Arquivo

Archive for Fevereiro, 2017

CONVENÇÃO – CONVICÇÃO | Editorial Voz de Lamego | 21 de fevereiro

como-manter-a-fe

A edição desta semana da Voz de Lamego destaca, a partir da capa, o encontro dos Jovens Sem Fronteiras, em Vila da Ponte, com outros encontros de jovens realiazados na última semana, destacando no interior a Visita Pastoral de D. António Couto à Paróquia do Mezio e a vivência do Dia Mundial do Doente, no Hospital de Lamego. Mas há muitas razões para folhear e ler a Voz de Lamego, artigos de opinião/reflexão, variados nos colaboradores e nos temas, notícias da Igreja e do mundo, da diocese e da região.

A abrir, o Editorial do Pe. Joaquim Dionísio, Diretor da Voz de Lamego, que nos desafia a viver de convicções…

CONVENÇÃO – CONVICÇÃO

Na véspera da V Conferência Latino-Americana, Bento XVI dirigiu-se aos participantes para dizer também que “A Igreja é a nossa casa” (Aparecida, 12/05/2007), convidando cada um a sentir-se à vontade, consciente do seu lugar e pertença, identificado e próximo de todos, em segurança e com esperança. É sempre bom estarmos em casa!

No livro A Vitalidade da Bênção, de Elmar Salmann, a propósito desta pertença e presença na Igreja, diante do conteúdo da fé e da sua celebração, o autor pergunta: “Onde nos sentiríamos em casa?”

Ou seja, apesar de “estarmos em casa”, como dizia o Papa, é também necessário “sentirmo-nos em casa”, como afirma este beneditino. E compreendemos a não coincidência: quantas vezes “estamos” em algum lugar, conversa, reunião, convívio, celebração… sem nos “sentirmos” verdadeiramente presentes?

O mesmo se passa na vivência da fé e na participação eclesial (paróquia, grupo, presbitério…): podemos estar sem sentir e vice-versa. Mas será que podemos estar verdadeiramente sem que tal se sinta ou podemos sentir sem o esforço para estar?

Daí que diante da indiferença que cresce, da não vontade em aprofundar a fé, do desleixo diante da transmissão do Evangelho, do comodismo que se instala, do descomprometido consumismo de alguns sacramentos… aquele autor questione: “Haverá ainda algo de precioso para nós, capaz de nos tocar a alma, algo que nos torne totalmente presentes, que nos abra a inteligência e o coração?”

Que “lugares teológicos” privilegiar para ajudar à experiência do divino? Mais profecia? Mais mística? Como ir além da mera sensibilidade para a religião? Ou, como diz o nosso bispo, como passar da convenção à convicção?

Diariamente testemunhamos uma Igreja que, pela voz e acção dos seus pastores, sente dificuldade em apresentar o cristianismo como motivação que desbloqueie a vontade, encoraje a uma nova interpretação da vida e leve a um agir mais espontâneo.

Mas o Senhor está connosco!

in Voz de Lamego, ano 87/15, n.º 4400, 21 de fevereiro de 2017

Carta do Papa Francisco aos jovens na convocação do Sínodo

papa_carta_sinodo-2

Sínodo 2018: Carta do Papa aos jovens…

… por ocasião da apresentação do Documento preparatório para a XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos

Caríssimos jovens!

É-me grato anunciar-vos que em outubro de 2018 se celebrará o Sínodo dos Bispos sobre o tema «Os jovens, a fé e o discernimento vocacional». Eu quis que vós estivésseis no centro da atenção, porque vos trago no coração. Exatamente hoje é apresentado o Documento preparatório, que confio também a vós como «bússola» ao longo deste caminho.

Vêm-me à mente as palavras que Deus dirigiu a Abraão: «Sai da tua terra, deixa a tua família e a casa do teu pai, e vai para a terra que Eu te mostrar!» (Gn 12, 1). Hoje estas palavras são dirigidas também a vós: são palavras de um Pai que vos convida a «sair» a fim de vos lançardes em direção de um futuro desconhecido, mas portador de realizações seguras, ao encontro do qual Ele mesmo vos acompanha. Convido-vos a ouvir a voz de Deus que ressoa nos vossos corações através do sopro do Espírito Santo.

Quando Deus disse a Abraão «Sai!», o que é que lhe queria dizer? Certamente, não para fugir dos seus, nem do mundo. O seu foi um convite forte, uma provocação, a fim de que deixasse tudo e partisse para uma nova terra. Qual é para nós hoje esta nova terra, a não ser uma sociedade mais justa e fraterna, à qual vós aspirais profundamente e que desejais construir até às periferias do mundo? Ler mais…

Centenário das Aparições | Apelos do Céu

milagredosol

A expressão “mensagem de Fátima” é habitual nos textos ou alocuções que abordam a história do mais conhecido e visitado Santuário português. E é fundamental fazer tal referência, já que ali encontramos o mais importante das aparições, o que deve ser escutado, conhecido, transmitido, vivido…

O que se pretende enunciar, então, com a expressão “mensagem de Fátima”?

A resposta, simples, dirá que tal expressão apareceu e existe para designar o conjunto de interpelações e revelações que podemos encontrar nos acontecimentos e afirmações que os pastorinhos nos transmitiram. Tal conteúdo foi fixado por escrito aquando dos interrogatórios feitos aos três videntes, bem como nas “Memórias” da Irmã Lúcia.

A leitura de tais relatos permite aceder à “mensagem de Fátima”, mas a sua plena compreensão exigirá outras leituras e reflexões, de forma a permitir compreender todo o seu alcance e actualidade. O que de maneira simples, ao jeito daquele tempo e segundo as capacidades humanas dos seus autores foi dito e escrito pode e deve ser objecto de estudo e debate para melhor ser contextualizado e percebido. Ler mais…

D. Ximenes Belo – O Apóstolo da Boa Imprensa

ladainhas-a-nossa-senhoraEsta grande figura da Igreja e da Humanidade! Depois que foi dispensado do pastoreio da Diocese de Díli-Timor, por motivos de Saúde. Fez uma experiência missionaria em Moçambique. O que revela bem, a sua profunda humildade e a grandeza do seu coração.

Depois dessa experiência, tem percorrido o mundo, correspondendo assim, às muitas solicitações, que lhe são feitas, para proferir conferencias, em que relata a sua experiência vivida em Timor e falar dos valores da Paz.

Nos últimos tempos, também se tem dedicado a escrever vários livros, em que versa, vários temas, temas muito profundos e muito oportunos.

Acaba de lançar o último livro, intitulado “Ladainhas de Nossa Senhora”. Em que descreve as vivencias das suas devoções, da sua família e do seu povo. É na verdade uma obra muito interessante das Edições Salesianas. E esta encontrasse à venda no Santuário de Nossa Senhora dos Remédios de Lamego.

Elevemos uma prece à Mãe, Senhora dos Remédios, por Dom Ximenes, que celebrou o seu aniversário natalício no passado dia 3 de fevereiro. Ele, já faz parte da história de Lamego e região, pela marcante digressão que fez em 2002, por ser instituído cidadão honorário de Lamego e pela feliz iniciativa de mandar construir em Timor a “Escola Nossa Senhora dos Remédios de Lamego”.

Manuel Correia, in Voz de Lamego, ano 87/14, n.º 4399, 14 de fevereiro de 2017

Categorias:Uncategorized

Sugestão de Leitura: A Vitalidade da Bênção

vitalidade_de_bencao_finalAquando do último Simpósio do Clero (set/2015) e da Assembleia do Clero de Lamego (14/11/2015) tivemos oportunidade de ouvir o já Provincial dos Jesuítas portugueses, Pe. José Frazão que, em ambos os momentos, abordou o tema do “entusiasmo” na vida e missão do Padre. E quem o ouviu ainda recorda o entusiasmo e a gratidão com que se referiu a um dos seus mestres, Elmar Salmann, Beneditino alemão, e a um dos seus livros para preparar a sua intervenção, afirmando que a sua tradução estaria para breve.

O livrinho apareceu e poderia ser uma das leituras a fazer. A apresentação é do Pe. Frazão: “num Ocidente esquecido de Deus, ao sacerdote, mais do que os grandes discursos, pede-se a humildade silenciosa da bênção, que torna a vida abençoada e vivível, mesmo nos espaços onde Deus parece já não ter lugar”.

Título: A vitalidade da Bênção

Autor: Elmar Salmann

Edição: Editorial A. O.

Dimensão: 173 pag, 11x17cm

Preço:  10 euros

in Voz de Lamego, ano 87/14, n.º 4399, 14 de fevereiro de 2017

Categorias:Uncategorized

Pe. Victor Silva cantou em Lamego

vs-copia

Pároco no Arciprestado de Lamego, era maior a possibilidade de este Sacerdote da nossa Diocese cantar para o público lamecense; tendo trabalhado noutra Diocese durante alguns anos, com o seu trabalho pastoral foi espalhando a sua música, que o tornou e se tornou mais conhecida, de modo particular pelo mundo jovem, a quem dedicou uma atenção especial.

Lamego pôde ouvi-lo no dia 11 de Fevereiro, tendo ele aceitado o convite que lhe foi dirigido através dos serviços competentes da Câmara Municipal/Teatro Ribeiro Conceição. Lamego ouviu e encheu a plateia da sua sala de espectáculos, onde acorreram muitos paroquianos do Pe. Victor, muitos lamecenses, jovens e não jovens que aplaudiram os diversos números musicais apresentados.

Acompanhado dos elementos do seu Grupo Musical, foi apresentando os números preparados para este evento artístico-musical, que ele próprio anunciava como autor e, depois executava com o grande à-vontade que foi adquirindo ao longo dos anos em que se empenhou nesta actividade, que lhe granjeou a notoriedade de que já goza no mundo da música. E alguns dos números apresentados eram acompanhados pelos assistentes mais jovens, sinal e garantia de que a sua música é apreciada e já bem conhecida.

À pergunta sacramental que me tem sido dirigida, recordando a minha palavra de há anos sobre a sua actuação na Avenida e Festas dos Remédios, tenho de responder, sem rodeios, quão diferente é a actuação de um Grupo Musical na Avenida ou numa Sala; o próprio Pe. Victor me perguntou se gostei, e o meu «sim» não foi nem é de adulação ou desculpa pela palavra de há anos; aqui, como noutras actividades e ocasiões, tudo tem o seu tempo e o seu lugar. E se, e porque gostei, dou os parabéns ao Pe. Victor pela sua atuação no Ribeiro Conceição, fazendo votos para que continue a espalhar uma mensagem amiga para todos, através dos dons que Deus lhe deu e pela alegria que a sua música transmite a quem o ouve e lhe agradece pela suas palmas e pelo trautear de uma ou outra canção que fez levantar alguns assistentes e que viviam mais intensamente o espetáculo proporcionado pelo Pe. Victor e membros do seu Grupo. Parabéns e esperamos outras oportunidades para vos aplaudir.

Pe. Armando Ribeiro, in Voz de Lamego, ano 87/14, n.º 4399, 14 de fevereiro de 2017

Direção da ASEL reúne no Seminário de Resende

asel

Aproveitando a presença nas comemorações do dia de Nossa Senhora de Lourdes, padroeira do nosso Seminário Menor de Resende, a Direção da Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Lamego (ASEL) reuniu naquele Seminário no passado sábado, dia 11 de fevereiro, para ultimar os preparativos do Encontro Anual.

Neste ano, o encontro decorrerá no Seminário Menor de Resende, no dia 29 de abril, um sábado.

Depois da Assembleia Geral, no Seminário, a Eucaristia celebrar-se-á na Igreja Paroquial de São Martinho de Mouros, sendo o almoço de confraternização num espaço aprazível de Porto de Rei, junto ao rio Douro.

Sabemos e compreendemos bem que nem sempre é possível aos aselistas comparecer, tendo em conta as vicissitudes familiares ou profissionais, exacerbadas, muitas vezes, pela distância que se impõe percorrer para vir ao nosso encontro e recordar tempos felizes. Contudo, é nosso desejo que se faça a maior participação possível, pelo que aproveitamos o ensejo para apelar a todos os antigos seminaristas que façam por estar presentes, de modo a que se possa rever amigos, confraternizar e continuar a revitalizar a nossa ASEL, desiderato em que estamos muito empenhados.

Em breve serão difundidas mais informações sobre o Encontro Anual de 2017, tanto nos jornais publicados no espaço físico da Diocese de Lamego, como por correio físico e eletrónico.

Saudações aselistas!

P’la Direção da ASEL

Paulo Pereira Guedes (Curso de 1974)

in Voz de Lamego, ano 87/14, n.º 4399, 14 de fevereiro de 2017

Grupo de Jovens de Tabuaço foi ao cinema… ver o Silêncio

image-4

Nestes últimos tempos temos ouvido falar sobre o filme o “SILÊNCIO”

Trata-se de um filme, baseado no romance de Shusaku Endo, católico japonês, que narra a história de dois padres jesuítas portugueses, Sebastião Rodrigues e Francisco Garpe, que como missionários vão para o Japão. Têm como missão descobrir o paradeiro de um outro padre, Cristóvão Ferreira, que depois de torturado, terá renegado a sua fé.

Por tudo o que nos vinha chegando, parecia ser um filme que nos colocava várias questões, relativamente às dúvidas de fé, às de fidelidade, ao silêncio de Deus…

Sentindo o desafio de nos questionarmos, o Grupo de Jovens da nossa paróquia foi, no passado sábado, 11 de fevereiro, ver o filme. Depois de nos acomodarmos confortavelmente nas cadeiras da sala, não esquecendo as pipocas, lá começamos a vê-lo.

Com o decorrer do filme vai-se instalando o suspense entre todos. Algumas das cenas vividas despertam-nos para realidades muito presentes, como a perseguição aos cristãos!

No final ficamos todos um pouco baralhados. A necessidade de refletirmos sobre o que vimos era evidente. Esse era o objetivo! Interpelarmo-nos sobre o que sentimos e, de certa forma, identificar, nas nossas vidas, situações semelhantes, de dúvida, hesitação, interrogação do silêncio de Deus.

Brevemente, numa próxima reunião do grupo, teremos um tempo de reflexão sobre o que vimos e sentimos. Acredito que todos sairemos mais fortalecidos na fé e no amor a Deus!

Graça Ferraz, Grupo de Jovens de Tabuaço

in Voz de Lamego, ano 87/14, n.º 4399, 14 de fevereiro de 2017

Obras Missionárias Pontifícias | Infância Missionária

infancia-missionaria-2

No passado dia 11 de fevereiro reuniu-se na Casa de Nossa Senhora das Dores, em Fátima, o Departamento Nacional das Obras Missionárias Pontifícias para uma formação acerca da Infância Missionária. Da nossa, para além de mim participaram dois colaboradores do Departamento Diocesano das OMP, Irondina Soares e Joaquim Cardoso.

Depois do acolhimento e da oração tomou a palavra o Pe. António Lopes, Diretor Nacional da OMP que dirigiu a todos os presentes umas palavras de carinho e de agradecimento a todos os presentes. À exepção de uma ou duas, todas as dioceses do país estiveram presentes neste encontro de formação.

 A IMTem como finalidade suscitar o espírito missionário universal nas crianças, desenvolvendo-lhes o protagonismo na solidariedade e na evangelização e, por meio delas, em todo o Povo de Deus: “Crianças ajudam e evangelizam crianças”. São as crianças em favor de outras crianças.

 Tomando como exemplo a vida de Jesus e de seus discípulos, a Infância Missionária tem em Maria, a mãe de Jesus, uma fiel testemunha da autêntica ação evangelizadora. Inspira-se tam-bém em São Francisco Xavier e Santa Teresinha do Menino Jesus, Padroeiros das Missões. Ambos viveram ardentemente o carisma missionário universal, doando suas vidas pelo anúncio do Evangelho.

Para um melhor e, mais aprofundado conhecimento sobre a Infância Missionária aconselho a que consultem os seguintes links pela Internet, podendo os catequistas ou animadores paroquiais utilizar os recursos que estão disponíveis para servir mais e melhor as comunidades em que se inserem:

http://www.opf.pt/infancia

https://www.facebook.com/infanciaomp.portugal

Neste momento a IM começa a ter alguma visibilidade em algumas das dioceses do nosso país, nomeadamente, Vila Real, Guarda, Aveiro, Santarém, Braga e futuramente outras dioceses… Lamego também será uma delas, estando, desde já a preparar-se o terreno para tal Missão.

Que o Senhor Jesus, O autêntico Missionário nos ajude.

Pe. Fabrício Pinheiro, Diretor Diocesano OMP,

in Voz de Lamego, ano 87/14, n.º 4399, 14 de fevereiro de 2017

Liga Portuguesa contra o Cancro: “Caminhamos com os resistentes”

caminhamos-com-os-resistentes

“Caminhamos com os resistentes” foi o lema que decidimos abraçar, atendendo às necessidades dos que mais precisam.

Por altura do Natal, o IPO do Porto, através da Liga Portuguesa contra o Cancro, lançou uma campanha de T-hirts para ajudar as crianças com cancro. Não olhamos para trás e em conversa com o nosso pároco quisemos também nós, como jovens, abraçar esta causa, muito mais porque também temos uma criança na nossa paróquia que sofre com esta terrível doença.

Atendendo ao desejo do nosso pároco não ficamos apenas por Fornelos. Fomos apelando à generosidade e caridade das pessoas de Travanca e de Moimenta que aderiram a 200% a esta campanha. Neste momento estão já vendidas algumas dezenas de T-shirts. O valor angariado será entregue no IPO do Porto, para as necessidades que este Centro Oncológico no setor Pediátrico precisar.

Hoje eles. Amanhã nós. Não estamos livres destes sofrimentos.

Rezemos por eles e, dentro das nossas possibilidades ajudemos nas campanhas que a Liga Portuguesa contra o Cancro vai criando para auxiliar os mais necessitados.

A todos muito obrigado!

Grupo de Jovens Fornelos-Cinfães

in Voz de Lamego, ano 87/14, n.º 4399, 14 de fevereiro de 2017