Arquivo

Archive for Dezembro, 2016

LUZ DE BELÉM | Editorial Voz de Lamego | 20 de novembro de 2016

luz-de-belem-4

Em vésperas de Natal, a edição desta semana da Voz de Lamego dedica-lhe tempo e espaço, nos diversos testos-reflexões, bem assim como nas notícias. Também o Editorial, do Pe. Joaquim Dionísio, nos balança para vivermos em dinâmica de Natal, desafiando-nos a acolher a Luz que vem de Jesus.

A viver ainda os últimos dias de Advento, estamos prestes a saborear a alegria do nascimento do Redentor, o Salvador prometido, reconhecendo-O no humilde Menino da manjedoura.

Na liturgia, Jesus, o Salvador esperado, é saudado como “astro nascente”, a estrela que indica o caminho e guia os homens-peregrinos entre as obscuridades e perigos do mundo. Jesus é a luz que dissipa as trevas e vence o mal, o amor que supera o ódio e a vida que derrota a morte.

Por estes dias frios e escuros, ao vermos as lâmpadas que, artisticamente, iluminam presépios, montras, casas, ruas e praças, lembremo-nos que tantas luzes evocam outra luz, invisível aos olhos, mas não ao coração. O Deus connosco é a estrela da nossa vida!

Na grande luz esperada e aparecida em Belém, Deus mostra a sua glória. Uma glória de amor em que Ele mesmo se entrega em dom e se despoja de toda a grandeza para nos conduzir pelo caminho do amor.

Apesar da fraqueza humana e dos esforços de alguns para esconder Jesus, a luz de Belém não mais se apagou e onde brilhou também fez desabrochar a bondade e a caridade, a atenção pelos mais frágeis e a graça do perdão. A partir de Belém há um rasto de luz, amor, verdade que atravessa os séculos.

Que a luz do Senhor, que não desiste de nós, venha sobre todos e satisfaça a expectativa de tantos que esperam e sofrem, ilumine o caminho de quantos desejam ver e avançar e motive a humanidade a olhar a verdadeira luz, aquela que livra do erro, mostra a verdade, motiva para a justiça e convida ao amor.

Bom Natal para todos!

in Voz de Lamego, ano 87/07, n.º 4392, 20 de dezembro de 2016

Mensagem de Natal de D. António Couto à Diocese de Lamego

Golden Nativity on a mountain

PORQUE TU VIESTE AO MUNDO

Jesus veio ao mundo,

Desceu ao meu coração,

Tantas vezes vazio,

Ou esvaziado,

Cheio só de frio,

Planificado.

 

Portanto, plano, triste, aplanado.

Mas Tu vieste ao mundo,

E o meu pobre coração

Sentiu-se amado,

Cheio de amor,

Plenificado.

 

Obrigado, Senhor,

Por derramares em mim

A tua plenitude,

Graça sobre graça.

 

Faz-me agora encontrar

A melhor atitude

Para Te louvar,

Para Te levar

De rua em rua,

De praça em praça,

Em cada dia do ano que passa.

Desejo a todos os meus irmãos, sacerdotes, diáconos, consagrados/as e fiéis leigos, doentes, idosos, jovens e crianças, emigrantes, das 223 Paróquias da nossa Diocese de Lamego, e da Igreja inteira, um Santo Natal com Jesus sempre no meio e um Novo Ano cheio de Maria e dos caminhos sempre novos da Missão. Portanto, caríssimos irmãos e irmãs, «Ide por todo o mundo e anunciai o Evangelho a toda a criatura!».

Vem, Senhor Jesus, bate à nossa porta, encandeia a nossa vida, e conduz os nossos passos pelo caminho da Paz e do Carinho.

Lamego, 18 de dezembro de 2016, IV Domingo do Advento

+ António, vosso bispo e irmão

Amigos do Hospital de Lamego celebra Dia Internacional Voluntariado

foto1

O dia 3 de dezembro marcou o arranque das celebrações do Dia Internacional do Voluntariado, comemorado em todo o mundo no dia 5 de dezembro. A iniciativa, que decorreu nas instalações do Hospital de Lamego, é da Liga dos Voluntários do Hospital que, para além de celebrar a efeméride, assinalou o importante papel que a associação tem tido no funcionamento do hospital.

O dia começou com uma Eucaristia, celebrada na Capela do Hospital de Lamego. Presidida pelo Pró-Vigário João Carlos Morgado, e coadjuvado pelo Cónego José Ferreira, pelo Monsenhor José Guedes e pelo Capelão Ricardo Pinto e animada pelo Grupo Coral da paróquia de Ferreirim, contou com a presença de mais de 80 pessoas, entre voluntários, sócios, familiares, tendo ainda contado com a presença do Senhor José Pinto, Vice-presidente da Câmara Municipal de Lamego e da Senhora Enfª. Olga Cardoso, Adjunta da Direção de Enfermagem do Hospital de Lamego.

Durante a Eucaristia receberam a Bata amarela de voluntariado, Agostinha Assunção e João Cabral. Já os voluntários Cândida Carvalho, Luís Teixeira, Manuel Adrega e Maria José Pereira receberam os “Vês”, denominação atribuída ao alfinete em forma de V, colocado na bata após um ano de atividade. Ler mais…

Paróquia de Almacave celebra o Dia da Unidade Paroquial

unidade-paroquial-2

No dia 8 de Dezembro, Solenidade da Imaculada Conceição, a Paróquia de Santa Maria Maior celebrou o Dia da Unidade Paroquial na eucaristia solenizada das 17:00, na Igreja Matriz, associando-se também ao 44º aniversário da Ordenação Sacerdotal do Mons. P. José Guedes, nosso Pároco, de D. António Francisco dos Santos, Bispo do Porto e do P. Adriano Cardoso, Pároco de Penude.

 De há uns anos a esta parte, este dia tem sido norteado pelo esforço de fazer despertar naqueles que residem neste espaço paroquial o sentido de pertença à Comunidade Paroquial, de tal maneira que todos, sem exceção, se sintam chamados a caminhar como família paroquial e a viver de um modo sempre renovado o compromisso de que são convocados a gerar e a fortalecer laços de comunhão eclesial e a olhar a Paróquia como espaço privilegiado para o anúncio da Alegria do Evangelho. Concelebraram nesta Eucaristia os sacerdotes que colaboram nas diversas atividades pastorais da Paróquia. Presentes, também, os cristãos leigos que mais colaboram na vida paroquial e, igualmente, aqueles que participam com regularidade nas Eucaristias da Paróquia e na Eucaristia das 17:30 no Convento de São Francisco: Conselho Pastoral Paroquial e Económico, Irmandades, Grupos Paroquiais comprometidos no sector da evangelização e no serviço da caridade, jovens, Escuteiros do Agrupamento 140 do CNE, crianças e muitos outros paroquianos.

 Na Homilia, o Senhor Padre Adriano Cardoso, com referências muito concretas à Exortação Apostólica do Papa Francisco, A Alegria do Evangelho, lembrou que o primeiro motor de renovação de uma Paróquia é recuperar a frescura original do Evangelho. No final da celebração, o Senhor Padre José Guedes pediu a todos que o Plano Pastoral Trienal, definido para a Paróquia, traga um maior rejuvenescimento à Comunidade Paroquial, que acolhe também neste momento, um jovem Diácono ao serviço da Comunidade, o Luís Rafael Teles Azevedo.

Este dia foi preparado, antecipadamente, pelo Conselho Pastoral Paroquial que avaliou, igualmente, nesse encontro, a aplicação do ponto nº 1 do Plano Pastoral Trienal. A reflexão havida centrou-se no tema “ como passar, na nossa Paróquia, de uma pastoral de cristandade a uma pastoral de evangelização”. Tomámos consciência de que é necessário sermos mais criativos diante de ambientes que respiram um clima de resignação e acomodação; que é tempo de reagir à tentação de repetir caminhos e esquemas que tantas vezes marcam o ritmo de uma pastoral convencional e a assumir, sem medos, um modelo de paróquia em processo de conversão pastoral contínua e com realismo. Propusemo-nos, a partir de agora, a iniciar uma caminhada de carácter ”sinodal”, ao longo dos próximos três anos, que envolva toda a Paróquia e permita escutar “os de perto e os de longe”, os colaboradores e os indiferentes, procurando descobrir quais as razões verdadeiras de uma certa anemia espiritual que se vai acentuando e quais as soluções mais indicadas e as principais opções pastorais de fundo que tragam ganhos positivos à Paróquia. Mas é também fácil observar que as Mensagens e Exortações do Papa Francisco estão a gerar um clima novo de alento e de esperança em muitas pessoas e grupos da nossa paróquia.

