Início > Eventos, Formação, Museu Diocesano de Lamego, Nossa Senhora, Oração > Museu Diocesano de Lamego: Tertúlia de Outono – 2.ª Edição

Museu Diocesano de Lamego: Tertúlia de Outono – 2.ª Edição

No passado sábado, 21 de outubro, ocorreu a 2ª Tertúlia de Outono no Museu Diocesano de Lamego, sob convite da Dra. Celina Parente que muito tem apoiado as atividades culturais associadas à Exposição Doações e Ofertas à Coleção Contas de Rezar. Foram oradores o Prof. Horácio Peixeiro, Frei Arnaldo Araújo e Frei Herculano Alves que dissertaram, respetivamente, sobre “Uma imagem do rosário do século XVI – reflexo do pensamento do Humanismo cristão”, “A Coroa Seráfica Franciscana” e a publicação “A Bíblia em Portugal”. Estiveram em evidência representação de terços em imagens bem como estudos de dois franciscanos como assinalou o Diretor do Museu, Pe. Dr. João Carlos Morgado que fez a apresentação dos oradores, todos com múltipla formação universitária e autores de publicações relevantes.

O Prof. Horácio Peixeiro apresentou, com recurso a tecnologia digital, a imagem humana com um terço na mão que existe na Igreja Matriz da Atalaia. A imagem está esculpida numa edícula lateral, próxima da Capela-mor onde está gravada a data de 1528. O terço está perfeitamente esculpido seguindo as orientações, ao tempo, com a introdução dos cinco mistérios. Outro dado interessante é estar colocado na mão de um ser humano aparentemente anónimo, imaginamos um peregrino. Esta imagem expressa a conciliação entre a linguagem do Renascimento, que utiliza a mitologia clássica, e as ideias do Humanismo cristão, que advoga o regresso à pureza original do Evangelho e a uma igreja pobre, mais próxima da simplicidade primitiva. Outros elementos desta igreja da autoria do escultor e arquiteto João de Ruão foram mencionados e o Prof. Horácio Peixeiro brindou ainda a assistência com uma seleção de iluminuras pertencentes a Bíblias e Livros de Horas com figuras humanas, em geral frades, com terços. Resta-nos assinalar que a interpretação de todas estas imagens devidamente enquadrada cultural, técnica e artisticamente foi extremamente elucidativa da importância da representação do terço.

Frei Arnaldo Araújo falou da presença antiga dos Franciscanos em Lamego e explicou como surgiu a Coroa Seráfica, oferecendo a todos os presentes uma pagela sobre a mesma. Data de 1272, após a transferência das Irmãs Clarissas que tinham chegado em 1255, a presença dos Frades Menores em Lamego onde permanecem atualmente. A Ordem Terceira Secular cresceu em redor deste convento. Mais informações abundam no livro “Vida e Ação dos Franciscanos em Lamego”. Relativamente à Coroa Seráfica, em 1442, espalhou-se a notícia que Nossa Senhora apareceu a um noviço franciscano que se encontrava em angústia e lhe sugeriu que recitasse todos os dias sete dezenas de Ave-Marias, intercaladas com a meditação dos sete mistérios gozosos que reportam às sete alegrias da sua vida. Segundo Frei Arnaldo, “a Coroa Seráfica entrou na alma franciscana e no ritmo da sua oração diária”. Falou ainda da Indulgência Plenária associada à recitação pública da Coroa Seráfica.

O último orador, Frei Herculano Alves, transmitiu informações muito interessantes sobre as línguas da Bíblia durante vinte e três séculos: hebraico, aramaico, grego, latim, etc. Mencionou as instituições portuguesas que influenciaram, na Idade Média, o estudo da Bíblia como o Mosteiro de Santa Cruz, a Ordem de Cister e o Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça. A relevância da Bíblia na Pregação, na literatura, e na Liturgia é exaustivamente abordada no segundo volume onde estuda o contributo de figuras como Santo António, Frei Fortunato de S. Boaventura, D. Duarte, entre outros. No seu calcorrear pelos arquivos de Évora, Torre do Tombo, Mafra e tantos outros, encontrou também vários documentos sobre as Confrarias de Nossa Senhora do Rosário que surgiram com muita força no século XVI.

Júlia M. Lourenço, in Voz de Lamego, ano 87/47, n.º 4433, 24 de outubro 2017

  1. 26/10/2017 às 23:26

    Como católica penso que todo o cristão sente a necessidade de estár integrado na sua paróquia.Ter uma vivência cristã ,a qual ajuda a aumentar a fé,os bons exemplos são caminhos para a fé .Todos os Homens Cristãos ou não Cristãos;nos momentos dificeis da vida: uns seguem o caminho da fé,outros a sua vida é uma evidência; outros é na natureza que têm resposta para tudo; independentemente da parte espiritua, cada Homem é um individo e, orienta a sua vida segundo a sua educação ,cultura etc.Pois eu sou uma pessoua muito simples,mas tenho fé em Deus.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: