Início > Editorial, Igreja, Jesus Cristo, Liturgia, Mensagem, Opinião, Oração > PERDÃO E ESPERANÇA | Editorial Voz de Lamego | 7 de março de 2017

PERDÃO E ESPERANÇA | Editorial Voz de Lamego | 7 de março de 2017

Mais uma edição da Voz de Lamego com diferentes propostas de reflexão, inclusiva e desafiadora, para melhor viver como cidadãos, como cristãos, como pessoas, notícias da região e da diocese, do mundo e da Igreja. A Quaresma, o Conselho de Presbíteros, Visita Pastoral de D. António Couto a Moura Morta, Centenário das Aparições, Retiro para Agentes Pastorais, Convívio Fraterno, 125 anos das Filhas de São Camilo, são alguns dos temas em destaque, mas muitos outros assuntos podem ser lidos e refletidos.

Iniciamos, como habitualmente, no Editorial, do Pe. Joaquim Dionísio, que nesta semana nos fala do itinerário para a Páscoa, a Quaresma como tempo de conversão, de perdão, de esperança e de compromisso…

PERDÃO E ESPERANÇA

Rumo à Páscoa, numa caminhada quaresmal em que nos esforçamos por conjugar vivências habituais com opções pessoais, familiares ou comunitárias que circunstâncias e sensibilidades proporcionam, somos convidados a seguir Jesus no combate às tentações que afastam do Pai, da vida, dos irmãos…

Neste itinerário de conversão aberto a todos, assume particular destaque o acolhimento do perdão do Senhor, oferecido no sacramento da Reconciliação. Como tantas vezes já ouvimos e com tanto ênfase o recente Jubileu da Misericórdia recordou, este sacramento testemunha, a toda a comunidade e a todos os homens marcados pelo pecado, que o nosso Deus distribui largamente o seu perdão a todo o homem de boa vontade, que não existe derrota definitiva e que o Seu coração misericordioso é infinitamente maior que o nosso.

Por outro lado, o pedido/compromisso “perdoai-nos, assim como nós perdoamos” recorda-nos que o encontro com a misericórdia divina, propiciador da graça do perdão, deverá ter repercussões na vida comunitária.

Nos relacionamentos humanos, e tal como a vida ensina, o perdão liberta quem o oferece e quem o recebe. Porque, se é verdade que há “remorsos” que privam a consciência da tranquilidade merecida, também é uma evidência que “azedumes e promessas de vingança” sem termo impedem de saborear plenamente a vida. Desta forma, o perdão (recebido ou oferecido) surge como uma oportunidade para que o homem liberte o seu presente da hipoteca do passado e se lance, com esperança, rumo ao futuro.

E tudo se passa neste “hoje” que vivemos e onde se cruzam o perdão e a esperança, em que somos convidados a seguir Jesus, em que não podemos esquecer as marcas do passado que reclamam e esperam pela reconciliação (exercício de pacificação), mas em que se começa, também, a olhar para diante e a querer chegar.

in Voz de Lamego, ano 87/17, n.º 4402, 7 de março de 2017

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: