeitando e promovendo a especificidade e os carismas de cada um.

Após breve oração, o Pe. Diamantino Alvaíde alertou  para os perigos e tentações recorrentes dos agentes da pastoral: o comodismo e a presunção narcisista de pensar que a Igreja gira toda em torno de si e do grupo que cada um representa.

O Pastor diocesano, que presidiu aos trabalhos, alicerçado na “Missão Trinitária” convocou e desafiou os participantes  para a Missão Evangelizadora da Igreja. “Evangelizar é a identidade mais profunda da Igreja e é necessário que o cristão se encontre com essa verdadeira identidade.” Questionou: “Como posso ser Evangelizador?”, “ Como me identifico com esta identidade?” Evangelizar mais do que ir à Missa, é Anunciar o Evangelho a toda a gente, em todo o tempo e em todos os lugares. O Cristão não pode ser um mero espectador, um monitor legalista ou um animador de estados de alma. Tem de ser Testemunha. Tem de sair de si, da sua zona de conforto para levar Cristo ao coração de cada Homem, levar a Vida em abundância aos irmãos. Porém ninguém pode Evangelizar sozinho. É a comunidade que tem de Evangelizar, tem de juntar as energias uns dos outros, a exemplo  das primeiras comunidades cristãs. Ler mais…

Moimenta da Beira, Sernancelhe, Tabuaço: formação de Catequistas

dscf2881

Moimenta da Beira – Sernancelhe – Tabuaço

Formação de Catequistas

No passado dia 5 de Novembro encontraram-se em Sernancelhe quatro dezenas de catequistas para uma jornada de formação.

O Conselho Pastoral Arciprestal tem apostado, desde a sua constituição, na formação de todos, sobretudo daqueles que assumem maiores responsabilidades no serviço pastoral. Por sua decisão haverá, este ano, dois momentos distintos de formação para este setor da evangelização, o que noticiamos e um outro em Fevereiro.

Estando presentes uma boa parte dos nossos catequistas, podemos recordar aquilo que de mais importante tem esta missão, bem como ganhar um novo ânimo não apenas para fazer, mas para fazer bem.

As paróquias representadas, das três zonas pastorais, com perfis diferentes, desde logo no número de crianças na catequese, saíram certamente mais enriquecidas e possibilitaram que, com a sua realidade assumida e testemunhada, saíssemos todos melhores catequistas, mais fiéis e criativos. A fidelidade à palavra e a criatividade no seu anúncio foram a pedra de toque deste dia tão belo.

Uma palavra final de agradecimento ao sr. padre Ricardo, que mais uma vez organizou a formação e à irmã Arminda que aceitou ser mensageira e formadora neste dia.

O Conselho Pastoral Arciprestal,

in Voz de Lamego, ano 87/51, n.º 4387, 15 de novembro de 2016

Diocese de Lamego: abertura do ano pastoral 2016-2017

imgp9917-4

Discípulos missionários com um coração que vê

Tal como anunciado, o primeiro dia de Outubro foi a data escolhida para a abertura do novo ano pastoral na diocese. Aconteceu na manhã de sábado, no Seminário Maior de Lamego, com a presença de muitos diocesanos, mas também com bastantes ausências.

O início do encontro estava marcado para as 9h30, mas antes da hora já muitos diocesanos tinham estacionado e entrado no Seminário. Para alguns tratava-se de um regresso, para outras de uma novidade. Apesar de estarmos em plena época de vindimas e de colheita das maçãs, foram muitos os fiéis leigos que marcaram presença, testemunhando a sua disponibilidade para escutar o Pastor e participar activamente nesta nova etapa, servindo a Igreja nas Comunidades, Grupos e Movimentos em que se integram.

Com a presença do nosso Bispo, D. António Couto, de Mons. Joaquim Rebelo, Vigário Geral, do Pe. João Carlos Morgado, Pró-Vigário Geral, do Cón. José Manuel Melo e Pe. Diamantino Alvaíde, dos Coordenadores da Pastoral, e de alguns párocos, a oração da manhã marcou o início do festivo encontro.

Após a oração, D. António Couto saudou todos, agradecendo e sublinhando a presença, o testemunho e o esforço evangelizador de cada um na vontade de seguir Jesus Cristo e de participar na edificação de uma Igreja que se quer “em saída”. Depois começou a apresentar a Carta Pastoral que escreveu e que, neste dia, colocou nas mãos de todos os diocesanos, sob a protecção de Nossa Senhora, cujo Centenário das Aparições em Fátima se celebrará em 2017. Ler mais…

Moimenta, Sernancelhe, Tabuaço: Conselho Pastoral Arciprestal

arci-Moimenta-tabuaço

(foto de arquivo)

No passado domingo, 17 de abril, o Conselho Pastoral Arciprestal reuniu para fazer avaliação das Atividades Pastorais conjuntas (Jornada das Catequistas, Caminhada Quaresmal, Jornada das Famílias, Visitas Pastorais) e para o lançamento de outras iniciativas que envolvem o Arciprestado e a Diocese, com incidência na Peregrinação Arciprestal ao Santuário da Lapa e DIA DA FAMÍLIA DIOCESANA, a realizar no espaço deste Arciprestado, no referido Santuário, no próximo dia 25 de junho.

A reunião foi moderada pelo Coordenador Pastoral deste Arciprestado, o reverendo Pe. Diamantino Alvaíde. Depois da Oração inicial, a Ordem de Trabalhos previamente enviada aos membros do Conselho e aos seus párocos.

Esta reunião contou com a presença do Coordenador Pastoral da Diocese de Lamego para, em conjunto, refletirmos o Dia da Família Diocesana. Por este motivo, o Pe. Diamantino deu a palavra ao reverendo Cón. José Manuel Melo que explicou o sentido do Dia da Família Diocesana, recordando a primeira edição, realizada no Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, em Lamego, os momentos de celebração e de convívio, contextualizando os membros deste Conselho para poderem emitir sugestões. Tendo em conta o lema pastoral da Diocese – Ide e fazei da Casa de Meu Pai casa de Oração e de Misericórdia – será dado destaque à oração e liturgia e à temática da misericórdia. Por um lado, a realização deste Dia da Família Diocesana num dos Santuários mais importantes da Diocese, que é Jubilar e cuja Porta Santa da Misericórdia convida à peregrinação para a atravessar, o que se terá em conta na preparação desta jornada. Se no ano anterior a família esteve em maior destaque, este ano estarão em maior evidência os Acólitos, com as suas túnicas, sobretudo na Eucaristia. Haverá tempo para encenar uma ou outra parábola da misericórdia. Foram refletidos horários, espaços, sugestões, que serão levadas ao Conselho Diocesano de Pastoral, no próximo dia 28 de maio, ocasião na qual se formará uma Comissão para concretizar as diferentes propostas para que este seja um dia jubiloso para toda a Diocese.

Aproveitando a presença neste Conselho, o Cónego Melo relembrou a realização dos Cursilhos de Cristandande, entre os dias 22 e 25 de abril, das Senhoras, na Obra Kolping, em Lamego, dos Homens, no Seminário Menor de Resende. O encerramento far-se-á em conjunto, na cidade, com a Peregrinação à Porta Santa da Sé Catedral.

O Conselho Pastoral Arciprestal prosseguiu com a avaliação das Atividades Pastorais já realizadas, Jornadas de Catequistas e das Famílias, Caminhada Quaresmal, 24 Horas para o Senhor. Oportunidade para realçar a alegria daqueles que se envolveram, apontando aspetos a ter em conta no futuro. Quanto à catequese, dar mais ênfase à dimensão prática, sem descurar a parte teórica; quando à temática da família, a necessidade de pensar os CPM ou Jornadas com grupos de trabalho (workshops), para namorados, noivos em preparação para o Matrimónio, casais, avós…

Como partilha e motivação, foram apresentadas diversas maneiras de viver o Mês de Maria, com paróquias a privilegiarem a oração em família, com a Imagem de Nossa Senhora de Fátima a passar de família em família, com a possibilidade de se valorizar a recitação do terço nas capelas, “obrigando” a família a ir receber a Imagem à Capela e a participar na comunidade, ou valorizando o terço em comunidade.

A Peregrinação Arciprestal ao Santuário da Lapa, no dia 4 de junho, foi outra iniciativa pastoral que esteve em destaque. Parte significativa do percurso far-se-á a pé, com pontos de encontro das paróquias, com as paróquias de Tabuaço a juntarem-se às de Moimenta da Beira, peregrinando em conjunto a pé, e as de Sernancelhe peregrinarem do mesmo modo, para que todos possamos conviver ao almoço. Na parte de tarde, momento para confissões e Entrada na Porta Santa, integrando a dinâmica da Novena de Nossa Senhora da Lapa, com possíveis ajustamentos.

O Conselho Pastoral Arciprestal tem sido um desafio muito interessante para as comunidades, nas quais se incluem os seus párocos, respondendo-se desta forma à corresponsabilidade bastismal-eclesial e com todo um caminho (ainda) a percorrer.

O Arcipreste, in Voz de Lamego, ano 86/22, n.º 4359, 19 de abril de 2016

CAMINHAR JUNTOS | CONSELHO DIOCESANO DE PASTORAL

527829_499748773419504_604595958_n

  1. Na manhã do último sábado, dia 23, na Casa de São José (Lamego) e com a presença de D. António Couto, reuniu o Conselho Diocesano de Pastoral. Apesar das ausências, algumas justificadas, o encontro decorreu de forma serena e profícua, cumprindo a agenda previamente enviada aos respectivos membros, oriundos das diversas realidades diocesanas. A sinodalidade eclesial é um bem que dinamiza as comunidades, responsabilizando e favorecendo a participação, tornando possível a visão da Igreja como um “nós” onde cada baptizado é sujeito.
  1. Após a oração inicial e a aprovação da acta da reunião anterior, os conselheiros foram convidados a partilhar experiências, impressões e conclusões quanto à forma como tem decorrido o ano pastoral. Uma partilha que identificou diferenças de ritmo, mas que sublinhou, com alegria e gratidão, o caminho já percorrido, as dinâmicas que tendem a implantar-se e uma maior participação dos fiéis leigos na vida diária das comunidades, dos grupos e movimentos. Apontaram também a necessidade de melhorar a articulação entre todos, nomeadamente através de uma comunicação e partilha mais atempadas e generalizadas.
  1. A evangelização é a finalidade primeira de toda a acção pastoral e responsabilidade partilhada por todos os baptizados, tal como se afirma no lema pastoral deste ano: “Ide e fazei da casa de meu Pai Casa de Oração e de Misericórdia”. Um percurso nem sempre isento de dificuldades, mas onde semear continua a ser urgente, nomeadamente através do testemunho, da proximidade e da atenção a todos. É verdade que há desafios novos, nomeadamente trazidos pela linguagem, pela indiferença ou demissão da família no acompanhamento e vivência da fé. Mas o Mestre manda lançar as redes e a diocese vai cumprindo a missão.
  1. O diálogo prosseguiu depois com a partilha de sugestões, mais concretamente sobre a vivência do Ano da Misericórdia em curso e sobre a preparação do Dia da Família diocesana, marcado para o Santuário de Nossa Senhora da Lapa, para o dia 25 de Junho.
  1. Assumindo e louvando o muito que se vai fazendo em algumas paróquias, zonas e arciprestados, foi sugestão generalizada a aposta na formação, nomeadamente no campo da oração. Será por aqui, onde os párocos assumem particular responsabilidade, que uma melhor compreensão da fé poderá conduzir a um compromisso e testemunho mais visíveis e duradouros.
  1. O Coordenador da Pastoral, Cón. José Manuel Melo, reforçou o convite para o encontro de formação/oração para colaboradores paroquiais, a realizar no próximo dia 13 de fevereiro, em três locais da diocese. E anunciou também o envio de material de apoio a todas as paróquias tendo em vista a vivência da fé em família durante a Quaresma que se aproxima (10 de fevereiro).
  1. O nosso bispo encerrou o encontro congratulando-se com a presença de todos, agradecendo o contributo de cada um e motivando a uma continuidade fiel e criativa na vivência e testemunho do Evangelho. Salientou, ainda, a necessidade de repensar a composição deste órgão consultivo, de forma a alargar a visão da realidade diocesana.

A próxima reunião deste Conselho acontecerá no próximo dia 28 de Maio.

J.D., in Voz de Lamego, ano 86/10, n.º 4347, 26 de janeiro de 2016

COMUNICADO | CONSELHO PASTORAL DIOCESANO

table-round-people-meeting-knowledge

Decorreu no passado sábado, dia 30, na Casa de São José, a reunião do Conselho Pastoral Diocesano.

Após um momento de oração e com o lema do Plano Pastoral “Ide e Construí Com Mais Amor a Família de Deus” como pano de fundo, o nosso Bispo deu início aos trabalhos com um desafio que a todos deve inquietar: “ir ao encontro de todas as famílias e envolve-las na tomada de consciência do seu valor, dignidade e missão e incentivar a grande comunidade cristã que é a Diocese a construir com mais amor a família de Deus, à luz da Boa Nova de Jesus”.

Dando cumprimento à Agenda dos Trabalhos o Programa debruçou-se essencialmente sobre as Linhas Prioritárias do ano em curso com destaque para os Conselhos Paroquiais e Arciprestais, as Equipas Arciprestais de Animação Pastoral e as Escolas de Vivência da Fé. Com o objetivo de uma maior eficácia de reflexão e partilha constituíram-se 3 grupos de trabalho em que lhes foi pedido que fossem apontados sinais de crescimento, situações a superar e caminhos a percorrer no âmbito das já referidas linhas prioritárias.

A partilha apontou para as seguintes necessidades:

  • Uma maior aproximação e trabalho em rede entre os diversos Conselhos Pastorais e Arciprestais;

  • Necessidade constante de formação e corresponsabilidade de todos;

  • A importância de retiros espirituais centrados em momentos marcantes do calendário litúrgico;

  • Apostar mais nas Escolas de Fé.

Estas Escolas de Fé mais não são do que ajudar a aprender a viver como cristãos. E aqui devem-se envolver cada vez mais os adultos fornecendo-lhes as ferramentas necessárias de vivência cristã, de fermento na comunidade e de testemunho. Esta aposta tem a ver com o “tempo” que a Igreja dedica à população mais adulta uma vez que 90% das nossas forças são centradas nas crianças e jovens.

O dia terminou com a apresentação do esboço programático da celebração do Dia da Família Diocesana a decorrer no dia 27 de junho de 2015.

João Ferraz, in Voz de Lamego, n.º 4316, ano 85/29, de 2 de junho de 2015