Na próxima reunião, a realizar no dia 27 de Fevereiro, os membros do Conselho Pastoral Paroquial trarão propostas de ação pastoral para tornar operativas estas opções de fundo, ao longo deste ano pastoral.

Isolina Guerra, in Voz de Lamego, ano 87/06, n.º 4391, 13 de dezembro de 2016

Moimenta do Douro – Cinfães: “Vamos ao Presépio”

presepio-natal

No passado dia 7 de dezembro, como forma de Vigília dedicada à Imaculada Conceição, a Paróquia de Moimenta do Douro realizou mais uma das atividades contida no seu Plano Pastoral para 2016-2017. Sendo o Lema da nossa Diocese “Ide por todo o mundo e anunciai o Evangelho a toda a criatura”, a comunidade, contando com cerca de uma centena de pessoas saiu de sua casa para percorrer toda a aldeia num projeto ao qual se deu o nome de “Vamos ao Presépio. Caminhada de Advento” no sentido de melhor se preparar a grande Festa do Natal que está para chegar.

Foram 15 os presépios visitados, cada um com o seu valor, cada um com a sua simplicidade, originalidade e criatividade. Ao som de cânticos e orações se foram percorrendo os diversos povos da freguesia, numa atitude de entusiasmo e alegria por todo o trabalho que se havia realizado e que agora está à vista de quem os quiser visitar.

Um bem-haja a todos quantos colaboraram para que esta atividade se realizasse, de forma particular ao nosso pároco e aos nossos jovens pela dinâmica que têm proporcionado às gentes desta nossa amada terra.

 

Uma Paroquiana

in Voz de Lamego, ano 87/06, n.º 4391, 13 de dezembro de 2016

Lamego no XI Festival Nacional Jovem da Canção Mensagem

jovens-se-fatima4

Decorreu em Fátima no passado sábado, 10 de Dezembro, o XI Festival Nacional Jovem da Canção Mensagem, organizado pelo Departamento Nacional da Pastoral Juvenil, com o tema “Bem-aventurados os misericordiosos porque alcançarão misericórdia”. Contou com a participação de várias dioceses do país, incluindo Lamego, representada pelo Grupo de Jovens da Sé.

O dia começou bem cedo, com saída de Lamego às 7h para que pudéssemos participar nas actividades preparadas pela organização para os grupos participantes: workshops e reflexões sobre a mensagem em forma de canção e, naturalmente, os devidos ensaios e testes de som para que nada falhasse no momento de actuar. Partimos com a expectativa de partilhar mais uma experiência em grupo e com outros jovens do país inteiro, sempre com Cristo no horizonte. Foi precisamente isto que encontrámos, jovens com vontade de cantar a misericórdia, dispostos a partilhar alegria, boa disposição e, sempre que necessário, material sonoro.

À noite, depois de um dia preenchido, chega a hora de mostrar às claques das dioceses as canções e, acima de tudo, a mensagem na qual os grupos colocaram o seu trabalho e empenho. Às várias canções, a plateia do Centro Pastoral Paulo VI ia respondendo com um entusiasmo muito próprio e que por si justificava o esforço dos participantes. No entanto, haviam ainda os prémios e, neste departamento, o júri reservou a Lamego o 3º Lugar, atribuindo a Vila Real o 2º Lugar e o prémio de vencedor à diocese de Lisboa. O prémio maior, ainda assim, foi a partilha de Fé que se viveu entre todos durante o dia.

Não podemos deixar de agradecer ao nosso DDPJ, por todo o apoio na preparação para o Festival, à organização por toda a disponibilidade e aos jovens que vieram connosco de Lamego para viver esta experiência e sem os quais ela não faria sentido.

Tiago Torres, GJS,

in Voz de Lamego, ano 87/06, n.º 4391, 13 de dezembro de 2016

Grupo de Jovens da Sé em Peregrinação a Fátima

jovens-se-fatima1

No passado dia dez do mês de Dezembro o Grupo de Jovens da Sé, juntamente com os adolescentes e crismandos, rumaram ao Santuário de Fátima em peregrinação. Saímos de Lamego muito entusiasmados pois rumávamos ao Santuário da Mãe!

Chegados a Fátima iniciamos a nossa peregrinação com a História das aparições aos pastorinhos Lúcia, Jacinta e Francisco, que comemorarão o seu centenário no próximo 13 de Maio de 2017. Refletimos na importância da aparição de Nossa Senhora aquelas crianças tão humildes que passavam os seus dias a cuidar do seu rebanho na Cova de Iria. O que nos mostra que Deus nunca se esquece do seu povo e em 1917 por intercessão de Maria demonstrou novamente que o seu Amor por nós é eterno e misericordioso. Durante a tarde realizamos uma via sacra “Cruz Segredo de Amor” com a Santíssima Virgem, onde percorremos  as quinze estações sob o ponto de vista de Maria, Mãe Imaculada que sofreu ao acompanhar o seu filho para a morte para remir o Mundo de todos os seus pecados. Este ato de Amor pela Humanidade deixou-nos a refletir sobre os nossos próprios atos, se temos vivido de forma correta e se nos temos doado ao nosso próximo. Seguidamente, visitámos as casas onde habitaram os pastorinhos, sendo que estas  ainda se encontram como na época em que as aparições decorreram. Depois de termos alimentado a alma fomos alimentar o corpo. E pelas 20h00 no centro Paulo VI assistimos ao XI Festival Nacional Jovem, Canção Mensagem 2016 promovido pelo Departamento Nacional da Pastoral Juvenil com o tema “Bem Aventurados os misericordiosos porque alcançarão misericórdia” (Mt 5,7). Este festival para a Paróquia da Sé teve um grande significado, pois o Grupo de Jovens da Sé representado pelos nossos sete magníficos (Carolina Queijo, Francisco Silva, Joana Neto, João Pedro Duarte, Luís Lemos, Rui Pedro Monteiro e Tiago Torres) representou a diocese de Lamego, tendo conseguido um honroso 3ºlugar. Foi num ambiente de verdadeira comunhão que decorreu o Festival, em que os jovens participantes transmitiram uma mensagem cheia de Amor, Partilha e União com Jesus Cristo. Citando o refrão da música do Grupo de Jovens da Sé “ Segue o tempo, segue a luz, segue e canta a Jesus, abre o teu coração e deixa-O entrar”, pois só de coração aberto estamos disponíveis para acolher o grande Amor que Deus tem por todos nós e nesse sentido deixamos de ser “nós” e passamos a ser “Um”.

No dia seguinte, peregrinamos pelo Santuário. Cada passo que percorríamos aproximava-nos cada vez mais de Maria que naquele local se sente tão presente com o seu coração Imaculado que zela por todos nós e nos conforta em todos os momentos da nossa vida.

Regressamos a Lamego com o coração a transbordar de Amor e com a alma a rejubilar. Aqueles dois dias que vivemos de uma forma tão intensa trouxeram-nos uma lufada de ar fresco à nossa Fé e vão contribuir para que vivamos este advento com uma maior entrega ao nosso próximo desapegando-nos de tudo o que não nos faz falta e aprendendo com a humildade daqueles pastorinhos que mal sabiam ler, mas que entregaram as suas orações e o seu coração ao Amor misericordioso de Deus por intercessão de Maria Mãe de Deus e nossa Mãe.

Susana Santos, in Voz de Lamego, ano 87/06, n.º 4391, 13 de dezembro de 2016

Exposição “Crianças Cáritas Austríacas” em Portugal

img_3539

Tal como tinha sido anunciado, decorreu no passado dia 6 de Dezembro, pelas 18h, nas instalações do Museu Diocesano de Lamego, e em parceria com a Cáritas Diocesana de Lamego, a inauguração de uma Exposição subordinada ao tema “Crianças Cáritas Austríacas” em Portugal, após a 2ª Guerra Mundial, entre 1947 e 1958.

Na abertura do evento pudemos deliciar-nos com a audição de belas canções entoadas pelo  Coro da Universidade Sénior  de Lamego, adequadas ao espírito que presidia à Exposição e junto dos respetivos roll up  sobre o tema em questão. De seguida passou-se ao auditório do Museu Diocesano onde se desenrolou  uma sessão solene, com especial destaque para as intervenções do Dr. Eugénio da Fonseca , presidente da Cáritas Portuguesa, Sr. Vigário Geral , Monsenhor Joaquim Dias Rebelo, Sr. Ingo Konig, em representação do Sr. Embaixador da Áustria, que por motivos de saúde não pode estar presente, e a Sra. Karla Benninger  uma das “Crianças Cáritas” acolhidas no nosso país por uma família portuguesa.

Dada a importância do tema, não só a nível cultural mas também histórico, um dos momentos mais enriquecedor e mais sensível, foi o testemunho da Sra. Karla Benninger, a qual partilhou com os presentes tudo o que sentiu ao deixar os seus pais e o seu país, aos seis anos de idade, sem ter a noção do porquê de tal atitude. Só muito mais tarde viria a ter consciência do ocorrido face às nefastas consequências da guerra que assolaram a Europa e, no seu caso concreto, a sua terra, a saber: destruição, morte, fome, desemprego, enfim, como a Sra. Karla referiu, não havia nada. No entanto referiu que houve algo que a acalmou quando chegou a Portugal, ou seja, a receção feita por uma família católica, onde nada lhe faltou, desde o alojamento à sua integração no seio familiar, educação e sobretudo muito carinho. Ainda hoje mantém essa ligação e jamais esquecerá o que fizeram por ela. Frisou várias vezes que foi graças à Cáritas, que ela e muitas outras crianças austríacas, foram salvas, pois na altura os flagelos da guerra estavam bem patentes na mente de todos.

Num momento de partilha e diálogo com os presentes, houve grande emoção, uma vez que Lamego foi uma das cidades que também acolheu algumas dessas crianças. Foi possível obter algumas fotos desse período, cedidas gentilmente pela Dra. Sofia Miranda, que se lembrava ainda muito bem dessa época bem como dos momentos de convívio com as crianças acolhidas no seu seio familiar, e pela Dra. Marina Valle, uma vez que os seus pais também tinham sido família acolhedora.

Durante a sessão foi ainda salientado o papel importantíssimo que a Cáritas, enquanto organização católica, desempenha, estando sempre presente e pronta a desempenhar a sua missão de defesa do bem comum, intervindo em ordem à transformação social, fomentando a partilha de bens e a assistência, em situações  de calamidade e emergência, quer ao nível nacional, Cáritas Portuguesa (a comemorar o seu 60º aniversário) em articulação com as Cáritas Diocesanas, quer ao nível europeu, através da Cáritas Europa  e a nível internacional através da Cáritas Internationallis.

O encontro terminou com uma breve referência à época natalícia que estamos a atravessar, lembrando na Áustria a festa de S. Nicolau, bispo conhecido pela sua caridade e proteção das crianças, e  o Advento na Igreja Católica, preparando o Nascimento do Menino Jesus.

Relembramos  que a Exposição “Crianças Cáritas Austríacas” em Portugal continuará patente ao público até ao dia 31 de Janeiro de 2017.

Cáritas Diocesana de Lamego

Museu Diocesano de Lamego

in Voz de Lamego, ano 87/06, n.º 4391, 13 de dezembro de 2016

Tabuaço preparou e viveu festa em honra da Padroeira

dsc_0093

Imaculada Conceição

“É fácil ser Deus. Difícil é ser homem.”

Esta foi uma das citações, entre algumas passagens bíblicas e outras tantas “estórias”, que o Rev.º Padre Joaquim Proença Dionísio, convidado do nosso Pároco Padre Manuel Gonçalves, usou para prender a atenção dos paroquianos que, deixando o conforto das suas casas, participaram na novena da Nossa Senhora da Conceição.

Como não podia deixar de ser, o nevoeiro, que é presença habitual nestes dias, não impediu que durante nove noites as pessoas se reunissem para rezar e ouvir palavras sábias saídas do coração do orador.

Ao nono dia ouvi alguém dizer: – Podíamos prolongar a novena que continuaríamos a ouvir o Sr. Padre da mesma maneira, com o mesmo entusiasmo.

E Maria esteve sempre nas nossas orações. Ela é e continuará a ser o nosso modelo de mulher e de mãe. A sua maternidade é o princípio e fundamento de todas as grandezas de Maria: cada um dos privilégios que lhe foram concedidos são consequência da sua eleição para Mãe de Deus.

Como Mulher, aceitando a missão de ser mãe, vivendo na santidade do seu exemplo, usando a suavidade das suas consolações, vendo a eficácia das suas preces, envolvendo-se no seu manto de humildade. Como Mãe, sabia que o seu Filho estava destinado a percorrer um caminho nem sempre fácil. Participou e colaborou com Ele duma maneira muito próxima porque entendeu a Sua missão.

Também cada cristão é chamado a participar nessa vivência, a dignificar-se e aproximar-se cada vez mais do modelo de Jesus. Na comunidade, na vizinhança, no trabalho e muito especialmente na família.

“Seguir, conhecer, confiar”.

Não O vemos, não O tocamos, mas sabemos que Ele está presente e nos ouve. Saber ouvir é uma virtude. Será que nos tempos que correm sabemos ouvir? Sabemos agradecer? Sabemos pedir desculpa? Sabemos perdoar?

“Perdoar liberta!”

Estamos sempre a tempo de desenvolver atitudes de Fé e de viver os seus mistérios. A tolerância, o respeito e a compreensão são valores que devemos cultivar. Mais ainda porque neste momento vivemos tempos de intolerância e fanatismos exacerbados que levam milhares, senão milhões de pessoas em todo o mundo, a um estado de sofrimento tal que não nos devem deixar indiferentes.

Depois de nove dias de reflexão propostos pelo Sr. Padre Joaquim Dionísio, eis que os fiéis enchem a igreja de Tabuaço para a celebração em honra da Nossa Senhora da Conceição. O corpo de Bombeiros e a Banda de Sendim deram maior brilho à procissão que percorreu algumas ruas da vila com o andor de Nossa Senhora.

Os paroquianos de Tabuaço ficam à espera duma próxima visita do Sr. Padre Joaquim Dionísio, com a alegria de quem ficou com o coração cheio.

M. Cidália P. Santos, in Voz de Lamego, ano 87/06, n.º 4391, 13 de dezembro de 2016

Falecimento do Pe. José Manuel Sabença, Espiritano

????????????????????????????????????

Partiu para a Casa do Pai, o reverendo Padre José Manuel Sabença, Espiritano.

Encontrava-se internado, com doença cancerígena, em estado terminal, há alguns meses. Hoje, dia 14 de dezembro, Deus chamou-o para Si.
O P. José Manuel Sabença nasceu na paróquia da Penajóia, Arciprestado e Diocese de Lamego, em 1960.
Completou os seus estudos nos Seminários Espiritanos, fazendo os seus Votos Perpétuos em 1985 e foi ordenado sacerdote em 1987, na Arquidiocese de Braga. Prolongou os seus estudos em Braga, Filosofia, em Lisboa, Teologia, e em Paris, Missiologia.
Durante 5 anos, a partir de 1992, trabalhou em África. Ao regressar a Portugal, assumiu a missão de Reitor do Seminário Espiritano no Porto, entre 1997 a 2003. Foi eleito Provincial e exerceu um triplo mandato entre 2003 e 2012.
Em 2012 foi eleito como Conselheiro Geral da Congregação para Roma, onde permaneceria 8 anos, mas as condições de saúde não lhe permitiram prosseguir com essa missão. Outra missão o esperava, a doença.
O Funeral será na sexta-feira, 16 de dezembro, às 15h30, na Igreja Matriz da Penajóia. A celebração da Eucaristia exequial será presida por D. António Couto.
Na quinta-feira, 15 de dezembro, será também celebrada Eucaristia, pelas 21h00, na Igreja Paroquial.
Que Deus lhe conceda o eterno descanso.
A Diocese de Lamego, na Pessoa do Sr. Bispo, D. António Couto, manifesta as suas sentidas condolências à família, à Congregação do Espírito Santo (Espiritanos), bem como à comunidade paroquial da Penajóia, unindo-se em oração e elevando para Deus as suas preces, em atitude de louvor e de ação de graças.
Pode visitar a página dos Espiritanos em Portugal: AQUI.