Início > Editorial, Igreja, Jesus Cristo, Nossa Senhora > Editorial Voz de Lamego: Maria, modelo da Igreja em saída

Editorial Voz de Lamego: Maria, modelo da Igreja em saída

“A Igreja negligencia algo que lhe é mandado se não louva Maria. Quando o louvor de Maria nela emudece, a Igreja afasta-se da palavra bíblica. Quando isso acontece também não louva a Deus de forma suficiente…. Maria foi uma dessas pessoas que se inserem de forma muito especial no nome de Deus, tanto que não O louvamos suficientemente quando A pomos de parte” (Cardeal Ratzinger / Bento XVI).

Em cada ano pastoral, Maria terá que ser, sempre, uma figura visivelmente presente. Ela ensina-nos a dizer sim, mesmo quando os nossos passos são vacilantes ou incertos. Ela dá-nos Jesus. Gera-O no seu sim e no seu ventre. Ela mostra-nos Jesus. Ela guia-nos para Jesus. Ela manda-nos obedecer a Jesus: Fazei tudo o que Ele vos disser. Com São José, ensina-nos a procurar Jesus, caso nos desencontremos d’Ele. Nos momentos de maior tensão, quando Jesus é acossado de variadas maneiras, Maria ensina-nos a persistência do caminho. Não se afasta. Vai para o meio da multidão. Segue Jesus de perto, mesmo que sujeita a injúrias ou ao destino do Filho. Prevalece a maternidade, a ligação umbilical, o amor, o sim a Deus. Hão de ter havido momentos em que Maria não podia mais: os maus tratos infligidos a Jesus, as agressões, o chorrilho de calúnias, o Seu corpo dilacerado pelas chicotadas, pelo peso da cruz e, para concluir, a crucifixão, em carne viva, quase irreconhecível… Maria, como Mãe, não vacilou, manteve-Se perto, como tantas Mães para as quais não há limites para protegerem os filhos ou respeitarem (em silêncio) as suas opções… E o reconhecimento vem também do alto da Cruz: eis o teu filho, eis a tua Mãe… e a partir dessa hora, o discípulo predileto recebeu-A em sua casa. Se queremos ser hoje os discípulos prediletos, já sabemos quem temos de levar/trazer para casa, e para a Igreja.

A Diocese de Lamego dá tom ao ano pastoral que se avizinha com o lema: Igreja em caminho e em comunhão. A dinâmica, de sempre, sublinhada nos últimos anos na diocese, e com insistência no magistério do Papa Francisco, faz-nos tomar consciência de somos Igreja em saída, que caminha ao encontro dos outros, sobretudo dos que estão nas margens sociais, religiosas, culturais, políticas e económicas, para com eles construirmos fraternidade, comunhão dos irmãos que reconhecem o mesmo Pai, assumindo-se como irmãos em Jesus Cristo. Maria é paradigma e modelo desta Igreja em saída para fomentar a comunhão: sai da sua vida calma para ser Mãe de Deus; apressa-se em ir em auxílio de Isabel, levando a alegria da salvação; nas Bodas de Canaã, sai da descrição de convidada para interceder pelos noivos; na Cruz, passa da sua casa para a casa de cada um de nós; depois da morte de Jesus, mantém a comunhão da comunidade, em oração e em espera.

Pe. Manuel Gonçalves, in Voz de Lamego, ano 89/38, n.º 4525, 10 de setembro de 2019

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: