Início > Ano Pastoral, Eventos, Família, Formação, Igreja, Notícias > Ecos das Jornadas Nacionais da Pastoral Familiar

Ecos das Jornadas Nacionais da Pastoral Familiar

Nos passados dias 11 e 12 de novembro, o Santuário de Fátima acolheu as XXIX Jornadas Nacionais da Pastoral Familiar. Subordinadas ao tema “O Evangelho da Família – Alegria para o mundo” tiveram a participação de 16 das 21 dioceses, num total de 415 pessoas. Contou com a presença de membros de alguns movimentos da área da Família com destaque para o CPM. Presidiu ao Encontro, o Presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família, D. Joaquim Mendes, estando também presente, no dia 11, D. Francisco Senra Coelho, vogal da mesma Comissão.

Após a oração inicial, D. Joaquim Mendes saudou os presentes, apontou os objectivos das Jornadas, referiu a importância da formação dos leigos, a necessidade de passarmos de uma pastoral de eventos para uma pastoral de processos e de acompanhamento e fixou-nos no horizonte do IX Encontro Mundial das Famílias, de 21 a 26 de Agosto de 2017, em Dublin.

Conforme constava no programa, deu-se a palavra ao docente de teologia da UCP, Juan Ambrosio, que dissertou sobre o tema proposto: “O Evangelho da Família – Redescobrir, viver, anunciar”:

  • Começou por referir que é possível o Evangelho continuar a ser alegria para o mundo e, ainda mais, a família continua a ser uma boa notícia para o mundo de hoje, pois é este o desígnio de Deus. Sendo a família o “SIM” do amor de Deus, somente a partir do amor, a família pode manifestar, propagar e regenerar o amor de Deus no mundo. Sem o amor não podemos viver como filhos de Deus, nem como cônjuges, pais e irmãos.
  • Continuou dizendo que a redescoberta do Evangelho da Família exige que se olhem as realidades da família, sem juízos sumários generalizados e simplistas, sem saudosismo do passado, sem atitudes pessimistas, mas com um olhar humanamente madurecido, marcado pela esperança cristã, ousando olhar a família como Deus a olha.
  • Viver o Evangelho da Família é percorrer um caminho privilegiado de crescimento e realização pessoal na vivência do amor, aprendendo e vivendo experiências fundamentais do ser e da existência humana e crente: a filiação (ser filho), a fraternidade (ser irmão), a paternidade/maternidade (ser pai/ser mãe), a alteridade (ser outro).
  • Para anunciar o Evangelho da Família, referiu ainda, temos de levar a sério a variedade dos itinerários humanos na relação com Deus, fugir à dicotomia simples “regular” e “irregular”, não fazer das normas, que não podemos ignorar, o critério último e absoluto, saber que a lógica do Evangelho é a lógica da misericórdia, adoptar um olhar diferenciado na proximidade, assumir a “arte exigente” do discernimento.
  • Concluiu afirmando que se impõe acompanhar as famílias, de modo especial os casais novos, criar formas criativas e modalidades de relacionamento possível das comunidades cristãs em relação às famílias, comprometer-se com todas as famílias – cristãs e não cristãs – ser-se sinal credível de amor, acolhimento e misericórdia face às situações difíceis, acolher a todos na vida das comunidades, acompanhar um a um, sem que ninguém se sinta abandonado, discernir cada situação, integrar, segundo os carismas e as possibilidades próprias.

Na Mesa Redonda que se seguiu, um grupo de jovens que integra o Secretariado Diocesano da Pastoral Universitária do Porto, acompanhados do respectivo Director, testemunhou como a família foi para cada um deles um espaço de anúncio do Evangelho da Família e como é humanamente estruturante pertencer a um grupo de Igreja, como espaço formação, de esclarecimento, de discernimento, de oração e de amadurecimento.

Da parte da tarde, os participantes nas Jornadas, agrupados em 19 grupos de trabalho, refletiram sobre algumas questões, cuja partilha foi feita em plenário.

Antes partirmos para Capelinha das Aparições, para a recitação do Terço, foram exibidos dois pequenos filmes sobre o IX Encontro Mundial das Famílias, a ter lugar em Dublin, de 21 a 26 de agosto de 2018.

A noite do dia 11 foi preenchida com três actividades diferentes:

  • Assembleia-geral do CPM;
  • Exibição comentada do filme “Kramer contra Kramer”, no contexto da “Amoris Laetitia”; e
  • Reunião do DNPFamiliar com os Assistentes e Directores dos Secretariados Diocesanos da Pastoral Familiar e com os Assistentes e Presidentes Nacionais dos Movimentos da Família.

No dia 12, após a Eucaristia, na Basílica da Santíssimo Trindade, regressámos ao Salão do Bom Pastor para o terceiro momento das Jornadas: “O Anúncio do Evangelho da Família”. Partilharam o Secretariado Nacional de Educação Cristão (SNEC), os Centros de Preparação para o Matrimónio (CPM) e as Famílias de Caná, expondo aos participantes o seu modo próprio de anunciar o Evangelho.

As próximas Jornadas foram anunciadas para 20 e 21 de outubro de 2018.

Departamento Diocesano da Pastoral Familiar,

in Voz de Lamego, ano 87/52, n.º 4438, 28 de novembro de 2017

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: