Início > Ecumenismo, Eventos, , Oração > FEJ 2017: Eis que faço novas todas coisas

FEJ 2017: Eis que faço novas todas coisas

“Eis que faço novas todas as coisas” (Ap.21, 5) foi o lema do Fórum Ecuménico Jovem (FEJ para o amigos) de 2017. E antes de mais: ecumé-quê? Ecuménico significa algo universal… mas de maneira mais simples podemos dizer que esta palavra se refere à reunião de pessoas de diversas Igrejas Cristãs tendo em vista a busca da unidade. Assim sendo, o FEJ surge da organização dos Departamentos Juvenis das Igrejas Católica, Lusitana (Comunhão Anglicana), Metodista e Presbiteriana. Realizado em Braga, no Seminário Menor, o Fórum deste ano atendeu aos 500 anos desde a publicação das 95 Teses de Martinho Lutero: um marco na História da Igreja Cristã, com uma percepção nova do que era então vigente.

“Reforma há 500 anos… E hoje?” foi, exactamente, a premissa da apresentação da manhã. Tendo decorrido após a Celebração Inicial – uma Cerimónia de e para Cristãos, que teve lugar na Capela “art nouveau simplificada” do Seminário –, abordou não apenas a visão histórica, como levantou também as questões do presente. O que poderemos fazer para renovar, para não cair em comodismo? Uma questão em que cada resposta é uma acção a necessitar de reflexão.

Após o almoço partilhado, a tarde preencheu-se com a divisão de workshops: pintura, ciência, política, teatro, desenho… em relação com a Fé e com a Palavra. Pelas apresentações feitas no Auditório aquando a reunião, os workshops revelaram-se tanto divertidos quanto produtivos. Numa visão mais pessoal, posso dizer que aquele onde me inseri – uma abordagem a Taizé – foi dirigido de forma informativa, capaz de manter o interesse, e (não propositadamente) aliciante, onde muito foi levantado em pouco tempo, sem que se tornasse demasiado.

Terminou-se o evento com a Celebração de Envio, onde orações, cânticos e Leitura do Evangelho mantiveram “Eis que faço novas todas as coisas” na consciência de cada elemento presente. Atendendo ao renovar cíclico, e à realidade que vivemos, foi oferecido um pinheiro a cada um antes de se dar por encerrado este primeiro dia de FEJ: uma lembrança viva daquilo a retirar.

Inês Montenegro, Grupo de Jovens da Sé

in Voz de Lamego, ano 87/49, n.º 4435, 7 de novembro de 2017

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: