Início > D. António Couto, Eventos, Notícias, Serviço Cáritas > Conselho Geral da Cáritas Portuguesa em Lamego

Conselho Geral da Cáritas Portuguesa em Lamego

De acordo com o consignado nos seus estatutos, a Cáritas Portuguesa teve o seu primeiro encontro de trabalho deste ano, o qual decorreu no pretérito fim-de-semana de 31 de Março a 2 de Abril, com os representantes das várias Cáritas Diocesanas. Lamego foi a diocese anfitriã desse encontro e os trabalhos tiveram lugar no salão nobre do Teatro Ribeiro Conceição, espaço, mui afavelmente, cedido pela Câmara Municipal de Lamego.

Foi com prazer que a Cáritas Diocesana de Lamego acolheu os participantes nesta reunião de trabalho, pois, para além do cumprimento de um agenda específica neste tipo de organização, propiciou dar a conhecer a nossa bela e mui antiga cidade, localizada numa das mais belas regiões do nosso país, na margem Sul do rio Douro, plena de belos monumentos e sede da Diocese, única diocese portuguesa que não corresponde a capital de distrito.

No que ao cumprimento da agenda de trabalhos diz respeito, houve uma reflexão conjunta sobre as atividades que a Cáritas em Portugal, tem vindo a desenvolver, nomeadamente nas campanhas levadas a efeito ao longo do ano, Semana Nacional Cáritas/10Milhões de Estrelas, noutras de caráter pontual, mormente em situações de emergência, bem como o acompanhamento diário de todas as pessoas que procuram apoio nas instalações das diferentes Cáritas. Neste âmbito, é enriquecedor a partilha de experiências entre todos, numa perspetiva de interajuda e de melhoria de atitudes, sempre com base na missão que subjaz à nossa organização, nomeadamente a animação da Pastoral Social. Um outro ponto abordado com acuidade foi a apresentação do II Plano Estratégico da Cáritas, documento que visa reforçar os princípios fundamentais enquanto organização católica com objetivos específicos e missão direcionada para a ajuda do outro, no respeito pelos valores fundamentais de caridade e justiça social.

Recordo a mensagem que nos foi deixada pelo nosso Bispo, D. António Couto na sua intervenção de boas vindas, ao referir que “Ser Cáritas é perder a minha identidade para poder acolher a identidade dos irmãos que me procuram e que de quem eu vou ao encontro”, após a visualização de um vídeo do papa Francisco, quando, ainda arcebispo em Buenos Aires, se referia ao trabalho daqueles que dedicavam a sua vida a ajudar quem mais necessitava. Nesta senda, o Presidente da Câmara, Eng.º Francisco Lopes, também presente no início dos trabalhos, salientou um outro aspeto assaz importante que é a necessidade de “ajudar a construir uma teia de cooperação para dar resposta aos problemas como os que a Cáritas enfrenta – pobreza e exclusão social.”

Por sua vez, a orientar os trabalhos e sempre numa perspetiva de apoio reflexivo, o Dr. Eugénio, enquanto presidente da Cáritas Portuguesa, salientou o facto de que a Cáritas deverá pautar a sua linha de atuação de acordo com os seus objetivos, ou seja, “Agindo como promotora do Amor, a Cáritas deve ter no seu olhar, como prioridade, o olhar do outro. Dois olhares que se cruzam, tendo como guias de entendimento a justiça e a dignidade.”

Já no último dia do Conselho Geral, pudemos congratular-nos com a presença do Sr. D. Jorge Ortiga, enquanto Presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana, que salientou a importância do trabalho desenvolvido pela Cáritas ao longo dos anos e ao mesmo tempo enfatizou a importância de se adaptar aos desafios dos dias de hoje, devendo “ser testemunho de uma unidade sólida e consistente no essencial, com respeito pela autonomia.”

Foram três dias de trabalho, de reflexão conjunta, de partilha de saberes e de manifesta vontade de continuarmos a levar a bom porto a nossa missão, recordando o um dos pontos constantes do prefácio do atual Plano Estratégico da Cáritas: “Conforme salienta o Papa Francisco, o futuro do mundo depende da inclusão social dos pobres, da paz e do diálogo social e dos cuidados e defesa da “casa comum” (o planeta Terra). A Cáritas assume estas preocupações como referência e ’valores´ no seu caminho a seguir.”

Cáritas Diocesana de Lamego,

in Voz de Lamego, ano 87/22, n.º 4407, 11 de abril de 2017

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: