Arquivo

Archive for the ‘Ano Pastoral’ Category

Semana Missionária em Nespereira

“Quem dá e se dá por amor não dá recebe.”

Luiza Andaluz,

fundadora da Congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima

Esta semana missionária decorreu entre os dias 17 a 24 de setembro, foi dinamizada pelas Irmãs Anabela Bulanguete, Joaquina Ribeiro, Mafalda Leitão e Rosária Monteiro,Servas de Nossa Senhora de Fátima, e teve como objetivo preparar a visita Pastoral do Senhor Dom António Couto, Bispo de Lamego, e celebrar os 25 anos de consagração religiosa da Ir. Joaquina Ribeiro, snsf, que é também desta diocese.

Partimos de Lisboa no final da tarde de sábado, dia 16,e levávamos no coração a alegria de sermos enviadas para esta missão.

O programa das atividades, elaborado em diálogo com o Padre José Augusto, pároco da Igreja de Nespereira, foi abrangente pois desejávamos chegar a todos. Constou da participação nas Eucaristias dominicais, onde reforçávamos o convite a que as pessoas participassem nos encontros e celebrações,reuniões de formação para os crismandos, vigília de oração com toda a comunidade cristã e com os crismandos sob o tema “Demos o primeiro passo na construção da paz”, celebração penitencial em preparação para o Sacramento da Reconciliação com os crismandos, encontros de formação com os catequistas, encontros de formação com os casais,visita aos idosos no lar, encontro com as crianças do jardim-de-infância e do primeiro ciclo da escola de Nespereira,encontro com as crianças e adolescentes da catequese, e visita aos idosos, doentes e suas famílias nas suas casas, em que partilhámos a sua vida quotidiana, como as colheitas.

Esta semana foi para nós uma experiência rica de partilha da vida concreta das pessoas, de encontro, de oração, de formação, de celebração da fé em que contemplámos aquelas serras que tanto nos falam da beleza e da bondade do Criador.

Concluiu com a celebração eucarística dominical com toda a comunidade,no dia 24, onde a Irmã Joaquina foi convidada a dar o seu testemunho como consagrada.

Por tudo damos graças a Deus e desejamos que a visita pastoral do Senhor Dom António Couto possa dar frutos abundantes.

Irmã Joaquina Ribeiro

Serva de Nossa Senhora de Fátima

in Voz de Lamego, ano 87/45, n.º 4431, 10 de outubro 2017

Equipas de Nossa Senhora | Setor de Lamego

Decorreu no passado sábado, dia 7 de outubro, a reunião do Setor de Lamego das Equipas de Nossa Senhora. Dois grandes objectivos presidiram a esta reunião: a passagem de testemunho do Casal Responsável de Setor (CRS) e a apresentação do Plano de Ação para o presente ano pastoral.

Relativamente ao primeiro objectivo, o casal Maria Judite e João Ferraz assumem, por um período de três anos, a função de Casal Responsável do Sector de Lamego e que continua a contar na Equipa com os casais Manuela/Quim Simões, Celina/Graciano Fernandes e Odete/António Pina. Para este trabalho muito específico nada melhor do que ter presente o SIM de Maria quando o Anjo Lhe anunciou que ia ser Mãe do Salvador. Cumpramos nós também esta missão que nos foi confiada escutando a Palavra de Deus e pondo-a em prática.

Um segundo momento foi a apresentação do Plano de Ação para este ano pastoral. Para além da apresentação das diversas actividades locais, regionais e nacionais, um dos grandes desafios que se nos coloca é a de “arrancarmos” com a constituição de novas Equipas de Nossa Senhora. Neste desafio em concreto queremos contar com a colaboração muito particular dos Srs. Arciprestes para que lancem “a rede” junto dos muitos casais jovens que estão “à espera” de uma abordagem; nós Equipa de Setor faremos o trabalho seguinte: apresentar o Movimento, fazer a pilotagem e acompanhar a(s) Equipa(s) que se constituírem.

A Palavra de Deus que escutámos nas leituras de Domingo falavam-nas da vinha. A vinha de que uma e outra leitura nos fala é a casa de Israel, o povo de Deus. O Senhor cuida deste povo como o bom agricultor cuida das suas vinhas. Mas este povo nem sempre correspondeu ao carinho que o Senhor teve para com ele.

Vamos para a Vinha e convidar “novos trabalhadores”.

Maria Judite e João Ferraz

CRS de Lamego das Equipas de Nossa Senhora

in Voz de Lamego, ano 87/45, n.º 4431, 10 de outubro 2017

PASTOR – CUIDAR | Editorial Voz de Lamego | 10 de outubro

No passado dia 5 de outubro, aproveitando o feriado nacional, a Diocese de Lamego viveu a Assembleia do Clero, no Seminário Maior de Lamego. O Pe. Joaquim Dionísio reflete sobre a participação dos sacerdotes nestes encontros de confraternização, de formação e de diálogo.

Mas esta é a porta de entrada para a leitura do Jornal Diocesano, mas muitos outros temas se encontram nesta edição, notícias, eventos, reflexões… Boa leitura

PASTOR – CUIDAR

A participação nas nossas assembleias do clero tem vindo a diminuir, apesar de realizadas num feriado nacional, de ocuparem apenas uma manhã e de serem vistas como uma oportunidade de encontro e de diálogo fraternos.

Os motivos para a diminuta participação poderão resultar das dificuldades de agenda e de incapacidades ocasionais ou serem fruto de uma avaliação e opção pessoais, nomeadamente sobre a oportunidade do encontro alargado, o tema proposto, os intervenientes ou a modalidade prevista.

Talvez esta tenha sido pouco preparada e divulgada ou, então, talvez os encontros alargados tenham deixado de motivar e devam ser valorizados grupos mais reduzidos, nomeadamente os previstos nos arciprestados… Só a identificação das causas poderá ajudar a corrigir, a fazer diferente ou a deixar de insistir neste modelo.

A última assembleia havia sido pensada à medida do tema do ano pastoral em curso, nomeadamente sobre o cuidado com ministério sacerdotal. Cuidado e atenção de cada ministro ordenado diante do dom recebido; cuidado solidário e próximo para com os outros presbíteros; cuidado da comunidade cristã que acolhe e acompanha os seus pastores. Dito de outra forma, há uma responsabilidade pessoal que não pode ser hipotecada e uma acção comunitária indispensável para preservar e viver o dom do ministério sacerdotal. Porque, se o próprio não quiser, de pouco valerão as visitas, os convites, as reuniões ou as ajudas e se ninguém se interessar poderá o próprio sentir-se esquecido.

Neste particular e no que ao cuidado com os ministros ordenados diz respeito, o Bispo assume especial protagonismo, sendo convidado a preocupar-se com quem não está e a ter “uma compaixão prática pelos sacerdotes que se encontram nalgum perigo ou faltaram já a alguns dos seus deveres” (CD 16). Trata-se, mais uma vez, de procurar a ovelha perdida.

in Voz de Lamego, ano 87/45, n.º 4431, 10 de outubro 2017

ABERTURA E PERTENÇA | editorial Voz de Lamego | 26 de setembro

ABERTURA E PERTENÇA

No próximo sábado, o último de setembro, a diocese de Lamego viverá a abertura do novo ano pastoral. Como nos últimos anos, haverá oportunidade para escutar o nosso bispo sobre a temática escolhida, teremos acesso à planificação anual e testemunharemos a apresentação de sugestões e convites para a vivência do tema.

O destaque deste ano anda à volta do testemunho crente que se expressa na vivência da caridade, inspirado na resposta de Jesus aquando da narração da parábola do “bom samaritano”: “Vai e faz tu também o mesmo”.

Um convite que desinstala e convida a sair de si para encontrar os outros, mas que também deixa orientações sobre a forma como ser concretizado. Não basta ir; não chega fazer. Porque podemos ir sem compromisso e passar ao largo de quem está; podemos fazer muito, sem dar lugar ao essencial.

Eis o desafio colocado a todos e, em particular, aos que maior responsabilidade assumem na animação pastoral das comunidades. Importa identificar o caminho por onde ir e elencar propostas que ajudem a concretizar a fé.

Certamente que a Carta Pastoral de D. António Couto nos elucidará sobre a passagem bíblica e deixará linhas para a sua vivência em comunidade.

Por outro lado, a planificação a distribuir não abarcará toda a realidade nem esgotará o leque de sugestões. Mas pode ser um instrumento para ajudar a assumir e a viver a comunhão eclesial. Podemos ter ritmos diferentes, sensibilidades e prioridades distintas, mas urge não perder a referência ao todo de que cada um e cada comunidade são parte integrante e necessária.

A abertura do ano pastoral e o convite para caminhar juntos contribuem, à sua maneira, para o assumir de uma pertença e de um caminho que distinguem e motivam a avançar.

 

in Voz de Lamego, ano 87/44, n.º 4429, 26 de setembro 2017

As Paróquias de Arícera e Goujoim prestam homenagem ao seu Pároco

As paróquias de S. Cristóvão de Arícera e de Santa Eulália de Goujoim, do arciprestado de Armamar e Tarouca, uniram-se no domingo, 10 de Setembro, na celebração das bodas de ouro de vida sacerdotal e paroquial do Rev. P. Artur Mergulhão. Associaram-se à homenagem os presidentes, vereadores e membros da Câmara Municipal de Armamar e da Junta da União das Freguesias de Arícera e Goujoim.

Às 12.00h, na igreja paroquial de Arícera, reuniram-se os fiéis das duas comunidades, para a celebração da Eucaristia. Este foi o momento alto de ação de graças a Deus e de gratidão dos paroquianos pela vida do sacerdote e pároco que os vem servindo ao longo de cinquenta anos. Um período de tempo da vida do P. Artur marcado pela presença física, assistência espiritual e proximidade familiar, com um dinamismo pastoral e social, imprimido desde o início da sua missão. A homenagem continuou num almoço de alegre convívio, servido num restaurante da região, com todos os que quiseram associar-se a esta manifestação de apreço.

Na Missa e no almoço, em plena comunhão entre os fiéis das duas comunidades e destes com o seu pároco, houve intervenções que, pela palavra e pelas ofertas, expressaram o reconhecimento agradecido, recordando momentos vividos desde os primeiros tempos de vida paroquial e lembrando os traços humanos e sacerdotais que caracterizam o P. Artur Mergulhão. Ler mais…

Estabelecimento prisional de Lamego – Nossa Senhora das Dores

Dia 15 de Setembro, em que os cristãos celebram a memória de Nossa Senhora das Dores, no Estabelecimento Prisional de Lamego, foi um dia especial. Este ano, além das missas dominicais, também lá celebrámos a memória de Nossa Senhora das Dores e o aniversário natalício do Rev. Pe. Abrunhosa, assistente espiritual deste Estabelecimento.

Ao aproximar-se o dia 15, os reclusos manifestaram desejo de saudar o Pe. Abrunhosa nesse dia, o que lhes foi facilitado. O Senhor Pe. Abrunhosa e o Senhor Pe. Waldemar, Beneditino, Capelão do referido Estabelecimento, concelebraram a Eucaristia, onde participaram cerca de 90% dos reclusos, a Senhora Diretora, Dr.ª Maria José Ferreira, o Chefe, José Coelho e alguns Guardas. O Senhor Pe. Abrunhosa iniciou a homilia com aquela frase do Papa Francisco, em Fátima, dia 13, “Temos Mãe! Temos Mãe!”. Disse que Maria, nossa Mãe, no Calvário assumiu a cruz de seu Filho Jesus, sofreu com Ele o preço da nossa redenção. Hoje a Virgem Maria, carrega connosco a cruz de cada um dos seus filhos, abraça-nos e leva-nos nos seus braços. Nos braços de Maria não há perigo de cairmos, se nos deixarmos conduzir por Ela. Terminou, pedindo para que não nos esquecêssemos de todos os dias falar com Maria, nossa Mãe, dizendo ao menos “Avé Maria”, na certeza que ela nos leva a Jesus.

No fim da Eucaristia, um recluso, em nome de todos, recitou uns versos ao senhor Pe. Abrunhosa, que manifestaram a amizade e gratidão de todos pela sua presença amiga, sempre disponível, quer nas horas boas, quer nas más. Foi realmente uma ocasião para ajudar também estes nossos irmãos, a aliviarem o peso da sua cruz.

Irmã Maria Fernanda R. Antunes

Serva de Nossa Senhora de Fátima

in Voz de Lamego, ano 87/43, n.º 4428, 19 de setembro 2017

Jubileu Jovem no Santuário de Fátima

No dia 9 e 10 de setembro, o santuário de Fátima dinamizou pela primeira vez o Jubileu Jovem 2017, com o tema O segredo da paz, o caminho do coração. Esta peregrinação juntou cerca de 3000 jovens de todo o país, na casa da Mãe, com a intenção de que cada um de nós pudesse percorrer durante aqueles dois dias o caminho para a paz, que é sem dúvida o caminho do coração. Foi um encontro com muitos jovens mas acima de tudo um encontro com nós mesmos.

O santuário de Fátima durante esses dois dias disponibilizou vários encontros/ atividades que nos ajudavam a percorrer melhor o caminho do coração. No sábado, dia 9 quando chegámos a Fátima  fomos acolhidos no Centro Pastoral de Paulo VI onde nos foram dadas algumas orientações, durante a tarde tivemos à disposição vários encontros que podíamos frequentar, como por exemplo o sacramento da reconciliação, adoração eucarística entre outros, foi uma espécie de iniciação do nosso caminho… tivemos também a oportunidade de ouvir uma Irmã que nos falou e explicou, o que é afinal isto de encontrar a paz… A Irmã disse que para ter paz, não era simplesmente não nos aborrecermos com nada, ou dizer “Deixa-me em paz” que alcançaremos a paz. Então falou-nos que há cem anos atrás Nossa Senhora apareceu ali, para pedir a paz e ensinou aos Pastorinhos como a alcançar, acima de tudo temos que confiar Nele, mesmo que as vezes tudo pareça incerto, porque Deus está sempre connosco e chama-nos todos os dias ao amor e esse é certamente o caminho. Ler mais…