Início > Editorial, Jesus Cristo, Vida > Editorial Voz de Lamego: A vida… ninguém ma tira, sou Eu que a dou

Editorial Voz de Lamego: A vida… ninguém ma tira, sou Eu que a dou

Como darmos o que não nos pertence?

Ou como suprimirmos o que não podemos dar?

A vida… a vida não depende, na origem, de nós, é-nos dada! Também não a podemos retomar! Poderemos interrompê-la? Uma interrupção significaria que, posteriormente, poderia haver regresso. Se a recebemos, se a acolhemos, não nos cabe acabar o que não começamos! Em relação aos outros, muito menos, pois ninguém nos designou para assumirmos um papel que não é nosso, pois não somos autores da vida.

O quinto mandamento é taxativo e não tem vírgulas, nem acentuações, não se sujeita a interpretações. Direto: “Não matarás”. É uma ordem divina. Na formulação da catequese, explicita-se: “Não matar (nem causar outro dano, no corpo ou na alma, a si mesmo ou ao próximo)”. Infelizmente continuamos a matar e a causar dano uns aos outros. Jesus Cristo é crucificado em cada vítima, em cada pessoa faminta, perseguida, escravizada, em cada pessoa negociada, vendida, violentada e morta.

Jesus ensina-nos a formular o mandamento pela positiva: amar a Deus de todo o coração e ao próximo como a si mesmo, ao jeito do Bom Samaritano que se faz próximo de quem está caído à beira do caminho, sem voz nem vez.

Na verdade, “o amor é a única maneira de compreender outro ser humano no fulcro mais íntimo da sua personalidade. Ninguém pode ter um conhecimento profundo e completo da essência do outro ser humano a menos que o ame. Por meio do seu amor, fica capacitado para ver os traços e as características essenciais da pessoa amada” (Viktor Frankl).

Viktor Frankl foi prisioneiro, durante quatro anos, nos campos de concentração nazi, durante a Segunda Guerra Mundial. Logo que libertado, enquanto psiquiatra, escreveu para pessoas com tendência para o desespero. “Vislumbrei então o significado do maior segredo que a poesia, o pensamento e as crenças dos seres humanos podem comunicar: a salvação dos homens consegue-se no amor e pelo amor. Compreendi como pode um homem a quem nada resta no mundo conhecer ainda assim a felicidade, mesmo que por breves instantes, na contemplação do ser amado”.

A segunda guerra mundial fez emergir a maldade e o egoísmo, a prepotência e a sobranceria, centrada, sobretudo, na liderança de Hitler. As nações uniram-se para evitar que se repetissem situações como as verificadas, de tortura, maus-tratos, escravização, mortes às dezenas e centenas de pessoas, enterradas em valas comuns. Foi o sonho de um homem, movido pela sede de poder ou, simplesmente, com os neurónios em curto-circuito! Como tem alertado o Papa Francisco, estamos na terceira guerra mundial, ainda que aos pedaços, em diferentes zonas do planeta, além da fome, do tráfico de órgãos e de pessoas, da multidão de refugiados, oriundos de diferentes países, a fugir da violência, da perseguição, por motivos políticos, económicos, étnicos e religiosos. A agressão violenta da Rússia ao país irmão, a Ucrânia, é mais um lamentável episódio que tende a repetir a mesma prepotência de Hitler, agora com outro nome, Vladimir Putin. A facilidade com que se tira a vida, justificando atos hediondos com palavras como defesa (preventiva) e libertação! Libertação de um povo que se sente livre e que não pediu para ser libertado.

Numa das páginas do Evangelho, Jesus clarifica: «Assim como o Pai tem a vida em Si mesmo, assim também concedeu ao Filho que tivesse a vida em Si mesmo» (Jo 5, 17-30). Só quem tem a vida em si mesmo, pode, de facto, dar a vida! «O Pai ama-me, porque dou a minha vida para a retomar. Ninguém a tira de Mim, mas Eu a dou a Mim mesmo e tenho o poder de a dar, como tenho o poder de a reassumir» (Jo 10, 17-18.)

Analogamente, a vida dá-se, amando, gastando-a a favor dos outros. Quem guardar a vida para si, perdê-la-á e quem perder a vida, por Minha causa e do Evangelho, diz Jesus, ganhá-la-á (cf. Mt 10, 39; 16, 25).

Pe. Manuel Gonçalves, in Voz de Lamego, ano 92/21, n.º 4652, 6 de abril de 2022

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: